Artigo sobre o conceito de geração

Por José Carlos Lima

Do Scielo.br

O conceito de geração nas teorias sobre juventude1

Carles FeixaI; Carmem LeccardiII

IProfessor de antropologia da Universidade de Lleida, Espanha. feixa@geosoc.udl.es
IIProfessora de sociologia da cultura da Universidade Milano-Bicocca. carmen.leccardi@unimib.it


RESUMO

Desde Augusto Comte e Karl Mannheim (mas também desde José Ortega y Gasset e Antonio Gramsci), o conceito de geração tem sido um tema relevante nas ciências humanas e sociais. Como metáfora para a construção social do tempo, tem sido uma das categorias mais influentes não só no debate teórico, mas também no impacto público das pesquisas sobre juventude. Mesmo que o uso e abuso do conceito esteja enraizado no contexto europeu no período entre a Grande Guerra e a Segunda Guerra Mundial, tem sido relevante nos debates ideológicos e políticos de outras regiões. Este artigo representa uma tentativa de repensar o conceito de geração a partir de uma perspectiva histórica, destacando-se sua relevância para os debates contemporâneos sobre juventude. Leia mais »

Parte dos professores da USP é contra novo projeto de cotas

Por HUGO

Da Folha

Adoção de cotas enfrenta resistência de professores da USP

FÁBIO TAKAHASHI
TALITA BEDINELLI
DE SÃO PAULO

Professores de diferentes segmentos da USP divulgaram nos últimos dias posições contrárias ao projeto de cotas para alunos de escolas públicas, desenhado pelos reitores das universidades e pelo governo do Estado.

Entre os críticos estão, por exemplo, docentes de destaque da área de humanas, o diretor interino da Faculdade de Medicina e a associação de professores --as argumentações são diferentes.

Apesar de ter sido pensado pelos administradores das escolas, a proposta, que tem o aval do governador Geraldo Alckmin (PSDB), só entrará em vigor se for aprovada internamente nos conselhos da USP, Unesp e Unicamp. Leia mais »

Efeitos da estratégia de financiamento da produção acadêmica

Comentário ao post "A questão da qualidade na produção acadêmica"

Por Guilherme Silva Araújo

Nassif,

Essa noção de que a pouca qualidade da produção acadêmica é responsabilidade da expansão desmedida da oferta de vagas tem origem em um ranço classista que persiste entre os acadêmicos. Sobre essa questão, eu acredito que a estratégia de financiamento da produção acadêmica teve consequências mais graves que o efeito-persistência da educação oferecida nos níveis básicos.

A atual estratégia de distribuição dos recursos para pesquisas teve início em meados dos anos 1990, contexto marcado por uma forte restrição de recursos para as instituições de ensino superior. Naquele momento, as autarquias responsáveis pela distribuição dos recursos definiram que os recursos públicos para a produção acadêmica, inclusive os salários de professores e pesquisadores, seriam distribuídos conforme indicadores de "produtividade" baseados em uma ponderação das atividades acadêmicas. Em paralelo, o espaço das universidades foi aberto para o financiamento privado, tanto das pesquisas quanto da manutenção do espaço físico. Leia mais »

Mackenzie cria grupo para produzir grafeno no Brasil

Por magsoa

Do site da revista Brasileiros

A revolução do grafeno

Partindo de experiências com grafite, o grafeno (derivado do carbono, identificado nos anos 1930) substituirá o silício e possibilitará um salto tecnológico sem precedentes. No Brasil, a universidade Mackenzie dá os primeiros passos para desenvolver o material

Marcelo Pinheiro

Pense em acordar e, ao escovar os dentes, ter diante dos olhos, integrada ao espelho do armário, uma interface tecnológica que permitirá acompanhar as notícias do dia, deixar recados ou organizar outras tarefas de casa. Imagine carregar no bolso da calça ou do paletó o próprio computador ou um projetor de 50 polegadas dobrado ou enrolado. E que tal ter um celular que pode ser utilizado como uma pulseira ou dormir na total escuridão em um quarto com janelas cuja transparência pode ser controlada por dispositivos integrados ao vidro, sem o auxílio de cortinas ou persianas? E o melhor, todas essas transformações acrescidas de outras vantagens: a utilização de uma matéria-prima cuja resistência é 200 vezes superior à do aço e, não bastasse, quase transparente, impermeável e extremamente flexível. Pois tudo isso, e muito mais, fará parte da rotina de consumidores globais na próxima década, graças ao grafeno, material de dimensões nanométricas (a milionésima parte de um milímetro), que substituirá o silício e, como seu antecessor, propiciará avanços científicos e tecnológicos sem precedentes, no que está sendo chamado (em alusão ao material que tornou célebre o Vale do Silício, o parque tecnológico da Califórnia, nos Estados Unidos)  “Segunda Revolução Tecnológica”.

Leia mais »
Vídeos: 
Veja o vídeo

As questões propostas pela CGU e MEC para as IFES

Por Adriano De Bortoli

Comentário ao post "A burocracia nas atividades acadêmicas"

O texto me pareceu confuso, embora o autor seja reconhecido especialista na comunidade cientiífica (fato que não o exime de ser criticado).

Fiquei curioso em saber quais as medidas tão "stalinistas" que a CGU e o MEC lançarama numa cartilha e fui ler o material.

Sinceramente não consegui ver nenhum dos personagens "orwellianos" nas 122 questões propostas pela CGU e MEC como "ORIENTAÇÕES TÉCNICAS" para as IFES.

Leia mais »

Unicamp disponibiliza obras raras para consulta na internet

Por alfeu

Do site da Unicamp

Obras raras e públicas

Biblioteca Digital da Unicamp acaba de disponibilizar para consulta pública 43 títulos da Coleção de Obras Raras da Biblioteca Central Cesar Lattes (BC-CL). Dentre os volumes digitalizados, o mais antigo foi publicado em 1559. Outro destaque é uma obra que trata da história natural do Brasil, publicada em 1648 e que traz diversas ilustrações de plantas, animais e cenas de trabalho no campo. “Estamos muito satisfeitos em colocar esse material à disposição de um público mais amplo. Por serem raros, esses livros eram acessíveis a um número muito restrito de pessoas. Agora, qualquer interessado, a despeito do lugar do mundo onde ele esteja, poderá consultá-los gratuitamente”, comemora o coordenador da BC-CL, Luiz Atilio Vicentini.

De acordo com ele, a digitalização dos 43 volumes é resultado de uma parceria entre os sistemas de bibliotecas da Unicamp, USP e Unesp, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O trabalho foi realizado no Laboratório de Digitalização do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP. “A digitalização desses 43 livros é o primeiro passo para a estruturação de um laboratório de digitalização na Unicamp, dentro do projeto de implantação da Biblioteca de Obras Raras [Bora]. Graças ao apoio da Fapesp, nós já adquirimos dois scanners, no valor de 83 mil euros, que devem entrar em operação em março e dar continuidade à digitalização das cerca de 4 mil obras raras do nosso acervo”, estima Vicentini. Leia mais »

Curso a distância supera presencial em avaliação do MEC

Por Fábio Lúcio

Da revista Ache Seu Curso

Cursos a distância superam os presenciais em todos os indicadores de qualidade do e-MEC

Tanto no conceito de curso (inclusive no preliminar) quanto no Enade, cursos a distância conseguem percentual superior de aprovação na comparação com presenciais, segundo base de dados e-MEC

Da revista Ache Seu Curso

A base de dados e-MEC, que reúne instituições de ensino e cursos de graduação com suas respectivas notas nos indicadores de qualidade utilizados pelo Ministério de Educação (MEC), aponta que, percentualmente, os cursos de educação a distância estão ligeiramente melhor conceituados do que os cursos presenciais em todos os indicadores.

O e-MEC reúne as notas nos indicadores do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), que avalia o conhecimento dos estudantes; do Conceito Preliminar de Curso (CPC), que é composto a partir dos resultados do Enade e por fatores que consideram a titulação dos professores, o percentual de docentes que cumprem regime parcial ou integral (não horistas), recursos didático-pedagógicos, infraestrutura e instalações físicas; e, por fim, as notas do Conceito de Curso (CC), composto a partir da avaliação in loco do curso pelo MEC, e que pode confirmar ou modificar o CPC. Leia mais »

Morre aos 62 anos o professor da USP Ivan Prado Teixeira

Por Nilva de Souza

DO blog Amálgama

Ivan Prado Teixeira (1950-2013)

O Ivan Teixeira que ensinaria na USP e no Texas havia se forjado em sala de aula para não especializados.

A evolução dos formandos em engenharia

Por Victor Hugo Romão (Ourinhos-SP)

O Governo Lula promoveu uma verdadeira revolução no ensino tecnológico do país. As carreiras da engenharia são cada vez mais valorizadas e número de pessoas estundo engenharia no Brasil tem crescimento exponencial.

Em 2002, apenas 84 mil pessoas ingressaram nos cursos de engenharia no Brasil. Após o Governo Lula, o número de ingressantes nos cursos de engenharia chegou a 247 mil, quase três vezes mais.

A evolução na quantidade de ingressantes em engenharia é tão impressionante que já ultrapassou o número de ingressantes nos cursos de direito. No mesmo período analisado, o número de ingressantes em direito passou de 134 mil para 162 mil.

Fonte: http://portal.inep.gov.br/superior-censosuperior-sinopse Leia mais »

Normas ABNT adaptadas para LaTeX

Por Edsonmarcon

Quem já teve que escrever trabalhos científicos conhece o desprezer de ter que seguir as normas ABNT, que são cheias de detalhes e o pior: mudam toda hora.

Com LaTeX, o escritor não se preocupa com margens, com bibliografia (se o nome do autor é em caixa alta ou não, se é em itálico ou em negrito, etc... ) não precisa se preocupar numerando figuras e tabelas, nem em criar sumários e listas, só para começar... Leia mais »

Software da PUC-RS simula situações de emergência

Por Paulo F.

Da Deutsche Welle

Softwares podem ajudar a evitar tragédias como a da boate Kiss

Programas de computador em estudo em universidades brasileiras simulam incêndios e outras situações de emergência e podem ser ferramentas úteis no controle de locais de grande aglomeração.

Tome-se como exemplo duas situações de emergência. Na primeira, num estádio de futebol lotado, as 46 mil pessoas conseguem deixar o local em minutos apesar do bloqueio de uma das saídas principais. Em outra, num teatro, os cerca de mil espectadores saem ilesos de um incêndio porque, antes, os responsáveis pela segurança da casa foram capazes de simular os padrões de propagação do fogo.

Leia mais »

Grupos pedem a Microsoft dados sobre privacidade de usuários

Por Edsonmarcon

Comentário ao post "Richard Stallman estava certo o tempo todo"

Do IDGnow!

Grupos de defesa levantam questões sobre privacidade no Skype

Grupos criticaram o software e a Microsoft por revelarem detalhes de acesso a terceiros, como governos e outras organizações

A Microsoft deve liberar informações sobre a quantidade de dados do usuário que a empresa revela a terceiros - incluindo agências governamentais, disseram à empresa diversas organizações e indivíduos, em uma carta aberta aos funcionários. Leia mais »

Stallman faz alerta sobre ameaças à liberdade digital

Por implacavel

Comentário ao post "Richard Stallman estava certo o tempo todo"

Da Carta Maior

Liberdade na internet está sob ataque, diz Richard Stallman

No lançamento da 13ª edição do Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre, um dos criadores do movimento advertiu para crescentes ameaças à liberdade digital. Para Richard Stallman, coisas muito sérias estão acontecendo na sociedade digital. “A inclusão digital pode ser boa ou ruim. Depende de onde a sociedade será incluída. O que vemos hoje é que a liberdade está sendo atacada de várias maneiras. Talvez tenhamos que diminuir a nossa inclusão para preservar nossas liberdades”

Porto Alegre - O criador do movimento software livre, Richard Stallman, participou nesta segunda-feira (4), no Palácio Piratini, do lançamento da 13ª edição do Fórum Internacional Software Livre, que será realizada de 25 a 28 de julho, no Centro de Eventos da PUC-RS, em Porto Alegre. Em um ato que contou com a presença do governador Tarso Genro, Stallman falou sobre as crescentes ameaças à liberdade na sociedade digital. 

Apenas 11% dos brasileiros chegaram ao ensino superior

Por Oswaldo Conti-Bosso
Caros,

Comentário ao post do VIOMUNDO: Brasileiros que chegaram à universidade são 11% da população

O artigo toca num dos pontos chave do sistema educacional do Brasil, num dos gargalos, mas a certo momento, lê-se no artigo que:

(...) "O Brasil, mesmo com um percentual pequeno de diplomados, tem uma população relativamente grande quando comparada à de outros países latino-americanos. “Por isso, a revolução verde ocorreu aqui e não em outro lugar”, diz ele, referindo-se a pesquisas que impulsionaram a produtividade da agricultura brasileira."

Caberia aqui aquela pergunta provocativa: que outros países cara pálida, Paraguay, Bolívia, Peru? Leia mais »

Os universitários cearenses que não concluíram o curso médio

Por Marcílio Moreira

Comentário do post "A prática confirma o desperdício de potencial na educação"

Embora as mudanças sejam lentas, a educação brasileira teve avanços consideráveis depois do ENEM.

Do Diário do Nordeste

Mais de 3 mil alunos cearenses que não concluíram o Ensino Médio já foram autorizados a entrar na universidade

A permissão foi concedida pelo Conselho Estadual de Educação nos últimos dois anos

Ilo Santiago Jr.

3,2 mil estudantes cearenses que ainda não tinham completado o ensino médio foram autorizados pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) a ingressarem em um curso superior.

O balanço é relativo aos últimos dois anos e comprova a mudança de postura da autoridade educacional em relação a pessoas que demonstram capacidade de entrar em uma faculdade, apesar de muito jovens. Em todo os casos, os alunos passaram no Enem e em testes feitos na escola de origem.

Leia mais »