Os despejos ilegais em razão das Olimpíadas no Rio

Por alfeu

Da Agência Nacional das Favelas

Em nome do futuro, Rio está destruindo o passado

POR THERESA WILLIAMSON e MAURÍCIO HORA*, no New York Times

Os Jogos Olímpicos de Londres terminaram no domingo, mas no Rio de Janeiro a batalha pelos próximos Jogos acaba de começar; as manifestações contra despejos ilegais de alguns dos moradores mais pobres da cidade estão se espalhando. De fato, as Olimpíadas do Rio parecem dispostas a aumentar a desigualdade em uma cidade já conhecida por essa característica.

Em julho, a UNESCO atribuiu a uma parte substancial da cidade do Rio de Janeiro o status de Patrimônio Mundial da Humanidade. É uma área que inclui algumas de suas favelas e morros em que vivem mais de 1,4 milhão dos seus seis milhões de habitantes. Nenhuma favela pode reivindicar maior importância histórica do que a primeira a surgir no Rio, a do Morro da Providência. No entanto, os projetos de construção olímpica estão ameaçando precisamente o futuro dessa área. Leia mais »

A organização dos moradores do morro Santa Marta

Por alfeu

Do blog O Cotidiano

Sobre processo de remoção no Santa Marta: moradores do pico se organizam para resistir

Foto: Tandy Firmino via Vírus Planetário

Texto de Itamar Silva

No dia 25 de julho último, moradores que vivem na parte mais alta da favela de Santa Marta, conhecida por Pico do Morro, se reuniram para ouvir a apresentação do contra-laudo, produzido pelo engenheiro Maurício Campos dos Santos, sobre as condições físicas/geológicas do local onde vivem. Leia mais »

O incêndio na favela da Vila Humaitá

Do Estadão

Incêndio destrói ao menos 100 moradias em favela na zona oeste de São Paulo

Segundo a Defesa Civil, aproximadamente 400 pessoas foram atingidas pelo incêndio e as famílias recebem assistência

Ricardo Valota

São Paulo, 27 - Pelo menos 100 moradias das 320 que existem na Favela da Vila Humaitá, na zona oeste de São Paulo, foram destruídas por um incêndio no começo da manhã desta sexta-feira. Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo teve início às 4h na comunidade próxima da Avenida Engenheiro Roberto Zuccolo, na região da Vila Leopoldina, perto do Cebolão, no encontro entre as marginais Pinheiros e Tietê. Leia mais »

O estudo sobre políticas habitacionais

Por alfeu

Da Agência Fapesp

Estudo mapeia capacitação dos municípios para implantar políticas habitacionais

Por Fábio de Castro

Agência FAPESP – Um estudo realizado pelo Centro de Estudos da Metrópole (CEM) em parceria com o Ministério das Cidades mapeou a evolução, ao longo da década de 2000, dos instrumentos de gestão de políticas públicas de habitação presentes nos municípios brasileiros.

Os resultados do trabalho foram sintetizados no livroCapacidades Administrativas dos Municípios Brasileiros para a Política Habitacional, lançado nesta quinta-feira (19/7) durante um seminário sobre o tema, em São Paulo. A partir do dia 23 de julho, a obra estará disponibilizada gratuitamente no site do CEM – um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP. Leia mais »

As ocupações urbanas em Timóteo, Minas Gerais

Por Marco Antonio L.

No Blog do Saraiva

Nota à imprensa e à sociedade 

Outro Pinheirinho?

Iminência de despejo forçado em 5 ocupações em Timóteo, no Vale do Aço, MG.

Fomos informados durante a madrugada de hoje, quinta-feira, dia 19/07/2012, que a Polícia Militar de MG cercou todas as 5 ocupações urbanas, em Timóteo, MG. São cerca de 600 famílias sem-terra e sem-casa, que ocuparam terrenos abandonados da Prefeitura, porque não suportam mais pagar aluguel e nem sobreviver na humilhação de favor. Leia mais »

Kassab, o "sopaço" e Dimenstein

Por Marco Antonio L.

A solução é negar um prato de comida?

Por Rodrigo Martins, na Carta Capital

“Cuidado com a crítica fácil, potencializada num ano eleitoral”. O alerta de Gilberto Dimenstein, ongueiro profissional e colunista da Folha de S.Paulo, tinha alvo certo: os cidadãos que articulam pela internet um “sopaço” contra o prefeito paulistano, Gilberto Kassab, e o nebuloso projeto de proibir a distribuição de comida a quem dorme debaixo das marquises da capital.

“Está parecendo, pelas manifestações, que Kassab quer que os moradores de rua passem fome. Não é o caso. Ele só está tentando estimular que as pessoas fiquem mais tempo nos abrigos, onde há vagas ociosas”, escreveu na quinta-feira 26. “Essa campanha está cheirando a uma mistura de eleição com falta de informação.”

Leia mais »

CDHU - "A culpa é das crianças"

Nassif, olhe essa desfaçatez!Inacreditável! http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/06/17/presidente-da-cdhu-culpa-criancas-e-ladroes-por-problemas-em-predios-e-diz-que-falhas-sao-pontuais.htm 17/06/201206h00Presidente da CDHU culpa crianças e ladrões por problemas em prédios e diz que falhas são pontuais1

Guilherme Balza
Do UOL, em São Paulo Leia mais »

Os conjuntos habitacionais do IAPC e BNH

Por alfredo machado

Comentário ao post O desinvestimento habitacional em São Paulo

evandro,

Obrigado pelo retorno.

Conheço bem o lugar em que você cresceu.

Os conjuntos do IAPC não são tão diferentes dos construídos pelo BNH um pouco depois, na década de 70.

Discordo veementemente rsrs quando você os classifica como abandonados. Foram todos muito bem construídos, o de Realengo com mais de 92 prédios, o de Padre Miguel com 180 prédios, o de Fazenda Botafogo com 120 prédios, todos eles de 5 pavimentos e 20 apartamentos, em geral com 45 m² cada. Você nem ninguém ouviu falar de problemas construtivos em nenhum deles, e em nenhum destes a população está entregue às baratas. No de Cidade de Deus, em menor quantidade (prédios), é a mesma coisa. Leia mais »

Bolha imobiliária ameaça China

Por alfredo machado

Comentário do post "O processo de urbanização na China"

Caro Marcos Costa,

De acordo com as informações do jornal Beijing News, a cidade de Pequim tinha, agora em maio, 3,8 milhões de imóveis vazios, enquanto nos USA são 2,5 milhões de imóveis vagos no total.

São diversas cidades-fantasma, e o governo chinês continua a construir umas dez delas anualmente, sem a preocupação de trazer vida a elas.

Em março de 2011, o preço médio de um apartamento estava na faixa dos U$ 80 mil, enquanto o trabalhador médio chinês faz U$6 mil anualmente.

Leia mais »

O processo de urbanização na China

Por Marcos Costa

A urbanização da China

Do blog Marcos O. Costa*

Um dos mais importantes fenômenos da contemporaneidade é o processo de urbanização que se desenvolve na China. São dezenas de cidades com mais de 10 milhões de habitantes que surgem de maneira quase que instantânea. É a conclusão da urbanização pós-industrial que se iniciou no final do século XVIII na Inglaterra e que teve em Londres a sua primeira metrópole. A população da Inglaterra no início da Revolução Industrial não chegava ao 10 milhões de habitantes. A escala e a velocidade da urbanização contemporânea são incomparáveis. Segundo dados oficiais da ONU foram mais de 500 milhões de chineses que deixaram suas áreas rurais em direção às cidades nos últimos 30 anos. Na próxima década mais 100 milhões de pessoas farão o mesmo, população equivalente à de todas as regiões metropolitanas brasileiras.

Leia mais »

Rio de Janeiro: cai em 26% área verde por habitante

Por zanuja castelo branco

Área verde por habitante cai 26% no Rio com avanço de favelas e especulação imobiliária

Por Vladimir Platonow, da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O Rio é uma das poucas cidades no mundo que pode se orgulhar de ter uma grande floresta em sua área urbana. Mas ela pode estar com os dias contados. O avanço das favelas e da especulação imobiliária está aos poucos mudando a imagem da cobertura vegetal da cidade que tem na Floresta da Tijuca o seu símbolo maior. Nos últimos 30 anos a cidade perdeu pelo menos 6,7 mil hectares de cobertura vegetal. De 39.802 hectares, em 1984, restavam 33.008 hectares em 2001, último dado disponível, o que representou uma perda de 17% de área verde.

Leia mais »

Relatora da ONU defende confisco de terras com escravos

Por zanuja castelo branco

Relatora da ONU defende confisco de terras flagradas com escravos no Brasil


Do Blog do Sakamoto


A Relatora Especial das Nações Unidas sobre Formas Contemporâneas de Escravidão, a armênia Gulnara Shahinian, divulgou nota nesta sexta (4) a favor da Proposta de Emenda Constitucional 438/2001 que está tramitando no Congresso Nacional. A chamada “PEC do Trabalho Escravo” prevê o confisco de propriedades em que esse crime for encontrado, destinando-as à reforma agrária e ao uso social urbano.


A matéria deve ser colocada em votação na próxima terça (8), de acordo com o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia – cinco dias antes do 124o aniversário da Lei Áurea. Gulnara defendeu a aprovação da medida na Câmara dos Deputados, afirmou que o texto é o “mais poderoso instrumento legal de combate à escravidão da história do Brasil”, lembrou da visita que fez ao país em maio de 2010 e defendeu que não existe prosperidade em países em que há escravidão. Ressaltou que o processo está sendo acompanhado “em todo o mundo”. Abaixo a íntegra da mensagem da relatora encaminhada à Repórter Brasil:


Leia mais »

O novo empreendedorismo em Brasília

Por Marcia

Brasilienses e novos candangos constroem a capital do presente com o trabalho


Do Correio Braziliense


Novas carreiras em ascensão, aumento da contratação em áreas específicas e cenário favorável para o empreendedorismo ajudam a contar histórias de quem faz a vida em Brasília


Há 52 anos, os pioneiros da nova capital vinham tornar Brasília realidade por meio do trabalho. Na época, os operários que chegavam para atuar em canteiros de obras construíam aos poucos a capital do país. Desde então, novos candangos vêm de várias partes do Brasil para enriquecer o mercado de trabalho ao lado daqueles que já nasceram na cidade planejada. Seja na iniciativa privada ou no empreendedorismo, profissionais colocam a capital cada vez mais em destaque no país.


Leia mais »

Os espigões do parque do Ibirapuera

Por eduardo paiva

Comentário ao post "Os experimentos com energia azul"

Nassif, quero aproveitar este post "ecológico" para pedir a todos que se informem e repassem a informação: o Compresp (órgão municipal que "cuida" do tombamento do patrimônio histórico cultural e ambiental da cidade de São Paulo) estuda LIBERAR A CONSTRUÇÃO DE ESPIGÕES DE 50 ANDARES NO ENTORNO DO PARQUE DO IBIRAPUERA ! É óbvio que o trânsito já caótico da região não suporta mais esse golpe.Abraços.