Juninho e as drogas

Autor: 

 

(baseada em baseados reais)

 

                O pai de Juninho, um velho roqueiro das antigas e sua mãe, ex-hippie e ex-adepta do amor livre, não ficaram nada surpresos ao ver, no quarto do filho, um garoto estudioso e pacato, as primeiras bitucas de baseado. Não havia, até então, motivos para preocupação. Leia mais »

Bancada evangélica seria o 3º maior partido da Câmara

Sugerido por Ed Doer

Comentário ao post "O Estado Laico, as religiões e a esquerda"

"Penso que o fenômeno do "avanço" das religiões na vida política brasileira é mais uma fantasia e um temor (oriundos possivelmente do desconforto católico) do que uma realidade objetiva. "

Obrigado por alertar que o Feliciano (e cia) não são reais e sim algo como um bicho-papão embaixo da cama.

Da Gazeta do Povo

Bancada evangélica seria 3.º partido da Câmara

Crescimento de denominações protestantes aumentou representação na Câmara. Eleitores religiosos escolhem candidatos com valores parecidos aos seus 

Se a bancada evangélica fosse um partido, ela seria o terceiro maior na Câmara Federal. A frente parlamentar evangélica, que conta com parlamentares das mais diversas denominações, tem 76 deputados, número superado apenas pelo PT (89) e pelo PMDB (82). Com tantos deputados, o grupo começa a ocupar espaços importantes na Câmara, como a liderança do PMDB e o comando da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara – fato que colocou o pastor Marco Feliciano (PSC) nos holofotes neste início de ano.

Não se trata de uma superrepresentação: hoje, os evangélicos são 22,2% da população do país. O crescimento ocorreu nos últimos 30 anos. Em 1980, eram apenas 6,6% da população, a maioria ligada a igrejas tradicionais. Eram 7,2 milhões de pessoas, o equivalente à população atual do Pará. Segundo o IBGE, em 2010 os evangélicos já eram 42,3 milhões, população equivalente ao estado de São Paulo, a maioria em igrejas pentecostais. Leia mais »

O Estado Laico, as religiões e a esquerda

Por Diogo Costa

O ESTADO LAICO, AS RELIGIÕES E A ESQUERDA - D. Pedro II é deposto e vai com sua família para o exílio na Europa, depois de figurar como Imperador do Brasil durante impressionantes 48 anos. Os militares republicanos, influenciados pelas teses positivistas, separam Estado e Igreja e criam o estado laico que temos hoje. 

Tudo devidamente consagrado pela Carta Constitucional de 1890. Ou seja, lá se vão 123 anos de estado laico e republicano, consagrado por força legal. 

Nota-se uma certa preocupação em algumas pessoas com relação ao "perigo" do avanço de forças teocráticas no país, que, em tese, estariam a ameaçar o estado laico legado pelo iluminismo e tornado realidade ao fim do século XIX. Creio que os temores são legítimos, porém, demasiados. 

Não há a menor possibilidade de se alterar o status de estado laico na República Federativa do Brasil. 

A sociedade brasileira jamais aceitaria tamanho retrocesso. Inclua-se nesta sociedade um número sem fim de sindicatos, associações de classe, movimentos sociais, estudantis, artísticos, culturais e, também, a repulsa dos militares brasileiros, salvo alguma exceção que sempre existe para confirmar a regra. 

Foram os militares que tornaram o Brasil um estado laico, é mais fácil encontrar militares trabalhistas, e até comunistas, do que encontrar militares simpáticos a causa da extinção desse estado laico, por eles mesmos erigido.

Penso que o fenômeno do "avanço" das religiões na vida política brasileira é mais uma fantasia e um temor (oriundos possivelmente do desconforto católico) do que uma realidade objetiva.  Leia mais »

O encontro de Cordovil com Noel Rosa no centro espírita

Por jns

O Encontro de Nhô Cordovil e Nhô Noel no Centro Espírita

Rolando Boldrin, no dia 12 de outubro de 2010, no seu programa especial para homenagear o centenário de Noel Rosa (1910-1937).

rolando

Boldrin conta como foi criado o samba "Vila Isabel no Espaço" que foi musicado pelo maestro Hervé Cordovil (1914-1979) e fez muito sucesso, na época de sua gravação, em 1964, na voz da cantora Vera Maria. Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo

Pesquisadores questionam mito que envolve Madre Teresa

Sugerido por Humberto Cavalcanti

Do blog Sociedade Racionalista

PESQUISADORES DESFAZEM O MITO DE GENEROSIDADE E ALTRUÍSMO EM TORNO DE MADRE TERESA

 

O mito de altruísmo e generosidade que envolve Madre Teresa foi desfeito em um paper de Serge Larivée e Genevieve Chenard, do Departamento de Psicoeducação da Universidade de Montreal e por Carole Sénéchal, da Faculdade de Educação da Universidade de Ottawa. O paper, que será publicado na pauta de março do periódico Estudos em Religião/ Ciências religiosas, é uma análise dos escritos publicados sobre Madre Teresa. Assim como o jornalista e autor Christopher Hitchens, amplamente citado em suas análises, os analistas concluem que sua imagem santificada – que não é sustentada pela análise dos fatos – foi construída, e que sua beatificação foi orquestrada por uma eficiente campanha de assessoria de imprensa.

“Enquanto procurávamos documentos sobre o fenômeno do altruísmo para um seminário de ética, um de nós deparou-se com a vida e o trabalho da mulher mais celebrada da igreja católica e agora parte da nossa imaginação coletiva – Madre Teresa – cujo nome real era Agnes Gonxha”, diz o professor Larivée, que liderou a pesquisa. “A descrição era tão extática que atiçou nossa curiosidade e nos levou a pesquisar mais a fundo.”

Leia mais »

O legado que o papa Francisco nos deixou, por Leonardo Boff

Sigerido por implacavel

Do site Carta Maior

O legado que o papa Francisco nos deixou

No campo político, o papa Francisco encontrou no Brasil um país conturbado pelas multitudinárias manifestações dos jovens. Defendeu sua utopia e o direito de serem ouvidos. Apresentou uma visão humanística na política, na economia e na erradicação da pobreza. Por Leonardo Boff

Não é fácil em poucas palavras resumir os pontos relevantes das intervenções do papa Francisco no Brasil. Enfatizo alguns com o risco de omitir outros importantes. O legado maior foi a figura do papa Francisco: um humilde servidor da fé, despojado de todo aparato, tocando e deixando-se tocar, falando a linguagem dos jovens e as verdades com sinceridade. Representou o mais nobre dos líderes, o líder servidor que não faz referência a si mesmo mas aos outros com carinho e cuidado, evocando esperança e confiança no futuro. 


No campo político encontrou um país conturbado pelas multitudinárias manifestações dos jovens. Defendeu sua utopia e o direito de serem ouvidos. Apresentou uma visão humanística na política, na economia e na erradicação da pobreza. Criticou duramente um sistema financeiro que descarta os dois polos: os idosos, porque não produzem, e os jovens não criando-lhes postos de trabalho. Os idosos deixam de repassar sua experiência, e os jovens são privados de construir o futuro. Uma sociedade assim pode desabar. Leia mais »

A questão do ceticismo dogmático

Sugerido por Sorano

Do blog Era do Espírito

Ceticismo dogmático

"Até que um dia percebi que seu ceticismo não era uma postura de busca da verdade, mas uma filosofia que se usava para manipular os dados conforme suas crenças. Essa filosofia era de natureza pseudo intelectual e costumava desacreditar e invalidar quem quer que propusesse uma evidência. Infelizmente esses céticos pensam que podem fazer uso da semântica e regras de sua filosofia para apagar a evidência da realidade! Pensam que podem invalidar eventos objetivos da vida real de natureza paranormal colocando rótulos sobre eles ou citando teoremas e axiomas do tipo 'evidências anedóticas não são válidas', 'apelo à autoridade', 'argumento da falácia ad populum' dentre outros. De fato, tentam usar a semântica para apagar a realidade objetiva. Infelizmente para eles, a natureza não funciona desse jeito." (Wiston Wu, www.australianparanormalsociety.com).

Como já são bem conhecidas as táticas que fundamentam o ceticismo dogmático, recomendamos a leitura do post 'Pseudo-skeptical arguments of the Paranormal' disponível em www.australianparanormalsociety.com. Abaixo fazemos uma tradução adaptada para nossa discussão.

1) "Isso não pode ser, portanto, o fato não é verdade!" Ignorar fatos ou evidências que não se enquadram em suas crenças ou concepções pré-estabelecidas do mundo. Isso é feito sem modificação ou atualização das crenças para que se conformem os fatos, o que é mais lógico. Esse processo é conhecido como racionalização por dissonância cognitiva. Leia mais »

Religião e sexualidade, o conflito vivido por um judeu

Sugestão de Tamára Baranov

Do Terra

Judeu ortodoxo gay desafia preconceito como drag queen

Shahar Hadar convive com o conflito entre a religião que segue e sua sexualidade

Shahar Hadar, 34 anos Foto: AP

O israelense Shahar Hadar, 34 anos, deixa de lado a timidez e o solidéu branco perto da meia-noite e assume a identidade de Rebbetzin Malka Falsche, com uma peruca loira e um vestido de veludo rosa, para cantar em bares gays de Jerusalém. Judeu ortodoxo, Hadar convive com o conflito entre a religião e sua condição de gay. “Com a ajuda de Deus, você tem força para superar tudo”, diz.

Gays judeus ortodoxos, como setores de outras comunidades religiosas, são obrigados a se casar com uma mulher ou são forçados a abandonar a família e a religião. Mas, enquanto o judaísmo ortodoxo geralmente condena a homossexualidade, há um crescente grupo de judeus disposto a enfrentar esse tabu e exigir um lugar na comunidade religiosa.

Leia mais »

Papa tenta limpar Igreja de bispos acusados de corrupção

Do Estadão

Papa começa limpeza de arcebispos suspeitos de corrupção

Banco do Vaticano abre pela primeira vez um site para dar transparência

Jamil Chade

Nem bem desembarcou em Roma depois de uma intensa visita ao Brasil, o papa Francisco começa a tomar decisões para limpar a Igreja no que se refere aos escandalos de corrupção. Nesta quarta-feira, 31, o Vaticano anunciou a renúncia de três bispos implicados em escândalos de corrupção. No mesmo dia, a Santa Sé colocou no ar um site do Instituto de Obras Religiosas, considerado como o Banco do Vaticano, e prometeu que vai, pela primeira vez, publicar as contas da instituição.

O papa, durante sua viagem ao Brasil, insistiu que uma das metas de suas reformas é o de garantir transparência nas contas da Igreja. As renúncias dos bispos seriam um alerta de que ele não vai poupar ninguém.

Nesta quarta-feira, o Vaticano indicou diplomaticamente que Francisco "aceitou a renúncia" dos arcebispos de Lubjana e Maribor, depois que um buraco de 800 milhões de euros foi encontrado nas contas da Igreja eslovena.

Leia mais »

O debate sobre o Estado Laico

Sugerido por Walter Serralheiro

Vídeos: 
Veja o vídeo

Padre Beto tenta reverter sua excomunhão

Do Estadão

Após fala do papa, padre quer reverter excomunhão

Defesa do padre Beto, que deixou a Igreja por defender homossexuais, tenta anular processo; para religioso, hoje ele não teria sido excomungado

Chico Siqueira

Roberto Francisco Daniel, o padre Beto, de Bauru, entrou na Justiça para tentar reverter a excomunhão que sofreu da Igreja Católica por defender os homossexuais. O padre disse acreditar que, depois das declarações do papa Francisco, a possibilidade de reverter a situação é maior.

Os advogados anunciaram nesta terça-feira, 30, que ajuizaram uma medida cautelar para suspender os efeitos da excomunhão até o julgamento do mérito de uma ação principal para anular o processo de excomunhão. "Com a liminar, o padre poderá voltar a comungar e a participar de outros sacramentos da Igreja", explicou o advogado Antônio Celso Fraga. Leia mais »

Ex-padre gay escreve carta ao papa Francisco

Sugerido por Tamára Baranov

Do Yahoo

Ex-padre gay argentino escreve carta ao papa Francisco

Buenos Aires, 30 jul (EFE).- Um ex-padre argentino gay, que aposentou o hábito após confessar sua orientação sexual, escreveu uma carta ao papa Francisco em que o pediu para se adaptar "aos novos paradigmas do mundo contemporâneo" depois que o pontífice disse que não julga os homossexuais.

Andrés Gioeni, que trocou o sacerdócio pelo trabalho de ator e escritor, comemorou "o ar fresco" que a chegada de Francisco ao Vaticano representou, mas advertiu "que há um longo caminho a percorrer".

"Já fui sacerdote católico, pastor, partilhei desse ímpeto missionário e dessa necessidade de reivindicação de abertura eclesial. Até que decidi seguir outro caminho quando descobri minha própria tendência homossexual e admitir minha impossibilidade de exercer o ministério pastoral em celibato", admitiu Gioeni na carta, publicada em sua conta do Facebook. Leia mais »

Discursos do papa são viáveis para o futuro

Por ohallot

Comentário ao post "Francisco: o nascimento da um estadista"

Creio que o Papa fez um discurso propositalmente "surreal" (aspas minhas), deslocando o tempo para o futuro.

Seus discursos foram irreais se vistos e posicionados no presente. Porém sua visão é viavel e plausivel se levada para um futuro médio. Quando os jovens de 20 tiverem 30, levarão a mensagem  de Francisco no sistema social e produtivo.

Neste aspecto Francisco é um incrivel agitador. Hábil em evitar o confronto do presente, mas semeando a mudança ao projetar o futuro. Não o vi citar ou a remeter o passado. Disse aos jovens para olhar para frente. Não disse o que deve ser feito hoje, nem disse o que deve acontencer amanhã, mas pediu para que hajam mudanças. Evitou polemizar em temas que sabidamente não tem forças o suficiente para definir ou mudar. É sintomático quando repetiu por mais de uma vez "Rezem por mim". Buscou apoio fora para as mudanças que precisa fazer dentro da Igreja.

Como agitador, disse que "um jovem que não se manifesta não lhe interessa". Esta frase é perigosa por que pode abrir uma caixa de pandora. Pode sair qualquer coisa dali, anjos ou demônios, boa ou ruim. Mas ameniza quando orienta a energia dos jovens para o trabalho pastoral.

Quando diz que "o que o jovem precisa é buscar é a compania de outro jovem", teria ele dito para deliberadamente buscar opções fora do sistema social e politico tradicional, provocar uma ruptura e abandono das instituições que ele aparentemente vê como podres e irremediaveis? Leia mais »

Papa rejeita ordenação de mulheres como sacerdotisas

Sugerido por Marcia

Do Uol

Papa diz que gays não devem ser julgados e "porta está fechada" para ordenação de mulheres

Em conversa com jornalistas a bordo do avião que o levou de volta do Brasil para Roma na noite de domingo (28), o papa Francisco afirmou que os gays não devem ser julgados ou marginalizados, e que devem ser integrados à sociedade. Ele ainda se manifestou a favor de um maior papel das mulheres dentro da Igreja, mas rejeitou sua ordenação como sacerdotisas. 

“Não se pode imaginar uma Igreja sem mulheres ativas”, disse o papa, depois de lembrar que a entidade já se pronunciou contra esta opção. “Esta porta está fechada.” Foi a primeira vez que Francisco falou publicamente sobre o tema. “Não podemos limitar o papel das mulheres na Igreja ao de coroinha ou de presidente de uma entidade beneficente, deve haver mais”, disse, respondendo a uma pergunta durante uma conversa notavelmente franca com os jornalistas.

A Igreja Católica prega que não pode ordenar mulheres porque Jesus escolheu apenas homens como apóstolos. Defensores do sacerdócio feminino dizem que Jesus agiu de acordo com os costumes de seu tempo. Muitos dentro da Igreja, mesmo aqueles que se opõem à ordenação de mulheres, dizem que elas devem ter papéis de liderança tanto na Igreja como na administração do Vaticano. Leia mais »

A repercussão das discursos do papa nos jornais estrangeiros

Sugerido por Marcia

Do A Tarde

Jornais de todo o mundo repercutem declarações do papa

Agência Estado

A entrevista pouco usual de quase uma hora e meia que o papa Francisco concedeu a jornalistas que o acompanhavam no voo do Rio para Roma, depois de sete dias de Jornada Mundial da Juventude, foi destaque nos principais jornais do mundo. A disposição do pontífice em falar sobre questões delicadas para a Igreja Católica, como escândalos de corrupção e de pedofilia, foi elogiada pela maior parte das publicações, que deram à coletiva adjetivos como "amável", "franca" e "notável". A posição defendida por Francisco em relação aos homossexuais dominou as reportagens, que reproduziram diversas vezes sua declaração no título. "Se uma pessoa é gay e procura Deus, quem sou eu para julgá-la". Leia mais »