As casas na árvore na Suécia

Sugerido por Janah

As casas na árvore na Suécia

Estas casas de árvore na Suécia oferecem aos visitantes um retorno à natureza, minimizando o impacto ambiental desse retorno. Leia mais »

A Carta do Colégio de Procuradores sobre a PEC 37

Carta de Brasília - Por que somos contra a PEC/37:

O Colégio de Procuradores da República, órgão do Ministério Público Federal, autoconvocado, reuniu-se em 18 de junho de 2013, no exercício de seu dever constitucional de zelar pelo estado democrático de direito e pelo respeito aos direitos constitucionais, para garantir a manutenção da capacidade de investigação para fins penais do Ministério Público e outras instituições atualmente investidas de poder de polícia, e impedir retrocesso em favor da impunidade e contra a segurança cidadã. Para isso, é necessário dizer não à PEC 37.

A PEC 37 pretende estabelecer o monopólio da investigação pela Polícia. O Estado abriga vários órgãos com poder de polícia, como a maioria dos países do mundo. A limitação a um só canal reduz em muito a capacidade de investigação dos órgãos do Estado.

Leia mais »

Retratos em vidro do artista Oben Abright

Por Vaas

Retratos em vidro do artista Oben abright, nascido em 1980 em San Francisco. Filho de escultores, Oben estudou desenho e pintura na Faculdade de Marin e ilustração, pintura e desenho na Escola de Artes e Ofícios da Califórnia. Após a sua graduação, viajou para Florença, Itália onde estudou pintura na DeMedici Institute of Art Lorenzo.

Oben abright "Perda Retrato 1" Item # 50409 Mold vidro soprado / tinta a óleo 5 "hx 5"<br /><br />
 wx 8 "d Inquire 

Leia mais »

Carta da arquiteta e urbanista Raquel Rolnik a Barbosa

Por implacavel

Do site do Dep. Federal Edson Santos

Horto: Carta de Raquel Rolnik a Joaquim Barbosa

A professora Raquel Rolnik é arquiteta e urbanista, titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e relatora especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU para o Direito à Moradia Adequada. Foi diretora de Planejamento da Cidade de São Paulo (1989-1992), coordenadora de Urbanismo do Instituto Pólis (1997-2002) e secretária nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades (2003-2007), entre outras atividades profissionais e didáticas relacionadas à política urbana e habitacional. Enfim, sabe o que está falando quando trata de questões relacionadas à habitação popular. Leia abaixo a carta que ela encaminhou ao presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, relator do Mandato de Segurança apresentado ao Supremo pela Associação de Moradores e Amigos do Horto (AMAHOR).

Excelentíssimo Ministro Doutor Joaquim Barbosa, Presidente do Supremo Tribunal Federal

Como Relatora Especial para o Direito à Moradia Adequada da Organização das Nações Unidas (ONU) tenho a missão de examinar, monitorar, aconselhar e relatar a situação do direito à moradia no mundo, promovendo a assistência a governos (em suas diferentes esferas e poderes constituídos) e a cooperação para garantir a implementação do direito à moradia adequada. A moradia adequada foi reconhecida como direito humano em 1948, com a Declaração Universal dos Direitos Humanos (Art. 25, § 1o), tornando-se um direito universal, aceito e aplicável em todas as partes do mundo como um dos direitos fundamentais para a vida das pessoas. Diversos Pactos Internacionais de Direitos Humanos dos quais o Brasil é signatário incluem o direito à moradia, obrigando o Estado Brasileiro a protegê-lo, promovê-lo e efetivá-lo. Cito, a título de exemplo, além da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos; o Pacto Internacional sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais; e a Convenção Americana sobre Direitos Humanos, em seu Protocolo Adicional em matéria de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais. Leia mais »

Cidades sul-americanas precisam aprender juntas

Autor: 

Em visita a Salvador para participar do ArquiMemória, o arquiteto, intelectual e político uruguaio Mariano Arana, responsável pela requalificação do centro histórico de Montevidéu (fotos abaixo), obra de repercussão internacional, criticou o estado atual do Pelourinho, em Salvador. Para ele, o modelo adotado não corresponde ao desenvolvimento do local. “Entristeço-me com o Pelourinho. Claro que todo mundo não pode morar ali, mas muita gente já não vive lá porque muitas moradias foram transformadas em comércio. Esperamos que a sensatez logre um equilíbrio para que a cidade não termine excessivamente especializada em uma só visão”, opinou, em entrevista ao Bahia Notícias. Uma das soluções que Arana considera como viável é o investimento na fixação dos moradores. “Há de ter muito subsídio para eles seguirem vivendo onde nasceram seus pais e avós”, salientou.
Leia mais »

Gárgulas ao redor do mundo

Por Adir Tavares

Da Obviousmag

AS GÁRGULAS AO REDOR DO MUNDO

As Gárgulas são estátuas de criaturas monstruosas, às vezes assemelhadas a aves deformadas, ou morcegos gigantescos, como uma mistura de vários seres, formando uma escultura grotesca.

1. Cemitério de Oakland - Atlanta, Georgia Na arquitetura, uma gárgula é uma pedra esculpida, geralmente feita de granito com um bico concebido para transportar a água de um telhado, impedindo assim que a água da chuva escorra pelas paredes.  Algumas quimeras ou figuras grotescas não funcionam como desaguadouros mas apenas para funções artísticas e ornamentais. São ditas para espantar e proteger aqueles que elas guardam de quaisquer espíritos maus ou nocivos. Alguns acreditam que as gárgulas eram colocadas nas Catedrais Medievais para indicar que o demônio nunca dormia, exigindo a vigilância contínua das pessoas, mesmo nos locais sagrados. Apesar da maioria ser figuras grotescas, o termo gárgula inclui todo o tipo de imagem. Algumas gárgulas são esculpidas como monges, outras combinando animais reais e pessoas, e muitas são cômicas. Leia mais »

Era uma casa, muito engraçada...

Steve e Jeri Wakefield encomendaram esta delicosa casa para seus netos. O arquiteto James Curvan foi o projetista e em três meses a primeira versão da casa ficou pronta.  Primeira, porque, conforme os netinhos foram crescendo, anexos, brinquedos e novas áreas foram sendo incorporadas ao projeto, como parede de escalada, escada de corda, ponte pênsil e tirolesa. Uma coisa que chama a atenção é quantidade de detalhes primorosos, cheios de bom gosto e cuidado; tudo feito pelos avós com enorme carinho. Peças exclusivas encomendadas de artistas locais, uso de móveis e objetos herdados da família e a reutilização de materiais, como por exemplo a porta de entrada, feita a partir de um antigo órgão de igreja. 

Decoração ideal para a sala

Autor: 

A sala é o ambiente de maior visibilidade numa casa. É onde a família se reúne e também onde recebemos visitas. Portanto, é preciso que o espaço esteja sempre organizado. A decoração da sala também é importante para dar um toque de conforto e elegância ao mesmo tempo.

Começando pelo sofá, escolha um que atenda as suas necessidades e de sua família. O seu tamanho, principalmente, vai depender do número de pessoas que moram na casa. Mas não que esqueça que sempre podemos receber visitas de última hora. Complemente o ambiente com poltronas, cadeiras e pufes. A mesinha de centro também é fundamental para descansar copos, celulares e também os controles dos equipamentos. Leia mais »

O caso dos "arquitetos piratas" na China

Por jns

A DUPLIQUETETURE CHINESA

Um edifício, projetado pela empresa de design de arquitetura Zaha Hadid Architects, em Pequim foi copiado por um desenvolvedor em Chongqing e os dois projetos competem para a conclusão em primeiro lugar.

A questão envolvendo a China e a sua atitude em relação a direitos de propriedade intelectual foi reacendido, após alegações de que um projeto, em Pequim, está sendo replicado por "arquitetos piratas" em Chongqing, a megalópole do sul, que poderia até ser concluído, no próximo ano, antes que terminem as obras do projeto original, criado por Zaha Hadid, que está em andamento.

O projeto para  o Hadid’s Wanjing Soho Complex (imagem superior), um complexo de formas e volumes curvilíneos, inspiradas em seixos, com até 200 metros de altura, transformados em torres (uma de escritórios e as outras de varejo), foi apresentado em agosto de 2011. Leia mais »

A arquitetura subliminar no documentário "Gruen Effect"

Por Wilson Ferreira

Do blog Cinema Secreto: Cinegnose

A arquitetura subliminar de Victor Gruen no documentário "Gruen Effect"

 
 
Ele criou um conceito que mudaria radicalmente a sociabilidade e a percepção humana contemporânea. Inspirado em planejamento socialista e nas memórias dos espaços de convivência europeus com seus cafés e comércio de rua, um imigrante vienense foragido do nazismo cria nos EUA os primeiros Shopping Malls na década de 1940. Ele acreditava que seria a solução para a democracia americana em meio à alienação e solidão criadas pela expansão econômica pós-guerra. O arquiteto Victor Gruen mais tarde renegaria publicamente sua invenção ao vê-la convertida em “máquinas subliminares de venda”. Mas o seu nome acabou sendo associado ao principal efeito psicológico que o design arquitetônico dos centros comerciais criaria na mente dos consumidores: o chamado “Efeito Gruen Transfer”. Esse é o tema do documentário alemão “Gruen Effect: Victor Gruen and the Shopping Mall” (2012).
 
Ele definitivamente associou o automóvel ao consumo e alterou drasticamente o horizonte urbano das grandes cidades do mundo. Inventou o conceito de Shopping Mall (centros comerciais) cuja arquitetura acabou involuntariamente produzindo um efeito que os pesquisadores em comunicação subliminar chamam de “Gruen Transfer”: no momento em que os consumidores entram em um shopping são envolvidos por um layout arquitetônico intencionalmente confuso, fazendo-os esquecerem das suas intenções iniciais e tornando-os vulneráveis ao bombardeio sensoriais de sons, aromas e luzes – veja RUSHKOFF, Douglas. Coerction, N. York: 2000 e HOWARD, Martin. We Know What You Want. N. YorK: Desinformation, 2005.
Leia mais »
Vídeos: 
Veja o vídeo

Condições para a vitalidade Urbana, por Renato Saboya

Por IgorEliezer

Do site Urbanidades

Condições para a vitalidade Urbana #1 – densidade

A vitalidade dos espaços públicos abertos tem sido objeto de estudo por uma grande quantidade de autores ao longo, pelo menos, das últimas 5 décadas, desde o trabalho pioneiro de Jane Jacobs (2000 [1961]). Nesses trabalhos, diversos fatores são levantados e considerados como variáveis independentes, isto é, como fatores que de alguma maneira causam, ou induzem, uma maior vitalidade urbana. Neste e nos próximos posts vou comentar alguns desses aspectos, classificados em grandes categorias. Leia mais »

O arquiteto da Biblioteca Mindlin

Por mcn

Um dos aspectos mais bonitos da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin é seu projeto arquitetônico. Um de seus autores, Eduardo de Almeida, é uma dos mais importantes arquitetos brasileiros, embora pouquíssimo conhecido fora do ambiente universitário.

Segue entrevista contando um pouco de sua impressionante história de vida.

---

 

http://www.arcoweb.com.br/entrevista/eduardo-almeida-29-07-2011.html

Eduardo de Almeida

Indiferente aos dogmas do modernismo e da escola paulista, o arquiteto fala sobre seus quase 50 anos de atividade profissional

Leia mais »

Arquiteto Toyo Ito vence o Prêmio Pritzker

Por Marcos Costa

Arquiteto Toyo Ito ganha o Prêmio Pritzker 2013

por 

O Pavilhão da Galeria Serpentine em Londres, 2002 Leia mais »

Good Vibrations de Ferruccio Laviani

Por Marco St.

Calma!!! Não é efeito da bebiba, nem seu monitor está com problemas! Essa peça decorativa inteiramente feita em madeira é real e é assim mesmo.

fratelli2

Leia mais »

Brasil reconhecerá diploma de engenheiros portugueses

Por Habemus engenherios

Brasil reconhecerá diploma de engenheiros e arquitetos portugueses

FLÁVIA FOREQUE
DE BRASÍLIA - Folha de S.Paulo

Engenheiros e arquitetos portugueses poderão ter o diploma reconhecido de forma quase automática no Brasil.

A mudança, no primeiro momento, ficará restrita a um grupo de universidades federais --cabe às instituições públicas reconhecer o diploma de graduação estrangeiro. É um primeiro passo que pode repercutir em outros cursos.

A intenção é assinar convênio entre universidades nacionais e portuguesas na próxima semana, durante visita ao Brasil do ministro de Educação e Ciência de Portugal, Nuno Crato. O Ministério da Educação brasileiro apoia a iniciativa.

Na prática, a alteração será sentida "em três, quatro meses", estima o reitor da UFScar (Universidade Federal de São Carlos), Targino Araújo, presidente da comissão de Relações Internacionais da Andifes (associação de reitores). "É para facilitar esse processo. A questão da internacionalização [dos profissionais] é um fato."

Leia mais »