RESENHA: TRILOGIA JOGOS VORAZES

Acabei de ler a trilogia dos Jogos Vorazes. Adorei o primeiro livro, gostei bastante do segundo, fraco o terceiro - odiando a terceira parte dele.

Jogos Vorazes é um livro-chiclete. Gruda na hora. Estamos num futuro não muito distante. Doze distritos são escravos de uma capital em um país que é o último resquicio de humanidade na Terra após o que parece ter sido a 3ª Guerra Mundial. Isso ocorreu devido a uma tentativa de levante que foi esmagada. Para entreter e controlar os escravos, o Governo ("a Capital") faz anualmente jogos com os adolescentes de cada um dos distritos forçando-os a se matarem entre si. Daí começa a história. A protagonista, Katniss Everdeen, faz um sacrificio em prol da irmã, de 12 anos - improvavelmente escolhida em um tipo de sorteio para os tais Jogos - "a colheita" - , e toma seu lugar. Como é escolhido também um adolescente masculino, é selecionado Peeta Mellark, um garoto que salvou a vida dela na infância. Agora, ela terá que matá-lo mesmo com essa dívida.

A ação se desenrola entremeada com os conflitos de personalidade de Katniss, sua briga pela sobrevivência. À medida que a trama avança, descobrimos sobre ela, sua irmã e mãe, e seu melhor amigo/paixão despercebida Gale. Mas o brilho do livro é o personagem de Peeta Mellark. Ele participa pouco da ação, não tem quase habilidades físicas, mas suas frases são explosivas e dele os melhores diálogos e momentos do livro, principalmente com a protagonista. O desfecho é surpreendente, e interessante. Embora haja 3 atos (como nos demais livros), eu dividiria a história em duas partes. A preparação e conhecimento dos personagens no primeiro e os Jogos Vorazes no segundo. Mas o livro é uniforme, de modo que não há o que reclamar dele. Talvez certo detalhismo exagerado na descrição dos ambientes, nada mais. Nota 10.

A sequencia, "Em Chamas", divide-se também em três atos, dessa vez mais delineados. A primeira fala da turnê forçada de Peeta e Katniss por Panem para tentar apaziguar os Distritos, além da pressão de Snow contra ela e a família. Há o conflito dela para avaliar a ambiguidade de sentimentos dela para Peeta e Gale, e se cria o triângulo amoroso. Na segunda, são proclamados novos Jogos. Há novamente uma preparação e novos personagens são introduzidos. Há também o início da rebelião. Por fim, o terceiro ato fala da 75ª edição dos Jogos Vorazes.

Neste livro, como os atos são bem mais esparsos, há um certo distânciamento com os personagens, porque você passa a não saber quando será o clímax. A primeira parte é asfixiante, como se fosse uma bomba relógio. Na segunda, quando Peeta e Katniss são novamente jogados dentro dos Jogos, percebemos os sentimentos dela aflorando, e um clima de suspense crescente, durante a preparação, porque a rebelião passa a ser divulgada e com ela, mais perigos e incertezas para a protagonista, que decide proteger Peeta acima de tudo. Aí, na terceira, há um anti-clímax porque estamos sempre na expectativa de quem matará quem até que há a solução e Katniss escapa para o distrito 13, mas Peeta é capturado. No fim, o Distrito 12 é destruído. A única queixa que faço desse livro é uma perda do fio da meada durante a 1ª parte e um excesso de interiorizações da protagonista. Mas ainda assim em alto nível. Nota 8,5.

Chegamos ao epílogo da série: Esperança. Para começo de conversa, o título nacional é totalmente equivocado - o original é o "Tordo" da protagonista. O porquê dessa tradução nunca vou saber. A trama é dividida em longos três atos. A destruição do distrito 12 e suas consequencias, a convivência no distrito 13 até o aparecimento de um Peeta totalmente enlouquecido e a guerra.

O primeiro ato é razoável, dentro da linha da história - muitos discursos, explicações, expectativa: onde estará Peeta? O segundo, desnecessariamente vazio, com discussões políticas, lamentações de Katniss quanto à Peeta paralelos ao seu amor por Gale, e um triângulo amoroso impossível. Isso quando descobrimos que Peeta se tornou um escravo de Snow. Aqui também lemos em como ela se torna uma "propaganda de guerra", tal qual os heróis russos na 2ª guerra mundial. O retorno de Peeta é perturbador, mas aceitável, embora sua longa ausência deixe os leitores sem saber o que de fato aconteceu com ele. O problema é o terceiro ato e seu clímax.

O ato da guerra transcorre até de certa forma lógica, mas somos levados a um anti-clímax ridículo, um desfecho confuso, um desenlace sem maiores explicações. Simplesmente uma zona esse final. O fato de Peeta ficar junto de Katniss era obrigatório (e um alívio) pelo que passaram, mas deveria ter rolado um drama para ele "reencontrar" a sanidade e o amor dela. O ato até que não é ruim até ela chegar na mansão (embora bem mais frágil comparando com os dois primeiros). Mas depois dos bombardeios nas crianças, você se perde totalmente na narrativa.

Collins te derrama um sem número de pensamentos da protagonista que você passa a duvidar do que é realidade e o que é delirio - você só se reencontra nos três capítulos finais. A morte de Prim foi ridícula do ponto de vista da história e, embora a morte da Coin seja razoável, a forma do fim de Snow é um desperdício.

Sugeriria um clímax muito mais explosivo: ela escapa e entra na mansão. Depois de cambalear, finalmente encontra Snow, sozinho, já sabedor de seu destino. Consegue agir, mas é subjulgada, e aí ele despeja o discurso da inevitabilidade e sobre Coin. Passam-se segundos e Peeta aparece para salva-la. Mas aí, ele começa a perder de novo o sentido da realidade, estimulado pelos discursos de Snow. Katniss deve fazer aquilo que nunca foi boa, discursar. Ela então, começa a falar, enquanto Snow tenta aproveitar a oportunidade para se aproximar de uma arma. Enquanto isso, vê a urgência – é a última chance. Peeta a enforca. Ela diz que o ama, mas não funciona. Murmura mortes, dor, os Jogos, e nada. Daí, ela percebe que só há uma forma: diz a Peeta: “você disse que me amava desde que me viu pela primeira vez, quando fomos à Padaria eu e meu pai. E desde aquele dia, sempre me amou.” E pergunta: “Verdadeiro ou falso?” Peeta oscila, claramente tentando se lembrar. Seu rosto se contorce de dor. Dúvida. É a oportunidade de Snow. “Mate-a, agora!” E então ele fica calmo. Pega uma arma, com os olhos sem expressão voltados para Katniss. “Agora é o meu fim. Me perdoe, não consegui te proteger. De novo.” Peeta levanta, vira e atira em Snow. Quando Katniss olha para o rosto dele, lágrimas descem dos olhos dele, que larga a arma no chão, mão inerte. “Sempre. Sempre te amei. Nunca deixei de te amar. Desculpe.” Então cai sentado e coloca as mãos no rosto, chorando compulsivamente. Katniss corre para abraçá-lo, também chorando.  De repente, Snow se ergue agonizante e dá um tiro em Peeta. Ele cai desmaiado. Katniss então em segundos pega o arco, retesa e acerta uma flecha, no coração do Presidente. Sua preocupação se torna Peeta. Ela não sabe o que fazer, muito sangue sai dele. “Me perdoe por tudo que te fiz passar”, diz ele. Ela responde “não foi culpa sua, nem minha. Foi dessa guerra idiota. Você tinha razão”. E mais lágrimas escorrem. “Você não vai morrer agora. Não agora que eu sei” Ele responde: “Sabe o que?” “Que minha vida será impossível sem você”. Ele sorri, mas começa a fechar os olhos. De repente, Prim aparece e um monte de gente a envolve. E ela não tem tempo de saber se ele está vivo ou morto. Daí, bastaria criar um desenlace decente e raciona, com a salvação de Peeta. uma conversa final com Gale e o discurso do fogo, a morte da Coin.

Mas não - Collins se perde toda tentando encerrar inúmeras questões com um sem número de delírios da protagoniosta, o desaparecimento de Peeta e sua torpeza mental. Isso para acabar com o vilão da história afogado em vômito. O mais estranho é a protagonista votar favoravelmente aos jogos no final - e ela não pode estar sã depois das confusões mentais para bolar um plano de matar Coin. Ridículo.

O epílogo salva um pouco o destino dos personagens, embora a loucura dela e a morte de Prim sejam incompreensíveis. Depois do final decepcionante de Herança, merecia algo melhor para ler. Espero sinceramente que modifiquem o final no cinema. Os leitores merecem mais que essa melancolia. Nota 6.

 

Média: 4.3 (7 votos)
3 comentários
imagem de ValdirBittencourt

Também li os 3 livros diretos, sem intervalos, e concordo com as críticas. Acredito que a autora consegue manter o nível até o segundo ato do terceiro livro, então se perde totalmente.
O final de alguns personagens é ridículo. "Gale foi morar em outro distrito", comassim? Só isso? A morte de Prim é TOTALMENTE desnecessária, e serve apenas para dar um gostinho de "o destino sempre encontra seu caminho", uma mensagem negativa, na verdade, de que não valeu a pena todo o esforço que começou com Katniss se voluntariando no lugar dela. Mesmo tendo derrubado Snow, o objetivo dela que era deixar a família segura não se concretizou. Seria mais justo com a personagem se a vítima fosse a mãe dela, não Prim.

 
imagem de Wanderson Felipe

Eu gostei muito do final do terceiro livro! mais a sua sugestão e bem melhor mais intensa ja que apartir do meio do livro e pura ação,adrenalina e as morte de muitos pesonagens por causa da querra ti deija bem no clima.  

Uma coisa que pra mim faltou foi o (ciume) dela.como assim,quando Peeta é pego de volta pelos rebelde e esta assaltado e com odio dela.ela comecaria ver ele sempre com a Dally já que ele não tinha lembraça ruim dela então ele so confiaria nela de todos as pessoas que vivem no distrito 13.ele sempre sorrindo,falando e andando com Dally como se fosse um casal(Não precisava colocar que Dally estava apaixonada por ele,e si como grande amiga,como Katniss e Gale) ai bateria aquele ciume de Peeta com Dally(do mesmo jeito que sempre bateu quando Peeta via ela com Gale,ou quando,Gale via ela com Peeta)

So um detalhe.quanto Peeta viu ela e se apaxonou não foi na padaria com o pai dela,e si,na escola com 5 anos de idade na hora da formação da fila,e o pai dele tinha mostrado ela dissendo que ele quase casou com a mãe dela,mais a confimação de esta perdidamente apaxonado por ela foi quando ele escutou ela cantando a canção do vale na escola!(isso e dito no primeiro livro) 

(Uma pequena mudança para mim na sua sugestão) Snow manda Peeta matar Katniss so que ele ta calmo,então sem exitar Snow pega a arma e atira na Katniss,Peeta por enpuso si atira na frete dela tomando o tiro,assim com ele sempre  vez deste o primeiro game arricando a vida dele por ela.

 
imagem de Rafael Wuthrich

Bem vindo!

 

Gostei de suas sugestões. Particularmente, acho que um final mais bem escrito salvaria o terceiro livro do marasmo e da falta de coerência, e isso qualquer um de nós poderia ter feito melhor. Espero que o filme melhore o livro neste ponto.

 

Rafael Wüthrich

Pepperland [[http://www.advivo.com.br/blog/1376]]

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.