Um Termo de Ajuste de conduta contra enchentes

Por Aldo Cardoso

Nassif & Paulistanos,

Um tema que precisaria ficar permanente aqui é o das enchentes, principalmente na Grande São Paulo.

Será que todos aí não percebem que se trata de uma situação de caos que não pode ser mais contemporizada?

É preciso a sociedade local articular algo urgentíssimo, que possa envolver até o Ministério Público, no sentido de se construir um Termo de Ajuste de Conduta subscrito por todos os partidos políticos, onde se elegesse essa e mais umas poucas situações paralelas ou concomitantes de caos como as ações prioritárias de suas gestões, Leia mais »

O caso da merenda escolar

De acordo com a cobertura do Estadão, aparentemente o episódio da merenda escolar, na Prefeitura de São Paulo, tem implicações bastante amplas.

Do Estadão

Empresas usaram mesmo método

Todas entregaram propostas de preços em dois lotes; cada uma apresentou o menor valor em um deles

Vitor Sorano

As seis empresas que fornecem merenda às escolas da rede municipal em São Paulo e são investigadas por suspeita de cartel tiveram conduta idêntica no dia da licitação em que ganharam os contratos. O Ministério Público, que levantou a suspeita, quer que a Prefeitura de São Paulo suspenda os contratos e volte a preparar a alimentação de todos os alunos - hoje ela é responsável pela menor parte da rede.

O pregão - tipo de licitação pelo qual a Prefeitura fez a contratação - dividiu as escolas a serem atendidas em seis lotes. Todas as empresas entregaram propostas de preços em dois deles. Cada uma tinha o menor - e, portanto, melhor - preço para um dos lotes. No segundo, as ofertas tinham valor mais elevado. Leia mais »

A gestão estadual

Por Chico Pedro

Nassif,

No tocante ao assunto ferramentas de gestão, vi uma matéria no site do governo de Minas que achei interessante.

Trata-se de uma espécie de "mapa da situação" que permite às principais autoridades do estado visualizar o andamento de seus projetos ao longo de todo o território. Clique aqui.

Por Renato Lélis Leia mais »

A inspeção veicular

Por Reinaldo

Nassif,

Estou um tanto confuso com relação à inspeção veicular, obrigatória a partir de 2009 no município de São Paulo. Talvez você possa me ajudar a entender o que segue:

1. A inspeção tem o propósito de verificar as condições dos veículos no tocante ao impacto no meio-ambiente. Sob essa lógica, os veículos novos (ou de fabricação muito recente) não deveriam, segundo regras bem elaboradas, ser excluídos da obrigatoriedade da inspeção?

2. Ainda segundo a lógica da não-poluição, não parece estranho que em 2009 serão obrigados a fazer a inspeção os veículos fabricados a partir de 2003, e só em 2010 os fabricados de 2002 para trás? Não deveria ser ao contrário?

3. Consta que o valor pago pelo proprietário no ato da inspeção (pouco mais de R$ 50,00) poderá ser recuperado por meio de uma página específica, que será criada pela administração municipal no sítio da prefeitura. Não seria mais fácil, lógico e cômodo para o munícipe que o pagamento fosse feito diretamente da prefeitura para a empresa responsável pela inspeção?