Contra o Estado de Bem-Estar Social

Amig@s,

Reproduzo, a seguir, artigo publicado originalmente aqui. Peço desculpas por não vertê-lo ao português, porém o texto é - creio - de fácil compreensão. E expõe com clareza os limites e a inviabilidade da estratégia da esquerda reformista - que consiste, basicamente, em propugnar pela manutenção, em algum grau, do que resta dos Welfare States com os quais convivemos até o final da década de 1970.

  Leia mais »

Da cinemateca: "Ladrões de Bicicleta", de Vittorio de Sica

A obra-prima de Vittorio de Sica, retratando sem retoques a duríssima vida na Itália do pós-guerra. Em italiano, sem legendas - mas, assista mesmo assim. O filme é fácil de entender - e é belíssimo. A luz da Europa mediterrânea é extraordinária. Igual, só no Brasil.

Em tempo: o filme é precedido por um minidocumentário (9'30'') sobre a sua restauração digital.

 

Vídeos: 
Veja o vídeo

Porque hoje é 26...

Que viva Cuba!

Vídeos: 
Veja o vídeo

Da cinemateca: "Vá e Veja", de Elem Klimov

Durante a II Guerra Mundial, seiscentas e vinte e oito aldeias, na Bielorrússia, foram destruídas - e toda a população dizimada - pelo agressor fascista.

Seiscentas e vinte e oito aldeias.

"Disse isso, porque tudo começa com as crianças. Não tendes o direito de existir! Nem todos os povos têm direito ao futuro. Atenção, todos. As raças inferiores procriam o contágio do comunismo. Quando não existirdes, a nossa missão estará cumprida. Hoje ou amanhã." (soldado alemão, capturado após o último massacre, sendo interrogado pelos partisans bielorrussos que interceptam o destacamento).

 

Vídeos: 
Veja o vídeo
Veja o vídeo

EUA: A classe trabalhadora contra a classe média

Autor: 

Amig@s,

Por quê a classe trabalhadora, nos EUA, parece apática diante da pior crise econômica atravessada pelo país desde a Grande Recessão? O artigo de Petras - recolhido aqui - lança luz sobre esta questão.

 

Um ambiente de profunda crise económica e social não produz, só por si, a organização e a acção comum daqueles sobre cujas vidas impacto da crise se faz sentir mais duramente. E não existe pior fraqueza para os trabalhadores do que a sua divisão.
“Creio que não percebe quão difícil é para os oprimidos tornarem-se unidos. A sua miséria une-os (…) Mas por outro lado a sua miséria é capaz de separá-los uns dos outros, pois são forçados a arrancar as pobres migalhas das bocas uns dos outros”.
Bertolt Brecht, Collected Plays Vol. 9 (Pantheon Books New York 1972) p. 379

  Leia mais »

Da cinemateca: "Desaparecido", de Costa-Gavras

Amig@s,

Este filme foi proibido por alguns anos no Brasil, e - obviamente - durante todo o tempo em que o fascista Augusto Pinochet esteve no poder em seu país. Nos EUA, chegou a ser retirado do mercado por alguns anos, devido a um processo movido pelo embaixador estadunidense no Chile à época do golpe - Nathaniel Davis - contra Costa-Gavras e a MCA (Universal), retornando às prateleiras somente em 2006, com a derrota de Davis.

O filme perde, em minha opinião, para "Z" e "Estado de Sítio" - ambos também proibidos por longos anos no Brasil - mas é um excelente trabalho, apoiado nas interpretações extraordinárias de Sissy Spacek e, principalmente, Jack Lemmon. Mostra, ainda, a brutalidade da repressão que se abateu sobre o Chile após o golpe militar patrocinado pelos Estados Unidos. E que ninguém se engane: o filme continua atualíssimo, mesmo retratando eventos ocorridos há quasde 40 anos.

Assistam (em inglês, com legendas... em inglês). O Brasil está muito "bem" na fita. Descubram. 

 

Vídeos: 
Veja o vídeo

Da cinemateca: "Cuidado com o Carro", de Eldar Ryazanov

Amig@s,

Este é o tipo de filme que me fazia enfrentar uma garoa (quando garoa havia) para me enfurnar no Paissandu, no Rio, ou no Belas-Artes, em São Paulo (quando Paissandu e Belas-Artes igualmente havia). Dá para imaginar um filme com enredo policial onde não aparece uma arma sequer? Ou uma perseguição, pelas ruas de Moscou, com um... trólebus? Assistam a esta joia da Mosfilm, realizada em 1966 (com legendas em inglês), estrelada por um dos melhores atores soviéticos da época (Innokenty Smoktunovsky). Aviso: a valsinha da trilha sonora gruda na cabeça.

Vídeos: 
Veja o vídeo

A destrutividade neoliberal: Grécia

Autor: 

Amig@s,

Eis aqui uma tradução ao espanhol do novo artigo de Michael Hudson para o "CounterPunch". Infelizmente não disponho de tempo, no momento, para vertê-lo ao português. Abraços a tod@s.

 

Los banqueros se preparan para violar a Grecia: los socialdemócratas votan por el suicidio nacional

 

Michael Hudson CounterPunch

  Leia mais »

O Instituto Benjamin Constant não pode fechar!

Amig@s,

Convido tod@s a assinar a petição cujo texto reproduzo a seguir:

  Leia mais »

Um mundo em guerra financeira

Autor: 

A gênese e o desenvolvimento da crise da dívida grega, explicados por Michael Hudson. O texto foi recolhido aqui. O original em inglês se encontra na ligação ao final do artigo.

  Leia mais »

Uma nova China no horizonte?

Autor: 

A ofensiva do capital contra a classe trabalhadora começa a ganhar dimensões inusitadas nos Estados Unidos. Vejam este artigo publicado por Harold Meyerson, colunista do Washington Post, recolhido aqui:

 

A indústria dos EUA pretende tornar-se globalmente competitiva à custa do rebaixamento dos custos do trabalho e da desprotecção sindical dos trabalhadores. Tem um padrão de referência: o estado que ocupa a 49ª ou 50ª posição em todos os estudos acerca do nível de vida nos EUA: o Mississipi.

  Leia mais »

A crise em curso e a cegueira liberal

Autor: 

Amig@s,

Segue novo artigo do prof. Richard Wolff, recolhido aqui. Boa leitura a todos.

  Leia mais »

O Holodomor, Novo Avatar do Anticomunismo “Europeu”

Amig@s,

Os que se atrevem a ler meus comentários neste espaço sabem que não tenho a mínima paciência para mistificações históricas. Num post recente sobre o "Holocausto Gay" fomos brindados, pela n-ésima vez, com a citação de mais uma das "atrocidades" do período estalinista - o "genocídio ucraniano" ou Holodomor - muito popularizada por um, digamos, "historiador" - Robert Conquest - que ostenta a duvidosa honra de ter tido seus trabalhos selecionados para publicação por uma editora patrocinada pela CIA na década de 1960, além de ter sido um "operador" do IRD britânico. Leia mais »

Segundo tempo da crise: nuvens negras no horizonte

Autor: 

Amig@s,

reproduzo a seguir artigo publicado na Carta Maior.

Boa leitura a tod@s.

 

Nuvens negras no horizonte Já se delineiam duas sérias ameaças em nível global, que podem indicar um primeiro desdobramento da crise financeira originada nos Estados Unidos em 2008. É a situação crítica da questão fiscal dos Estados Unidos e Grécia. Os holofotes agora estão na Grécia, mas não levará tempo para se dirigirem aos EUA. Face a esse quadro, o melhor para o Brasil é apostar as fichas da saúde econômica e financeira naquilo em que somos bons: alto potencial de mercado interno inexplorado. Assim, é bom repensar as políticas do pé no freio, que podem fragilizar o País aos trancos que poderão vir de fora. O artigo é de Amir Khair.

Desintegração da Eurozona?

Autor: 

Amig@s,

peço desculpas por postar o artigo a seguir - recolhido aqui e publicado originalmente no "Counterpunch" - em espanhol, por absoluta falta de tempo para a tradução. Faço-o porque creio que a leitura será aproveitável - e talvez algum companheiro tenha condições de executar o trabalho que me é impossível no momento.

 

¿Es el rechazo de Islandia al acoso financiero el modelo a seguir por Grecia e Irlanda? ¿Desintegración de la Eurozona?

 

Michael Hudson CounterPunch

  Leia mais »