Após tortura, preso fica tetraplégico

Do Jornal GGN

Preso no Acre fica tetraplégico após sessões de tortura

Jornal GGN – O preso Wesley Ferreira da Silva ficou tetraplégico e cego após ser torturado no presídio federal de segurança máxima Antônio Amaro Alves, em Rio Branco (AC). Silva acusa seis agentes penitenciários de golpeá-lo com uma marreta de borracha.

O preso contou que foi torturado, junto a outros dos presos, por ser suspeito de integrar a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e de ameaçar de morte um agente penitenciário do Acre. Segundo o detento, o diretor do Instituto Penitenciário não tomou conhecimento da tortura, pois ele próprio teve medo de contar. Silva cumpre oito condenações que totalizam mais de 21 anos de prisão por um homicídio, furtos e um roubo. Ele foi transferido de Porto Velho (RO) para Rio Branco no início de 2013.

Cego e com lesões no cérebro e na coluna, Silva relatou que as sessões de tortura também incluíram spray de pimenta, além de chutes e socos. Segundo Silva, a equipe do hospital e os agentes penitenciários se empenharam durante quase dois meses, período em que está internado, em abafar o caso. A versão oficial para a saúde do detento é de que caiu no banheiro, bateu a cabeça e sofreu lesões na coluna.

Continua aqui>>> Leia mais »

MEC desiste de aumentar curso de medicina em 2 anos

Sugerido por Gunter Zibell - SP

Do UOL

MEC desiste de aumentar em 2 anos curso de medicina; residência será obrigatória

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou na manhã desta quarta-feira (31) que o governo desistiu de aumentar em dois anos o curso de medicina. No lugar disso, o ciclo de dois anos deve se tornar um período obrigatório de residência médica no SUS (Sistema Único de Saúde). 

A decisão foi tomada após reunião com uma comissão de especialistas que reúne o ex-ministro da Saúde Adib Jatene, a Associação Brasileira de Ensino Médico e um grupo de reitores de universidades federais. 

A proposta inicial era de que o curso de medicina fosse ampliado para oito anos de graduação, dois deles cumpridos em atendimento na rede do SUS.

A nova proposta prevê que os médicos, já formados, passem dois anos em residência médica obrigatória na rede pública a partir de 2018 -- a nova regra já vale para quem se formar a partir de 2017. Hoje, a residência não é obrigatória.  Leia mais »

O debate sobre o atendimento do SUS e a formação dos médicos

Do Jornal da Unicamp

Muito longe do armistício

Pacote do Ministério da Saúde incendeia debate sobre o atendimento prestado pelo SUS, a formação e a carreira dos médicos

Texto: ALESSANDRO SILVA
Edição de Imagens:  Diana Melo

Antes de se aprofundar neste assunto, descubra em que tipo de “mundo” de atendimento médico você vive. No Sistema Único de Saúde (SUS), que recebe 46% do investimento realizado no Brasil e atende 75% dos brasileiros (mais de 142 milhões de pessoas), com uma relação de 1,8 médicos por mil habitantes, portanto abaixo da média nacional. Ou nos planos privados, nos quais estão 54% dos investimentos em saúde no país para o atendimento de 25% da população (mais de 47 milhões de brasileiros), com média de profissionais médicos em torno de 3,4 por mil habitantes. Conhecer essas situações distintas pode ajudá-lo a entender melhor a recente polêmica em torno do Programa Mais Médicos, anunciado pelo Ministério da Saúde, e responder à pergunta principal desta reportagem: faltam ou não médicos no Brasil? Leia mais »

Mais de 49 mil escolas aderem ao programa de ensino integral

Sugerido por Maria do Carmo

Da Rede Brasil Atual

Quase 50 mil escolas aderem ao ensino integral em todo o país, revela Dilma

Segundo a presidenta, quem adere à iniciativa tem acompanhamento pedagógico obrigatório, com aulas de reforço escolar em matemática, português, ciências e uma língua

A presidenta Dilma Rousseff informou hoje (29) que “mais de 49.300” escolas públicas aderiram ao programa de ensino integral em todo o país. Segundo Dilma, só em 2013 o governo já teria investido R$ 1,8 bilhão na iniciativa.

“A maior parte dos recursos é repassada diretamente para a escola contratar monitores e professores, comprar material e preparar os espaços para receber as crianças nas atividades do chamado contraturno, que é o segundo turno”, disse ela no programa de rádio Café com a Presidenta. Leia mais »

Com vandalismo* documentário completo

"SEM VANDALISMO!" repetiam gritando parte dos manifestantes que ocuparam as ruas de Fortaleza. Mas na multidão das manifestações, que explodiram no Brasil em junho de 2013, outros grupos empregaram métodos mais diretos. Tachados de "vândalos", foram criminalizados por parte da grande mídia, antes mesmo de serem ouvidos. Este documentário vai à "linha de frente" para registrar os confrontos e entrevistar os manifestantes para mostrar as motivações dos atos de desobediência civil.
Documentário - 70min - junho de 2013 - COPYLEFT
Nigéria - www.facebook.com/nigeriafilmes / e-mail: [email protected]

Vídeos: 
Veja o vídeo
COM VANDALISMO * documentário completo

Governo quer capacitar 1,3 milhão de técnicos empreendedores

Sugerido por Marcia

Da Agência EFE

Governo prevê capacitar 1,3 milhão de técnicos empreendedores em 2014

Rio de Janeiro, 30 jul (EFE).- A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira uma grande ampliação do programa Pronatec Empreendedor, que deve capacitar 1,3 milhão de estudantes em 2014, em comparação aos mais de 181 mil deste ano.

Em sua coluna semanal "Conversa com a Presidenta" Dilma informou que o Pronatec Empreendedor prevê a inclusão de conteúdos sobre empreendedorismo nos cursos que já são ofertados pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Esses conteúdos, sobre como identificar os diversos tipos de empreendedorismo, desenvolver atitudes empreendedoras e elaborar um plano de vida e de carreira, serão incorporados inicialmente a 15 cursos do Pronatec, e terão carga horária de 24 a 52 horas, explicou a presidente. Leia mais »

As mortes de vítimas transportadas pela polícia

Sugerido por Almeida

Da Agência Brasil

Organização alerta: 95% dos feridos em confronto policial, transportados pela polícia, morrem no trajeto

Camila Maciel
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Quase a totalidade (95%) das pessoas feridas em confronto com a polícia paulista e que foram transportadas por policiais civis ou militares, entre 2 de janeiro e 31 de dezembro de 2012, morreram no trajeto ou no hospital. Das 379 pessoas removidas, segundo os registros do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), 360 morreram. A análise foi feita pela organização não governamental (ONG) Human Rights Watch (HRW) e expressa a preocupação da entidade sobre a responsabilização de policiais que cometem execuções extrajudiciais. A HRW envia hoje (29) uma carta sobre o assunto às autoridades de segurança pública do estado.

A organização alerta que "os esforços legítimos para inibir a criminalidade foram prejudicados por policiais que forjavam 'resistências seguidas de morte' e alteravam as cenas dos crimes para minar o trabalho de perícia", assinala o documento. Para o levantamento, foram analisados casos de mortes causadas por ação policial e foram entrevistadas autoridades policiais, promotores de Justiça, agentes, especialistas no tema, representantes da sociedade civil e parentes de vítimas. Leia mais »

Os médicos brasileiros formados em Cuba

Sugerido por Ricardo Cavalcanti-Schiel

Do MST

“Medicina cubana ensina a atender o povo com qualidade e humanismo”, afirma militante

Por José Coutinho Júnior
Da Página do MST

A saúde no Brasil tem sido tema de grandes debates nas últimas semanas, provocados tanto pelas manifestações das ruas, que exigem melhoras e mais investimentos na área, quanto pelas propostas recentes do governo em trazer médicos de outros países para trabalhar em regiões mais carentes.

Essas propostas, assim como a obrigação dos estudantes de universidades públicas em cumprir dois anos no Sistema Único de Saúde (SUS), tem sido alvo de fortes críticas das associações de médicos, que afirmam que essas não seriam as soluções para os problemas.

A Página do MST conversou com Augusto César e Andreia Campigotto, ambos militantes do Movimento e formados em medicina em Cuba, sobre o tema. Leia mais »

Documentário questiona utilização da cesariana

Sugerido por implacavel

Do site oficial

O filme "O Renascimento do Parto" retrata a grave realidade obstétrica mundial e sobretudo brasileira, que se caracteriza por um número alarmante de cesarianas ou de partos com intervenções traumáticas e desnecessárias, em contraponto com o que é sabido e recomendado hoje pela ciência. Tal situação apresenta sérias conseqüências perinatais, psicológicas, sociais, antropológicas e financeiras. Através dos relatos de alguns dos maiores especialistas na área e das mais recentes descobertas científicas, questiona-se o modelo obstétrico atual, promove-se uma reflexão acerca do novo paradigma do século XXI e sobre o futuro de uma civilização nascida sem os chamados "hormônios do amor", liberados apenas em condições específicas de trabalho de parto.

Com a participação especial do cientista francês Michel Odent, da antropóloga norte-americana Robbie Davis-Floyd, da parteira mexicana Naoli Vinaver, do ator e diretor de cinema Márcio Garcia e sua esposa, a nutricionista Andréa Santa Rosa.

Uma produção MasterBrasil Filmes em associação com HTRON Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo

Atrasos educacionais ainda persistem no país

Sugerido por Marcia

Da BBC Brasil

Apesar de avanços, educação ainda trava desenvolvimento no Brasil

Educação teve maior avanço, mas partiu de patamar mais baixo

Os municípios do Brasil alcançaram, em média, um índice de desenvolvimento humano alto, graças a avanços em educação, renda e expectativa de vida nos últimos 20 anos.

Mas o país ainda registra consideráveis atrasos educacionais, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira pela ONU e pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

O Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013 aponta que o IDHM (índice de desenvovimento humano municipal) médio do país subiu de 0,493 em 1991 para 0,727 em 2010 - quanto mais próximo de 1, maior é o desenvolvimento.

Com isso, o Brasil passou de um patamar "muito baixo" para um patamar "alto" de desenvolvimento social. Leia mais »

IDHM avançou 47,8% nos últimos vinte anos

Sugerido por Marcia

Do Vermelho

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal avança 47,8% 

Nas últimas duas décadas, o Brasil quase dobrou o seu Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), passando de 0,493, em 1991, - considerado muito baixo – para 0,727, em 2010, o que representa alto desenvolvimento humano, conforme o Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013. No período, país registrou crescimento de 47,8% no IDHM.

Em 1991, 85,5% das cidades brasileiras tinham IDHM considerado muito baixo. Em 2010, o percentual passou para 0,6% dos municípios. De acordo com o levantamento, em 2010, o índice de municípios com IDHM considerado alto e médio chegou a 74%, enquanto em 1991, não havia nenhuma cidade brasileira com IDHM considerado alto e 0,8% apresentavam índice médio. Pela escala do estudo, é considerado muito baixo o IDHM entre 0 e 0,49, baixo entre 0,5 e 0,59; médio de 0,6 e 0,69, alto 0,7 e 0,79 e muito alto entre 0,8 e 1,0.

O IDHM é o resultado da análise de mais de 180 indicadores socioeconômicos dos censos do IBGE de 1991, 2000 e 2010. O estudo é dividido em três dimensões do desenvolvimento humano: a oportunidade de viver uma vida longa e saudável [longevidade], ter acesso a conhecimento [educação] e ter um padrão de vida que garanta as necessidades básicas [renda]. O índice varia de 0 a 1, sendo que quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano. Leia mais »

Um relato da truculência policial em uma favela de Salvador

Sugerido por Almeida

Do Passa Palavra

Nossa casa, uma detenção sem muros

Esse relato nada mais é do que a única possibilidade que nós, favelados, temos para nos manifestarmosPor Pequenos Pássaros

São oito e vinte e cinco da manhã, mas ontem eram por volta das oito horas da noite e foi quando tudo aconteceu. Meu nome? Não importa: eu sou mais uma preta da favela soteropolitana, mas poderia ser um trabalhador na fábrica paulista, uma prostituta venezuelana, um escravo da cana ou do carvão, poderia até ser você, mas jamais poderia ser a burguesa que explora meus e minhas irmãs, nem poderia ser aquele policial das oito, sem farda. Muita coisa não importa, esse relato nada mais é do que a única possibilidade que nós, favelados, temos para nos manifestarmos.

Era um domingo típico na favela: crianças na praia, adultos conversando e ouvindo o último sucesso nas alturas e nós em casa, conversando, rindo, chorando, fazendo amor, tomando banho, dormindo… As pétalas do girassol continuavam caindo e foi quando aconteceu: “tumtumtumtum” uma batida, violenta como se quisesse apressar a morte do girassol, se instala no local. Abro a porta e saltam duas armas na minha cabeça e as duas armas gritavam: “para de fumar essa disgraça aí, que hoje é aniversário de um policial. Se quiser dar o cú ou fumar maconha vai pra casa da disgraça”. Leia mais »

Cientistas pesquisam exame para diagnosticar Alzheimer

Sugerido por Marcia

Da BBC Brasil

Cientistas dizem estar perto de criar exame de sangue para Alzheimer

James Gallagher

Cientistas alemães afirmam que acreditam estar próximos de criar um novo exame de sangue para diagnosticar o mal de Alzheimer.

Ainda não há um exame definitivo para a doença, e os médicos atualmente contam apenas com testes de cognição e exames de imagens do cérebro para identificar o problema.

Um dos grandes desafios relacionados à doença é identicar novas formas de conseguir um diagnóstico precoce.

Com isso, espera-se que, no futuro, talvez até anos antes dos primeiros sintomas, os tratamentos possam começar antes que grandes partes do cérebro sejam comprometidas. Mas, para isso, novos exames serão necessários.

A nova técnica, divulgada na revista especializada Genome Biology, apontou diferenças nos minúsculos fragmentos de material genético flutuando no sangue que poderiam ser usados para identificar pacientes com a doença. Leia mais »

As cidades com os piores IDHM do país

Sugerido por Marcia

Do Uol

Cidade com pior renda vive com R$ 96,25 por pessoa

Marajá do Sena (Maranhão) não tem agência bancária. Mas, para seus 8.000 habitantes, esse é o menor dos seus problemas. A cidade tem o pior IDHM Renda do país e por lá circulam apenas R$ 96,25 por pessoa. Uma estrada asfaltada, mais escolas e um hospital fazem falta. Entre as 32 cidades com piores Índices de Desenvolvimento Humano do País, a falta de estrutura é a principal característica.

Melgaço, a pior de todas do ranking, fica a oito horas de barco da capital do Pará, Belém. Chegar à cidade é caro e difícil. Manari, que em 2003 ganhou o título de pior IDHM do Brasil, não é de acesso complicado, mas, assim como Inhapi, em Alagoas, fica no sertão pobre do Nordeste. A característica que une as piores cidades do país é a falta de renda, a economia quase sem saída e a educação em níveis muito baixos. Entre elas, o IDHM Educação mais alto, de Assunção do Piauí, é de apenas 0,382, muito longe do limite para ser considerado apenas baixo.

Na outra ponta, as melhores cidades do país nem sempre têm rendas tão altas - Assis, em São Paulo tem renda per capita de apenas R$ 967 -, mas ainda assim tem uma economia muito mais dinâmica e oferecem serviços sociais muito melhores. Todas elas estão nas regiões Sul e Sudeste e incluem seis capitais. Apesar das dificuldades apontados especialmente nas redes escolares e de saúde de cidades como São Paulo, Porto Alegre e Vitória, a estrutura já estabelecida, o orçamento alto e os recursos que circulam dão a essas cidades uma capacidade muito maior de resolver os problemas dessa população. Leia mais »

Ceará: empresas terão de pagar R$ 8 mi a jornalistas

Sugerido por alfeu

Do Comunique-se

Empresas são condenadas a pagar mais de R$ 8 milhões a jornalistas

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) venceu processos judiciais movidos contra oito veículos de comunicação de Fortaleza, que violaram os direitos trabalhistas nos últimos dez anos. Ao todo, as empresas terão que ressarcir 221 jornalistas em valores que somam milhões de reais.

Veículos como a TV Verdes Mares, TV Diário, TV Jangadeiro, TV Cidade, Rede TV, Rádio Verdes Mares, Jornal O Povo e Rádio O Povo foram condenados por irregularidades trabalhistas, como falta de pagamento de horas extras e diferenças salariais, segundo informações do Sindjorce.

Os jornalistas aguardam a conclusão dos cálculos dos valores a serem recebidos. “Não há mais dúvida sobre a existência do direito. O que ainda pode se discutir são os valores e o prazo de execução das sentenças propriamente dita. No debate sobre os cálculos, ainda é cabível recurso aos tribunais, por ambas as partes, o que pode resultar em certa demora no processo”, explicou o assessor jurídico do Sindjorce, Carlos Chagas. Leia mais »