Barbosa, Gurgel e imprensa:a seletividade oportuna dos fato

Não seria o momento do ministro Joaquim Barbosa acordar para fatos de extrema gravidade?  Como as acusações de prevaricação que pesam contra Gurgel, o procurador Geral da República e contra Serra em "A Privataria Tucana"?

 

 

  

Ao ser arguido por repórteres sobre as denúncias de Marcos Valério que envolvem o ex-presidente Lula, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, afirmou que o Ministério Público tem que investigar o caso.

Creio que tanto os repórteres, que buscaram repercutir depoimento do réu do mensalão dado ao MP em setembro passado, e o ministro do STF, cumpriram seus papéis, agiram de acordo com a função que exercem.
Neste caso somente...

(...)Mas a pergunta que não quer calar: por que não há um enxame de jornalistas a procura de Joaquim Barbosa para amplificar as denúncias do senador Collor de Mello contra o Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, pelo crime de prevaricação?
Um senador acusa o Procurador Geral da República de prevaricar e ninguém se coça atrás da notícia? Ou seja, segundo o dicionário de português on line: "Cometer (o funcionário público) crime de prevaricação, que consiste em retardar ou deixar de praticar ato de ofício, ou praticá-lo contra disposições legais, por interesse ou má-fé."

(...)E o que dizer das gravíssimas denúncias contra José Serra, fartamente documentadas no livro "A Privataria Tucana", de Amaury Ribeiro Jr., que possibilitou, há cerca de um ano, que fossem colhidas assinaturas suficientes para criar a CPI da Privataria, até hoje não instalada?
José Serra foi blindado e o livro desqualificado pelos auto-proclamados "formadores de opinião"... continue lendo

Nenhum voto

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.