o direito da imprensa na cobertura da ação policial

Lamentável sob todos os aspectos -um retrocesso no direito ao trabalho da imprensa livre- o episódio que envolveu policiais militares e a jornalista Vera Araújo, de O Globo, na tarde do  último domingo, 15/06, na Quinta da Boa Vista, nas proximidades do Estádio do Maracanã, no Rio, quando a referida profissional de imprensa, no exercício de sua missão constitucional, tentava filmar e registrar uma ação policial contra um cidadão argentino, em princípio acusado de urinar em via pública. Leia mais »

O trabalho da polícia e o direito da imprensa

Mais um lamentável incidente se deu entre a polícia e a imprensa, durante a cobertura de um conflito envolvendo uma ordem judicial de reintegração de posse de, na sexta-feira 11/04, na Zona Norte do Rio, fato que nos obriga a uma necessária reflexão. Mais um desentendimento, desnecessário, entre um policial e um repórter, ambos cumprindo suas imprescindíveis e relevante missões constitucionais sob a égide de um regime democrático  Leia mais »

Por que tanto medo dos protestos contra a copa?

Há um processo agressivo de desqualificação dos protestos em curso, e não falo aqui de jornalistas reacionários (ao menos eu não os via assim até pouco tempo atrás). Dois colunistas fizeram com que me acendesse esse sinal de alerta: Marcelo Rubens Paiva, do Estado, e Nirlando Beirão, do R7. O primeiro diz temer "pela integridade física e mental desses moleques mascarados", dispostos, segundo ele, a atacar torcedores adversários em nome de frustrar um ídolo tupiniquim, a tal copa do mundo, "instituição mundial que amamos a cada quatro anos". O segundo anunciou o fracasso do protesto de sábado por ter aparecido somente "os habituais gatos pingados" (entre mil e três mil pessoas), enquanto um bloco de carnaval sozinho atraía vinte mil pessoas, para não falar nos demais quarenta que se espalhavam pela cidade; e conclui, depois de vários qualificativos que rebaixam o debate: "o que aconteceu em junho de 2013 foi importante. Mas não tem nada a ver com os surtos da atual moléstia infantil do protestismo".   Leia mais »

Direitos de transmissão do futebol brasileiro

Conforme publiquei no meu blog sobre futebol, trago aqui para o Brasilianas.org a discussão sobre o futuro do futebol brasileiro. Com os caminhos que estamos seguindo e, com todo o aval da Rede Globo, detectora dos direitos de transmissão do nosso principal campeonato, a médio e longo prazo, o nosso futebol pode se tornar polarizado, como ocorre na espanha?

 

Publicado em: http://canelada.com.br/caneladas-sortidas/seguindo-o-exemplo-errado/ Leia mais »

Infoglobo faz acordo com Cade para evitar condenação

Sugerido por Murdok

Da Folha

Acordo com Cade evita condenação da Infoglobo

A Infloglobo Comunicações e Participações, proprietária dos jornais "O Globo", "Extra" e "Expresso da Informação", firmou um acordo com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para evitar uma condenação por infração à ordem econômica.

O órgão antitruste avaliou que a política de descontos adotada pela empresa na venda de espaços publicitários nos jornais poderia limitar a concorrência no mercado do Rio de Janeiro, onde as publicações editadas pela companhia circulam

A Infoglobo concordou em pagar R$ 1,94 milhão e adequar sua estratégia com os anunciantes, evitando assim condenação e multa. A empresa divulgou nota confirmando os termos e afirmando que se comprometeu a cessar as práticas criticadas por um período de cinco anos.

A decisão foi formalizada por meio da assinatura de um TCC (Termo de Compromisso de Cessação) com o Cade na semana passada. Segundo o acordo, a companhia fica proibida de oferecer descontos relacionados à verba publicitária total destinada aos três jornais editados. Leia mais »

A criminalização das rádios comunitárias

Sugerido por Antônio Bierrenbart

Da Carta Capital

Estado brasileiro processa militante e criminaliza rádios comunitárias

Jerry de Oliveira, do Movimento Nacional de Rádios Comunitárias, é acusado de resistência, ameaça, calúnia e injúria contra agentes da Anatel. Processo é tentativa de calar a voz do movimento social

Por Bruno Marinoni na Intervozes

- Gostaria de expressar minha alegria por estar aqui discutindo um tema tão relevante como o das rádios comunitárias. Eu mesmo já tive uma – disse o deputado.
- O senhor teve uma? – perguntou Jerry de Oliveira.
- Sim.
- Então, não era comunitária!

(riso geral) Leia mais »

A Folha errou, foi enganada ou engajou-se em luta inglória?

Do Jornal GGN

A Folha errou, foi enganada ou engajou-se em luta inglória?

Lourdes Nassif

O jornal Folha de S.Paulo, do dia 4 de setembro, quarta-feira, publicou a matéria dando conta da desistência de médicos no momento de assumir postos. Entre tantos dados e fatos, a publicação conversa com a médica Clarissa Oliveira, 27 anos, que afirma ter recuado devido “à falta de estrutura” da unidade em que trabalharia, em Salvador. Perdida no meio de outras declarações, Clarissa não poderia estar horrorizada com nada, visto que em seu registro ainda consta a ligação com o Hospital de Transplantes, em São Paulo. Impossível estar horrorizada na Bahia se não se desligou de sua função na capital paulista.

Veja os dois documentos coletados por Vania Grossi:

1. Este primeiro é a identificação de Clarissa, com a foto da listagem de 1a. chamada do Ministério da Saúde. O logo e o nome da postulante foram colocados juntos, como forma de proteger os outros 332 até aparecer a médica.

  Leia mais »

Mais Médicos e menos piadas e desinformação

Do Jornal GGN

Mais Médicos, por favor, e menos piadas e desinformação

Lourdes Nassif

Mesmo com voto aberto no Congresso em resposta ao fatídico caso de Donadon, e mesmo com espionagem e guerra batendo às portas em ação direta e desrespeitosa dos Estados Unidos ao mundo, o tema escolhido ainda é o Programa “Mais Médicos”. Com toda a discussão presente em outros temas, o descaso com a saúde, no país, ainda fala mais alto.

Antes do Mais Médicos, uma pequena observação que demonstra o tanto que a saúde está doente. Estadão dá, no pé da página, notícia de que o TRF suspende a punição dada pela ANS contra 142 planos de saúde. As operadoras de planos conseguiram. Se o setor já está complicado, com este precedente criado pelo Tribunal Regional Federal, em São Paulo, a situação vai longe, distanciando o beneficiário de planos de saúde de seus direitos. A ANS é criticada por não ter rigor com as operadoras tentando retomar seu papel e imagem com este monitoramento. Este fazer valer a norma era, até então, a única arma do cidadão comum diante do festival de negativas em atendimento. Com a decisão do TRF da 3a Região, em São Paulo, a agência perde força, bem como o cidadão comum. Folha não deu a notícia.

Indo ao ponto... Correu pelas redes sociais um vídeo incrível do CQC sobre o Mais Médicos. Digo incrível porque, diferente do que possa parecer, existe vida equilibrada dentro do Custe o Que Custar. Depois de escorregar sempre entre a ética ou bom gosto, o Custe soltou uma matéria em sua última edição, com gostinho de jornalismo no ar. Os rapazes praticaram jornalismo!

Com o título “Documento da semana – Médicos cubanos”, a gang conseguiu trazer uma matéria sobre a questão do repúdio de médicos aos profissionais estrangeiros que vieram ao Brasil, sem descambar para o gosto ou humor duvidoso. Em tom sóbrio, o repórter foi em busca de costurar sua matéria, dando, inclusive, voz aos dois lados. E defendendo o direito da população à saúde.

Continua aqui Leia mais »

Clube Militar responde ao Globo: "Equívoco, uma ova!"

Do Jornal GGN

Clube Militar responde ao Globo: “Equívoco uma ova!"

O Clube Militar do Rio de Janeiro publicou texto em seu site oficial no qual rechaça o editorial do último sábado (31), do jornal O Globo, em que a publicação carioca admite que ter apoiado editorialmente o golpe militar de 1964 foi um erro. No que classifica como “mudança de posição drástica”, o artigo afirma que o impresso da família Marinho cedeu ao que chama de “pressão” do governo federal à “constante ameaça do 'controle social da mídia'”, ainda que tal proposta do PT não seja apoiada pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Entre outras acusações, o texto afirma que O Globo mentiu em dois momentos no editorial feito para o site Memória. A primeira, segundo o Clube Militar, foi que o apoio do jornal carioca aos militares não aconteceu apenas na época do golpe, mas “antes, durante e por muito tempo depois da deposição de Jango”. Outra mentira do jornal dos Marinho, ainda segundo o Clube Militar, é que que o apoio editorial – agora chamado de “equivocado” pelo jornal – não foi “da redação”, mas “posicionamento político firmemente defendido por seu proprietário, diretor e redator-chefe, Roberto Marinho, como comprovam as edições da época”.

Continua aqui Leia mais »

A primeira edição do Prêmio Petrobras de Jornalismo

Sugerido por implacavel

Do Blog Fatos e Dados

Prêmio Petrobras de Jornalismo tem mais de mil trabalhos inscritos

Lançada pela presidente Graça Foster, a primeira edição do Prêmio Petrobras de Jornalismo estreou com um grande número de inscrições. Ao todo, foram 1.179 trabalhos inscritos, de 10 de maio a 31 de julho deste ano, contemplando todas as regiões do país. Jornalistas e repórteres fotográficos de revistas, jornais, rádios, emissoras de televisão e portais de notícias estão concorrendo aos 35 prêmios no total de R$ 444 mil, para as melhores reportagens relacionadas a esporte, cultura, responsabilidade socioambiental, petróleo/gás e energia e fotojornalismo.

As premiações variam de R$ 7 mil a R$ 30 mil (valores brutos). Os 17 vencedores da categoria regional receberão R$ 7,15 mil cada. Já os 17 ganhadores na categoria nacional serão premiados com R$ 17,2 mil cada. E o vencedor do Grande Prêmio Petrobras de Jornalismo receberá R$ 30 mil.

O objetivo do prêmio é reconhecer a importância dos meios de comunicação e, sobretudo, dos jornalistas que participam do processo de democratização e de disseminação de informações relevantes para o país.

A cerimônia de entrega da premiação está prevista para outubro, mês do nosso aniversário de 60 anos, no Rio de Janeiro. Leia mais »

Paulo Vannuchi: mea culpa da Globo não muda seu jornalismo

Sugerido por Ivanisa Teitelroit Martins

Da Rede Brasil Atual

Vannuchi diz que 'mea culpa' da Globo não muda seu jornalismo

Colunista da RBA afirma que admitir ser uma "verdade dura" o apoio ao golpe de 1964 não basta e que democracia brasileira ainda espera o fim do monopólio das comunicações Leia mais »

Sobre a diminuição da audiência e do poder das emissoras

Por Marco St.

Comentário ao post "O dia em que a Globo piscou"

A televisão (emissoras de tv) acabou gente. Já virou mais uma saudosa tecnologia do século XX, assim como aparelhos de videocassete, dvd e bluray etc e tal.

Não é só a Globo que está perdendo poder. Ter uma emissora de tv hoje é bem semelhante a ter uma banca de jornal. São atividades que vão desaparecer, pelo menos da forma como as temos hoje.

Hoje os aparelhos de TV já são smarts. Vc faz sua programação, acessa a internet, assiste o que quiser a hora que quiser.

Na minha relação de amigos o que causa grande impacto hoje são os episódios finais de Breaking Bad (recorde de audiencia mundial sendo que esses episódios são os arquivos mais compartilhados da internet nessas últimas semanas). Nâo conheço ninguém que veja novelas. Aliás nem se sabe o nome dessas novelas.

Reconheço que ainda tem gente assistindo Jornal Nacional. Mas é quase que uma experiência saudosista ou sociológica, um hábito que era quase obrigatório e agora totalmente dispensável por suas eternas manipulações ao longo dos anos e pela precariedade quando temos ao dispor fontes de informações muito máis rápidas e independentes pela internet. Ou talvez até a preguiça e o hábito de ver o mesmo programa anos à fio. Leia mais »

Globo admite que errou, mas não explica o erro

Do Instituto João Goulart

Globo não explica o erro.

(sequer 50 anos depois)

oão Vicente Goulart
Trajano Ribeiro
Daniel Cunha

Existe uma contenção natural no ato de criticar alguém que mesmo hipoteticamente está reconhecendo um erro. O jornal O GLOBO no editorial do dia 01 de setembro de 2013 abre a semana que antecede a comemoração do dia da independência admitindo que cometeu um erro ao apoiar o golpe militar de 1964 sem, contudo proceder com isenção e explicar ao país de que modo errou e atentou contra a soberania nacional.

Se for um pedido de desculpas à nação, carece de sinceridade e humildade inerentes àqueles que de fato reconhecem que erraram. O reconhecimento de um erro por qualquer pessoa é um fato louvável quando possui conteúdo. Dá para recriar alguns chavões típicos das manifestações: “O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo” e por aí vai. Grande parte ou a maioria de nós recusaria tal ato de penitência pobre em substância. Leia mais »

Kevin Spacey e o fim da televisão tradicional

Por Marcelo Nascimento

Comentário ao post "O dia em que a Globo piscou"

Um interessante ponto de vista de Kevin Spacey a respeito de como o modelo Netflix vai acabar com a televisão tradicional e a TV a Cabo, e o sucesso da serie "House of Cards".

A demanda atual não funciona mais no modelo de ver a novela às 20h00, 21h00 ou 22h00, dependendo da vontade da Globo.

Na minha opinião, a única coisa que sobrevive na televisão paga são os eventos esportivos. O resto é o Netflix e os jornais online.

Do Business Insider

Everyone In The Tech And TV Industries Is Passing Around This Speech By Kevin Spacey

NICHOLAS CARLSON AND JAY YAROW AUG. 27, 2013, 8:02 AM

Everyone in the tech industry is passing around this video of Kevin Spacey talking about how Netflix (and other tech companies) will blow up the traditional TV industry. Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo

Mídia se colocou em uma enrascada com sua radicalização

Por Márcio de POA

Comentário ao post "O dia em que a Globo piscou"

Pois é Nassif, pode até ser que a Globo mude um pouco seu enfoque. O problema é que a velha mídia se meteu em uma baita enrascada ao investir nessa radicalização e no caráter enviesado de suas abordagens. E isso teve efeitos funestos nos seus expextadores médios, que passaram a ver o mundo em preto e branco, bem contra o mal, etc. Agora, qualquer postura mais equilibrada será vista/interpretada como uma rendição ao "governismo", "petismo", "lulismo" ou coisa que o valha...  

E aí me parece que eles se colocam num beco sem saída: ou continuam com a postura neocom de sempre, ou mudam e perdem audiência... Leia mais »