Carta a uma grande Mestra, com carinho.

Entre os prodígios que Deus nos presenteou, um deles é a capacidade humana de poder recordar o passado e refletir sobre a nossa história no tempo e no espaço. O passado é sempre uma realidade sentida e vivida, de alegria ou de tristeza. As experiências ficam registradas na memória. Muitas vezes, o tempo nos encarrega de valorizar pequenos atos que numa determinada época, situação e contexto não tinham tanto valor. Acontecimentos ou gestos simples marcam a nossa existência e relembra-las nos emocionam.

Hoje, prestes a completar 65 anos, bem vividos, o meu pensamento retorna ao ano de 1960. Na época, eu tinha 09 anos e a protagonista dessa história é minha professora primária Dona Inah. Leia mais »