Programa Mais Médicos dará prioridade a regiões carentes

Por Marcia

Do Tribuna da Bahia

Programa Mais Médicos dará prioridade a 264 municípios do estado da Bahia

O programa Mais Médicos lançado pelo Governo Federal nesta semana ampliará a presença destes profissionais nas regiões carentes do país, como os municípios do interior e periferias das grandes cidades. Instituída por medida provisória pela Presidente da República, Dilma Rousseff, a iniciativa ofertará bolsa de R$ 10 mil, paga pelo Ministério da Saúde, aos médicos que atuarão na atenção básica da rede pública de saúde. Terão prioridade na alocação desses profissionais 1.557 municípios de maior vulnerabilidade social, sendo 1.042 no Nordeste e 264 na Bahia.

“A questão fundamental é: faltam médicos no Brasil e essas medidas visam solucionar essa carência, principalmente na atenção básica. Precisamos mudar a mentalidade de que o sistema de saúde está centrado apenas nos hospitais, por isso estamos fazendo esse esforço de levar médicos para mais perto da população”, disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Leia mais »

Padilha fala sobre a questão dos médicos estrangeiros

Por Spin in Progress1

Da Revista Fórum

“Nos EUA, 25% dos médicos são estrangeiros”

Em entrevista exclusiva, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, fala sobre a polêmica da contratação de médicos estrangeiros no Brasil

Por Renato Rovai

Esta entrevista faz parte da edição 124 de Fórum, a partir do dia 15 de julho, em bancas

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, viveu seu inferno astral nos últimos dias, por ter apresentado uma proposta de convênio com outros países para atrair médicos que queiram trabalhem em regiões distantes das áreas centrais e nas periferias dos grandes centros urbanos brasileiros. Nesses locais, prefeitos não conseguem contratar profissionais, mesmo oferecendo salários às vezes mais altos que a média.

A campanha contra essa iniciativa se tornou política. Entidades profissionais e a mídia tradicional apelidaram o projeto de “médicos cubanos”. E o desqualificaram, sem discuti-lo na essência. Nesta entrevista, concedida com exclusividade para a Fórum, Padilha explica o projeto e os motivos que o levaram a colocar essa pauta na mesa em caráter de emergência. Leia mais »

Metade da comida produzida no mundo é desperdiçada

Por Marco Antonio L.

Da BBC Brasil

Metade da comida do mundo vai parar no lixo, diz relatório

Promoções nos supermercados e preferências dos consumidores agravaram o problema

Um relatório de uma organização britânica indica que até metade de toda a comida produzida a cada ano no mundo, ou cerca de dois bilhões de toneladas, vai parar no lixo.

O documento, intitulado Global Food; Waste not, Want not ("Alimentos Globais; Não Desperdice, Não Sinta Falta", em tradução livre), diz que o desperdício está ocorrendo devido a uma série de motivos, entre eles as condições inadequadas de armazenamento e a adoção de prazos de validade demasiadamente rigorosos.

Outro problema é a preferência dos consumidores por alimentos com um formato ou cor específicos. O estudo diz que até 30% das frutas, verduras e legumes plantados na Grã-Bretanha sequer são colhidos por causa de sua aparência.

O desperdício de alimentos também implica em desperdício de recursos usados para a produção deles, como água, áreas para agricultura e energia, alertou o relatório publicado pela Institution of Mechanical Engineers, uma organização que representa engenheiros mecânicos e reúne cem mil membros no Reino Unido. Leia mais »

Apreensões de cocaína dão prejuízo de R$ 50 mi para o PCC

Por André Paulistano

Do iG

Polícia Federal ataca finanças do PCC

Por Vasconcelo Quadros

Apreensões de toneladas de cocaína criaram prejuízos de R$ 50 milhões para a facção criminosa em seis meses

A Polícia Federal descobriu que o Primeiro Comando da Capital (PCC), a organização que controla os presídios, vem erguendo um verdadeiro império financeiro através do tráfico de cocaína em São Paulo. O maior sintoma desse poderio pode ser medido pela estatística: em seis meses de investigação, entre janeiro e junho deste ano, foram apreendidas sete toneladas e meia de cocaína no estado cujo valor de atacado no mercado das drogas - onde o preço médio é de R$ 10 mil o quilo - chega a R$ 75 milhões.

Como parte da droga apreendida é a pasta base da cocaína, comercializada a um valor menor que o do cloridrato, quando ela está pronta para o consumo, o rombo nas finanças da organização só na perda do “produto” que alimenta a organização é estimado em cerca de R$ 50 milhões. Leia mais »

Câmara retira da pauta votação da PL da terceirização

Por antonio francisco

Da Contraf-CUT

Vitória da mobilização. CCJ retira da pauta votação da PL da terceirização

Com o auditório tomado pelos trabalhadores, e presença maciça dos bancários, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados retirou de pauta na manhã desta quarta-feira 10 o substitutivo do deputado Artur Maia (PMDB-BA) ao projeto de lei do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), que, se aprovado, libera por completo a terceirização e precariza o emprego e os direitos dos trabalhadores no Brasil. 

"Foi uma importante vitória dos trabalhadores, graças à mobilização. Quero agradecer especialmente aos bancários, às federações e sindicatos, que souberam dar mais uma grande demonstração de unidade e de mobilização na defesa dos interesses da classe trabalhadora", comemora Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT. Leia mais »

Rodas propões eleições diretas na USP

Por Gilberto .

Do G1

Reitor da USP propõe eleições diretas  para diretorias e a Reitoria 

João Grandino Rodas anunciou proposta que pode ser votada em outubro. Reitoria criou site para debater publicamente a democracia na universidade.

O reitor da Universidade de São Paulo (USP), professor João Grandino Rodas, anunciou nesta semana que vai propor a instituição de eleições diretas para diversos cargos na instituição, incluindo o de reitor. Em comunicado veiculado para todas as unidades da USP, e publicado nesta quarta-feira (10) no site oficial da universidade, Rodas afirma que "é indispensável agregar mais e mais pessoas no aprimoramento e na condução dos destinos da Universidade".

Para iniciar a discussão pública sobre democracia na USP, a Reitoria criou um site para reunir documentos de reuniões internas dos departamentos e conselhos da universidade: http://democracia.usp.br/.

De acordo com o informe, as unidades e órgãos da USP terão até o dia 20 de setembro para encaminhar suas posições e comentários a respeito da proposta à Secretaria Geral da Universidade receberá. A sessão do Conselho Universitário, órgão máximo de decisão colegiada da universidade, que debaterá o tema está marcada para 1º de outubro. Leia mais »

Contratações de médicos estrangeiros serão individuais

Por Marco Antonio L.

Do Opera Mundi

Sistema de contratação de médicos estrangeiros será individual, diz Ministério da Saúde

Medida poderá inviabilizar chegada de médicos cubanos; brasileiros terão prioridade    

O Ministério da Saúde do Brasil afirmou nesta segunda-feira (08/07), por meio de sua assessoria, que a Medida Provisória do programa Mais Médicos, que entre outras regulações prevê um sistema de contratações de profissionais da saúde estrangeiros, apresentado nesta segunda-feira (08/07) pela presidente Dilma Rousseff, contempla apenas inscrições individuais, ou seja, contratos do Governo Federal feitos diretamente com o profissional interessado.

Com essa medida, a vinda de médicos cubanos, que inicialmente estava programada para 6 mil profissionais, e continua sendo intermediada pelo Ministério de Relações Exteriores, pode ficar comprometida, já que o país caribenho exporta seus profissionais através de um sistema de convênio coletivo. Procurada pela reportagem de Opera Mundi, a embaixada de Cuba em Brasília não respondeu se o país aceitará, nesse caso, contratações individuais – apenas o embaixador, em viagem, está autorizado a falar sobre o tema. Leia mais »

Crise dos médicos: a forma que compromete o conteúdo

Autor: 

Algumas observações sobre a nova crise do governo com os médicos.

Há uma discussão de fundo, envolvendo as maiores lideranças médicas, sobre o modelo de formação médica no Brasil. Por um conjunto de fatores, que vão da tabela do SUS (remunerando melhor as especializações) aos modelos de planos de saúde, privilegiou-se a medicina de alta tecnologia e a figura do especialista – em detrimento do clínico geral e do médico de família.

A ideia de que é ineficiente um médico em local sem equipamento não é endossada, por exemplo, pela maior liderança médica do país, ex-Ministro Adib Jatene. E atropela tudo o que se tem, até agora, de resultados concretos dos Programas de Saúde da Família. A presença do médico é essencial, com ou sem equipamentos modernos.

Do mesmo modo, a proposta de estágio médico no SUS é ideia polêmica, mas que tem respaldo em inúmeros setores.

O grande problema do governo não é abraçar teses polêmicas, é a prática de empurrar medidas goela abaixo dos setores, sem chama-los para discutir, sem ouvi-los, sem atender aos pleitos que não comprometam as teses centrais. Leia mais »

O extremismo dos doutores, por Paulo Moreira Leite

Por Marco Antonio L.

Da Istoé

O extremismo dos doutores

O mais equipado posto de saúde é apenas um hotel de luxo sem a presença de um médico. Uma simples garagem pode ser um consultório razoável se contar com um médico para atender quem precisa de seus serviços.

Paulo Moreira Leite

No início deste ano, centenas de prefeitos – quase a metade dos municípios do país – tiveram um encontro em Brasília com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O boletim da Frente Nacional dos Prefeitos resumiu o espírito do encontro na manchete da edição de maio:

“Prefeitos cobram do ministro da Saúde ações para a contratação de médicos estrangeiros”

Não é só. Um abaixo assinado de apoio à contratação de médicos recebeu o autógrafo de 2.500 prefeitos, que governam quase a metade das cidades brasileiras – e só não evoluiu para um número maior porque a Frente concluiu que já havia atingido um número suficiente para uma demonstração de força.

Não é surpresa, assim, que a cerimônia de lançamento do programa Mais Médicos, ocorrida no Palácio do Planalto, ontem, já tenha entrado para a história do governo Dilma Rousseff como um episódio relevante de seu mandato. O Palácio do Planalto estava cheio e em boa temperatura. Os aplausos que acompanharam diversos discursos não eram 100% ensaiados nem pura bajulação, como sempre ocorre nessas horas. Refletiam uma preocupação dos prefeitos do país, responsáveis -- na ponta -- pelo funcionamento de um sistema de saúde pública conhecido por ótimas intenções mas resultados nada empolgantes. Para quem ainda não entendeu como a política funciona na vida real, ali estava a demonstração dos vasos comunicantes entre as várias esferas da administração pública, indispensáveis para que um projeto de interesse universal e alcance amplo possa dar certo. Quem rastrear a história do Bolsa Família irá descobrir que este imenso programa de distribuição de renda só deixou o plano das utopias e entrou na vida real de 12 milhões de famílias depois que foi assumido pelas prefeituras. Leia mais »

Os cegos portugueses atendidos em Cuba

Por macedo

Do blog Solidários

Os cegos portugueses e os médicos cubanos

Trata-se de uma reportagem e um programa da TV portuguesa TVI, acerca da ida de 150 portugueses pobres cegos ou parcialmente cegos para Cuba.

São histórias emocionantes de pessoas simples, que embora vivam num país mais rico e europeu, foram encontrar na pobre Cuba algo tão essencial quanto a visão.

Diversos temas são abordados, destacamos a competência dos médicos cubanos; a razão de Portugal capitalista - com condições técnicas para as mesmas cirurgias - não o fazer; a relação humana estabelecida entre os médicos cubanos e seus pacientes, entre outros. Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo

Brasil, um país injusto – bem-vinda classe-média.

Desde o início dos governos Lula, há dez anos, ouve-se que a classe média não foi beneficiada. Os pobres e os ricos sim, mas não a classe-média.

Já disse aqui que quem viveu um país paralisado como nos anos FHC sabe o quanto os governos Lula e Dilma beneficiaram a classe-média. Mas como foram benefícios indiretos, é facil não percebê-los. 

A partir de um determinado momento das manifestações de junho e agora, a respeito da obrigatoriedade de médico recém-formado prestar 2 anos de serviço público remunerado, a grita recrudesceu. Leia mais »

Snowden aceita oferta de asilo apresentada pela Venezuela

Autor: 

O ex-analista americano da inteligência Edward Snowden, que está há duas semanas bloqueado na zona de trânsito de um aeroporto de Moscou, aceitou a oferta de asilo político apresentada pelo governo da Venezuela, afirmou nesta terça-feira um influente legislador russo.

"Como era esperado, Snowden aceitou a oferta do presidente (venezuelano Nicolás) Maduro sobre asilo político", afirmou na rede Twitter o legislador Alexei Pushkov, presidente do comitê de Relações Exteriores na câmara baixa do Parlamento russo. "Aparentemente, esta opção pareceu ser a mais confiável para Snowden", acrescentou.

A mensagem de Pushkov sobre o eventual asilo de Snowden na Venezuela, no entanto, foi posteriormente retirada do Twitter.

O governo da Venezuela havia oferecido na semana passada asilo para Snowden, em um gesto que foi seguido pelas autoridades de Bolívia e Nicarágua.

Snowden, que está no centro de um escândalo internacional ao revelar a extensão da espionagem eletrônica e telefônica americana, havia enviado cartas pedindo asilo a cerca de vinte países, incluindo Venezuela.
Leia mais »

ONGs internacionais aumentam arrecadação no Brasil

Por Marco Antonio L.

Da BBC Brasil

ONGs internacionais ampliam arrecadação no Brasil e miram classe C

Rafael Gomez

Impulsionadas pelo aumento da renda média da população brasileira e pela crise econômica nos Estados Unidos e na Europa, algumas das ONGs de maior projeção internacional ampliaram significativamente nos últimos cinco anos suas receitas e captações de recursos no Brasil.

Segundo um levantamento feito pela BBC Brasil, seis importantes ONGs internacionais instaladas no país – WWF, ActionAid, Fundação Abrinq - Save the Children, Conservação Internacional, Médicos sem Fronteiras e Greenpeace –, além do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), aumentaram a receita total e a captação de doações em dinheiro de pessoas físicas desde 2008.

O aumento médio real (descontada a inflação) das receitas das sete organizações ficou em 28,8% no período até 2012. Em termos de captação de dinheiro de pessoas físicas, a média de aumento foi de 424,64% entre 2008 e 2012, uma cifra influenciada especialmente por grandes aumentos reais da Conservação Internacional (1.223,69% nos últimos cinco anos) e da ActionAid (1.419,16%). Leia mais »

A trajetória do primeiro anistiando indígena

Por humberto

A maior razão de ter voltado do exílio no final de 2010 era pleitear ao Estado Brasileira minha Anistia, estimulado, principalmente, por pessoas que achavam que tinha chegado a hora, com a eleição da Dilma, de incluir na pauta da tal "justiça de transição", a delicada questão dos Indios e a Ditadura.

Uma ferida, concretada e condenada a ficar no frio tumulo do silencio e do esquecimento, que resolvi desenterrar em 2009, com depoimentos testemunhais do que vivi em aldeias indigenas na Amazonia no inicio dos anos 70 e no Nordeste no inicio de 80 (que o Nassif transformou em posts na chamada coluna Historias da Ditadura).

Com a reação raivosa e até ameaçadora da maioria dos leitores (uns de bota e farda verde) sabia que iniciava uma nova frente de luta contra uma certa resistencia, sob o manto da democracia, instalada não só nos altos escalões do Governo, mas tbém na Sociedade, onde os indios sempre foram vistos como empecilhos. 

Como todo processo que se inicia na justiça, a necessidade de um profissional especializado em Direitos Humanos se tornou o primeiro grande obstáculo. Iniciei uma peregrinação no Rio de Janeiro, passei pela OAB, Grupos Tortura Nunca Mais, em vão. Leia mais »

As críticas à classe médica brasileira

Por jura

Da Carta Capital

A classe médica brasileira tem medo de quê?

Em artigo, médico colombiano escreve sobre as dificuldades para atuar no Brasil e critica a postura reativa da categoria à vinda de profissionais cubanos

por Ricardo Palacios

A exploração por parte do capital é uma novidade para o grêmio médico no Brasil. Recentemente um dos setores mais conservadores da sociedade viu sua condição de profissão liberal ser extinta pelos operadores dos planos de saúde que exploram a mais-valia obtida através da prestação dos serviços. Assim, aqueles que foram selecionados através de provas excludentes nas escolas de medicina e que sonham algum dia virar burgueses estão hoje na rua para lutar por reivindicações trabalhistas. Sim, os médicos agora fazem parte da classe trabalhadora, mesmo que não tenham consciência dessa nova relação com os meios sociais da produção.

No site dos Conselhos Regionais e do Conselho Federal de Medicina aparecem destacados apelos mais apropriados para sindicatos que para órgãos fiscalizadores de uma profissão, hipertrofiando sua função secundária de zelar “pela valorização do profissional médico”.

Mobilizações para exigir aumento dos honorários pagos pelos planos de saúde e campanhas para promover carreira de Estado são pautas frequentes nesses órgãos durante os últimos meses. Isso demonstra que os temas trabalhistas ganharam uma notoriedade insuspeita dentre os médicos. Leia mais »