Setor elétrico vira ameaça para o Orçamento de 2014

O setor elétrico tem tudo para se transformar num dos maiores riscos fiscais de 2014. Às vésperas de definir a meta de economia para as contas públicas desse ano, o governo se depara com um buraco que pode superar em mais de R$ 10 bilhões os gastos previstos no Orçamento para cobrir as despesas com o corte nas tarifas de energia feita em 2013 e a falta de chuvas, que continua mantendo os reservatórios em níveis baixos.

A alternativa à pressão fiscal é o repasse dos custos de energia para as tarifas - um problema para a inflação já perto do teto da meta e também para o discurso do governo em ano eleitoral. O anúncio da redução de 20% nas contas de luz foi feito pela presidente Dilma Rousseff em cadeia nacional de rádio e televisão. Leia mais »

Maconha: uma droga nada inofensiva

A perigosa ermissividade quanto ao uso da maconha ganha mais um espaço no mundo. Os adeptos da cannabis sativa e a chamada corrente progressista, que insistem na legalização de drogas no mundo, estão em êxtase. A regulamentação do uso e plantio da erva maldita está concretizada no Colorado (EUA). Leia mais »

Juninho e as drogas

Autor: 

 

(baseada em baseados reais)

 

                O pai de Juninho, um velho roqueiro das antigas e sua mãe, ex-hippie e ex-adepta do amor livre, não ficaram nada surpresos ao ver, no quarto do filho, um garoto estudioso e pacato, as primeiras bitucas de baseado. Não havia, até então, motivos para preocupação. Leia mais »

Energia de curto prazo bate recorde

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) indicou o acionamento de termelétricas mais caras para semana que vem e o preço da energia de curto prazo bateu recorde com a expectativa de pouca chuva para abastecer reservatórios das hidrelétricas.

O acionamento térmico indicado para a próxima semana é de 15.566 megawatts (MW) médios, considerando também nucleares, sinalizando inclusive o acionamento de usinas que funcionam a óleo diesel, entre as mais caras.

O preço de energia de curto prazo, chamado de Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), para a próxima semana bateu recorde, chegando ao teto fixado para o ano de 822,83 reais por megawatt-hora (MWh), divulgou nesta sexta-feira a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O preço representa uma alta de 69,1 por cento em relação ao PLD médio que vigora nesta semana, de 486,59 reais por MWh. Leia mais »

Crise elétrica no horizonte?

Depois de um período favorável de chuvas e temperaturas amenas em dezembro passado, o Operador do Sistema Elétrico (ONS) foi surpreendido por um período de forte estiagem e temperaturas elevadas neste mês de janeiro. Para atender ao brutal aumento do consumo de energia (10%) provocado pelas temperaturas elevadas, o ONS está despachando praticamente todo o parque gerador térmico disponível. E, mesmo assim, tem sido obrigado a esgotar paulatinamente os reservatórios hidrelétricos para evitar o racionamento de energia.

É importante notar que os reservatórios hidrelétricos cumprem funções mais nobres que a geração de eletricidade. Muitos deles são essenciais no abastecimento de água das populações que vivem em seu entorno. Mais ainda, eles disponibilizam a água necessária para irrigar a produção agrícola que faz chegar os alimentos à mesa dos brasileiros. Estancar o atual processo de esgotamento dos reservatórios hidrelétricos é indispensável para evitar uma potencial crise que não se limitaria ao abastecimento elétrico. Leia mais »

Brasil tenta comprar mais gás da Bolívia

A Petrobras negocia com a estatal boliviana YPFB uma importação adicional de 2 milhões de metros cúbicos diários de gás, disseram ao Valor fontes familiarizadas com o tema.

Segundo fontes do governo brasileiro, o gás será enviado por um ramal do gasoduto Brasil-Bolívia que desemboca em Cuiabá. O combustível abastecerá a usina Governador Mário Covas, na capital mato-grossense. Operada pela Petrobras, ela tem capacidade de geração de 480 megawatts.

"Há uma conversação adiantada com o Brasil para exportar esse excedente de gás que temos a Cuiabá", disse ontem Carlos Villegas, presidente da estatal boliviana, à imprensa local. A Petrobras não quis comentar.

O Brasil tem um contrato de compra de gás da Bolívia que prevê o envio máximo de 31,5 milhões de metros cúbicos diários. O compromisso expira em 2019. Hoje, o ramal do gasoduto que termina em São Paulo está operando em plena capacidade, mas ainda há espaço para o envio de gás pelo ramo que desemboca em Cuiabá.

O gás boliviano está sendo vendido ao Brasil a cerca de US$ 8,90 o milhão de BTU (Unidade Térmica Britânica). Os valores para esse contrato adicional estão sendo negociados. Leia mais »

Ilíguia: onde enterraram Filosofia

Os atrasos no setor elétrico

Embora sua monótona repetição já os tenha tornado de pleno conhecimento dos  responsáveis pelo setor, velhos problemas que no passado recente dificultaram a conclusão dos projetos de transmissão de energia elétrica continuam a afetar as obras e a provocar grandes atrasos que causam prejuízos para o País. Relatório recente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostrou que os atrasos nos projetos de transmissão de energia já chegam a quatro anos. Na média, como mostrou reportagem do Estado (23/1), as obras estão 13 meses atrasadas em relação ao cronograma original. Leia mais »

O Complexo Caminho da Logística na Amazônia

No atual cenário mundial, caracterizado por intensas transformações impulsionadas pelos avanços tecnológicos, as integrações comerciais e financeiras e a acirrada concorrência mundial, o tema logística vem se tornando uma das áreas centrais para as organizações. Este reconhecimento decorre do potencial da logística para agregar valores aos clientes e criar vantagens competitivas às empresas, na medida em que os custos logísticos, principalmente os relativos aos meios de transportes, representam uma parcela expressiva no custo total das mercadorias. Leia mais »

Um carrinho de dinheiro!

Autor: 

A Internete tem nos brindado com lindos exemplos de solidariedade e de defesa de ideais. Um caso digno de nota foi o do software Blender, um programa para criar imagens 3D. Pensado por um holandês, depois de poucos anos viu que seria impossível se firmar num mercado totalmente dominado por grandes empresas de software. Contudo, no pouco tempo em que o Blender esteve ativo, conseguiu reunir uma considerável comunidade de adeptos e usuários. Em 2002 o fundador e proprietário do código fonte, Tom Roosendaal, diante da iminente falência do projeto, e instado pelos seus usuários, colocou um preço de cem mil euros para vender e abrir o código fonte à comunidade . Previa-se inicialmente o prazo de 6 meses para se arrecadar este valor. No entanto, em 3 meses o montante foi alcançado, o que permitiu que o código fonte do Blender passasse a ser aberto. Desde então o Blender vem crescendo como software livre.Hoje no Brasil, vê-se outro belo exemplo de como terminaram os tempos dos senhores de engenho. Leia mais »

Raimundo Carpinteiro, Filho do lenhador

Autor: 

Quis por leviano destino o acaso. Por sobre a vida as forças da gravidade e da Natureza. Quis encher a Vida de vida. Quis encher os olhos de beleza. Foi assim meus amigos, o destino de um caboclo matuto. Nascido no mato. Crescido no mato. E seu pai lenhador. Cresceu aprendendo a cortar árvores. Cresceu preocupado com o desabrigo dos ninhos dos pássaros e com a demolição das arquiteturas dos maribondos. Aprendendo a suportar a dor e as ferroadas – destas que a vida apregoam e pregam. Foi o destino de seu tempo, mudar pra cidade, tornar cidadão, estudar ser doutor. Mas vida na cidade grande, regrada de oportunidades, nem sempre é amiga dos amigos do senhor. Vou conta-lhes a vida sofrida, de quem nestas terras foi o maior sonhador.

  Leia mais »

A sociedade dos formadores de opinião

Autor: 

Era uma vez um lugar distante, dois terços de água, entretanto era conhecido como Terra. Um planeta imenso e lindo, vivendo em um “tempo líquido” e abrigo de diversas sociedades. Umas perfeitas como exemplo: as formigas; as abelhas (europeias e africanas miscigenadas); entre outras. E a imperfeita: a Humana, diretamente relacionada à racionalidade; essa não se entende apesar do dom da fala, a comunicação é por vezes incompreendida. E do contraste civilizatório emerge o consenso de poucas “mentes pensantes”, a solução imediata e eficaz (e sustentável?): A Sociedade dos Formadores de Opinião. Leia mais »

A nau dos ressentidos.

Autor: 

E de repente começa a tomar corpo uma sagrada frente única contra o PT.

Todos sabemos que com o tempo, qualquer governo vai criando seus ressentidos, pois a política é feita de opções e em cada uma delas, você cria os seus ressentidos. Muitos não passam de pequenos escribas que pouco podem e pouco fedem e que pululam aos montes pelas organizações sociais, universidades, associações de classe e outras corporações.

 Em um governo cada vaga é disputada a tapas e intrigas. Feita a escolha, ficam os ressentidos confabulando como farão para se vingar. São gente pequena que veem a política como uma forma de defenderem o seu pirão. Uma é aquela professora da universidade que estava prestes a se aposentar com 45 anos; outro o que ia se aposentar com 58. O PT virou inimigo porque acabou com este tipo de aposentadoria. Para eles pouco importa o alcance de uma medida política, serão contra sempre que forem prejudicados ou perderem um privilégio. Leia mais »

Como se constrói uma nação?

Autor: 

Segundo o MEC, a carreira universitária de Engenharia naval teve a maior nota de corte no Sisu em 2014: 869,15. Em seguida, aparecem engenharias aeronáutica (817,15), aeroespacial (787,62) e naval e oceânica (783,17).
E pensar que tudo começou quando um operário inteligente e nacionalista decretou que dali para a frente todos os navios e plataformas encomendadas pela Petrobrás teriam uma participação mínima de componentes fabricados no Brasil, ressuscitando a gloriosa Indústria Naval e criando milhares de empregos no Brasil, e não mais na Koreia, Indonésia e Cingapura.  Agora claramente vê-se que o setor começa a atrair jovens mentes privilegiadas.  É assim que se constrói uma nação.

“Nesta cidade não existe nada pra fazer”

Autor: 

Recorrente. Sim, rotineiro, cotidiano, normal, repetitivo, etc., etc., etc. Entre os jovens do meu tempo palavra salta a boca constantemente, entre os jovens mais novos quase uma norma. Estou a falar da famosa frase: “Nesta cidade não tem nada pra fazer!” A frase é um tanto vazia e a muito tempo me intriga profundamente. Onde será, que será que fica este Nada? Penso, logo exijo; quer dizer existo. E sem hesitar digo, existe ai contido um continuo paradoxo. O que estes jovens querem? Quer dizer ...

  Leia mais »