Pesquisa desenvolve diesel renovável

Uma pesquisa com um mix de três combustíveis renováveis resultou na produção de uma variedade de diesel verde, com níveis satisfatórios de eficiência e capaz de substituir a fonte de origem fóssil. A descoberta, considerada inovadora, é fruto de um trabalho de mestrado de estudante da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

O diesel, totalmente renovável, é composto por 50% de biodiesel feito a partir do óleo de soja, 40% de etanol e, 10% de óleo de soja puro, explica o pesquisador Márcio Turra de Ávila, da Embrapa Soja, que foi parceiro na pesquisa.

O estudo levou um ano para ser concluído, e as próximas etapas de análise devem durar até dois anos. O combustível será testado em tratores da Embrapa em várias localidades para a coleta de dados como impacto no motor, emissões e de desempenho do veículo.

O custo do produto pode ser de 25% a 30% mais elevado do que o diesel tradicional, considerando que o etanol está com o preço em patamares mais elevados. A relação entre o consumo do combustível e seu poder calorífico também será mensurada, para obtenção de uma base melhor de preço.

Pesquisa

Tanto o diesel quanto a mistura de biocombustíveis foram usados para movimentar motores ligados a geradores de eletricidade. “Foram mantidas acesas 18 lâmpadas de 150 watts, durante 150 horas, o que equivale a cerca de 5 mil km rodados”, conta Ávila.

A partir da comparação entre os dois produtos, a pesquisa avaliou a eficiência térmica dos motores (conversão da energia química do combustível em trabalho mecânico). “A eficiência do motor que usou a mistura de combustíveis renováveis foi até 10% superior”, diz o pesquisador.

Essa proporção aponta que a mistura testada pode ser uma boa opção em regiões que não tem acesso à eletricidade. O custo para aquisição do motor e do gerador de eletricidade fica em torno de R$ 2.500,00.

Segundo Ávila, o estudo analisou também a emissão de material particulado (contido na fumaça que sai do escapamento dos veículos pesados). Enquanto a mistura renovável emitiu apenas 10 miligramas desse material poluente, em cinco minutos de coleta, o diesel produziu 28 miligramas, quase três vezes mais. “Este é um dado muito importante, pois pesquisas realizadas pela Universidade de São Paulo revelam que cerca de 20 pessoas morrem, diariamente, na capital paulista em decorrência de problemas cárdio-respiratórios ocasionados por material particulado emitido por ônibus e caminhões”, afirma.

O próximo passo da pesquisa será fazer a comparação entre os dois combustíveis em motores veiculares. “Nossa idéia é fazer a mesma experiência em tratores usados nos trabalhos de campo de alguns centros de pesquisa da Embrapa”, conclui.

Ter um diesel renovável com boas características é uma carta na manga para uma possível mudança de demanda do fóssil, considera Ávila. Ele entende que o trabalho é inédito, pois não existe nada semelhante feito. Tentativa como esta já foi feita há alguns anos pela Embrapa, com o craqueamento de óleos vegetais, mas o resultado não foi o esperado, e o pesquisa acabou parada.

Nenhum voto