Debatendo a efetividade da legalização da maconha no Uruguai

Sugerido por Assis Ribeiro

Do Sul 21

Henrique Carneiro: “criminalizar maconha gera grande movimentação financeira”

Iuri Müller

Deputados uruguaios aprovaram, na última semana, a regulação da produção, do consumo e da distribuição da maconha no país – o projeto da Frente Ampla, coalizão de esquerda da qual faz parte o presidente José Mujica, passa agora para o Senado. Para o jornal El País, de Madrid, o país será, se aprovada a lei, o primeiro da América Latina a descriminalizar o consumo e o único do mundo em que o próprio Estado irá regular a produção.

A discussão sobre a legalização da droga é uma das mais fortes no penúltimo ano do mandato de Mujica, que já enfrentou temas tão ou mais complexos, como a descriminalização do aborto e a aprovação do casamento gay. A Frente Ampla, que reúne, entre outros, o Partido Socialista, o Partido Comunista e o Movimento de Participação Popular, possui a maioria dos representantes da Câmara de Deputados e também do Senado. Leia mais »

Professora com síndrome de Down lança livro sobre inclusão

Sugerido por Gunter Zibell - SP

Do G1

Professora com síndrome de Down lança livro de fábulas sobre inclusão

Débora Seabra usa animais para falar de preconceito, rejeição e amizade. Ela é a primeira professora do país com síndrome de Down.

Vanessa Fajardo

Débora Araújo Seabra de Moura, de 32 anos, a primeira professora com síndrome de Down do Brasil, acaba de lançar um livro com fábulas infantis que têm a inclusão como pano de fundo. O livro traz contos que se passam em uma fazenda e têm os animais como protagonistas. Eles lidam com problemas humanos como preconceito e rejeição, caso do sapo deficiente que não conseguia nadar, da galinha excluída do grupo por ser surda e do passarinho de asa quebrada que precisou ganhar a confiança dos outros bichos para poder voar com eles.

Com 32 páginas, a obra "Débora conta histórias" (Araguaia Infantil, R$ 34,90) estará à venda nas livrarias a partir desta segunda-feira (5). As ilustrações são de Bruna Assis Brasil.

A professora também usa os bichos para abordar a importância da tolerância, respeito e amizade. Uma das fábulas é sobre a discriminação que o pato sofria por não querer namorar outras patas, e sim, patos. Leia mais »

Andifes é favorável ao Programa Mais Médicos

Da Andifes

Nota da Andifes sobre o programa Mais Médicos

MAIS SAÚDE E MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior decidiu, após plenária realizada em Belém-PA, se posicionar a favor do Programa Mais Médicos e se colocar como um colaborador pró-ativo dos Ministérios da Educação e da Saúde, em interlocução permanente com a sociedade.

A Andifes entende que o Programa Mais Médicos Para o Brasil, no seu conjunto, tem o mérito de fortalecer o Sistema Único de Saúde, voltado para atender toda a população, principalmente as parcelas mais excluídas do país. A proposta tem um prazo para ser concluída e, durante esse tempo, a entidade vai colaborar para o aprimoramento e a implantação do projeto no país.

Considerando a necessidade do fortalecimento do SUS, o respeito aos profissionais de saúde, e uma especial atenção para a saúde básica, sobretudo, para a saúde familiar, a instituição entende como sendo natural que as universidades federais sejam interlocutoras destacadas desta política pública.

A Andifes também se posiciona favoravelmente à expansão e oferta com qualidade dos cursos de medicina, a universalização e modificação da estrutura de residência médica, o contrato entre a rede de saúde e o SUS, a revisão dos mecanismos e sistemas atuais de certificação, acompanhamento de avaliação dos cursos e a oferta regular de tutores para o acompanhamento integral dos alunos. Leia mais »

Moradores derrubam muro na Favela do Moinho

Sugerido por implacavel

Da Agência Brasil

Moradores da Favela do Moinho derrubaram muro para construção de rota de fuga em caso de incêndio

Camila Maciel

São Paulo - Uma rota de fuga para os moradores da Favela do Moinho, localizada sob o Viaduto Orlando Murgel no centro da capital paulista, foi feita hoje (3) com a derrubada de parte de um muro de contenção, com cerca de 3 metros de altura, que circunda a comunidade. Pretende-se que eles tenham pelo menos mais uma forma de sair da favela, especialmente em caso de incêndio. Atualmente, existe apenas uma saída da comunidade, pela qual é preciso passar pelos trilhos de linha de trem.

Cerca de 400 famílias moram na área, segundo a associação comunitária. A comunidade foi atingida por dois grandes incêndios nos anos de 2011 e 2012. No primeiro incêndio, 1,2 mil famílias ficaram desabrigadas e duas pessoas morreram  e no do ano passado, pelo menos uma morte foi registrada e mais 300 pessoas perderam suas casas. Leia mais »

Massacre do Carandiru: policiais são condenados a 624 anos

Sugestão de Tamára Baranov

Do Notícias UOL

Policiais são condenados a 624 anos de prisão por massacre do Carandiru

São Paulo, 3 ago (EFE).- Os jurados condenaram 25 policiais a 624 anos de prisão, cada um, neste sábado pelo assassinato de 52 presos durante o massacre do Carandiru em São Paulo, que aconteceu no dia 2 de outubro de 1992 e no qual morreram 111 detentos.

A sentença, anunciada durante a madrugada pelo juiz Rodrigo Tellini de Aguirre Camargo, se refere à segunda parte do processo, que foi dividido em quatro, e no qual 78 agentes de segurança são acusados.

Os réus foram condenados à pena mínima, 12 anos por cada homicídio, e poderão recorrer em liberdade, segundo um comunicado do Tribunal de Justiça de São Paulo. Leia mais »

No Rio, manifestante morre por complicações respiratórias

Sugestão de implacavel

Estado de S.Paulo

Manifestante do Rio morre por complicações respiratórias 

CLARICE CUDISCHEVITCH - Agência Estado

Fundador do Cinema de Guerrilha da Baixada, grupo que produz filmes de baixo orçamento e oficinas para jovens da periferia, o ator e cantor Fernando da Silva Candido morreu na quarta-feira passada, 31, aos 34 anos, por problemas respiratórios. Anão, ele sofria de doença pulmonar crônica. Amigos creditam a morte ao fato dele ter respirado gases lacrimogêneo e de pimenta durante um protesto no centro do Rio em 20 de junho. 

Fernandão, como era conhecido, estava internado desde 24 de junho no Hospital Israelita Albert Sabin (Tijuca, zona norte). O atestado de óbito informa que ele morreu de "choque séptico, sepse pulmonar (infecção generalizada) e fibrose pulmonar".

Na noite da manifestação, que reuniu cerca de 300 mil pessoas e foi uma das mais violentas do Rio, com intensa repressão policial, Fernandão acompanhava o amigo Vitor Gracciano. "Estávamos na (estação ferroviária) Central do Brasil e falei para o Fernandão que era melhor irmos embora. Mesmo assim, ainda respiramos muito gás, que tomou conta do lugar", disse Gracciano.  Leia mais »

Douglas Belchior, o expoente do movimento negro brasileiro

Sugestão de implacavel

Da Carta Capital

“O Brasil é um país estruturalmente racista”

Douglas Belchior, expoente do movimento negro brasileiro, é o novo blogueiro de CartaCapital. “Todo ano morrem 600 pessoas assassinadas pela polícia, a maioria negros", dispara.

por Kelly Cristina Spinelli - Carta Capital Arquivo Pessoal

douglas 2.jpg

Douglas em manifestação. Ao fundo, bandeira da UneAfro, entidade da qual faz parte   Leia mais »

O triste depoimento de uma ex-escrava sexual

Sugestão de Tamára Baranov

Folha de S.Paulo

Ex-escrava sexual combate a prostituição infantil com distribuição de sabonetes

Depoimento a Joana Cunha 

DE NOVA YORK

Theresa Flores, 48, tinha pouco mais de 15 anos quando foi capturada por traficantes sexuais nos Estados Unidos. Ela foi enganada, chantageada e forçada à prostituição. Atualmente, lidera uma instituição que fundou para combater o problema. Com a ajuda de voluntários, distribui em motéis sabonetes com um número de telefone para denúncias na embalagem. Em 2014, quer trazer a experiência para o Brasil.

Eu fui uma adolescente de família de classe média alta em Detroit, uma família normal. Era ingênua, como toda menina, e acabei me apaixonando por um garoto um pouco mais velho que frequentava a minha escola.

Por mais de seis meses, ele foi simpático comigo, sempre dizendo que eu estava bonita. Qualquer garota gosta desse tipo de atenção. Leia mais »

Sobre o recuo do governo nas novas regras para troca de sexo

Sugestão de Gunter Zibell - SP

Do O Globo

‘Nesse governo, tudo está voltando atrás’, diz escritora sobre anulação de portaria

Escritora critica governo por ter recuado e desistido de novas regras para troca de sexo

RIO — Escritora e fundadora do Grupo de Pais de Homossexuais, Edith Modesto avalia como um retrocesso a conduta do governo em relação aos transexuais e lembra que a discussão avança no mundo. 

Como a senhora avalia esse recuo do governo?

Acho uma coisa terrível. Estou ao lado das pessoas, vendo o sofrimento delas. Desses jovens principalmente. Eles se sentem desrespeitados, e de fato são. Além de toda a dificuldade de se sentir de gênero diferente do que nasceram. Além disso, são considerados não sujeitos. Quando tem uma boa notícia, vem a decepção. É uma profunda decepção. Parece uma brincadeira macabra. 

Quais as dificuldades de um pai ao descobrir um filho transexual? Leia mais »

As desigualdades de acesso às tecnologias digitais

Sugerido por Sérgio T.

No QTMD?

As tecnologias não desfazem exclusões e desigualdades 

Por Dênis de Moraes(*), especial para o QTMD?


Dênis de Moraes

Devemos reconhecer avanços proporcionados pelas tecnologias digitais, como, por exemplo, as funcionalidades dos celulares, os serviços públicos online, os espaços colaborativos, os intercâmbios audiovisuais, os acervos multimídias, as redes educativas, as mobilizações virtuais por afinidades eletivas e a divulgação descentralizada através da Internet. Mas não podemos deixar de ressaltar que existem sérias contradições e desigualdades nos acessos e usos dessas mesmas tecnologias. Parcelas expressivas da população mundial continuam excluídas da evolução técnica. E são as classes e o capital dominantes que absorvem as maiores vantagens da cultura digital, impedindo a partilha equânime das riquezas e do progresso tecnocientífico e material. Leia mais »

Os ataques de Feliciano contra a PLC 3/2013

Sugerido por Sérgio T.

Da Carta Capital

Sexo sem consentimento e estupro são a mesma coisa 

Explicações de Marco Feliciano no Twitter foram show de desrespeito à mulher. Por Nádia Lapa, do blog Feminismo para quê? 

por Nádia Lapa  

Na quinta-feira 1º
 foi sancionada a lei que obriga os hospitais a oferecerem "atendimento imediato e multidisciplinar para o controle e tratamento dos impactos físicos e emocionais causados pelo estupro". A lei prevê, entre outras medidas, a administração da pílula do dia seguinte; com a medicação, a possibilidade de gravidez decorrente do estupro diminui.

Essa parte da lei desagradou algumas entidades e políticos antiescolha, que aparentemente ignoram o fato de que a pílula já é ministrada nos hospitais de referência, assim como pode ser adquirida em qualquer farmácia.

Parece surreal que políticos e entidades sejam contrários ao atendimento multidisciplinar de vítimas de um crime bárbaro como o estupro. É surreal, na verdade. Como alguém pode ser contrário à orientação correta e segura para salvaguardar a saúde física e mental de uma vítima de tamanha agressão? Leia mais »

O baixo perfil acadêmico dos economistas brasileiros

Do blog do Bruno de Pierro

O baixo perfil acadêmico dos economistas brasileiros

O prestígio internacional de economistas junto à comunidade leiga é significativamente superior ao dos cientistas e acadêmicos de outras áreas do conhecimento. No caso dos economistas brasileiros, isso não é diferente. Os economistas de maior prestígio internacional são aqueles que aparecem frequentemente na mídia leiga e que, surpreendentemente, também gozam de grande fama no ambiente acadêmico. Essas são algumas das conclusões da pesquisa The low academic profile of Brazilian economists, de autoria de Rogério Meneghini, coordenador da Scientific Electronic Library Online (SciELO), e publicada em março nos Anais da Academia Brasileira de Ciências.

Meneghini mediu o prestígio dos economistas brasileiros junto aos leigos por meio da presença na mídia e por consultas à opinião pública. Já o prestígio acadêmico foi avaliado através de bases de dados de indicadores de publicações e citações de artigos acadêmicos, entre eles o índice-h, que mede simultaneamente publicações e citações. Para saber mais sobre o índice-h, recomendo a leitura da reportagem "Os limites do índice-h", publicada em maio na revista Pesquisa FAPESP. Leia mais »

Lei estabelece atendimento no SUS à vítimas de estupro

Sugerido por Tamára Baranov

Do Uol

Dilma sanciona "lei da profilaxia da gravidez" a vítimas de estupro

A presidente Dilma Rousseff anunciou, na tarde desta quinta-feira, a sanção sem vetos à chamada  "lei da profilaxia da gravidez", que trata do atendimento, na rede pública de saúde, a vítimas de estupro. O texto será publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (2).

A lei aprovada estabelece que os hospitais do SUS devem prestar serviço multidisciplinar à mulher vítima de violência sexual, incluindo a "profilaxia da gravidez", ou seja, o uso da chamada "pílula do dia seguinte", prática já prevista em norma técnica do Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde entende que, em casos de estupro, "a pílula do dia seguinte" tem se mostrado eficaz na prevenção de morte materna ao evitar, ainda, abortos clandestinos.

Dilma aceitou a recomendação da área técnica do governo, que defendia a sanção. "A sanção foi precedida por uma série de diálogos e consultas com diversos setores. Estamos legalizando um apoio humanitário a quem precisa.", afirmou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Gilberto Carvalho. Leia mais »

Raquel Rolnik: IDHM é medida de "qualidade municipal"?

Do Brasil de Fato

O IDHM é medida de “qualidade municipal” no Brasil?

Apesar dos avanços, as pesquisas sobre IDHM e adequação domiciliar mostram que as desigualdades regionais ainda são muito grandes. Além disso, ambas as pesquisas, ao tomar um índice médio municipal, não revelam as desigualdades internas dos municípios. 

1º/08/2013

Raquel Rolnik

A divulgação dos dados do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do país apresentados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o IPEA, teve grande repercussão. Por se tratar de um índice municipal, um dos objetos destacados pela mídia foi a apresentação de uma espécie de “ranking” de municípios, mostrando os melhores e os piores… Em tese, cidadãos e governos dos “melhores” municípios devem ter ficado orgulhosos, e os dos piores, envergonhados ou chateados. Mas será que estes números revelam mesmo a qualidade dos nossos municípios?

Os números mostram que de 1991 para cá o índice cresceu consideravelmente. De fato, houve avanços. Mas mostram também que a precariedade de nossos municípios ainda é grande. Resolvi comparar a evolução do IDHM entre os anos 1991 e 2010 com os dados de adequação de domicílios brasileiros referentes ao mesmo período, produzidos por uma rede de grupos de pesquisa da qual participo. A comparação dos mapas mostra alguns aspectos muito semelhantes.

Leia mais »

Uruguai está muito próximo de legalizar a maconha

Sugerido por Tamára Baranov

Do Terra

Uruguai fica a um passo de legalizar maconha após aprovação da Câmara

O inovador projeto antidrogas impulsionado pelo presidente do Uruguai, José Mujica, que pretende legalizar a maconha e entregar o controle de sua circulação ao Estado, foi aprovada nesta quarta-feira pela Câmara dos Deputados e ficou a um passo de ser transformado em lei, faltando apenas um sinal verde do Senado.

Assim como ocorreu nos últimos meses com o aborto e o casamento homossexual, o bloco governista Frente Ampla (FA) conseguiu impor sua maioria parlamentar, embora tenha tido um pequeno susto de última hora por causa de um legislador, que confessou rejeitar a iniciativa, mas acabou votando a favor por lealdade a seu partido.

O projeto foi aprovado com 50 votos a favor - dos 96 totais - após uma sessão de 14 horas, iniciada as 10 h locais e só encerrada por volta da meia-noite.

Apesar de ter finalmente apoiado o projeto governista, o deputado do FA que tinha ameaçado boicotar a votação, Darío Pérez, fez questão de exaltar sua inconformidade em torno do assunto: "A maconha é uma mer.... É inimiga do estudante, do trabalhador e da vida. E o importante é que é uma mer... com ou sem lei", indicou. Leia mais »