ENTREVISTA STANLEY BURBURINHO com


ZECA PEIXOTOADRIANO RIBEIRO E ANTONIO NELSON*

 

O rosto de Che Guevara encobre um perfil misterioso. Para alguns, um hacker ligado ao PT; outros o entendem como algum figurão do Governo Federal que atua nas redes sociais. O fato é que ele incomoda e não dá trégua às trincheiras oposicionistas. Sua atuação no Twitter é diária; no Facebook foi bloqueado seis vezes.

O pseudônimo Stanley Burburinho é uma espécie de zagueiro daqueles que não têm medo de bola dividida. Se alguma figura de destaque das hostes oposicionistas resolve atacar o governo Dilma, é certeza que Burburinho entrará com informação e argumentação seguras para defender a meta governista.

Com sólida formação acadêmica e passagem pelo renomado Instituto de Tecnologia de Massachusetts, onde fez mestrado e doutorado, ele afirma não ser filiado a nenhum partido, embora admire o PT “porque se preocupa com o povo mais necessitado”.

Mas essa defesa também se revela crítica. Burburinho vê como fraca a atuação da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, ao mesmo tempo que se coloca como fiel escudeiro do projeto político no poder.

Entre suas atuações que se destacaram na web, algumas pautaram a mídia corporativa. Um desses momentos aconteceu em dezembro de 2012, durante o julgamento da AP 470, conhecida como mensalão. Faltando apenas o voto do ministro do STF, Celso de Mello, para que o Supremo, e não o Congresso, cassasse os mandatos dos deputados João Paulo Cunha (PT-SP), Valdemar Costa Neto (PR-SP), Pedro Henry (PP-MT) e o então suplente José Genoino (PT-SP), Stanley Burburinho desencavou um processo de 1995 que deixou o decano em uma “sinuca de bico”. Na iminência de desempatar a votação e decidir que cabe ao STF arbitrar na Casa legislativa, o acórdão encontrado por burburinho trazia uma opinião completamente oposta, em que o ministro deixava claro que somente através do voto secreto na Câmara ou Congresso poderia se cassar um parlamentar eleito democraticamente, sem intromissão de nenhum outro poder. Depois de espalhado na blogosfera, a grande mídia não teve como esconder esse exemplo de jornalismo investigativo que os próprios veículos de mídia parecem ter esquecido de fazer.  

Stanley Burburinho concedeu entrevista exclusiva aos jornalistas Antonio Nelson, Andriano Ribeiro e Zeca Peixoto, que a compartilham colaborativamente em diversas plataformas. Boa leitura. 

 

Zeca Peixoto - Na sua página no Facebook consta que você passou pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Quem é o Stanley Burburinho que está por detrás da foto de Che Guevara? Por que esse nome?

Stanley Burburinho – Não sou jornalista e nunca me dei bem com o idioma. Sim, passei por lá. Fiz meu MsC. E PhD no MediaLab do MIT. Também fiz alguns cursos em Harvard que fica na mesma cidade.

Ninguém conhecido como muita gente acha. Uma pessoa comum. Já acharam que sou o Nassif, PHA, José de Abreu, José Dirceu, etc. É uma honra acharem que sou um deles. Esse nome peguei na Net, não me lembro mais aonde. Achei curioso.

Zeca Peixoto - Sua atuação na Internet, sobretudo no Twitter, revela uma pessoa bem informada. Você tem fontes seguras no Governo Federal?

Stanley Burburinho - Não me considero bem infirmado como falam. Quem eu considero bem informado é o Nassif, o PHA, o Paulo Moreira Leite da Revista IstoÉ, o Zé Augusto e a Helena do Blog Amigos do Presidente Lula, o LEN, o Azenha, o Blog do Saraiva, o Blog Contexto Livre e vários outros que não me lembro no momento. Tem muita gente bem informada que quase não tem tempo para as redes sociais. Leio todos os citados, todos os dias. Agora, me ligo nos nomes, datas, fatos e nos detalhes. Anoto tudo. Leio todos os links que me passam no Twitter. Então, não tem como você ficar sem informação. E tenho tempo para ler tudo.

Zeca Peixoto - Staley Burburinho é filiado a algum partido político?

Stanley Burburinho ‑ Não sou filiado a nenhum partido. Gosto do PT porque se preocupa com o povo mais necessitado.

Zeca Peixoto - Como avalia as chamadas jornadas de junho? Concorda com a tese de que o atual modelo político está esgotado?

Stanley Burburinho - Acho válidas, mas sem vandalismo. Ficou claro que oportunistas tentam se apropriar das manifestações. Lembra da campanha pela derrubada da PEC37? Repare que as reivindicações dos manifestantes são as mesmas de Dilma. Acontece que não interessa a muita gente do Congresso as mudanças propostas nas manifestações. Sem a ajuda das ruas fica difícil o PT implementá-las. Dos 513 deputados o PT só tem 86 e dos 81 senadores o PT só tem 12. Fica difícil aprovar alguma coisa. Além disso, 45% de todo o Congresso pertencem à bancada dos empresários.

Se a oposição estivesse no poder, acredito que ninguém falaria que o modelo atual está esgotado. A oposição, para retormar o poder e nunca mais sair, quer o voto distrital que só os ricos se elegem. Como nos EUA. Acho que o atual modelo político precisa de reformas. Antes, acho mais urgente uma reforma do Judiciário. Controle externo para o Judiciário e MP. O CNJ fiscaliza o STF e o Judiciário, mas o presidente do CNJ é o mesmo presidente do STF. Quem fiscaliza o PGR e os MPs é o CNMP, mas o presidente do CNMP é o PGR. Isso tem que acabar. Controle externo para o Judiciário e MPs. Ministros do STF tem que ter mandato de no máximo 5 anos. Membros dos MPs poderão ser julgados por um juiz e não só por seus pares. Quantos membros dos MPs ficamos sabendo que foram punidos e demitidos. Eu não sei de nenhum caso. De 2003 até 2012, a PF puniu e demitiu quase 3 mil membros e disponibiliza essa informação no seu site. O MP não.

Zeca Peixoto - Na sua opinião, os partidos políticos perderam importância como interlocutores dos movimentos sociais?

Stanley Burburinho - Acho que não. Vejo muita gente que se diz petista reclamando que Dilma não reconhece a militância. Acho que militante que acredita no projeto do seu partido para o País não precisa de afago. Acham ruim com o PT, pior sem o PT.

Zeca Peixoto - Como avalia a presença de quadros no governo federal que, de alguma forma, têm compromissos com setores da indútria da copy right, das telecomunicações e da mídia tradicional, que é o caso do ministro Paulo Bernardo?

Stanley Burburinho - Acho estranho, se confirmado. Não acredito que Dilma, logo Dilma, que tem muito cuidado com esse tipo de situação, Lula e demais do PT, deixariam que isso acontecesse. Não posso afirmar nem posso negar esses compromissos que você citou na pergunta. Você não relacionou na pergunta a SECOM que acho fraca.

Zeca Peixoto - Tem opinião formada sobre a experiência do coletivo Fora do Eixo, que abriga o movimento Narrativas Independentes de Jornalismo Alternativo, o Mídia Ninja?

Stanley Burburinho - Sinceramente, não conhecia nenhum desses movimentos antes das manifestações. Estou recolhendo informações sobre eles. A Carta Capital de hoje diz que são eleitores de Marina Silva e que o líder do Fora do Eixo lançará o líder do Mídia Ninja como candidado a deputado federal pelo partido Rede de Marina Silva. Vou aguardar um pouco mais para falar sobre eles. Mas acho muito bom como alternativa.

Zeca Peixoto - Você foi bloqueado pelo Facebook. A administração do site chegou a te dar alguma justificativa ou explicação? Deduz qual o motivo da medida tomada por eles?

Stanley Burburinho - Sim. Fui bloqueado pela sexta vez. Alegam que uso no perfil um nome que não é o meu nome verdadeiro e pedem um número de telefone para liberar o acesso à conta. Sempre neguei. Na última vez, passei a usar o perfil Julinho da Adelaide. Outras cem pessoas usam o mesmo nome de perfil, mas resolveram bloquear só o meu. E os demais? E os Anonymous? Desisti. Vou passar a usar o Joindisapora e o Blogoosfero que é nacional, não têm donos e são anti-NSA/CIA porque ficam distribuídos em vários servidores por vários países.

Zeca Peixoto - Onde é preciso avançar no projeto político do PT e aliados?

Stanley Burburinho - Nos jovens. Renovação da militância. Senão correrá o risco ficar sem militância como o PSDB e DEM. Quem tem mais história que o PT?

Zeca Peixoto - Quanto ao atual quadro, há condições de Dilma Rousseff reverter essa queda de popularidade?

Stanley Burburinho – Sim. Já está revertendo. Subiu 6% na última pesquisa. Além disso, as falcatruas da oposição estão vindo à tona e a velha mídia vem perdendo credibilidade.

Zeca Peixoto - E sobre as candidaturas de Eduardo Campos, Marina Silva e Aécio Neves, alguma delas tem chances?

Stanley Burburinho - Nenhuma. Bater em Eduardo Campos, Marina e Aécio, é fazer de graça o trabalho da velha mídia e de Serra. Eduardo Campos é o que é graças ao Lula e Dilma. E os eleitores dele sabem disso. Desconfio que esse suposto “racha” entre Edurado Campos e o PT é encenação. Eduardo Campos e Lula não são bobos. Marina terá sérios problemas pelo conservadorismo religioso e pelo fato de apoiar abertamente o Pastor Feliciano. Além disso, quando os que pretendem votar nela souberem que o vice da Marina, que mora em Londres há mais de dez anos, é o dono da Natura que foi autuada no início do ano pela sonegação de R$ 628 milhões, e que o Banco Itaú, que foi autuado ontem pela Receita Federal por sonegação de R$ 18,7 bilhões, disse na velha mídia que dará apoio financeiro para a campanha de Marina, vão parar para pensar se vale a pena votar nela.

Aécio terá muitas dificuldades em conseguir votos em São Paulo porque Serra e a velha mídia de lá puxarão o tapete dele. Além do mais, o escândalo da Siemens e Alstom chegará até Minas Gerais, via Lista de Furnas. Além de outras coisas sobre Aécio que virão à tona até ano que vem. Várias trazidas pelo Serra que acha que foi Aécio quem detonou o escândalo da Siemens e Alstom.

Antonio Nelson – Pode-se afirmar que Stanley Burburinho é um hacker, no sentido original do termo?

Stanley Burburinho – Já fui. Tenho facilidade em usar o computador porque minha área de atuação é TI, Informática, etc. Fui na época do BBS.

Antonio Nelson – Qual a importância da existência dos hachers no Brasil?

Stanley Burburinho – Os que hoje são chamados de hackers, na minha época eram conhecidos como “escovadores de bits”. São muito importantes. Crackers são os vândalos.

Antonio Nelson - Sob a perspectiva da ética, até que ponto o jornalismo contribui para a memória social? 

Stanley Burburinho – Quase nada porque não depende só dos jornalistas, mas dos donos dos veículos. 

Antonio Nelson - Quais as posturas mais antiéticas cometidas pelas grandes empresas de comunicação brasileira com relação ao profissional e a veiculação da informação?

Stanley Burburinho – Demissão de jornalista a pedido de políticos, não deixar que o jornalista publique certas matérias etc. Omissão e distorção da informação etc.

Antonio Nelson – Ética jornalística e revista Veja?

Stanley Burburinho – Nenhuma.

Antonio Nelson – A ética jornalística e a Rede Globo?

Stanley Burburinho – Só no jornal Valor Econômico, que é da Globo e Folha de São Paulo, que a audiência é de empresários e investidores que sabem quando estão mentindo, especulando, omitindo ou fazendo jogo político.

Antonio Nelson – A ética jornalística e a Folha de São Paulo, seus colunistas?

Stanley Burburinho – Só leio o Jânio de Freitas. Aliás, aqui no Rio, quase ninguém lê a Folha de São Paulo.

Antonio Nelson – A ética jornalística e o Estadão?

Stanley Burburinho – Curioso, mas de todos os veículos citados acima foi o único que assumiu abertamente o apoio ao Serra. Não leio.

Antonio Nelson – Há uma elite conservadora e reacionária que teme o crescimento dos veículos jornalísticos na internet?

Stanley Burburinho – Sim. Na década de 90, quando a Internet não era tão forte quanto é hoje, FHC foi eleito e reeleito. A partir de 2002, com a Internet mais forte, nunca mais a oposição conseguiu eleger um candidato. Isso incomoda e muito a tal elite conservadora e reacionária. Por exemplo, o último tucano eleito para o governo do Rio foi em 1994, o Marcelo Alencar. De lá para cá, ninguém da oposição.

Adriano Ribeiro – Você já foi processado ou ameaçado?

Stanley Burburinho – Não. Eu nunca ofendo as pessoas, nunca falo palavrões na Internet e nunca faço acusações sem provas. Sempre mostro o link para a matéria. 

Adriano Ribeiro – Como foi sua relação dele com o primo famoso, o antropólogo Darcy Ribeiro?

Stanley Burburinho – Boa. Mas pouco tempo de convivência. Ele teve que fugir em 64. E, ainda garoto, eu voltei para Montes Claros. Trabalhei nos cinemas do outro primo, Mário Ribeiro, irmão do Darcy. Depois, ainda bem jovem, fui para o Uruguai e para Cuba fazer curso de guerrilha e depois fui para o Araguaia. Estive com ele aqui no Rio, mas por pouco tempo. Fui para os EUA estudar.

Adriano Ribeiro - É filiado ao PT e qual tendência partidária prefere detro do partido?

Stanley Burburinho – Não sou filiado ao PT. Acho que esse negócio de tendência partidária dentro do partido atrapalha e muito.

Adriano Ribeiro - Quando iniciou a militância?

Stanley Burburinho – Acho que desde quando eu nasci. Meu pai era filiado ao Partidão. Em 1961, meu pai ficou muito tempo com o Che, na primeira visita oficial dele ao Brasil.

Adriano Ribeiro - Antes da militância virtual já era ativista político?

Stanley Burburinho – Sim. Sempre fui.

Adriano Ribeiro - Quais momentos que mais o colocaram em destaque na rede?

Stanley Burburinho – Não me lembro de se isso aconteceu. Estou na rede faz tempo. O LEN também é das antigas. A gente ficava no blog do Noblat no Estadão. Todos os dias o Noblat bania o LEN e eu.

Adriano Ribeiro - Qual o maior furo e a maior barrigada?

Stanley Burburinho – Não me lembro mesmo. Não me ligo nisso. Mas deve ter rolado os dois. Não espero retorno da minha militância na Net. Faço porque acredito que o País está melhorando e muito.

 

*Zeca Peixoto é jornalista, mestre em História Social e blogueiro.

*Adriano Ribeiro é jornalista, ciberativista e está no Brasilianas.org  

*Antonio Nelson é jornalista, ciberativista e está no Brasilianas.org

Média: 5 (13 votos)
11 comentários
imagem de eric

O cara fala que fez MIT e no meio da entrevista diz: "Gosto do PT porque se preocupa com o povo mais necessitado", me poupe. Com frases como essa, somente confirma a minha tese: mestrado e doutorado é como treinar macacos, ou seja, cada vez exigimos menos raciocínio e mais receita de bolo que deve ser seguida pelos pupulos.

O objetivo de qualquer partido político é chegar oa poder e se manter lá, a qualquer preço.

Burburinho é como o nome, apenas burburinhos.


 
imagem de meiradarocha

Foi Stanley Burburinho quem deu repercussão ao desmascaramento do caso "Bolinha de papel". Eu li no blog "Abundam Canalhas" o detalhe do "artifact" de vídeo na sequência captada pelo repórter da Folha de são Paulo. Decupei quadro-a-quadro as imagens que tinha gravado da Globo e fiz um artigo no meu blog. Postei em três listas de dicussão (uma de professores de jornalismo, outra de jornalismo investigativo da Universidade do Texas e outra que não me lembro). Stanely devia ser assinante de alguma destas (acho que a do Texas). Postou o link para o artigo no meu site no PHA. De manhã, meu site estava derrubado pela quantidade absurda de acessos.

Vou te contar... o cara fazer guerrilha no Araguai, tirar doutorado no MIT e programar em linguagem assembly, tem que ser a fuck'n badass!

 
imagem de Zeca Oliveira

Hay hombres que luchan un dia y son buenos. Hay otros que luchan un año y son mejores. Hay quienes luchan muchos años y son muy buenos. Pero hay los que luchan toda la vida: esos son los Stanleys Burburinhos. 

 
imagem de biruel

Sensacional. Tenho muita saudade da galera.

Stanley, Len, Adriano e mais um monte de gente!!!

Algumas coisas estão mudando por aqui e vejo que vou poder dedicar mais tempo na rede, como antes, e matar a saudade desse pessoal!!!!!

Parabéns pela matéria!!!

 
imagem de Helen Lima13

Esse menino é um mistério, mas nunca me preocupei em saber a sua verdadeira identidade. Para mim, ele é Stanley Burburinho e tem a cara do Che. E é bom nisso. E está bom assim.

 
imagem de Beto Mafra

Delícia ler o Stan em mais de 140 caracteres!

Admiro esse cara desde que o conheci vagabundeando pelo Orkut, lá pelo início do milênio.

Um texto dele que não foi mencionado na entrevista e que recomendo é "O dia em que chorei duas vezes", muito mais petista do que eu. Ele postou na minha comunidade Orkut em 2008, depois ele perdeu o perfil e o texto se perdeu junto com o amigo.

Parabéns aos entrevistadores.

 
imagem de rubens leite filho

Puxa, custou para descobrir quem era esse STANLEY BURBURINHO de que tanto o homofóbico pastor Marco Feliciano falava:
"São homens e mulheres que usam dos mesmos mecanismos que Stanley usou no seu comunismo nazista, usam a mesma linguagem de Hitler" - Marco Feliciano
https://www.facebook.com/pages/Stanley-o-Comunista-Nazista/616507855029704

 
imagem de rubens leite filho

Puxa, custou para descobrir quem era esse STANLEY BURBURINHO de que tanto o homofóbico pastor Marco Feliciano falava:
"São homens e mulheres que usam dos mesmos mecanismos que Stanley usou no seu comunismo nazista, usam a mesma linguagem de Hitler" - Marco Feliciano
https://www.facebook.com/pages/Stanley-o-Comunista-Nazista/616507855029704

 

 
imagem de vera oliveira

eu acho que o Stanley não deveria dessitir não, eu sei como ele se sente ao ser bloqueado, eu fui excluída do orkut va´rias vbezes pelo mesmo motivo. Tem que respirar fundo e fazer um novo perfil, é o nome que eles querem ?? Provoque, coloque Osama da silva, Obama de oliveira, Hillary alguma coisa, srsrsrrsrsrsr ou qualquer que eles não tenham certeza que é um deboche, com essa gente a gente tem que ter estomago e paciência.

 
imagem de luzete

eu sinto falta do stanley no facebook que é onde me informo hoje em dia...

mas ele é mesmo o cara, ou melhor, um deles.

e ele esqueceu de citar o miguel do rosário, outra fera.

 
imagem de Madre Guevara Leonel

Legal a entrevista!!! Constantemente me acusam de usar nome falso! E daí? Salve Lula!!!

 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.