O provável ajuste nos estoques.

Além disso,  creio que precisamos considerar  a necessidade de ajuste nos estoques, já que havia uma expectativa menor de crescimento do PIB por parte da maioria dos agentes econômicos.

Caso o ritmo de crescimento do PIB se mantenha acima de 1% em relação ao trimestre anterior, certamente haverá necessidade de aumento dos estoques para atender o aumento da demanda, consolidando o círculo virtuoso de crescimento do PIB no Brasil.

Creio que caso seja necessário, melhor seria vender parte das Reservas cambiais no mercado à vista, para garantir uma correção gradual da taxa de câmbio, e  interromper o atual processo de aumento dos juros da Selic.

Além do aumento da produção de petróleo e gás, nos próximos anos entrarão em operação as novas refinarias da Petrobras, o que que reduzir significativamente a necessidade de importações de petróleo e derivados, contribuindo para o equilíbrio das contas correntes. Leia mais »

IPCA de agosto fica em 0,24%

Nós só tivemos um crescimento menor do que o da China

......comparado a outros países do mundo quanto ao crescimento da economia no 2º trimestre de 2013.
Nós só tivemos um crescimento menor do que o da China no trimestre e registramos um crescimento maior que todos os demais países. Portanto, foi um bom desempenho”,.......

“País tem crescimento em todas as modalidades da economia”, diz Mantega
Ministro da Fazenda destaca o bom desempenho do investimento, da agricultura e da indústria Leia mais »

Em agosto, IPCA-15 fica em 0,16%

IBGE---Comunicação Social---21 de agosto de 2013

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) teve variação de 0,16% em agosto e ficou acima do IPCA-15 de julho, cuja taxa foi 0,07%. Com isso, o acumulado no ano foi para 3,69%, acima da taxa de 3,32% relativa a igual período de 2012. Considerando os últimos 12 meses, o índice foi para 6,15%, situando-se abaixo dos 6,40% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em agosto de 2012, a taxa havia ficado em 0,39%. Leia mais »

Reservas Cambiais

Considerando as cotações de Fechamento Ptax do dólar, as Reservas Cambiais em 31 de agosto de 2011 representavam cerca de R$ 560 bilhões, e em 15 de agosto de 2013 representavam cerca de R$ 880 bilhões, um diferença de quase R$ 300 bilhões, que está contribuindo para queda dívida pública líquida em relação ao PIB.

Além de melhorar as condições de de competitividade das empresas instaladas no Brasil, a correção cambial contribui para a redução da dívida pública em relação ao PIB.

Anexo 1 ... Reservas Internacionais ... Conceito de Liquidez Internacional
Banco Central do Brasil
Posição em 15 de agosto de 2013: US$ 373.599 milhões. .

Posição em 31 de agosto de 2011: US$ 353.397 milhões. Leia mais »

O fator câmbio.

Creio que estamos no caminho correto diante dos novos desdobramentos da atual crise econômica mundial.
De qualquer maneira é necessário controlar os impactos da correção da taxa de câmbio na inflação, o que torna necessário a venda de parte das reservas cambiais no Mercado à vista.
Lembrando que em 2008/2009 o Banco Central precisou vender cerca de US$ 11 bilhões no mercado à vista, e que a Reservas cambias estão em cerca de US$ 374, contra os US$ 200 bilhões de 2008.

Creio que com a correção da taxa de câmbio, a redução da do custo da tarifa de energia elétrica, a desoneração da folha de pagamento, e a redução do spread bancário, pode ocorrer uma substituição de parte da importações pela produção nacional, e mesmo com a queda no ritmo de crescimento das vendas do comércio, pode haver um aumento no ritmo de crescimento do do PIB, e do emprego.
Considerando a taxa de câmbio de R$ 1,60,  e a redução da tarifa de  energia elétrica de 30% em reais, com a atual correção da taxa de câmbio, a queda da tarifa de energia elétrica em dólar já chega a  mais de 50%. Leia mais »

Dólar encosta em R$ 2,40

Dólar encosta em R$ 2,40 e fecha na maior cotação em quatro anos
16/08/2013 - 17h27---Economia---Wellton Máximo/Repórter da Agência Brasil

Brasília – Apesar das intervenções do Banco Central (BC), a moeda norte-americana encostou em R$ 2,40 e voltou a fechar no maior nível em mais de quatro anos. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (16) vendido a R$ 2,3960, com alta de 2,46%. A cotação é a maior desde 3 de março de 2009, quando a moeda tinha sido vendida a R$ 2,441.

No ano, o câmbio subiu 16,99%, a maior alta acumulada desde o início das turbulências no sistema financeiro internacional. Apenas em agosto, o dólar registrou aumento de 4,97%.

Pela manhã, o Banco Central vendeu US$ 1,076 bilhão no mercado futuro para conter a alta da moeda norte-americana. Além disso, a autoridade monetária rolou (renovou) US$ 989 milhões de contratos de leilões de venda de dólares que venceriam em 2 de setembro. As ações, no entanto, não surtiram efeito. A cotação acelerou a alta depois das 13h e fechou na máxima do dia. Leia mais »

Produção de petróleo e gás natural

.....Pré-sal
A produção no pré-sal também atingiu um novo recorde, alcançando a média de 376 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 310,7 mil barris diários de petróleo e 10,4 milhões de metros cúbicos de gás natural...
Leia mais »

Produção industrial avança 1,9% em junho

IPCA-15 de julho fica em 0,07%.

IBGE...Comunicação Social...19 de julho de 2013

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) teve variação de 0,07% em julho e ficou bem abaixo do IPCA-15 de junho, cuja taxa foi 0,38%. Com isto o acumulado no ano foi para 3,52%, acima da taxa de 2,91% relativa a igual período de 2012. Considerando os últimos 12 meses, o índice foi para 6,40%, situando-se abaixo dos 6,67% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em julho de 2012 a taxa havia ficado em 0,33%.

A publicação completa do IPCA-15 pode ser acessada na página
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/ipca15/defaultipca15.shtm.
Leia mais »

BC divulga IBC-Br de maio

12/07/2013 08:32Banco Central do Brasil/Assessoria de Imprensa
Clique para acessar o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) referente ao mês de maio de 2013.

anexo.........

Desembolsos do BNDES somam R$ 73 bi até maio.

.....As micro, pequenas e médias empresas acompanharam a tendência de alta nos desembolsos. Às empresas de menor porte, o BNDES liberou R$ 27,4 bilhões até maio último, resultado 60% superior ao registrado no ano passado. Com isso, as MPMEs responderam por 38% das liberações totais do Banco nos cinco primeiros meses de 2013.......

Desembolsos do BNDES somam R$ 73 bi até maio, com expansão de 67%
BNDES....11/07/2013

• Todos os setores apoiados pelo Banco tiveram aumento nas liberações nos primeiros 5 meses do ano. Consultas e aprovações também cresceram
 
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desembolsou R$ 73 bilhões entre janeiro e maio deste ano, com alta de 67% na comparação com os mesmos meses do ano anterior. Nesse período, todos os setores apoiados pelo BNDES — indústria, infraestrutura, comércio e serviços e agropecuária — tiveram aumento nos valores desembolsados.
Leia mais »

A queda Dívida Pública Líquida em relação ao PIB e o câmbio.

III - Dívida líquida do setor público
A dívida líquida do setor público (DLSP) atingiu R$1.583,8 bilhões em maio, 34,8% do PIB, reduzindo-se 0,7 p.p. em relação ao mês anterior. A depreciação cambial de 6,5% no mês foi o principal fator determinante dessa trajetória, respondendo por redução equivalente a R$42 bilhões no estoque da DLSP....

Política Fiscal
Banco Central do Brasil....NOTA PARA A IMPRENSA - 28.6.2013 arquivo....ZIP - 212 Kb
Histórico   Notas econômico-financeiras para a imprensa
I - Resultados fiscais
O superávit primário do setor público consolidado alcançou R$5,7 bilhões em maio. O Governo Central registrou superávit de R$5,2 bilhões; os governos regionais, superávit de R$1,2 bilhão; e as empresas estatais, déficit de R$790 milhões. Leia mais »

O ajuste nas projeções para a taxa de câmbio.