Proclamação da República?

Autor: 

Inspirados nas ideias “positivistas” de Auguste Comte e no “Sonho Americano”, em 15 de Novembro de 1889, foi declarada a “proclamação” que instaurou a forma republicana federativa presidencialista do governo no Brasil, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil. O positivismo fica marcado na bandeira, “L'amour pour principe et l'ordre pour base; le progrès pour but”. (“O Amor por princípio e a Ordem por base; o Progresso por fim"). Como compunha os apoiadores ao “golpe” os latifundiários e grandes ruralistas, descontentes com fim da “Escravidão”, optou-se por retirar a palavra “amor”, e correr o risco de ser taxado de...

Do “Sonho Americano” também não foi possível aproveitar muita coisa, afinal, construir ferrovias, cortando o Brasil de norte a leste, de oeste a sul com o modal mais barato e eficiente, seria um serio risco as “velhas elites dominantes”, que ganham seu pão, sem muito suor [seu, próprio] desde 1500, com uma formula antiga: latifúndio, trabalho escravo (ou análogo), monocultivo e matéria prima para exportação. “Eis o nosso eterno destino”.  Leia mais »

Trump e o Mundo Novo

Autor: 

Impressiona inocência [perspicaz] dos grandes analistas e intelectuais de nosso tempo, ao justificar sempre o voto ao apelo moral. (“Não voto no Crivella que ele é contra o aborto”; “não voto no Trump porque ele peida fedido”; etc.). Como apelar a “moral”, se a própria moral se esvaiu? Se dissipou? Virou fumaça. A Globalitária (globalização autoritária de mercadorias, como disse Milton Santos) mentiu. Não há democracia no mundo. As grandes corporações tem seus interesses representados pelo Banco Mundial, a Organização Mundial do Comercio, o Fundo Monetário Internacional, entre outras. E essas “organizações” [poderosas] não são democráticas. Leia mais »

Carta Aberta ao Senador Cristovam Buarque

Autor: 

Vossa Excelência,



Senador Cristovam Buarque



Leia mais »

A Esquerda é Popular? (Para Lirinha/Cordel Fogo Encantado)

Autor: 

E se virar de trás pra frente, será que num vai ser diferente? E se inverter a lógica, eu também posso aprender. Pra quem pensar mecanicamente? Parece que o povo num sabe pensar. Tu não consegue enxergar entender? E se a linguagem diferente, no idioma popular. Porque o café bom não é pra gente? Ah, mas o açúcar é amargo pra quem corta cana. Ah, mas a carne tem cheiro de bosta pra quem trabalha em frigorifico. Ah, mas o óleo tem gosto de veneno, pra quem trabalha no campo. Parece inté que é cobra. O povo rindo, vive de sobra. E quando sobra! Porque gringo tem trato diferente? E se porco andasse de transporte urbano, haveria ar condicionado, rede e mais um monte de mimo? Porque o trânsito é indecente? E este salário mínimo, que resumindo, as contas no fim de mês num consigo fechar? Está tudo errado minha gente. Leia mais »

Não Verás Ciclovia Nenhuma?

Autor: 

As ciclovias são uma ótima opção nestes tempos de crise. Por diversos motivos, que poderia enumerar, como exemplo, realizar exercício físico (economizar com “academia”) e melhorar a saúde; não utilizar “veiculo de passeio” (menor gasto com combustíveis fosseis e menor poluição atmosférica); entre outros. Somente considerando a questão da poluição, na capital Paulista em 2011 morreram 3,5 mais pessoas decorrentes de problemas respiratórios, comparado ao de acidente de trânsito. Ou seja, não somente o trânsito mata, a poluição mata. Entretanto, o importante aqui, é compreender que ir de carro ou de bicicleta é uma decisão pessoal, e acima de tudo uma decisão política. Os nossos políticos tem em mãos a decisão de contribuir para construção de uma cidade saudável ou não. Certo? Leia mais »

A CHIADEIRA AUSTRALIANA E O ACIONAMENTO DO "MODO VIRA-LATAS"

Não é uma questão de desqualificação ou despreparo para grandes eventos, de nós brasileiros. Fazemos anualmente dois dos maiores do Mundo: O Réveillon e o Carnaval. O que está acontecendo com as Olimpíadas é resultante do momento político que vivemos, e do capitalismo especulador e predador brasileiro, e internacional, aliado a uma mídia caseira tão aculturada e vassala que nos dá enjoos. Todo evento transitório, que envolve milhares de pessoas, precisa necessariamente de planejamento, logística e infra-estrutura. As Olimpíadas são um evento privado, cuja gestão é do COI. O planejamento é deles. A logística é deles. A cidade sede entra com a infra-estrutura, que os governantes (em todas as cidades do Mundo) denominam de "legado olímpico". Pois bem, aonde estava o COI, nesses quase dez anos, na atuação sobre o Planejamento e Logística? Leia mais »

Amizade líquida via facebook

A interconexão através das redes sociais interfere significativamente nos aspectos da vida social e pessoal dos indivíduos, produz novos modelos de pensamentos, de atitudes e de convivência. O que está em jogo é uma transformação radical no modo em que as relações humanas se configuram. Essas mudanças já passam a ser sentidas em vários contextos da vida cotidiana. O grande “palco” da vida passou ser o mundo virtual. Estar conectado tornou-se mais do que simples necessidade - transformou-se em obsessão. Leia mais »

BRASILEIROS ONDE ANDAM VOCÊS?

Desde 2013 um onda verde-amarela invadiu nossas ruas por mais do que alguns centavos. A primeira impressão era que uma "primavera brasileira" despontava para libertar o país de vez de tantas ignomínias. Leia mais »

Na Casa da Democracia

Autor: 

Desde a infância Aberlado aprendeu as coisas duras da vida. Por que vida é linha reta. Palavra é pedra; não é água. E bigode corta mais que fio de navalha. Aberlado aprendeu com seus calos a respeitar Lei e Palavra. Foi assim que Aberlado respeitando a Lei de Deus se casou na igreja; e respeitando a Lei do Homem registrou em cartório. Aberlado casou com Margarida Aparecida, e teve seis crias, cinco delas sobreviveram, sendo quatro mulheres e dois homens. Maria, Ana (natimorta), João, Claudio, Daina e Flavia, em ordem cronológica decrescente, respectivamente. Leia mais »

Reforma da Previdência, o olhar do Perito Médico Previdenciá

Autor: 

Desde o governo da ex-Presidente já era parte do discurso político a idéia de que a sociedade brasileira precisa repensar o pacto previdenciário. Tentaremos aqui expor a visão de peritos do INSS sobre o tema.

 

De início explicitamos os princípios que entendemos devem guiar qualquer proposta de mudança:

 

PRÍNCIPIO DA GARANTIA DA SOBREVIVÊNCIA

  Leia mais »

Para pensarmos sobre as drogas e a banalidade do vício

Imagem: Folha da Região de Araçatuba

Leia mais »

Tolerância zero para a corrupção, por Luiz Claudio Tonchis

No Brasil, a política funciona segundo os preceitos de uma ética pervertida, antirrepublicana e antidemocrática e que tende a valorizar a ações dos detentores ocasionais do poder, e não os interesses mais amplos da sociedade. É a contradição de sua natureza normativa: a justiça e o bem comum. Cinismo é a palavra certa para expressar o comportamento da maioria expressiva dos políticos brasileiros, que num sentido moral, é uma atitude que consiste no desprezo irônico, um deboche à ingenuidade dos cidadãos brasileiros. Leia mais »

EM CRISE SISTÊMICA O CAPITALISMO QUER NOS LEVAR AO XIBALO

A Plutocracia e o rentismo espalham fascismo e terror pelo mundo atacando até mesmo as amenidades keynesianas. No terceiro mundo e em países em desenvolvimento, como o Brasil, golpes de estado engendram perversas ações sobre os direitos sociais dos trabalhadores e buscam a discórdia e distensão entre a classe média, como a nova chibata política, e o conjunto dos trabalhadores, urbanos e rurais, levando esses setores aos instintos humanos mais primitivos. Leia mais »

O horror da barbárie coletiva

As pessoas de bem se mostram sensibilizadas, chocadas e se solidarizam com as duas adolescentes vítimas de estupro coletivo que ocorreram recentemente: uma, no Rio de Janeiro, violada por mais de 30 homens, e outra, em Bom Jesus, no Piauí, atacada por pelo menos 4 homens. Em um dos casos, os algozes, por simples sadismo, caracterizado pela negação de suas consciências e pela satisfação pelo crime praticado exibem como troféu as imagens e vídeos de suas vítimas nas redes sociais. O caráter exibicionista do estupro revela a sua face cruel, a barbárie, o Big Brother do terror: a exposição social das vítimas do crime. Leia mais »

Discurso pornográfico tenta violentar a educação

É óbvio que não tem nada de mais que o truculento e desagradável “ator” de filmes de sexo explícito Alexandre Frota queira apresentar propostas para a Educação de nosso país. No entanto, soa muito estranho que o polêmico “Bady Boy” seja recebido pelo Ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), na última quarta-feira (25/04), como se a celebridade na área da pornografia fosse, também, uma referência na área educacional. Leia mais »

BRASIL: 'UM ESTUPRO ESTE PAÍS'

Dia desses eu li um infeliz que escreveu que o Brasil, sua elite principalmente, não é corrupto, mas tão somente tem uma cultura escravocrata. O que poderia acrescentar e pensar sobre um escrito desses? "Cultura Escravocrata" = corrupção+genocídio+racismo+xenofobia+homofobia+estupro+misoginia+... Que país é este meu Deus? 'BRASIL PÁTRIA USURPADORA' OU 'BRASIL UM PAÍS DE POUCOS' OU 'BRASIL INFERNO DOS PÁRIAS... Sei lá a quantos adjetivos mais levariam minha indignação e decepção crescentes com meu país... Trinta "inumanos", varões degenerados, violentando uma mulher é o vazamento definitivo de uma sociedade que não consegue há 500 anos se constituir.

A benevolência da lei de trânsito

A BENEVOLÊNCIA DA LEI  DE TRÂNSITO

  

  O atropelador do filho da atriz Cissa Guimarães está em liberdade. O Código de Trânsito Brasileiro, sem dúvida, é uma autorização expressa para matar. Basta observar o disposto no artigo 301 em que estabelece que não se imporá a prisão em flagrante, nem se exigirá fiança do condutor, envolvido em acidente de trânsito com vítima, desde que preste à esta pronto e integral socorro. Ou seja, pode matar e mutilar ao volante, em seguida solicita o socorro de emergência para a vítima e depois pode ir ao cinema ou ao supermercado. A lei existe para proteger os assassinos do volante. Não há dúvida. Já beneficia antes do julgamento. Leia mais »