Os efeitos da chuva forte no Rio de Janeiro

Por Augustini Faustin

Do G1

Chuva forte na madrugada deixa o rio em estágio de atenção

Sirenes foram acionadas em 6 favelas devido ao risco de deslizamento. Previsão para a manhã e tarde de sábado é de chuva moderada e fraca.

A cidade do Rio entrou em estágio de atenção à 0h35 deste sábado (26) devido ao deslocamento de áreas de instabilidade sobre a cidade, segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio. A previsão para a manhã e tarde de sábado é de chuva moderada e fraca.

A Defesa Civil Municipal acionou as sirenes de alerta nas comunidades da Rocinha, do Vidigal, da Chácara do Céu, de Rio das Pedras e do Sítio Pai João, a partir das 4h. Moradores foram orientados por agentes comunitários e da Defesa Civil a se dirigirem aos 18 pontos de apoio. Leia mais »

Alckmin e Dilma celebram parcerias entre São Paulo e União

Do A Tarde

Dilma e Alckmin elogiam parcerias entre SP e União

Ricardo Leopoldo | Agência Estado

A cerimônia de lançamento do projeto do Centro Paralímpico Brasileiro, ocorrida nesta sexta-feira no Palácio dos Bandeirantes, se tornou um grande evento no qual a presidente Dilma Rousseff e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), enalteceram a parceria entre os dois entes da federação. O bom relacionamento político é um fato de destaque, justamente porque seus partidos, PT e PSDB, começam a trocar rusgas em nível nacional em função do início não oficial da campanha presidencial de 2014.

O governador paulista destacou que esta era a terceira vez que a presidente Dilma o visitava no Palácio dos Bandeirantes, o que era sempre um motivo de alegria para ele. "Hoje celebramos mais uma grande parceria, de grande importância de natureza social. São Paulo é parceiro do Brasil. Conte conosco presidenta, parabéns.", afirmou Alckmin, no fim do seu discurso. Leia mais »

A importância de bons projetos nas obras públicas

Por AntonioNeto10

Comentário ao post "As lições com os erros da Transposição"

Também sou engenheiro civil, com experiência dos dois lados, público e privado.

Concordo que as empreiteiras estão, em regra, mal acostumadas com o "jeitinho". Há corrupção, malversação etc., e tudo isso precisa ser seriamente combatido. Mas o buraco começa, na verdade, mais embaixo.

Para que existam boas obras - em técnica, preço e prazo - é imprescindível, em primeiríssimo lugar, haver projetos básicos de boa qualidade. Óbvio. Mas esta obviedade fica praticamente impossível de ocorrer quando o órgão contratante aperta demais os prazos e espreme demais os preços - situação que acontece com altíssima frequência, em virtude da costumeira exiguidade dos "prazos políticos" e das verbas disponibilizadas para este fim (incrivelmente, os projetos são muitas vezes encarados como despesa, e as obras como investimento...). Para piorar, os Tribunais de Contas estão reduzindo cada vez mais a importância da nota técnica na definição dos vencedores das licitações de projetos - o que, para os bons administradores públicos, é um pesadelo: projetos são produtos fundamentalmente intelectuais, onde o currículo da empresa e dos técnicos envolvidos, mais a qualidade da proposta técnica, deveriam contar bem mais que o preço. A coisa tende ainda ao desastre, se for aprovado o projeto de lei que corre no Congresso Nacional, limitando a nota técnica ao teto de 50% da nota final... Parece feito sob medida para sabotar o PAC. Leia mais »

Os problemas do carnaval de Salvador

Por Luiz Augusto de Jesus Carvalho

Do blog Ordep Serra

A agonia do carnaval baiano

Publicado por martinelli em 19/03/2011

(Foto: capa da edicão de 11.03.2011 do Jornal da Metrópole)

Já se tornou uma verdade nua e crua, incontornável, um fato cuja constatação se impõe até aos mais obtusos, a profunda crise do carnaval baiano — crise que agora toma jeito de agonia violenta, suja, com espasmos brutais. Não há como confundir com vitalidade esses estertores do gigante drogado.  O buraco é mais embaixo e não dá para esconder.

Para começo de conversa, o carnaval de Salvador já não é de Salvador. De acordo com as estatísticas, apenas 22% dos soteropolitanos participam dele. Mas de modo desigual, é preciso que se diga. Pois muitos participam da grande festa sem festejar, ou seja, trabalhando em condições mais que precárias: uns, na condição servil de “cordeiros”; outros a espremerem-se pelas ruas, vendendo cerveja e petiscos miúdos, enfeites etc.; ou ainda catando latas dia e noite. A miséria dos “cordeiros” é explorada de forma obscena e a triste instituição do bloco de cordas se mantém ano após ano, com o beneplácito das nossas autoridades, decerto empenhadas em honrar as tradições escravistas da Bahia. Os amos do bloco até alegam que com isso oferecem uma oportunidade de ganho a pessoas necessitadas. É verdade que elas o são: a espantosa pobreza de Salvador, fruto de desgoverno e insensibilidade social, recruta facilmente homens e mulheres para esse tipo de trabalho. É ela também que leva famílias inteiras a dormir na rua durante a bela festa, sacrificando-se para obter um pequeno aumento de suas rendas com um inseguro comércio. Para isto fazem vigília, no tumulto carnavalesco; dormem pelas manhãs na promiscuidade e na sujeira, nas calçadas ou nos escassos gramados, entre bêbados e lixo.  Ou em barraquinhas improvisadas, que tomam calçadas e bloqueiam a entrada de inúmeros prédios na Barra, por exemplo. Leia mais »

Licitações e o Regime Diferenciado de Contratações Públicas

Por Diogo Costa

Comentário ao post "As lições com os erros da Transposição"

A grande revolução no campo das licitações no Brasil chama-se RDC (Regime Diferenciado de Contratações Públicas). Essa inovação utilizada há muito tempo pelos países da OCDE e da União Européia, utilizada para fazer as obras das Copas do Mundo da Alemanha e da África do Sul, para fazer as obras das Olímpiadas de Londres, utilizada pela Petrobrás desde 1998 e, a partir do final do ano de 2011, utilizada para licitar as obras do PAC, da Copa e das Olímpiadas no Brasil, constitui uma verdadeira revolução em matéria de gestão pública! A lei 8.666/93 é anacrônica e o RDC é tão melhor que deveria ser utilizado como norma para todas as licitações brasileiras daqui para a frente. Leia mais »

Tesouro mantém repasse do FPE aos Estados

Por alfeu

Da Agência Senado

Apesar de decisão do Supremo, Tesouro não interrompe repasse do FPE aos estados

Marilia Coêlho

A parcela do Fundo de Participação dos Estados (FPE) referente ao primeiro decêndio de arrecadação de janeiro deste ano foi repassada aos estados nesta sexta-feira (18) pelo Tesouro Nacional. De acordo com o órgão, os repasses do FPE vão continuar a ser feitos porque o dinheiro não pertence à União e, sim, aos estados.

Em fevereiro de 2010, o Supremo Tribunal Federal (STF) declarou inconstitucional o artigo 2º da Lei Complementar 62/1989, que trata da distribuição do FPE e decidiu que essas regras só teriam efeitos até 31 de dezembro de 2012. Como o Congresso não aprovou nova lei complementar, a situação de repasse do fundo ficou indefinida.

Em comunicado oficial, o Tesouro afirmou que segue o Acórdão 3.135/2012 do Tribunal de Contas da União (TCU), que determina que o governo deve continuar pagando o repasse conforme as regras previstas na LC 62, até que nova lei seja aprovada. Leia mais »

A insatisfação dos moradores de São Paulo

Por Marco Antonio L.

Da Carta Capital

Paulistanos estão mais insatisfeitos com a cidade

56% dos paulistanos iriam embora de tivessem a oportunidade.

Os moradores de São Paulo estão cada vez mais insatisfeitos com a cidade, de acordo com pesquisa do Ibope realizada no final do ano passado e divulgada pela Rede Nossa São Paulo nesta quinta-feira 17. O índice de referência de bem-estar dos paulistanos caiu de 4,9, em 2011, para 4,7, em 2012.

As áreas mais mal avaliadas são a honestidade dos governantes (nota 2,9), a segurança (3), a transparência nos gastos públicos (3) e a punição à corrupção (3,1). Os dois ítens mais bem avaliados não têm ligação direta com o poder público: a relação com a família (nota 8) e com os amigos (7,6).  Dos 169 itens pesquisas pelo instituto, 82% deles tiveram uma nota inferior à média estabelecida pelo Ibope (nota 5,5). No ano anterior, o percentual era de 74%. Leia mais »

O pacote de obras viárias para a zona sul de São Paulo

Do Estadão

Após 20 anos, Prefeitura lança pacote bilionário de obras viárias na zona sul

Pacote contempla serviços de canalização de córregos com histórico de enchentes e construção de marginais

Adriana Ferraz e Diego Zanchetta

Com duas décadas de atraso, a Prefeitura de São Paulo vai tirar do papel parte das obras de um novo plano viário para a zona sul, orçado em R$ 1,8 bilhão. Dividido em duas fases, o pacote inicial, que inclui a duplicação de algumas das mais congestionadas vias da capital, como M'Boi Mirim e Carlos Caldeira Filho, deve custar R$ 1 bilhão.

O edital da licitação será publicado em fevereiro e representará a primeira ação do prefeito Fernando Haddad (PT) para cumprir sua principal promessa: o Arco do Futuro, uma lista de obras que promete redesenhar o desenvolvimento da cidade.

O processo de pré-qualificação das empresas interessadas teve início no dia 29 de dezembro, ainda na gestão Gilberto Kassab (PSD). Prometido pelas últimas cinco administrações, o plano virou prioridade para Haddad, que ordenou rapidez na contratação das obras durante a transição dos governos. Leia mais »

Custo de demolição pagaria reforma no Museu do Índio

Por alfeu

Da Agência Brasil

Dinheiro para compra e demolição do Museu do Índio custearia reforma, diz especialista

Isabela Vieira

Rio de Janeiro - O dinheiro investido na compra e na demolição do prédio do antigo Museu do Índio, na zona norte do Rio, que ultrapassa R$ 60 milhões, pagos pelo governo do estado, dava para investir na recuperação do imóvel. Atualmente ocupado por cerca de 20 índios, o local será esvaziado e demolido assim que o governo estadual tiver um mandado judicial.

“O governo esta comprando esse imóvel do governo federal para poder demoli-lo. Depois, vai pagar pela demolição. Ou seja, juntando essas duas quantias, é dinheiro suficiente para recuperar o imóvel, [a demolição] não faz sentido”, declarou o professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Anderson Magalhães.

Segundo a Casa Civil do estado do Rio, foram pagos R$ 60 milhões pelo imóvel e estão previstos mais R$ 586 mil pela demolição, contratada pela Secretaria Estadual de Obras. Leia mais »

Prefeitura de SP define metas com Ministério da Saúde

Da Rede Brasil Atual

Secretário de Haddad fecha plano com ministro para obras na saúde

Prefeito de São Paulo prometeu em sua campanha eleitoral construir três hospitais municipais, 43 UBS e transformar os prontos socorros em Unidade de Pronto Atendimento (UPA)

Por Raimundo Oliveira

São Paulo – O secretário municipal de Saúde de São Paulo, José de Filippi Júnior, teve hoje uma audiência com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. A conversa teve o objetivo de definir um plano de trabalho entre a prefeitura e o ministério para tirar do papel as principais promessas de campanha do prefeito Fernando Haddad (PT) na área da saúde: a construção de três hospitais e de 31 unidades da rede Hora Certa e a transformação de 34 postos de saúde já existentes em Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

Esta é a primeira reunião de Filippi com Padilha para tratar da implementação dos principais projetos de Haddad na área da saúde, e a meta é que eles estejam concluídos em dois anos. Leia mais »

Haddad diz não a indicações políticas na prefeitura

Por marcelosoaressouza

Do Último Segundo

Haddad recusa pressão por cargos, causa insatisfação no PT e suspense na Câmara

Ricardo Galhardo

Prefeito não tem aceitado indicações políticas para cargos na prefeitura, preferindo nomes que já têm experiência em administração pública, alguns até de gestões anteriores

A recusa do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), em aceitar indicações políticas para cargos na prefeitura tem causado descontentamento na base do PT paulistano, movimentos sociais ligados ao partido e suspense na Câmara dos Vereadores.

Na semana passada alguns dirigentes petistas descontentes com a falta de espaço na administração Haddad iniciaram um movimento por uma renúncia coletiva. Sete presidentes zonais do PT ouvidos pelo iG confirmaram a intenção de renunciar caso suas reivindicações não sejam atendidas. Leia mais »

Os problemas de gestão das prefeituras

Por Murdok

Nassif, o caso da prefeitura de João Alfredo (PE) é mais um dentre centenas de outros. O prefeito saiu e deixou a prefeitura quebrada. Impressionate. Ontem o fantastico mostrou um caso em que a prefeita levou até os móveis do gabinete dizendo que eram todos dela. Em outra prefeitura levaram o aparelho de raio X do hospital,  as CPUs dos computadores. Numa conta corrente de uma prefeitura deixaram pouco mais de R$ 2,00. Casos de âmbulâncas e carro de gabinete quebrados e sem motores, servidores sem salários, contas que não fecham, prédios depredados caindo aos pedaços.

A folha online mostra esse caso da prefeitura de João Alfredo, em razão de ter sido o prefeito o ex deputado Severino Cavalcanti (PP).

Da Folha

Ex-deputado Severino Cavalcanti deixa prefeitura sucateada

FÁBIO GUIBU
ENVIADO ESPECIAL A JOÃO ALFREDO (PE)

Aos 82 anos e com a ficha suja até 2015, o ex-presidente da Câmara Severino Cavalcanti (PP) encerrou seu mandato de prefeito em João Alfredo (PE) sem pagar salários de dezembro dos servidores, devendo a fornecedores e sob denúncias de sucateamento de equipamentos públicos. Leia mais »

Os problemas da transição nas prefeituras

Por  Assis Ribeiro

Rombo em caixa e serviços públicos suspensos em Minas

Ezequiel Fagundes/Toninho Almada, O Globo - 11/01/2013 

Prefeitos encontram computadores vazios e vestígios de documentos queimados

Lixo. Leite descartado em Santa Luzia (MG)

Belo Horizonte Com uma dívida de R$ 111 milhões e um orçamento anual de R$ 20 milhões, o prefeito Carlos Calixto (PSB), de Santa Luzia, na Grande Belo Horizonte, adotou uma medida drástica. Em seu terceiro mandato, ele baixou um decreto logo depois da posse determinando a suspensão de serviços públicos. Por causa da falta de médicos, dos 25 postos de saúde, apenas quatro funcionam. E não há previsão para o serviço ser normalizado até que pelo menos 40 profissionais da saúde sejam contratados. O serviço de coleta de lixo, interrompido na véspera do Natal, voltou a funcionar somente em 3 de janeiro. Mas devido ao acúmulo de resíduos, o mau cheiro ainda pode ser sentido em várias ruas da cidade, segundo o líder comunitário Fernando de Castro, do distrito de São Benedito.

Leia mais »

Alexandre Schneider é absolvido de acusações de improbidade

Por Stanley Burburinho

Do Conjur

Juíza diz para MP não entrar em rinha política

Por Pedro Canário

Só pode ser exigida licitação para contratação pelo poder público se há concorrência para o serviço que se quer adquirir. Com essa interpretação, a juíza Silvia Meirelles Novaes de Andrade, da 12ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, absolveu o ex-secretário de Educação de São Paulo Alexandre Schneider da acusação de improbidade administrativa. Ele contratou sem licitação um curso de gestão em educação da Fundação Victor Civita e o Instituto Protagonismo Jovem e Educação (Protagonistés).

De acordo com a juíza, o Ministério Público de São Paulo, ao fazer a acusação, se deixou levar por "uma rinha de natureza política entre partidos, da qual o Judiciário e o Ministério Público não devem e nem podem participar". Isso porque Alexandre Schneider foi candidato a vice-prefeito de São Paulo na chapa de José Serra (PSDB) nas eleições municipais de 2012. As suspeitas de irregularidades no contrato da prefeitura com a Fundação Victor Civita foram levantadas pela primeira vez por pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores. Leia mais »

Salvador terá cotas raciais para servidores públicos

Por Assis Ribeiro

Da Carta Capital

ACM Neto anuncia cotas raciais para servidores

Contra a história do seu próprio partido, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), anunciou um programa de cotas para negros no serviço público da capital baiana. O decreto, divulgado nesta quarta-feira 9, cria um grupo de trabalho que ainda deve elaborar os detalhes da ação afirmativa. A quantidade de vagas e os critérios de escolha dos candidatos ainda não foram definidos.

“É comum ouvir que Salvador é a cidade mais negra fora da África, mas não é comum nós cultuarmos e enaltecermos a luta e a riqueza cultural dos nossos ancestrais. O objetivo deste trabalho em conjunto é abrir portas e quebras paradigmas”, disse o prefeito ao anunciar o programa. Leia mais »