Gentrification e Requalificação Urbana

Autor: 

Para a população de baixa renda é interessante que a ocupação na requalificação de regiões urbanas seja a mais ampla possível. A qualidade de uma região urbana depende diretamente da renda média da população que a ocupa, do desenvolvimento da economia local.

É totalmente despropositado esperar desenvolvimento, segurança e qualidade urbana se não há dinheiro circulando em uma região. É ele que assegura a implantação do comércio de varejo e serviços, bares, padarias, supermercados, cinemas, teatros, espaços de convívio urbano. São estes locais que criarão melhores postos de trabalho, aumento de renda da população pobre que mora na região, movimento nas ruas e aumento da segurança. O projeto fracassa se for, exclusivamente, caritativo e não oferecer uma perspectiva para gerar desenvolvimento. Será dinheiro público jogado no lixo. É uma espécie de elogio à pobreza. Afinal sem pobres, como ser caridoso? 

A Gentrification, é o mais novo rótulo difundido pelos "defensores" da pobreza, para denominar o aburguesamento de uma região. Termo aliás bem antigo, surgido na crítica à reforma urbana de Londres nos anos 60.  Como se fosse um pecado requalificar uma região se isto significar o seu aburguesamento. Aburguesamento usado em vários casos para nomear uma melhoria, a resolução de problemas. Existe um ponto exato, para devolver  qualidade à uma região e não excluir a população de baixa renda que a ocupa (há décadas em alguns casos). O projeto deve, além de garantir moradias sociais, encontrar formas de aumentar a renda da população pobre que ocupa a região.

Richard Sennett, que dedicou anos de sua vida ao planejamento urbano, alerta há muito tempo para demagogia desta crítica primária. Problemas urbanos não se resolvem exclusivamente com caridade ou com uma pretensa "proteção" da população pobre. Afinal, um pobre precisa que alguém "defenda" a sua pobreza? É esta a raiz do problema: Várias instituições vivem, há décadas, da exploração da pobreza. Religiosas, ONGs e outras instituições "sem fins lucrativos". Resolveram alguma coisa em décadas de atuação? 

Interessa à todos nós  reintegrar estes verdadeiros guetos à cidade. Democraticamente: Isto significa necessariamente a inclusão de TODOS. Incluir as pessoas significa coloca-las em um NOVO lugar sob uma NOVA perspectiva. Substituir a pobreza por algo digno. Benvindo aburguesamento...     

Nenhum voto

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.