Eleição: servidores defendem políticas sociais

Autor: 

Servidores federais protocolaram carta pedindo aos candidatos à Presidência da República para assumirem compromissos relacionados às políticas sociais e defendem que avanços nos atuais programas continuem sendo prioridade. 

*************


Excelentíssima Candidata Dilma Rousseff, Excelentíssimo Candidato Aécio Neves, Leia mais »

A misaristeria

Fonte original: Agência Adital - Notícias da América Latina e Caribe

http://site.adital.com.br/site/noticia.php?lang=PT&cod=80559&grv=N

Um sentimento estranho tem crescido ultimamente entre pessoas dos setores médios da população. Trata-se do ódio a tudo que se relaciona às reivindicações de direitos (materiais e subjetivos), às propostas alternativas de organização socioeconômica, às lutas contra preconceitos de diversas ordens e às análises críticas que se contrapõem às opiniões hegemônicas (principalmente as veiculadas pela mídia coorporativa). Tal sentimento tem alcançado também uma parte das pessoas das camadas populares, por reflexo da formação de opinião difusa – que opera por meios que vão desde as conversas de botequim às postagens em redes sociais – e por ressonância nos meios de comunicação de massa. Leia mais »

PARADOXOS "MADE IN PARÁ"

  

Andiroba, murumuru, buriti, cupuaçu, babaçu, ucuuba, pracaxi, patauá, castanha, açaí, cacau são alguns dos chamados produtos da sociobiodiversidade*. Formam junto com outras espécies os pés que mantém a floresta em pé.

Tem alta demanda de mercado, principalmente pelas industrias cosméticas para produção de sabonetes, cremes, shampoos e perfumes. E não são exclusividade dos grandes, já que fazem parte dos itens produzidos também pelos povos tradicionais e agricultores familiares da Amazônia, muitos deles organizados em cooperativas comunitárias.

Diante de todo esse potencial da economia da floresta, temos apoiado as comunidades da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns (oeste do Pará) através do Programa FLORESTA ATIVA, que prevê diversas ações (Saf’s, reposição florestal, etc), entre elas a montagem de unidades de beneficiamento para agregar valor a produção (óleos vegetais e essenciais, polpas e derivados), sempre melhor do que a venda “in natura”. O desafio é promover a inclusão social a partir da produção sustentável, um passo seguinte e que vai além de programas como o Bolsa-Família.

Para isso, começamos a fazer alguns levantamentos preliminares, e nos deparamos com a seguinte situação no Pará: em função  das diferentes alíquotas do ICMS (imposto de competência estadual sobre a circulação de mercadorias), em alguns casos  SAI MAIS EM CONTA ENCAMINHAR PRODUTOS DA NOSSA SOCIOBIODIVERSIDADE PARA PROCESSAMENTO EM SÃO PAULO DO QUE ENVIÁ-LOS PARA AS INDÚSTRIAS PARAENSES. Leia mais »

Por que tanto medo dos protestos contra a copa?

Há um processo agressivo de desqualificação dos protestos em curso, e não falo aqui de jornalistas reacionários (ao menos eu não os via assim até pouco tempo atrás). Dois colunistas fizeram com que me acendesse esse sinal de alerta: Marcelo Rubens Paiva, do Estado, e Nirlando Beirão, do R7. O primeiro diz temer "pela integridade física e mental desses moleques mascarados", dispostos, segundo ele, a atacar torcedores adversários em nome de frustrar um ídolo tupiniquim, a tal copa do mundo, "instituição mundial que amamos a cada quatro anos". O segundo anunciou o fracasso do protesto de sábado por ter aparecido somente "os habituais gatos pingados" (entre mil e três mil pessoas), enquanto um bloco de carnaval sozinho atraía vinte mil pessoas, para não falar nos demais quarenta que se espalhavam pela cidade; e conclui, depois de vários qualificativos que rebaixam o debate: "o que aconteceu em junho de 2013 foi importante. Mas não tem nada a ver com os surtos da atual moléstia infantil do protestismo".   Leia mais »

O lançamento da Coalizão Democrática pela Reforma Política

Sugerido por Alexandre Costa

Da CNBB

CNBB e mais de 100 entidades lançam Coalizão Democrática pela Reforma Política e Eleições Limpas

Uma campanha cívica, unificada e solidária. Assim se define a Coalizão Democrática pela Reforma Política e Eleições Limpas, lançada na tarde desta terça-feira, 03 de setembro, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em Brasília (DF). Na presença de representantes de mais de 100 entidades da sociedade civil, foi apresentada a proposta de projeto de lei de iniciativa popular em prol do fortalecimento dos mecanismos de democracia direta.

“A CNBB acolhe com satisfação os parceiros de sempre”, disse, na abertura do evento, o presidente da entidade, cardeal Raymundo Damasceno Assis. Ele destacou a presença dos participantes do seminário nacional da 5ª Semana Social Brasileira. “A união de todos os membros é essencial para enfrentar a luta e vencê-la. Estamos aqui para continuar fortalecendo esta nossa missão comum que, com as bênçãos de Deus, haverá de produzir bons frutos”.

No ato público, foram apresentados os principais pontos da proposta: 1) afastar a influência do poder econômico das eleições, proibindo a doação de empresas; (2) necessidade de reformular o sistema político, incluindo a questão de gênero e estimular a participação dos grupos sub-representados; (3) regulamentação do artigo 14 da Constituição, em favor da democracia direta; (4) melhorar o sistema político partidário, aumentando a participação de militantes e filiados em torno de um programa político; (5) fidelidade partidária programática. Leia mais »

Entidades denunciam Governo de SP por repressão em protestos

Sugerido por Assis Ribeiro

Do Viomundo

MPL e outras entidades acionam SP por repressão em junho

Movimento Passe Livre, em conjunto com outras entidades, apresenta denúncia contra o Governo do Estado de São Paulo pela repressão as manifestações de junho

No dia 29/08, às 10h, acontecerá uma coletiva de imprensa para apresentação de uma ação coletiva de organizações contra as altas instâncias do Governo do Estado de São Paulo devido a atuação da Polícia Militar do Estado de São Paulo nas manifestações contra o aumento da passagem. Os acontecimentos de junho, quando mobilizações massivas pararam São Paulo e conquistaram a revogação do aumento da tarifa, ficaram marcados pela vitória popular, mas também deixaram registrado na opinião pública o modo truculento como a Polícia Militar de São Paulo trata as pessoas que se manifestam, reprimindo e criminalizando. Foram evidentes — sendo inclusive amplamente noticiadas pela mídia — as violações dos direitos constitucionais empreendidas pela Polícia Militar.

Os acontecimentos do dia 13 de junho mostraram a violência com a qual a Polícia Militar historicamente lida com a população que se organiza para se manifestar e reivindicar seus direitos. Por entender que esse tipo de conduta não é aceitável em um Estado Democrático de Direito, as organizações abaixo-assinadas solicitam investigação do comandante das operações da polícia militar no dia 13 de Junho por abuso de poder, uma vez que o mesmo admitiu publicamente ser responsável pela repressão e pela inconstitucional prisão para averiguação. Leia mais »

A Revolta da Vacina e os Médicos Cubanos, Ignorância e Preco

Autor: 

Preconceito é uma merda!

  Leia mais »

"Um selinho não muda o caráter de ninguém"

Sugerido por Nilva de Souza

Da página Analisando Letras - Facção Central, no Facebook

Boa noite família do RAP nacional.

Primeiramente queria dizer que o que nos levou a escrever esse texto, eu Ricardo, e o Carlos, foi exatamente a postura ridícula que temos visto da sociedade perante algumas situações que, em discussão, são polêmicas, dividem opiniões, mas no fundo nada mais são do que uma postura machista, racista, que nos foi imposta desde o nascimento e que prevaleceu até os dias de hoje.

Onde infelizmente vimos um bando de babacas protestando, contra um determinado grupo, justamente por conta desse selo preconceituoso de nascença que a sociedade registra em nossas crianças diariamente.

Essa semana vi inúmeras postagens de torcedores do Conrinthians contra a postura do Sheik, de ter dado um selinho num amigo. Leia mais »

"Menos Preconceito, mais Democracia."

Sugerido por Gunter Zibell - SP

Do blog do Paulinho

Coirmãos corinthianos, concordo com vocês: “Menos Preconceito, mais Democracia.”

Por JOSE RENATO SATIRO SANTIAGO

Sou são paulino.

Sou um torcedor comum, não pertenço, e jamais fiz parte, a qualquer torcida organizada.

Frequento moderadamente os jogos da minha equipe.

Os torcedores da minha equipe costumeiramente são vinculados a questões homossexuais.

A origem destas associações não possui qualquer histórico homossexual de qualquer de seus fundadores, o que também não seria mal algum.

Leia mais »

O primeiro indígena formado mestre pela UFRGS

Sugerido por MiriamL

Do Terra

Primeiro mestre indígena da UFRGS define escola ideal para índios

Dissertação de Zaqueu Key Jópry Claudino foi sobre as concepções da educação indígena a partir da tradição Kaingang, relacionando-as com a educação escolarizada

"Agradeço em primeiro lugar a Tupẽ (Deus), que iluminou o meu caminho durante esta caminhada, e também aos espíritos ancestrais Kaingang, que, em sonho, me possibilitaram desvendar os saberes indígenas que consagro como conhecimento". Assim começa a seção de agradecimentos da dissertação de mestrado de Zaqueu Key Jópry Claudino, 42 anos, também conhecido como Zaqueu Kaingang. Desde o início é possível perceber que não se trata de um trabalho comum - além das tradicionais versões do resumo em português, inglês e espanhol, há ainda uma em kanhgág, primeiro idioma aprendido por Zaqueu.

Pertencente à tribo dos Kaingang, Zaqueu é o segundo filho de uma família de cinco, o primeiro indígena formado mestre pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e primeiro indígena mestre em educação do Rio Grande do Sul. A titulação veio em junho deste ano. Ele lamenta que nenhum de seus irmãos tenha ido além do ensino médio, mas se orgulha do caminho tomado por sua família: com o título de mestre em mãos, Zaqueu pretende iniciar o doutorado no próximo ano; sua esposa, Rute, cursa geografia; os filhos mais velhos, Gilmar e Cleverson, são formados em história e enfermagem; e a filha mais velha, Juciane, também cursa enfermagem. Destino que espera também para os caçulas, Giovani, 9, e Geovana, 7. Leia mais »

Emerson Sheik e a homofobia no futebol

Sugerido por hugo

Do blog do Sakamoto

Não fique apenas com dó. Dê carinho a um torcedor homofóbico

Vi a foto em que o jogador Emerson Sheik, do Corinthians, dá um selinho em um amigo a fim de abrir a discussão sobre o preconceito – o que lhe garantiu, é claro, uma saraivada de homofobia.

De acordo com o UOL Esporte, faixas estendidas por torcedores no estacionamento do clube agrediram o jogador com o que há de melhor do machismo brasileiro. E um diretor de um organizada soltou pérolas, daquelas de guardar para usar em tese de doutorado: ”A nação inteira está freneticamente indignada. Pode até ser a opção dele, mas nós estamos sempre tirando sarro dos bambis [modo pejorativo com o qual é chamada a torcida do São Paulo]. O mínimo que ele tem de fazer é um pedido de desculpas”.

Geeeeeeeeeeeente… Estou com tanta, mas tanta vergonha alheia por conta dessa parte mentecapta da torcida corinthiana que nem cheguei a ter raiva. Apenas dó. Vontade de pegar no colo e abraçar todos esses pequenos bisonhos com a mesma complacência com a qual se trata uma criança que não entendeu ainda que não pode machucar  amiguinhos e amiguinhas só porque eles agem diferentes de nós. Educando, com amor e carinho, quem sabe, um dia vão entender. Leia mais »