A Visita do Planeta Nibiru (ou Planeta X)

Essa história começou com uma reportagem publicada na primeira página do jornal Washingoton Post, em 30 de dezembro de 1983, intitulada "Mistério: Um corpo celeste descoberto possivelmente tão grande como Júpiter" e que, em parte, disse:

"Um corpo celeste possivelmente tão grande como o gigantesco planeta Júpiter e, possivelmente, tão perto do sistema solar e da Terra que seria parte deste nosso sistema foi encontrado na direção da constelação de Orion por um telescópio em órbita a bordo de satélite astronômico infravermelho dos EUA."

Desde então a Nasa tem instalado telescópios que monitoram o Universo e o segue, agora, por aquele que está em órbita do outro lado do Sol.

Acredita-se que seja o planeta de nome Nebiru relatado pelo povo Sumério.

Mas nada de alarmes tipo fim do mundo como acontece quando temos alguma aproximação de corpos celestes ao nosso sistema solar, como explica o físico solar Ian O’Neill:

Tendo em vista os diversos alertas e notícias falsas sobre tragédias a ocorrer no ano de 2012  alegando o  suposto ‘fim do calendário Maia‘, estamos postando uma série de artigos para desmistificar esses cenários apocalípticos impossíveis. Esse é o segundo artigo que fala sobre o suposto Planeta X e sua alegada associação com o hipotético planeta Nibiru.

2012: Planet X is not Nibiru 

Os limites exteriores do sistema Solar contêm muitos planetas anões ou plutóides ainda a serem descobertos. Desde que começou a busca pelo Planeta X no início do século XX, a possibilidade da existência de um hipotético planeta a orbitar o Sol além do Cinturão de Kuiper tem alimentado muitas teorias apocalípticas e especulações, tentando saber se, na realidade, o Planeta X é de fato um irmão binário do Sol perdido há muito tempo. Mas, qual é a razão para se temer a combinação Planeta X/’fim do mundo‘? Não seria o tal Planeta X apenas um objeto hipotético, desconhecido e nada sinistro?

Como discutimos no artigo “2012: Não haverá Planeta X“, os falsos profetas do apocalipse têm vinculado a busca atual do Planeta X à antiga profecia Maia de 2012 e ao mítico planeta sumério Nibiru, culminando com péssimas notícias para o dia 21 de dezembro de 2012. Entretanto, as evidências astronômicas para estas ligações têm sérios erros.

Vejamos a seguir os fatos reais…

 “Para mim, o interessante é a sugestão dos tipos de objetos interessantes que podem estar ainda esperando a ser descobertos no Sistema Solar exterior. Ainda estamos arranhando os limites dessa região do Sistema Solar, e espero que nos esperem muitas outras surpresas em futuras investigações mais profundas”, afirma Mark Sykes, Diretor do Instituto de Ciências Planetárias no Arizona.

O Planeta X não dá medo (ver desenho da provável órbita do planeta X) Leia mais das revelações de O'Neill aqui:http://eternosaprendizes.com/2009/01/18/2012-o-planeta-x-nao-e-nibiru/

 

Nibiru tem um período órbital de 3600 anos se comparado com a Terra e orbita dois sóis. Os sumérios descreveram-no como sendo quatro vezes maior do que a Terra, de cor avermelhada, e responsável por grandes catástrofes, no nosso planeta, durante suas passagens através de nosso sistema solar. Eles explicam que a aproximação desse planeta foi a causa do dilúvio citado na Bíblia, devido a um deslocamento polar na Terra. Os estudiosos do legado sumério, têm se questionado como seria possível que uma civilização tão antiga tivesse informações tão precisas sobre astronomia, numa época onde supostamente não havia equipamentos tecnológicos?

O maior especialista vivo, em cultura suméria, é o historiador e arqueólogo Zecharia Sitchin nascido na Rússia e criado na Palestina, onde adquiriu profundos conhecimentos de arqueologia e história oriental. Formado em história pela Universidade de Londres, é um dos poucos estudiosos do mundo capacitados a traduzir a escrita cuneiforme, característica das civilizações mesopotâmicas, trabalhou como jornalista e editor em Israel e atualmente é escritor e consultor da NASASitchin tem traduzido massivamente, ao longo de sua vida, os escritos de mais de 2000 placas sumérias encontradas em suas pesquisas arqueológicas. E tem escrito inúmeros livros contendo essas traduções e sua interpretação sobre o assunto. Basicamente, o legado do conhecimento sumério revela que a Terra, teve origem através da colisão de dois gigantescos corpos celestes, Nibiru e Tiamat. Os escritos afirmam que Nibiru, um planeta avermelhado (Que já foi avistado pela NASA e atualmente vem sendo chamado de “planeta X") foi desviado de um sistema binário, há milhões de anos, e capturado pela gravidade do nosso Sol. Esse planeta viajou em nosso sistema solar, abaixo da elíptica, passando por Netuno e Urano. Como seu campo magnético era muito intenso, ele deslocou Urano para seu lado quando passou por ele. Naquela época não havia o planeta Terra, mas sim um outro planeta, muito maior, Tiamat, coberto quase que só de água. Durante a trajetória, as luas de Nibiru atingiram Tiamat dividindo-no em duas partes, pulverizando a metade onde ele foi atingido (criando o cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter) e empurrando a outra metade para uma órbita mais baixa, a atual órbita da Terra. Durante esse processo, uma das luas de Nibiru foi capturada pela gravidade da Terra, e se tornou o nosso satélite. A primeira passagem de Nibiru foi responsável pela atual configuração do nosso sistema solar. Plutão era uma lua de Saturno que foi arrancada de sua gravidade e empurrada para a sua atual órbita. Em Fevereiro de 2000, chegava ao fim a "Missão Near" (sonda Near) da NASA, chefiada pelo Dr. Cheng, confirmando esta gigantesca trombada celeste no início do nosso sistema solar (catastrofismo)._http://osnefilins.tripod.com/

 

Características desse corpo celeste, de acordo com o Jet Propulsion Laboratory da NASA:

 

Diâmetro = Cerca de 15 vezes o Ø da Terra (Ø da Terra 12.742km).

Massa = De 3 a 4 vezes a massa de Júpiter.

Corpos em órbitas = 7 planetas ou luas, inumeráveis cometas e asteroides (o cometa Elenin era um deles).

Velocidade de deslocamento = 11,57 km/s até a órbita de Júpiter e 8,19 km/s até a órbita de Netuno.

Rotação: Sentido horário

03 de agosto de 2012: Nibiru cruza a órbita da Terra.

11 de setembro de 2012: Nibiru atinge o periélio do Sol, esta é a fase mais intensa dessa longa batalha entre os dois Titâs.

27 de setembro de 2012: Nibiru estará exatamente entre o Sol e a Terra.

 

Você pode consultar o site da NASA - http://ssd.jpl.nasa.gov/

Ou a efemérides em http://ssd.jpl.nasa.gov/?horizons_news

Este site para nós, leigos, é de difícil navegação, seria bom começar pelo Introduction: http://home.roadrunner.com/~grazier/PDF/HORIZONS.pdf

Algumas dicas pode-se obter no vídeo do advogado, psicógrafo e orador André Luiz Ruiz, o vídeo é longo, então posicione o tempo em 01:42:00 do vídeo: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=rfIon96VwGU#!

Boa viagem pelo mundo do desconhecido.

 

Média: 3 (2 votos)
1 comentário
imagem de wesley rabelo

para vc quer dizer q Nibiru passou pelo nosso planeta e n vimos nada??

nibiru é 4x maior q jupter imagina entao o campo gravitacional disso?

e n fomos atigidos por esse campo?

 

d: q isso... quando nibiru passar por nos o campo gravitacional dele vai puxar nossos polos.. sem falar no verdadeiro horror q o mundo vai viver..!

e n vai acabar como vc falou... quando tiver entre a terra e o sol se as coisas tavamos horrives para nos vai ficar pior!

 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.