PSB + PSDB = PSBD. O canto da sereia de Eduardo Campos.

Autor: 

Há algum tempo, postei aqui que Eduardo Campos joga um jogo complexo nesta eleição. Seu objetivo é 2018. Como, aliás, o é também de Aécio Neves.

2014, salvo tsumamis, é de Dilma.

Campos, no entanto, necessita se fazer conhecer nacionalmente. Aécio é familiar a Minas, São Paulo e Rio de Janeiro, ou seja, já é conhecido da maioria do eleitorado e estará na campanha de 2014.

Eduardo Campos não. Campos tem duas opções: Leia mais »

Pneumotórax, quinta-feira de cinzas e a perdida esperança.

Zé Rodrix tem uma música triste e bonita, como as músicas tristes conseguem ser. Chama-se, aliás, apropriadamente, “Muito triste”. 

Escolhi alguns versos:  Leia mais »

Silas Malafaia e a "genética homossexual" - uma resposta

Autor: 

Dia desses, comentando com uma colega aqui do Blog, grande Marcia, sobre um livro que tentava provar a existência de Deus utilizando-se da mecânica quantica, recomendei cuidado antes de abrir a carteira e comprar o livro. Muito pouca gente teve física quântica na sua formação acadêmica. Com um palavreado pseudo-cientifico e cara-de-pau para citar dados que ninguém sabe de onde veio e sobre um assunto que poucos conhecem dá para provar qualquer coisa.

Não é que fico sabendo que Silas Malafaia manca dessa mesma perna e usa a genética para defender suas idéias sobre homossexualidade.

O problema do Malafaia é que no caminho tinha uma pedra, tinha uma pedro no meio do caminho. E a pedra chama-se Eli Vieira, biólogo, mestre e doutorando em genética pela Universidade Cambridge - UK.   

A dica é do site KibeLoco. Porque no KibeLoco?

Porque a resposta do professor Eli é ácida e fez Malafaia sentar no kibe.

PS.: pelo que sei, Marcia poupou seus tostões em relação ao livro sobre física quântica divinal. Mas é possível tê-los gasto com um do Paulo Coelho. 

Vídeos: 
Veja o vídeo

O trabalho doméstico como indicador de desigualdade social

Autor: 

O emprego doméstico no Brasil

A prevalência de domésticos depende da associação de renda per capita e desigualdade altas

Nas últimas semanas, repercutiu na imprensa brasileira um relatório da OIT (Organização Internacional do Trabalho) sobre a situação do emprego doméstico ao redor do mundo*. Leia mais »

O STF e o Poder Moderador

Autor: 

A aplicação do artigo 2º da Constituição Federal poderá ser o grande desafio político que teremos neste e talvez nos próximos anos para a construção do Estado democrático de direito no Brasil.

"Art. 2º - São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário." Leia mais »

2018, fim do ciclo petista?

Autor: 

Temos visto vários movimentos no PSB e no PSDB nas últimas semanas, mais precisamente após as eleições municipais.

Na minha modesta opinião, o que estamos assistindo hoje são acomodações normais para o jogo da eleição presidencial de 2018.

Não, não há erro de digitação, é 2018 mesmo. Leia mais »

O perigo de pensar diferente e sua utilidade.

Autor: 

Comentário: Em 27/12 Janio de Freitas deixou alguns "cacos" em seu artigo "O mérito. Ou não" publicado na Folha. Alguns comentarista aqui do blog entendemos que haviam pedido a cabeça do velho jornalista. A coluna de Suzana Singer - ombusdman da Folha -  de hoje (30/12) é bastante significativa nesse sentido. É um rasgado elogio à Janio, deixando claro, no entanto, que ele não fala em nome do jornal. 

PS.: quanto ao decantado pluralismo de opiniões que seria praticado pelo jornal e é afirmado pela ombusdsman isso é coisa da geração passada. Na atual direção do jornal vigora o pensamento único, do qual o aparelhamento do Painel do Leitor é, para mim, a parte mais dolorida. Janio é na verdade a exceção que confirma a regra. Mantê-las, as regras e algumas poucas exceções ou uma única exceção, pode ser inteligentemente útil. 

Pensar diferente Leia mais »

Visão distorcida e ilusão de ótica social

Autor: 

O texto de hoje (26/12) de Igor Gielow na Folha é um primor da distorção da realidade para a afirmação de uma idéia pré-concebida.

Nestas épocas natalinas tão propícias aos textos de carater pessoal e emotivo, Igor nos narra uma experiência oftálmico-sociológica que vivenciou em um shopping center.

Começa-o criticando o ostentatório e o mau gosto das nossas classes abastadas. Nossas peruas são realmente um caso à parte.  Vejamos:

"À frente na fila homérica (Igor nos narra um passeio ao shopping para assistir um filme), duas jovens marcadas pelo uso abusivo de maquiagem, estampas animais e óculos com cristais -suponho que da Swarovski, sucesso entre as abastadas nativas. Elas discutiam ir a um restaurante à beira do lago Paranoá."

Segue denunciando o preconceito que as "abastadas nativas" têm em relação aos pobres: Leia mais »

Joaquim "Obama" Barbosa e o médium Gaspari

Autor: 

Comentário: Elio Gaspari considera-se com poderes mediúnicos. Verdadeiro herdeiro de Chico Xavier, tem, no entanto, uma caracterítica que o distingue do comum dos médiuns brasileiros. Os médiuns brasileiros normalmente incorporam espíritos de médicos alemães e Elio Gaspari desenvolveu a capacidade de incorporar juristas da Suprema Corte dos EEUU.


É comum nas suas colunas em Folha as cartas psicografadas por Gaspari nas quais juristas americanos já desencarnados dão conselhos e lições de moral a políticos brasileiros.


Desta feita é diferente, Gaspari se superou, tornou-se telepata também. Psicografou uma carta de um vivo. Ninguém menos que o próprio presidente Obama.


Nela, sob o pretexto ensinar política à presidente Dilma, Obama lança a candidatura de Joaquim Barbosa a presidente da república.


O Obama de Gaspari é um ingênuo ou não conhece nada da política brasileira - o que deve ser verdadeiro. O Obama de Gaspari acredita que a oposição no Brasil seja exercida pelo PSDB. O Obama de Gaspari não conhece o Instituto Millenium nem o PIG, tampouco parece conhecer a atuação política de boa parte do nosso STF. Leia mais »

A pedidos

Além do guitarrista, cantor, praticante de jiu-jitsu e ministro Luiz Fux, outro dos integrantes do Supremo Tribunal Federal recorreu em pessoa a José Dirceu para favorecê-lo na indicação ao tribunal. Restaram duas diferenças entre as nomeações alcançadas. Mas logo extintas na prática dos votos trazidos pelos nomeados.

O ministro Luiz Fux diz-se convicto, como se viu na esplêndida entrevista/reportagem feita por Mônica Bergamo, de que José Dirceu o ouviu, mas não o apoiou. Vale a convicção declarada, embora incerta. À época em que foi procurado, José Dirceu já era réu no processo do mensalão. E vicejava, por aquela altura, uma outra convicção: a de que Luiz Fux emitira sinais contrários à condenação de Dirceu. Leia mais »

Jornalista vira casaca e é reprovado no teste da farinha.

Meu pai chegou ao Brasil em 1940, na época da guerra. Era português, foi morar no bairro da Ponte Pequena  em São Paulo, tornou-se palmeirense. Aprendi ser palmeirense com ele.

O Palmeiras é um time tão grande que só perde para ele mesmo, acreditamos. Neste campeonato brasileiro de 2012, por exemplo, perdemos 20 vezes e estamos rebaixados para a 2ª divisão no ano de 2013.

Não tem sido fácil ser palmeirense nos últimos 10 anos, assim como não foi na década de 1980. Mas durante todo o restante foi muito bom. Vinte anos de alegrias e vinte anos de tristezas sucedidos dez a dez. O Palmeiras é um time elevado à potência de dez.

O Palmeiras merece um estudo sociológico do ódio que pode estar contido dentro de um amor compartilhado por tantos e da desunião possível entre aqueles que esse mesmo amor reune.

Campeão da Copa do Brasil e rebaixado no mesmo ano, o Palmeiras é um palco da grandeza e da mesquinhês da alma humana.

É nesse sentido que reproduzo abaixo dois textos que ao tratarem de uma paixão tratam das formas dicotômicas de viver uma paixão.  Leia mais »

O STF e o poder imperial

Autor: 

Vivemos, no nosso Judiciário, momentos de grande exacerbação de ânimos. Vaidades acesas, dedos em riste e olhos injetados do sangue dos vingadores.

Tão pouca temperança para com o contraditório, tão pouca tolerância e atenção para com o humano. Tudo levado ao seu último grau.

Se fosse um jogo de futebol já não prenunciaria bom resultado final.

É nesse contexto que dou-me com o texto abaixo. Reproduzo-o e comento a seguir. Leia mais »

A estratégia "Dora Kramer" para o golpe constitucional

Autor: 

A “estratégia Dora Kramer” para o golpe constitucional.

Marcos Valério está ferrado, pegou penas que somadas chegam a 40 anos de prisão.

Marcos Valério entrega Lula e sai numa boa com uma delação premiada.

Obviamente que qualquer declaração de Marcos Valério neste momento seria de validade nula se se baseasse apenas na sua palavra. Obviamente que uma conversa gravada clandestinamente não serve de prova em nenhum tribunal do mundo. Mas estamos em tempos de mensalão no Brasil. Leia mais »

O verão de 2010 ou, o momento em que Serra vacilou

Autor: 

Aviso aos navegantes

O interesante post aqui no blog "O que poderia ter sido de Serra e não foi"  me fez lembrar de uma trilogia que escrevi aqui em julho de 2011. Nela tentava refletir como Serra havia perdido a eleição para Dilma, apesar  ter estado tão próximo de ganhá-la. Mais próximo do que em 2012 contra Haddad.

Republico-o agora. O post começava assim: Leia mais »

Haddad eleito, quem ganhou e quem perdeu com isso.

Autor: 

Haddad eleito, quem ganhou e quem perdeu com isso?

Sem sombra de dúvida, a maior ganhadora é a cidade de São Paulo.

E que não se veja nessa frase nenhuma adulação a Haddad.

A cidade ganha em função da alternância do poder. Em São Paulo havia se estabelecido um pacto das “elites”. Com estado e prefeitura na mão do mesmo partido por pelo menos oito anos, formou-se em torno deste um consenso que envolvia a burguesia,  o judiciário, a grande imprensa e dois legislativos, estadual e municipal, passivos. Nada perturbava a paz paulistana. Leia mais »