Capiba, Guerra Peixe e as Pontes de Safena

Autor: 

 

A inauguração da Rádio Jornal do Commercio, em 1949, no Recife, revolucionou as comunicações na região. Projetada e equipada com as mais avançadas técnicas, a nova emissora trouxe para Pernambuco alguns dos nomes mais famosos daquela época. Atrações internacionais revezavam-se em seu auditório com os ídolos brasileiros mais festejados, que vinham ao Recife para curtas apresentações ou contratados em caráter temporário.

Entre estes, estava o maestro César Guerra-Peixe. Estudioso da música brasileira, aqui encontrou farto material para o seu trabalho, além de um interessado colega que seria também vizinho:

"Conheci Capiba em 1949 - escreveu Guerra-Peixe na contracapa do LP "Sedução do Norte", gravado em 1958, com músicas do compositor pernambucano - e pude conviver com o músico formidável e observar seus propósitos e realizações.

"... A conduta de Capiba é a conduta do artista que antes de pretender ser personalista se lembra de que a sua música é também a música do Nordeste que o admira, do Nordeste onde busca diversas inspirações para depois devolvê-las em forma de quadros musicais e imagens poéticas".

A amizade entre os dois músicos foi longa e produtiva para ambas as partes. Com o maestro, Capiba aprendeu composição e harmonia. Esses dois ensinamentos "me proporcionou uma maior consciência do que compunha" - atestou posteriormente o próprio Capiba. Ele acrescentou: "No decorrer das aulas compus algumas peças para piano - "Instantâneos nº I e II), uma peça para flauta-solo, em dois movimentos, que dediquei ao flautista argentino Esteban Eitler, que a executou não só no Brasil, como pelo resto do mundo. Foi para mim uma experiência de grande valor".

É desta fase a evocação das três cidades históricas de Pernambuco - Olinda, Recife e Igarassu - em versos que falam de "Olinda, Cidade Eterna":

do "Recife, Cidade Lendária",

e de "Igarassu, das festas de São Cosme e de São Damião".

Todas estas versões são do disco "Sedução do Norte" (1958), cantadas pelos Titulares do Ritmo e arranjadas por Guerra Peixe. Os arranjos de metais do Guerra são muito legais, usando princípios ritmicos de maracatu. Mais uma canja deste disco espetacular, a música "Cais do Porto":

 

"Nós estávamos tão identificados - Capiba escreveu, anos depois, sobre o amigo - que fizemos a mesma operação do coração. Ele fez várias pontes de safena, enquanto eu fiz duas com a equipe do dr. Adib Jatene, de São Paulo".

Fontes: http://www.memorialpernambuco.com.br/memorial/paginas/capiba/capiba20.htm - Jornal do Commercio, 01/01/1998, 

http://www.acervoorigens.com/2010/09/guerra-peixe-e-orquestra-rge-1978.html - Disco Sedução do Norte

Imagens: 
Sedução do Norte - Capa
Média: 5 (1 vote)
1 comentário
imagem de Samuel Machado Filho

Em 1978, a RGE fez nova edição desse álbum, sob o selo Premier, com outra capa e sem crédito aos Titulares do Ritmo na interpretação das músicas cantadas. 

 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.