Sobre o editorial do O Globo e a tortura

Por Iza de Souza

Comentário ao post " Uma análise do editorial de O Globo"

Quero ver esses cafajestes da Globo, mirar os olhos de minha mãe com 86 anos, e perdirem desculpas pessoalmente pelo que os assassinos e torturadores, apoiados pelos Marinhos, fizeram com meu tio e padrinho?

Nem por todas as desculpas do mundo, nem por todo dinheiro do mundo esse vigaristas podem medir o que minha mãe e família passaram. Envelheceu 10 anos em 2. Quem irá pagar por tanto sofrimento?

Meu tio era um homem simples, trabalhador, que foi torturado e destruído em sua juventude.

Que perdão essa canalha espera?

EU E MINHA FAMÍLIA NUNCA IREMOS PERDOAR ESSES CRIMINOSOS.

NUNCA! Leia mais »

Uma análise do editorial de O Globo

Análise News

Meia Culpa

Kleber Vinicius

Em texto reproduzido na edição de hoje (01/09), O Globo faz reconhecimento de um erro histórico: o apoio ao Golpe de 64. Escrito assim mesmo, adicionado de “militar” entre “golpe” e “64″.

Na internet desde ontem, encontrado no site memoriaoglobo.com.br, o texto (clichê nº 1) vem causando polêmica nas redes sociais. Alguns enaltecem a postura do jornal, outros veem como desfaçatez, engodo. Modestamente, acho que tem um pouco dos dois.

No pequeno texto de introdução, O Globo cita as manifestações de junho e o já célebre grito “A verdade é dura, a Globo apoiou a ditadura.” E pra mim esse já “o” grande reconhecimento. A rua já sabe de tudo, não adianta virar o rosto. Leia mais »

Kátia Abreu recusa convite de ser vice de Serra

Época

Serra convidou Kátia Abreu para sua vice

Felipe Patury

A senadora Kátia Abreu (PSD-TO) sonhou, em 2010, ser vice na chapa presidencial do tucano José Serra. Recebeu o convite três anos depois. Por telefone, Serra convidou-a para o posto. Contou-lhe que tenta arregimentar tempo de TV e gostaria que o PSD endossasse seu nome ao Planalto. Kátia desconversou. Disse que está em campanha para renovar o mandato no Senado e à frente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). Foi só parte da história. Kátia e seu PSD abraçarão a presidente Dilma Rousseff. Leia mais »

'O Globo' faz mea culpa sobre apoio ao golpe de 64

Do Jornal GGN

Por Mário Bentes

Jornal GGN - Quase 50 anos após o golpe de 1º de abril de 1964, quando os militares derrubaram o governo democraticamente eleito de João Goulart e deram início a 21 anos de ditadura, o jornal O Globo reconheceu que dar apoio ao golpe foi um erro. Na apresentação do texto redigido para o site “Memória”, que conta a história da publicação carioca, O Globo admite ser verdade o teor do coro usado como bordão nas manifestações de junho: “A verdade é dura, a Globo apoiou a ditadura”.

O jornal afirma que a decisão de fazer uma “avaliação interna”, contudo, veio antes das manifestações populares. Mas “as ruas”, afirma O Globo, “nos deram ainda mais certeza de que a avaliação que se fazia internamente era correta e que o reconhecimento do erro, necessário”. O matutino carioca diz ainda que “Governos e instituições têm, de alguma forma, que responder ao clamor das ruas” e diz que a publicação do texto com o reconhecimento do erro reafirma “nosso incondicional e perene apego aos valores democráticos”. Leia mais »

Mandela deixa o hospital

Do Jornal GGN

Mandela deixa o hospital após quase 3 meses internado

Depois de passar quase três meses internado em um hospital de Pretória, onde deu entrada no dia 8 de junho, o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela finalmente recebeu alta neste domingo (1). Aos 95 anos, o líder e símbolo máximo contra a segregação racial no país foi tratado de uma infecção pulmonar. As informações estão em comunicado oficial da Presidência da África do Sul.

Apesar de ser liberado, os médicos reconhecem que o estado de Mandela continua crítico e em alguns momentos apresenta quadros de instabilidade. Contudo, a equipe concordou que a terapia intensiva que o ex-presidente ainda precisa vai continuar a ser recebida em sua própria casa, em Houghton, Johanesburgo. Leia mais »

Síria: inspetora da ONU desmente versão norte-americana

Sugestão de Assis Ribeiro

Do Tijolaço

Inspetora da ONU: rebeldes é que usaram armas químicas

Essa notícia deveria estar na primeira página dos jornais, mas o arco midiático em apoio aos lobbies da guerra restringiu severamente sua disseminação. Uma das inspetoras da ONU encarregada de checar o uso de armas químicas na Síria declarou, em maio deste ano, que todos os indícios apontavam para a responsabilidade dos rebeldes. Os rebeldes é que estariam usando armas químicas, e jogando a culpa no governo.

A declaração de Carla Del Ponte circulou em alguns veículos europeus (como a BBC) e em todos os sites árabes, mas foi abafada pela hegemônica mídia pró-americana. Autoridades russas, nervosas com a possibilidade dos EUA iniciarem mais uma guerra insana, voltaram a citar o testemunho de Ponte no intuito de amainar o frenesi guerreiro dos falcões americanos. Leia mais »

EUA e França reafirmam opção por um ataque "restrito"

Sugestão de Assis Ribeiro

Correio Braziliense

Obama sobe o tom e Hollande apoia

Por Gabriela Freire Valente

Estados Unidos e França reafirmam opção por um ataque "limitado e restrito" que envie "mensagem forte" ao regime de Damasco. Relatório de inteligência aponta 1.429 mortos em ataque químico, entre eles 426 crianças

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, planeja uma ação “limitada e restrita” em resposta ao ataque químico do último dia 21 em um subúrbio de Damasco. Embora tenha admitido ontem que não tomou a “decisão final”, Obama reiterou que vê no episódio um “desafio para o mundo” e criticou a “incapacidade” do Conselho de Segurança das Nações Unidas de agir diante de uma “clara violação das normas internacionais”. “Não podemos aceitar um mundo onde mulheres e crianças são vítimas de gás. Se não houver ação militar contra esse ataque, estaremos enviando a mensagem de que as normas de segurança internacionais não têm sentido”, declarou. Minutos antes, o secretário de Estado, John Kerry, tinha apresentado um relatório da inteligência americana (leia o quadro) estimando em 1.429 o total de mortos no ataque — entre eles, 426 seriam crianças — e responsabilizando Al-Assad. Leia mais »

'O Globo' e o apoio ao Golpe de 64: Editorial ou Epitáfio?

Por Diogo Costa

EDITORIAL OU EPITÁFIO? - Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello presidiu durante décadas o grupo Diários Associados. Este grupo foi o maior conglomerado de mídia da América Latina entre o final dos anos 30 e meados dos anos 60. A primeira emissora de televisão do Brasil foi criada por ele (TV Tupi), em 1950. 

Seu poder nas décadas de 40 e 50 foi superior ao poder que Roberto Marinho teve nas décadas de 70, 80 e 90. O Diários Associados era mais forte, na época, do que as Organizações Globo são hoje. Pois bem, o império midiático de Assis Chateaubriand ruiu. O bastão foi passado para Roberto Marinho. 

Ocorre que a concorrência com as teles e com a internet está comendo o poder da Vênus Platinada pelas beiradas, já há um bom tempo. Some-se a isso o fato de que a Globo tem a menor influência política de sua história, no seio do governo federal, desde 2003.  Leia mais »

FHC fala do pacto entre Eduardo Campos e Aécio

Sugestão de Wanderley Kuruzu Rossi Jr.

O Globo

FH aprova pacto entre Eduardo Campos e Aécio e diz que gostaria de conversar com Marina Silva

Ex-presidente culpou ‘força petista’ pela falta de diálogo entre os partidos

SÃO PAULO - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) considerou positivo a formação de pacto político entre os pré-candidatos à Presidência da República, o senador tucano Aécio Neves, e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), visando as eleições de 2014. FH — que participou ontem, em São Paulo, de seminário temático pelos 10 anos do Tucanafro, secretariado da militância negra do PSDB — aproveitou para chamar a também candidata Marina Silva (Rede) para uma conversa. Ele ainda culpou a “força do petismo” pela falta de diálogo entre os partidos.

— Eu não sei realmente o que significa isso, e se é realmente um pacto. Acho que é positivo para o Brasil que eles (Aécio e Campos) conversem. Acho até que é lamentável que o Brasil tenha ficado, por força do petismo, nessa posição de não aceitar conversar com os outros, como se os outros fossem inimigos. Isso é muito antidemocrático. O certo é conversar. Acho muito bom e gostaria muito que a Marina (Silva) também conversasse — disse Cardoso, salientando que a presidente Dilma Rousseff, em vez de brigar, poderia conversar mais com os brasileiros: Leia mais »

Cenário estaria favorável para reeleição de Dilma

Sugestão de Wanderley Kuruzu Rossi Jr.

R7

Fragilidade de rivais e alta na popularidade indicam cenário favorável para reeleição de Dilma

Para cientista política, possíveis adversários ainda não se mostram fortes para 2014

As manifestações realizadas durante o mês de junho em diversas capitais do País fizeram a aprovação da presidente Dilma Rousseff retroceder. Mas uma mudança neste cenário — ela recuperou parte da aprovação, conforme informou pesquisa Ibope/Estado no último dia 23, com a taxa de ótimo/bom do governo subindo de 31% para 38% desde 12 de julho — pode estar sendo sustentada por sinais positivos da economia (crescimento do PIB acima do esperado e reação do real diante do dólar) e pela fragilidade da concorrência já tendo as eleições de 2014 como norte.

Na avaliação da professora Vera Chaia, do departamento de política da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), a leve retomada na popularidade do governo da presidente pode representar um indício de que Dilma começa a dar passos mais firmes para uma possível reeleição. Leia mais »

Formados em Cuba têm melhores notas no Revalida

Estado de S. Paulo

Formados em Cuba lideram no Revalida

Dos 77 aprovados em 2012, 15 vieram da Escola Latino-Americana, cujo currículo é criticado por especialistas; exame é obrigatório no Brasil

Médicos formados em Cuba foram os mais aprovados no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) em 2011 e 2012. Dos 65 que conseguiram revalidar o diploma em 2011, 13 estudaram na Escola Latino-Americana de Cuba (Elam), assim como 15 dos 77 aprovados em 2012. Os dados são do Ministério da Educação (MEC) e foram obtidos via Lei de Acesso à Informação.

A escola oferece curso de Medicina para estudantes de 113 países, incluindo brasileiros saídos de movimentos populares. A instituição, porém, recebe críticas de especialistas e conselhos de Medicina brasileiros, pois seus profissionais têm de fazer um complemento nos estudos para atuar no sistema de saúde cubano. Leia mais »

As acusações furadas contra Dias Tofolli

Autor: 

Os ataques da mídia a Dias Tofolli e Joaquim Barbosa lembram o inquérito da AP 470: argumentos, indícios e supostas provas são encaixadas a martelada nas acusações.

Analiso, primeiro, o caso Dias Tofolli. E, depois, o caso Joaquim Barbosa. Não se surpreendam com a defesa que farei de ambos.

O caso Toffolli

A denúncia do Estadão é que Dias Toffoli favoreceu o Banco Mercantil do Brasil em julgamentos no STF e foi beneficiado por ele com condições especiais de financiamento. Não ocorreu nenhuma coisa, nem outra.

O Estadão descobriu que Tofolli fez um financiamento habitacional por 17 anos junto ao Banco Mercantil.

No ano passado, conseguiu redução de juros de 1,35% ao mês (equivalente a 17,46% ao ano pelo sistema de juros composto) para 1% ao mês (12,68% ao ano). As parcelas representam 92% de sua renda pessoal. Leia mais »

Comissão da verdade para sabermos quem votou pró Donadon

A recente e mal cheirosa absolvição política do deputado-recluso Natan Donadon, onde a decisão condenatória e legal do Poder Judiciário, sobre os crimes de formação de quadrilha e peculato praticados pelo parlamentar em questão, foi desprezada, é o golpe de misericórdia desferido frontalmente na boca do estômago do povo brasileiro. Um golpe baixo, sujo, secreto, imoral, anti-ético, corporativista e conivente com o crime.   O povo deveria, inclusive, sair as ruas, não como os vândalos arruaceiros, mas pacificamente para exigir a constituição de uma Comissão da Verdade para investigar e divulgar, publicamente, a lista (podre) dos deputados que, em mais um balcão de negócios, votaram pela manutenção do cargo de Donadon. Leia mais »