O Brasil e a mentira do primeiro de abril

     O Brasil acaba de ser incluído no rol dos países de primeiro mundo. A educação pública tornou-se de primeira qualidade onde professores têm salários de fazer inveja aos tempos de salários indignos. As escolas públicas dispõem de ar condicionado, gelando, em todas as suas dependências. Os hospitais públicos tornaram-se padrão linha D'or. Não há mais filas para emergências e consultas. Tudo funciona com invejável rapidez de atendimento. A polícia alcançou 95% na taxa de elucidação dos crimes e armas e drogas deixaram de penetrar pelo 'queijo suíço' de nossas fronteiras. Policial tem salário, em início de carreira, de R$ 8 mil e o salário mínimo do país é de R$ 6 mil. Não se houve mais falar em falcatruas entre empresas estatais e empreiteiros. Pela nova e rígida lei penal, dependendo do montante surrupiado, a pena pode chegar a 30 anos de prisão em regime fechado. Detalhe: foram extintas as progressões de regime carcerário e as reduções de pena na lei brasileira. Menores, independente da idade, são responsabilizados como se adultos fossem caso se conclua que eram capazes de entender o caráter criminoso de seus atos. 

        As enchentes, durante e pós temporais, acabaram em todas as grandes cidades do Brasil. Ninguém joga mais lixo em boeiros, nos rios e galerias pluviais. Também não se vê mais lixo nas encostas de morros. O trânsito nos grandes centros flui de forma rápida e segura. Os transportes públicos são de primeira linha e conforto invejáveis. Os preços das passagens caíram assim como a conta da luz. A inflação alcançou o máximo de 0,5% ao ano. Inacreditável. Não há mais desvio de verba pública e nenhum político no Brasil responde por improbidade administrativa ou porque mentiu para se eleger. O Brasil cumpriu a meta de redução de gases poluentes e a população não joga mais lixo no chão, Os morros e favelas deram lugar a bairros decentes e os traficantes, quase todos presos, não mais tocam o terror nas comunidades. Não se houve falar mais de assaltos em vias públicas, explosões de caixas eletrônicos e assaltos no metrô. A lei penal brasileira tornou-se tão dura que o latrocínio, o estupro e o sequestro resultam em prisão perpétua, a contragosto dos criminólogos humanitários      . Tudo funciona no Brasil. Até o sistema penitenciário deixou de ser universidade do crime e ressocializa o apenado. A ética a probidade são a tônica na política brasileira. Não se houve mais falar de que propinas sejam repassadas na porta de diretórios de partidos. O Brasil mudou, tanto que não há mais obras superfaturadas nem contas milionárias depositadas irregularmente em bancos da Suíça. Todas as obras, até então inacabadas, foram concluídas e findou o célebre argumento de que ninguém "nunca soube de nada". As bolsas-tudo passaram a ser coisa do passado. Os miseráveis não mais precisam delas. Há emprego e renda suficientes para todos os brasileiros e o número máximo de ministérios é de vinte. Não mais do que isso. Milhares de cargos comissionados foram cortados.        Epa, acordem ! O sonho e os delírios acabaram, hoje é primeiro de abril. O dia da mentira.    Milton Corrêa da Costa é cidadão brasileiro que no dia 12 de abril estará nas ruas clamando por um país melhor

Média: 3 (1 vote)

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.