Quais seriam os planos do voo do Helipóptero?

Autor: 

Até agora, a apreensão do helicóptero dos Perrela com 445 kilos de pasta base de cocaína mantém muitas perguntas sem resposta.  Estranhamente, os grandes veículos de comunicação não estão dando a devida atenção ao escandalo. Tamanha quantidade de droga pura, envolvendo políticos de alto escalão, aeronave abastecida com verba pública, piloto com cargo de confiança em Assembléia Legislativa....todos estes ingredientes tornariam esta história explosiva destaque em qualquer lugar do mundo. Mas, não aqui, inexplicavelmente.

Então, vamos por partes, reunindo as informações que me chamaram a atenção até agora:

O Azenha publicou uma matéria dizendo que máfias internacionais estavam se organizando em regiões de portos para embargue de drogas para o exterior, principalmente para a Europa. 

O sítio ou fazenda dos Perrela, onde a droga foi apreendida, foi comprado recentemente por um valor acima do mercado, o que teria chamado a atenção dos moradores da região. A intensa movimentação de carros e aeronaves, com pessoas estranhas, foi denunciada a polícia, que começou a investigar e, finalmente, fez a apreensão. Leia mais »

O tal BV. O Calcanhar de Aquiles do Mensalão

Autor: 

O blog do Cafezinho divulgou a cópia do contrato da Globo com a DNA Propaganda, de Marcos Valério. ( http://www.ocafezinho.com/2013/11/19/bomba-o-contrato-da-globo-com-marcos-valerio/). Dizem que a tal "Bonificação de Volume" repassada a agência pela emissora teria sido o motivo da condenação de Pizzolato. Seria o tal "dinheiro público" envolvido no mensalão. Não vou nem entrar no mérito se a Visanet é pública ou não. Sobre isso há farta documentação a respeito de sua participação acionária, todos registrados (e solemente ignorados por Joaquim Barbosa).

Mas, sobre a tal Bonificação de Volume, vi muitas interpretações equivocadas. Com experiência de quase 30 anos no mercado publicitário, farei algumas considerações sobre o tal "documento". Leia mais »

Genoíno, "a verdade vos libertará". E rápido, ok?

Autor: 

Já escrevi uma vez sobre minha tia postar no facebook elogios à firmeza de Joaquim Barbosa, do tipo: "agora sim acaba a impunidade". Outro dia alguém comentou sobre um blogueiro dizendo que ele "conversava com um nicho", ou seja, só com outros blogueiros, politizados e bem informados como ele próprio.

Então, cheguei a conclusão de que o nosso "nicho" é uma espécie de "gueto", onde levantamos barricadas contra o "apartheid" da grande mídia. Às vezes, fico com a sensação de que o tempo nos separa do "senso comum", do cidadão que trabalha, chega em casa e acha que está sendo informado assistindo aos telejornais. O que para nós é claro e cristalino, para ele só vai fazer sentido dali a algum tempo.

Mas, alguns fatos novos me aliviaram esta angústia. Com a exumação do corpo de Jango, fomos informados (só agora) que ele tinha um grande apoio da opinião pública antes do Golpe Militar, algo em torno de 70% de menções favoráveis. Uma minoria rica, conservadora, com a grande mídia ao seu lado, nos fez pensar que "todo o país exigia sua saída". Leia mais »

Apolíticos ou apocalípticos?

Autor: 

Na democracia, se você quer impor os interesses de uma “minoria ou elite”, existem dois caminhos: mentir, para atrair os desinformados para o seu lado, ou o golpe.

Desde as eleições de 2010, a direita brasileira, seguindo a cartilha da direita americana (tea party) partiu para o jogo sujo, dos boatos, estimulo ao ódio e preconceitos, maledicências, das acusações e das fichas falsas, etc. Dizem que o Indiano trazido para dar pitacos na campanha do Serra era especialista nisso.

Como consequência, logo surgiram na internet as mayaraspetrusos da vida, que alimentadas por este discurso, devidamente ampliados pelos grandes meios de comunicação, achavam que tinham o “direito” de expor a sua “indignação” contra os pobres, nordestinos, feios ou sabe se lá mais o quê. Leia mais »

O quê "está ai" para sermos contra ou não?

Autor: 

“Qual é o caminho certo da gente? Nem para a frente nem para trás: só para cima. Ou parar curto quieto. Feito os bichos fazem. Os bichos estão só é muito esperando? Mas, quem é que sabe como? Viver...O senhor já sabe: viver é etcétera...”  Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas

Eu passei os últimos dias, feito bicho quieto. Curioso que sou, queria assimilar os fatos novos. Mas, como disse Antônio Prata, na Folha, ninguém sabe exatamente o que está acontecendo no país. http://www1.folha.uol.com.br/colunas/antonioprata/2013/06/1297427-a-passeata.shtml

Arrisco-me, agora, a fazer algumas reflexões. Pessoais, claro. Pois, como Rosa também já dizia “Eu quase que nada sei. Mas desconfio de muita coisa”. Leia mais »

O passado não nos representa. BRICS sim.

Autor: 

Não se muda a mentalidade de 500 anos de “colonizados” da noite para o dia. Porém, aproveitando a imagem utilizada, da escuridão para a luz, lembro que fizemos grandes avanços na última década. 

As notícias “do dia” são antigas. A tal da Ana Maria indignada com a “segunda libertação dos escravos” no país, a chamada PEC das Domésticas e o tal deputado Feliciano na CDH, que apesar da inegável pele parda é racista e, também, apesar da chapinha, do “design de sobrancelhas” e da acusação recente de ser ex-gay http://www.doistercos.com.br/feliciano-ex-gay-abglt-divulgou-nota-de-esc..., se declara homofóbico, na Presidência da Comissão que deveria defender os direitos das minorias. 

É engraçado, para mim, saber que a Ana Maria é de São Joaquim da Barra, interior de São Paulo. E o tal Feliciano, da vizinha Orlândia. E tem mais, o tal careca do CCC, que colocou uma criança para covardemente constranger o nobre Deputado José Genoíno, também é da região, não me lembro de Ituverava ou Igarapava. (São cidades vizinhas, sempre as confundi. Sorry). Leia mais »

Nem Santos, Nem Demônios.

Autor: 

No antigo Império Romano, ao conquistar um novo território, a primeira providência não-militar era sempre “aniquilar, subjulgar” sua cultura, pois assim minimizava-se os riscos de futuras rebeliões. A “ideologia” Romana era rapidamente introduzida, com seus valores, símbolos e heróis. Consta que crucificaram Jesus.

Aqui, nós aprendemos desde cedo “o que era bom para os Estados Unidos era bom para o Brasil”. Envergonhados, assistiamos nossa miséria e pobreza, concordando que tudo que “era bom” era “coisa de primeiro Mundo”. Nossos governantes (de então) se esforçavam em exaltar a “teoria da dependência” (que depois soubemos ser mero plágio intelectual) ou “tirar os sapatos” para os Norte-Americanos. Eles são ricos e legais. Nós temos os maiores níveis de desigualdade, com poucos ricos e muitos pobres. Leia mais »

Sorry, PIG. A Itália não é aqui

Autor: 

A “Zona” do Euro está um... pleonasmo.  As eleições na Itália, 3ª maior economia local, mostram que a crise econômica desanimou os eleitores que não veem perspectivas de sair do “atoleiro” em que se encontram. Sobre isso, recomendo leitura de artigo o Arnóbio Rocha http://bit.ly/ZxsRKC  Leia mais »

Lei dos Meios? O plim plim treme de medo

Autor: 

No Jornal Hoje, ao final da matéria sobre a reeleição de Correa no Equador, em tom grave e sério, Delis Ortiz concluiu: -“Agora, com maioria no Congresso, vai poder fazer as reformas que limitam a liberdade de imprensa no país”.

A notícia, em uma cobertura isenta, deveria ser “vai poder regulamentar os meios de comunicação”. Mas, o Plim Plim está morrendo de medo de que se faça o mesmo por aqui, dai emitir sua opinião/julgamento/conclusão, buscando “água mole em pedra dura” dar continuidade à sua cruzada contra qualquer ação governamental que limite/discipline/penalize os seus “interesses”. Leia mais »

Ao PIG, de coração (vermelho, claro)

Autor: 

Esta semana foi divulgado que o telejornal mais visto no Brasil nunca foi tão pouco assistido em um mês de janeiro. Sua audiência caiu 38% em 12 anos, despencando de uma média de 40 para 24,5 pontos de audiência. E olha que se esforçaram, chafurdando sobre a tragédia em Santa Maria a semana toda.

Mais concorrência, novas mídias e novos hábitos do consumidor seriam os principais motivos? Ou será mera coincidência que desde a eleição de Lula em 2002, os partidos políticos de oposição e, seu braço midiático, o PIG, perdem a cada dia mais público (ou eleitores, conforme o caso).

Sensibilizado com esta tragédia, e para não me rotularem de ser sistematicamente “contra os do contra”, vou dar ao PIG uma pequena consultoria grátis: Leia mais »

Publicidade Infantil: quem poderá nos defender?

Autor: 

Ganha espaço novamente a questão sobre a publicidade destinada ao público infantil. Com a matéria intitulada “Publicidade Infantil, proibir ou não proibir? Leia mais »

"Política? Não pode!" Acham o PIG e a falecida oposição

Autor: 

Há tempos, ainda quando eu era professor universitário, um artigo acadêmico sobre comunicação me chamou a atenção para algo que seria corriqueiro em nossa “velha mídia”: a desqualificação das instituições e dos agentes da política “tradicional”.  Após um tenebroso inverno democrático, onde a politica se resumia a dois partidos (o do sim e o do sim, senhor), época em que floresceram os majestosos impérios midiáticos até hoje dominantes no país, nos acostumamos a ver retratados na mídia seus “comentaristas, especialistas ou os representantes oficiais do governo”.  Raramente aparecem na telinha as lideranças comunitárias, populares, representantes da sociedade civil ou militantes engajados em alguma causa específica.

Assim, especialmente nos programas tipo “desgraça a toda hora”, surge a própria mídia, encarnada nos Datenas da vida, como “intermediadores” entre o cidadão comum e “as autoridades”, seja para conseguir marcar uma cirúrgia, ter o asfalto na rua, dar segurança em determinada região ou ter qualquer direito seu (estabelecido e previsto em nossa Constituição) atendido. Leia mais »

Juro baixo, desemprego idem. O resto é marolinha, né Lula?

Autor: 

Em dezembro último, o Brasil tornou-se a 6ª maior economia do mundo http://bit.ly/VOcutF , com taxa de desemprego de 4,4% http://bit.ly/VagwKF. Leia mais »

Drible da gravatinha no plim plim

Autor: 

Vejo uma notícia inusitada em um portal de notícias: bit.ly/VQQyuS . Uma grande montadora de automóveis fechou contrato com 20 campeonatos regionais de futebol e não fechou cota de patrocínio com o plimplim. Vai gastar 10 milhões de reais patrocinando os Estaduais, terá placas publicitárias e colocará seus carros expostos nos estádios,  além de prever painéis com sua logomarca onde os jogadores serão entrevistados.

Para completar, fechou contrato com outra emissora que também transmite os jogos, e nesta outra emissora com menor audiência, seu nome e sua logomarca serão divulgados para todo o país. Leia mais »

Se a Lei dos Meios não vem...organizemos a militância

Autor: 

Antes de apresentar a “minha sugestão de mobilização”, vou enumerar alguns pontos para que acompanhem o meu raciocínio.

-Alguém disse que com o Google as discussões de buteco perderam a graça. É só consultar e saber o que você quer, sem margem de dúvidas. Por exemplo, o artilheiro do campeonato em 1978? É Paulinho, do Vasco. (Seja lá quem for, nunca tinha ouvido falar deste jogador);

-Minha irmã disse que leva seu tablete para as reuniões de trabalho com todos os arquivos de normas, leis e regulamentos do setor que possam ser úteis. Isso faz com que ela seja vista pelos demais como “uma técnica extremamente competente”. Leia mais »