Os prós e contras do MBA

Por Marco Antonio L.

Da Carta Capital

MBA: prós e contras

Os melhores cursos custam 50 mil reais. O futuro indicará se continuarão a ser boa opção para profissionais, escolas e empresas

por Thomaz Wood

A invenção norte-americana é centenária. Após a Segunda Guerra Mundial, cresceu vigorosamente e tornou-se sinônimo de formação de líderes empresariais. Nos anos 1980 e 1990, avançou pelo mundo, no embalo da globalização. Até mesmo a Universidade de Oxford cedeu aos seus encantos. Juntamente com teorias e técnicas, o MBA ajudou a espalhar pelo planeta a crença na mágica do mercado e no poder científico do management.

O modelo chegou com atraso ao Brasil, mas aqui encontrou terreno fértil, multiplicando-se pelo litoral e pelas montanhas. Nos trópicos, popularizaram-se os MBAs especializados nas áreas tradicionais da administração de empresas: finanças, marketing, recursos humanos etc. Multiplicaram-se também os cursos de nicho, voltados para temas e setores específicos, e até para outros campos de conhecimento, como MBA de Economia, Turismo e Direito. A única restrição à criatividade é a capacidade de preencher salas de aula. Leia mais »

O relato de um bolsista do Ciências Sem Fronteiras no Canadá

Por Bolsista indignado

Comentário ao post "CNPq e Capes respondem a críticas ao Ciência sem Fronteiras"

Saudacoes, Luis Nassif.

E por admirar seu trabalho e pela situacao que tenho visto e vivido aqui, no Canada, como bolsista do  programa Ciencias Sem Fronteiras que venho expressar minha indignacao e para isso me darei o direito de nao me identificar por motivos obvios. A situacao dos bolsistas, pelo menos aqui no Canada (e nao falo em nome de todos), nao e das mais confortaveis...

Apliquei para o Canada -CBIE com o objetivo claro de complementar meus estudos numa boa universidade canadense, nao das melhores, mas apenas "boa". Tirei uma boa nota no teste de proficiencia e, supreso, recebi a resposta de uma outra universidade - que sequer nunca tinha ouvido falar numa cidade tao obscura aos atlas que apenas nos modernos programas de busca online pude encontrar. O mais tragico? A Universidade para onde fui realocado sequer tem o curso que faco no Brasil... E ainda tive que assinar um contrato do tipo "e pegar ou largar". Leia mais »

Liminar suspende editais de Cotas Raciais no Minc

Por José Roberto Ferreira Militao, Do Portal Luis Nassif

JUSTIÇA FEDERAL: liminar suspende Editais de COTAS RACIAIS do MinC

SEPPIR pretende reverter suspensão dos editais do MinC feitos para negros

Última Instância

Da Redação e da Agência Brasil

A SEPPIR-PR (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República) divulgou nota nesta terça-feira (21/5) comunicando a decisão do juiz federal José Carlos do Vale Madeira, da 5ª Vara Federal do Maranhão, que determinou a suspensão imediata de todo e qualquer ato de execução de concursos culturais promovidos pelo MinC (Ministério da Cultura) destinados apenas a pessoas negras que trabalhem com linguagens de cinema, de literatura, de pesquisa de bibliotecas, de artes visuais, de circo, de música, de dança e de teatro.

Segundo a nota, a SEPPIR fará todo o esforço, juntamente com a Advocacia Geral da União-AGU e o MinC, para que esta decisão seja revertida; "para fazer valer o direito de artistas negros a recursos públicos que assegurem a expressão da nossa diversidade cultural".

Leia mais »

O exemplo do sistema educacional da Finlândia

Por Gilson AS

Da Revista Educação

As lições da Finlândia para o Brasil

Respeitadas e compreendidas todas as diferenças entre os dois países, o Brasil pode tomar a Finlândia como um bom exemplo de sistema educacional.

Daniel Cara

Enquanto a Campanha Nacional pelo Direito à Educação realiza, em parceria com a Faculdade de Educação da USP (Universidade de São Paulo) o importante seminário "Nem herói, nem culpado. Professor tem que ser valorizado", a diretora do Ministério da Educação da Finlândia, Jaana Palojärvi, visita o Brasil. Como não poderia ser diferente, a presença da gestora finlandesa por aqui tem causado certo frisson. Seu país, no curso dos últimos anos, tem sido a principal referência no PISA (Programme for International Student Assessment ou Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). E, diante disso, ninguém resiste à pergunta: qual é o segredo da Finlândia? Leia mais »

Mais de 5 milhões de estudantes já se inscreveram no Enem

Da Agência Brasil

Enem já registra mais de 5 milhões de inscritos; prazo termina segunda-feira

24/05/2013 - 19h39

Mariana Tokarnia
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Termina na próxima segunda-feira (27), às 23h59, o prazo de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano. Segundo o Ministério da Educação (MEC), até as 18h18 de hoje (24), 5.199.918 estudantes fizeram o cadastramento. O número se aproxima do total de inscritos no ano passado, 5,8 milhões. A expectativa é ultrapassar a estimativa inicial de 6 milhões. O prazo de inscrição não será prorrogado.

De acordo com o balanço divulgado pelo MEC, São Paulo registra o maior número de inscrições por estado, 809.608, seguido de Minas Gerais, com 564.401 inscritos. O Ceará vem em terceiro, com 393.454, depois vem o Rio de Janeiro, com 379.318 candidatos.

Leia mais »

A falta de eficácia dos métodos de estudos para provas

Por Marco Antonio L.

Da BBC Brasil

Maioria dos métodos de estudar para provas não funciona, diz estudo

Pesquisadores avaliaram estudos sobre as dez técnicas mais populares de revisão para provas

Os métodos favoritos de se preparar para provas escolares não são os que garantem os melhores resultados para os estudantes, segundo uma pesquisa feita por um grupo de psicólogos americanos. Universidades e escolas sugerem aos estudantes uma grande variedade de formas de ajudá-los a lembrar o conteúdo dos cursos e garantir boas notas nos exames.

Entre elas estão tabelas de revisão, canetas marcadoras, releitura de anotações ou resumos, além do uso de truques mnemônicos ou testar a si mesmo.

Mas segundo o professor John Dunlosky, da Kent State University, em Ohio, nos Estados Unidos, os professores não sabem o suficiente sobre como a memória funciona e quais as técnicas são mais efetivas. Leia mais »

Comissão do Senado analisa Plano Nacional de Educação

Por alfeu

Da Agência Senado

Plano Nacional de Educação destina 10% do PIB para políticas de ensino

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) volta a analisar hoje o Plano Nacional de Educação (PNE). A votação estava marcada para o último dia 14, mas foi adiada após senadores pedirem mais tempo para avaliar a proposta.

Previsto no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 103/2012, o PNE destina ao menos 10% do produto interno bruto (PIB) para políticas educacionais e estabelece obrigações para os próximos dez anos.

Entre as 20 metas estabelecidas, estão: alfabetizar todas as crianças até os 8 anos de idade, erradicar o analfabetismo, reduzir o analfabetismo funcional, oferecer educação em tempo integral em 50% das escolas públicas de ensino básico e aumentar o número de professores da educação básica com pós-graduação. Leia mais »

Inscrições no Enem podem ultrapassar estimativa do MEC

Por Marco Antonio L.

Da Agência Brasil

Inscrições no Enem podem ultrapassar os 6 milhões estimados pelo MEC

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A uma semana do encerramento das inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o volume de inscritos supera o esperado e pode ultrapassar a estimativa inicial do Ministério da Educação (MEC) de 6 milhões de inscrições.

O exame já contabiliza 3,7 milhões de inscritos, volume 27% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. As informações são do presidente do Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa Anísio Teixeira (Inep), Luiz Cláudio Costa. Leia mais »

A educação financeira dentro das escolas

Por Demarchi

Da Agência Brasil

Educação financeira nas escolas deve levar em conta universo infantil

Yara Aquino

Analisar as contas de energia de casa e elaborar um plano de redução de consumo e gastos para discutir com os pais são um exemplo de atividade proposta em livros deeducação financeira usado nas escolas. A disciplina não faz parte do currículo oficial das instituições de ensino, mas vem ganhando espaço na rede privada de educação. A intenção é que os pequenos se tornem adultos que saibam lidar com o dinheiro, planejar os gastos dentro do orçamento disponível, ficar longe de dívidas e ter reservas financeiras.

- O estímulo não é para que as crianças queiram ser ricas, mas para que elas saibam lidar com o dinheiro no seu dia a dia. Isso fará com que elas tenham menos problemas financeiros, logo terão menos estresse e assim terão mais qualidade de vida – explica o autor de livros de educação infantil para o ensino médio e especialista no tema, Álvaro Morelli. Leia mais »

E se a filosofia se tornasse matéria obrigatória?

Por zegomes

QUE TAL APOIAR ESSA CAMPANHA? 

A filosofia no ensino fundamental, médio e superior

A filosofia no ENEM, no vestibular e na prova de redação

Imaginem o seguinte:

O Ministério da Educação faz uma pequena reforma curricular no ensino fundamental, médio e superior introduzindo a disciplina Filosofia como uma das prioridades, pelo menos a partir da 6ª série (A LDB –Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Lei 9394/96 foi modificada em 02/06/2008 em seu artigo 36, pela Lei 11.684/2008  para incluir a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos de ensino médio).

Um conselho de filósofos e educadores escolhe os livros de filosofia que os alunos estudarão. Por exemplo: a 6ª série estudará Xenofonte Memorabilia/Recordações de Sócrates, o 1º ano do ensino médio estudará Kant/Fundamentos para uma Metafísica dos Costumes, etc.

O governo mandará imprimir os livros a serem distribuídos nas escolas de todo o Brasil, como já faz com outros livros didáticos.

Leia mais »

O descompasso entre o ensino e a realidade dos jovens

Por Assis Ribeiro

Da Agência Brasil

Unicef aponta descompasso entre ensino e realidade de adolescentes no Brasil

Mariana Tokarnia*
Enviada Especial da Agência Brasil/EBC

A coordenadora do Programa de Educação do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) no Brasil, Maria de Salete Silva, avalia que há, no país, um descompasso entre o que é ensinado nas escolas e a realidade dos adolescentes. Para ela, isso explica o elevado índice de evasão escolar entre jovens.

“Por que você mata aula?”, perguntou a coordenadora a um adolescente que não queria frequentar a escola. O jovem respondeu: “Eu não mato aula, a escola que me mata”. “Que menino de 16 anos vai querer estudar em uma turma com menino de 12? O que temos que fazer é garantir que ele percorra esse fluxo aprendendo”, defendeu Salete. Leia mais »

NAVIO-HOSPITAL ABARE: UMA NOVELA AINDA SEM FIM NA AMAZÔNIA

Descontinuidades na sucessão municipal põe na UTI iniciativa premiada que inspirou politica nacional para saúde dos ribeirinhos na Amazonia

O Projeto Saúde e Alegria (PSA), ONG sediada em Santarém (PA), sempre procurou somar esforços as políticas públicas para assegurar o direito à saúde e reduzir os níveis de exclusão das populações ribeirinhas de áreas remotas da Amazônia.

Na busca pela construção de um modelo de atenção básica resoluto e adaptado, um passo foi dado, em 2006, com a implantação do navio-hospital Abaré, que viabilizou o acesso regular a serviços assistenciais para 15 mil ribeirinhos de mais de 70 comunidades das duas margens do Tapajós, nas zonas rurais dos municípios de Santarém, Belterra e Aveiro. Leia mais »

Fusão entre Kroton e Anhanguera pode acentuar oligopolização

Por JC

Do Brasil de Fato

'Existe uma contradição intransponível entre o lucro e a qualidade'

Patrícia Benvenuti

Em entrevista, professor da Faculdade de Educação da USP, Romualdo Portela de Oliveira, analisa a possível fusão entre os grupos Kroton e Anhanguera

O anúncio da fusão entre os grupos educacionais Kroton e Anhanguera, anunciada em abril, esquentou o debate sobre o avanço do capital estrangeiro sobre a educação brasileira.

A operação, que aguarda aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), poderá resultar na maior empresa de educação do mundo, com um milhão de alunos e um valor de mercado estimado em R$ 12 bilhões.

Festejada no mundo dos negócios, a fusão é alvo de críticas de entidades sindicais, estudantis e especialistas em educação. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee) já anunciou que acionará o Cade ringressará no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma ação direta de inconstitucionalidade para impedir a concretização da operação. Leia mais »

Forbes destaca importância das universidades brasileiras

Por Marco Antonio L.

Do Terra

Artigo da 'Forbes' destaca importância das universidades no Brasil

Para revista, líderes globais com interesse no Brasil precisam conhecer o ensino superior do País

Um artigo publicado no site da revista Forbes nesta sexta-feira afirma que as universidades brasileiras desempenham um papel importante no momento positivo do País e serão ainda mais importantes no futuro. "(O Brasil) vai fazer inúmeras contribuições e muitas virão de, e quase todas estarão conectadas, a um setor que atrai pouca atenção da grande mídia - a academia", diz o texto, assinado pelo jornalista Ricardo Geromel e pelo empresário americano Luke Barbara, baseado em São Paulo.

Segundo a revista, a atenção no Brasil está focada no crescimento econômico e nas políticas de relações exteriores, em empresas como Embraer e Petrobras e em eventos globais como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. "Muitas pessoas fora dos círculos acadêmicos não ouviram falar das universidades do Brasil e de seu importante papel no sucesso do País através da educação, liderança e inovação tecnológica." Leia mais »

Energia do jovem deve ser canalizada de forma criativa

Por claudio mesquita

Comentário ao post "Alunos são os principais autores da violência em escolas"

Se a gente anda pelas periferias dá para reparar o pouco caso com que são tratados o bairros, principalmente os mais pobres. Não se vê uma quadra de esportes, uma praça, nenhum centro comunitário. É tão barato construir uma quadra de esportes.

Jovem tem muita energia, necessidade de afirmação perante o mundo. Se essa energia não é canalizada de forma criativa pode se transformar em violência. Você passa às vezes por uma escola na hora do recreio e vê mais de uma centena de meninos e meninas em pé num pátio minúsculo sem ter o que fazer, às vezes tem que sentar no chão. Isso é um caldeirão onde brigas e desavenças acontecem num piscar.

Acho muito difícil uma criança conseguir se concentrar numa sala de aula, com aquelas matérias chatas que não fazem o menor sentido, com tanta energia fervilhando por dentro, ou no popular, com o fogo no rabo. Sem contar que muitos vem de famílias desestruturadas pela pobreza e ignorância. Leia mais »