PARADOXOS "MADE IN PARÁ"

  

Andiroba, murumuru, buriti, cupuaçu, babaçu, ucuuba, pracaxi, patauá, castanha, açaí, cacau são alguns dos chamados produtos da sociobiodiversidade*. Formam junto com outras espécies os pés que mantém a floresta em pé.

Tem alta demanda de mercado, principalmente pelas industrias cosméticas para produção de sabonetes, cremes, shampoos e perfumes. E não são exclusividade dos grandes, já que fazem parte dos itens produzidos também pelos povos tradicionais e agricultores familiares da Amazônia, muitos deles organizados em cooperativas comunitárias.

Diante de todo esse potencial da economia da floresta, temos apoiado as comunidades da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns (oeste do Pará) através do Programa FLORESTA ATIVA, que prevê diversas ações (Saf’s, reposição florestal, etc), entre elas a montagem de unidades de beneficiamento para agregar valor a produção (óleos vegetais e essenciais, polpas e derivados), sempre melhor do que a venda “in natura”. O desafio é promover a inclusão social a partir da produção sustentável, um passo seguinte e que vai além de programas como o Bolsa-Família.

Para isso, começamos a fazer alguns levantamentos preliminares, e nos deparamos com a seguinte situação no Pará: em função  das diferentes alíquotas do ICMS (imposto de competência estadual sobre a circulação de mercadorias), em alguns casos  SAI MAIS EM CONTA ENCAMINHAR PRODUTOS DA NOSSA SOCIOBIODIVERSIDADE PARA PROCESSAMENTO EM SÃO PAULO DO QUE ENVIÁ-LOS PARA AS INDÚSTRIAS PARAENSES. Leia mais »

As tantas Severinas que transformaram suas vidas

Do Publica.org

Severinas: as novas mulheres do sertão

Por Eliza Capai

Norma Alves Duarte, 44 anos, depois de falar que é casada com homem vaidoso e bebedor, emenda: "Fazer o que né? Destino é destino: quem traz uma sina tem que cumprir."

Titulares do Bolsa Família, as sertanejas estão começando a transformar seus papéis na família e na sociedade do interior do Piauí e se libertando da servidão ao homem, milenar como a miséria 

<<<<ASSISTA O DOCUMENTÁRIO - CLICANDO AQUI>>>>

“Cada um tem que saber o seu lugar: a mulher tem qualidade inferior, o homem tem qualidade superior.” É bem assim que fala, sem rodeios, um dos homens mais respeitados do município de Guaribas, no sertão do Piauí, pai de sete filhos (seis mulheres e um homem). “O homem é o gigante da mulher”, completa “Chefe”, como é conhecido Horacio Alves da Rocha na comunidade.

Leia mais »

Para entidades alemãs, Brasil deveria aumentar renda social

Sugestão de Marco St.

DW-Word.DE

Entidades de assistência alemãs consideram investimentos sociais insuficientes

Federação de entidades assistenciais acusa déficit de 35 bilhões anuais em investimentos no setor social no país. Entidade cobra melhor distribuição de renda, a ser financiada com aumento de impostos.

A Alemanha é um Estado de bem-estar social, como define a Lei Fundamental alemã em seus artigos 20 e 28. Para se saber o que isso significa, basta um olhar sobre o orçamento federal alemão. Com cerca de 145 bilhões de euros (R$ 456 bilhões), neste ano quase metade do orçamento será direcionada para as áreas de seguridade social, família, juventude e políticas de mercado de trabalho. No futuro, no entanto, este montante não será mais suficiente, na opinião da Paritätischer Gesamtverband, Associação Nacional de Entidades Assistenciais. Leia mais »

OMS endossa benefícios do Bolsa Família

Sugestão de Gilson AS

Rádio ONU

OMS diz que Bolsa Família reduziu número de mortes de crianças

Declaração faz parte do Relatório Mundial da Saúde 2013 divulgado pela organização; documento tem como foco a pesquisa médica para cobertura universal de saúde.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Relatório Mundial da Saúde 2013 afirmou que o programa brasileiro Bolsa Família ajudou a reduzir o número de mortes de crianças menores de cinco anos.

O documento, preparado pela Organização Mundial da Saúde, tem como foco, este ano, a cobertura universal de saúde. Segundo a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, esse é o mais importante conceito que o serviço de saúde pública tem a oferecer. Leia mais »

Explicação da PF sobre boatos é inconclusiva, afirma Dilma

Da Agência Brasil

Dilma: explicação da PF sobre boatos de fim do Bolsa Família é inconclusiva

18/07/2013 - 17h51

Danilo Macedo
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (18), em Fortaleza, que a explicação da Polícia Federal sobre os boatos do fim do Programa Bolsa Família não é conclusiva e que ninguém sabe o que realmente aconteceu. O mais importante, segundo Dilma, é que as ações do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome continuam sendo cada vez mais aperfeiçoadas para o sucesso do programa. Em maio, boatos sobre o fim do programa provocaram uma corrida às agências da Caixa Econômica Federal em busca do benefício e mais de 900 mil saques foram feitos em um fim de semana.

“A avaliação da Polícia Federal é no sentido de que as mudanças no processo levaram a uma situação de corrida à Caixa. Mas ninguém sabe direito, nem a Polícia Federal conseguiu detectar a causa real. Ela não conseguiu e deixou isso claro na avaliação. O que a investigação acha é que isso poderia ter contribuído, é um dos fatores, mas não é uma explicação conclusiva”, disse a presidenta, após evento na capital cearense.

Leia mais »

Boatos sobre Bolsa Família foram espontâneos, conclui PF

Do Jornal do Brasil

PF conclui que boatos envolvendo Bolsa Família foram espontâneos

Segundo a polícia, não há elementos que possam configurar crime ou contravenção penal

Hoje às 17h00 - Atualizada hoje às 17h14

A Polícia Federal (PF) concluiu que os boatos envolvendo o Bolsa Família foram espontâneos, e não há como afirmar que apenas uma pessoa ou grupo tenham causado a corrida às agências da Caixa Econômica Federal no dia 18 de maio, um sábado. Segundo nota divulgada nesta sexta-feira, a PF informa que o relatório final foi enviado ao Juizado Especial Criminal do Distrito Federal.

Para que fossem identificados os primeiros beneficiários, a Polícia Federal solicitou à área operacional da Caixa Econômica os registros de saques realizados no período, bem como o padrão dos saques realizados nos meses anteriores.

Do cruzamento dessas informações, a PF constatou aumento anormal no volume de saques nas cidades de Ipu (CE) e Cajazeiras (PB) já nas primeiras horas do sábado, dia 18 de maio. Essas duas cidades apresentaram, proporcionalmente, o maior número de saques dos benefícios no final de semana. A partir das 11h do mesmo dia, verificou-se aumento incomum nas demais cidades que sofreram grande procura nas agências bancárias.

Leia mais »

Bolsa Família deve ser política de estado, defende socióloga

Por Marcia

Da Carta Capital

'Bolsa Família deve ser direito constitucionalizado'

Em livro, socioóloga conta como o programa ajuda a reabilitar autoestima das mulheres beneficiadas

por Marsílea Gombata 

Uma das maiores vitrines dos governos Lula e Dilma Rousseff, o Bolsa Família deveria ser um direito constitucionalizado e não apenas um programa social. Quem defende a ideia é a socióloga Walquiria Domingues Leão Rego, professora da Unicamp e autora do livro Vozes do Bolsa Família (Editora Unesp), escrito em parceria com o professor de filosofia da UFSC Alessandro Pinzani.

“O Bolsa Família não deveria ser um programa de governo, mas uma política de Estado, assim como o salário mínimo”, explica Walquiria. O livro tem como foco a experiência das mulheres titulares do benefício.

Além de ter sido responsável pela retirada de mais de 36 milhões de brasileiros da pobreza extrema, o programa completa dez anos com o mérito de ter dado às suas beneficiárias um pouco mais de dignidade e autoestima. Leia mais »

O Bolsa Família e o coronelismo

Por Marco Antonio L.

A Bolsa ou a Vida (II)

Por Urariano Mota - Recife, No Blog de Um Sem-Mídia

Recife (PE) - Esta semana, a socióloga Walquiria Leão Rego pôs uma luz científica no programa Bolsa Família, desenvolvido pelo governo Lula. Por ocasião do lançamento do seu livro  e de Alessandro Pinzani, “Vozes do Bolsa Família”, Walquiria foi entrevistada pela Folha de São Paulo. Ali, ela afirmou que o Bolsa Família é uma ação de Estado que enfraquece o coronelismo. Espanto geral. Como assim? O programa assistencialista, o Bolsa Esmola, como o PSDB e assemelhados o chamam, que incentiva a vadiação, como poderia diminuir o poder dos chefões no Brasil profundo?

Leia mais »

Socióloga afirma que Bolsa Família enfraqueceu o coronelismo

Por Walter Decker

Da Folha

Bolsa Família enfraquece o coronelismo e rompe cultura da resignação, diz socióloga

ELEONORA DE LUCENA
DE SÃO PAULO

Dez anos após sua implantação, o Bolsa Família mudou a vida nos rincões mais pobres do país: o tradicional coronelismo perde força e a arraigada cultura da resignação está sendo abalada.

A conclusão é da socióloga Walquiria Leão Rego, 67, que escreveu, com o filósofo italiano Alessandro Pinzani, "Vozes do Bolsa Família" (Editora Unesp, 248 págs., R$ 36). O livro será lançado hoje, às 19h, na Livraria da Vila do shopping Pátio Higienópolis. No local, haverá um debate mediado por Jézio Gutierre com a participação do cientista político André Singer e da socióloga Amélia Cohn. Leia mais »

Bolsa Família é início de reparação histórica, diz socióloga

Por Marco Antonio L.

Do Sul 21

“Bolsa Família é começo de reparação histórica”, diz socióloga Walquíria Leão Rego

Rachel Duarte

Dos rincões miseráveis do Brasil emergiram as vozes de mais de uma centena de mulheres que foram ouvidas por uma pesquisadora paulista preocupada em compreender os impactos do programa Bolsa Família na vida dos 5,4 milhões de beneficiários.  Ainda alvo de críticas por vários setores, o programa de transferência de renda é considerado pela socióloga Walquíria Leão Rego como um começo de reparação social do estado brasileiro para com os mais pobres. “Estas pessoas saíram da miséria absoluta, os índices de mortalidade infantil ficaram mais baixos e isto tem impacto fundamental para um país que se diz minimamente democrático. Conviver com a miséria como o Brasil conviveu por tantos séculos, mesmo depois do fim do regime militar, deveria ser um processo que mexe com todos os brasileiros”, falou em entrevista aoSul21.

Professora do programa de pós-graduação em Sociologia da Unicamp, Walquíria Leão Rego fez a pesquisa por conta própria, sem apoio financeiro da Unicamp ou do governo federal. Financiou as viagens do próprio bolso, agendando as excursões em seus períodos de férias. A seu lado, em parte da pesquisa, esteve o filósofo italiano Alessandro Pinzani, que leciona na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).  “A qualidade de vida destas pessoas melhorou e elas não estão mais adoecendo. Esta afirmação é algo constatada não só na minha pesquisa, que não é quantitativa, mas pelo IPEA (Instituto de Pequisa Econômica e Aplicada), IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ONU (Organização das Nações Unidas), PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), todos constatam a mesma coisa”, afirma. Leia mais »

Um mapeamento das ações na internet contra o Bolsa Família

Por implacavel

Do Blog do Renato Rovai 

Alô Polícia Federal, segue mapeamento da ação na Internet contra o Bolsa Família

A Interagentes é uma empresa especializada em análise de redes que trabalha em parceria com a Publisher Brasil, editora responsável pela Fórum. Seu responsável técnico é o sociólogo Tiago Pimentel, que acaba de me enviar um relatório produzido a partir da análise que realizou dos termos relacionados ao Bolsa Família, nos dias em que houve a boataria que levou milhares de pessoas às agências da CEF. A análise do Tiago corrobora a tese de que houve uma ação offline antes da história ganhar a rede. Segue o relatório da Interagentes com o incremento de algumas observações realizadas por este blogueiro.

Atividade suspeita na rede

Desde a quarta-feira (15) circulava no Twitter uma mensagem curta e enigmática: ‘Bolsa família começa sexta’. A mensagem, que dizia apenas isso, foi postada por um perfil que vamos denominar aqui de líder e foi retuitado por 14 outros perfis que pareciam pertencer a uma rede de perfis falsos destinados a retuitar todas as mensagens do perfil líder, cujos indícios apontam ser  da Paraíba. Curiosamente, a Paraiba é o mesmo Estado que, dias depois, voltaria a aparecer em nossa pesquisa como o primeiro a espalhar os boatos do fim do Programa Bolsa Família. Leia mais »

Um balanço dos dez anos do Bolsa Família

Por Assis Ribeiro

Da Carta Maior

Os dez anos que mudaram o Brasil

Eric Nepomuceno

Instalado formalmente em outubro de 2003, a dez meses da chegada de Lula da Silva à presidência, o programa Bolsa Família, vítima de boatos nos últimos dias, beneficiou até agora um pouco mais de 50 milhões de pessoas e ajudou a mudar a cara do país.

O Bolsa Família, de longe o mais amplo programa de transferência de renda da história brasileira, completa dez anos. Instalado formalmente em outubro de 2003, a dez meses da chegada de Lula da Silva à presidência, beneficiou até agora um pouco mais de 50 milhões de pessoas e ajudou a mudar a cara do país. São dois os requisitos básicos para aceder ao benefício: ter uma renda familiar inferior a 35 dólares por integrante da família e que as crianças frequentem uma escola pelo menos até completar o ensino fundamental.

Se no primeiro ano o programa chegou a três milhões e 600 mil domicílios brasileiros, faltando pouco para completar uma década alcança 13 milhões e novecentos mil em todo o território do país. Considerando-se a média de quatro integrantes por família, se chega a 52 milhões de pessoas, uma população superior a da Argentina. Quase meio México. Leia mais »

Telefonemas podem ter gerado boato sobre Bolsa Família

Por Sandro_Araujo

Do iG

Gravação por telefone é origem de boatos sobre fim do Bolsa Família

Pelo menos duas testemunhas afirmaram terem recebido a falsa informação sobre o fim do Bolsa Família, que gerou tumultos em bancos no fim de semana, por meio de telefonemas

Ricardo Galhardo - iG São Paulo | 24/05/2013 16:41:08 - Atualizada às 24/05/2013 17:20:29

A Polícia Federal (PF) identificou pelo menos duas pessoas que afirmam ter recebido telefonemas no último final de semana com mensagens gravadas sobre o fim do Bolsa Família . De acordo com as investigações iniciais, a hipótese mais provável é que o boato partiu de uma central de telemarketing, via telefones celulares, e a partir de então se espalhou boca a boca e por redes sociais da internet.

A PF ainda não identificou a motivação do boato. “Ainda não sabemos o que motivou a boataria. Pode ser disputa política, alguém com interesses comerciais ou até o crime organizado”, disse uma fonte com amplo acesso à investigação.

Leia mais »

Impacto do Bolsa Família na redução da mortalidade infantil

Por Marco St.

Do IPC-IG

Estudo avalia impacto do Programa Bolsa Família na redução da mortalidade infantil

Artigo de pesquisadores do INCT-CITECS é publicado pela Revista inglesa The Lancet

Brasília, 15 de maio – Estudo inédito avalia a relação entre o Programa Bolsa Família (PBF) e a redução da mortalidade entre crianças brasileiras menores de cinco anos. A pesquisa, que se concentrou no estudo do período de 2004 a 2009, teve como objetivo avaliar o efeito do PBF sob as taxas de mortalidade em crianças menores de cinco anos nos municípios brasileiros, centrando-se em causas associadas à pobreza, como a desnutrição, diarreia e infecções respiratórias, além de alguns dos potenciais mecanismos intermediários, tais como vacinação, assistência pré-natal e internamentos hospitalares. Dados de quase 3000 municípios brasileiros e avançados métodos analíticos foram utilizados.

De acordo com os resultados da pesquisa publicada na revista The Lancet, o Bolsa Família reduziu 19,4% a mortalidade geral entre crianças nos municípios aonde tinha alta cobertura, sendo que esta redução foi ainda maior quando considerou-se a mortalidade especifica por algumas causas como desnutrição (65%) e diarreia (53%). O Programa Saúde da Família (PSF) contribuiu também na redução da mortalidade em menores de cinco anos em efeito sinérgico com o PBF. A explicação do efeito do PBF é que o aumento da renda possibilitada pela transferência de benefícios permite o acesso a alimentos e outros bens relacionados com a saúde. Esses fatores ajudam na redução da pobreza das famílias, melhora as condições de vida, elimina as dificuldades no acesso à saúde e consequentemente, contribui para diminuição das mortes entre crianças. Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo

Bolsa Família: MDS já havia transferido 70% dos recursos

Do Jornal GGN

Bolsa Família: MDS já havia transferido 70% dos recursos

Victor Saavedra

Durante o último sábado (18) um boato, que rapidamente se espalhou por diversos estados brasileiros, fez com que os beneficiários do programa de redistribuição de renda Bolsa Família concorressem em massa às agências da Caixa Econômica Federal. Diante da anormalidade constatada pela equipe de plantão, o banco decidiu liberar antecipadamente os recursos referentes ao mês de maio para evitar riscos à integridade física dos beneficiários, independente do calendário de pagamento, em todo o Brasil, durante o fim de semana. Em entrevista ao Jornal GGN o secretário de Renda e Cidadania, Luis Henrique Paiva, confirmou que o governo foi informado dessa liberação no próprio sábado.

Para o secretário, apesar do número excepcionalmente maior de saques do Bolsa Família, a Caixa Econômica Federal já contava com os recursos necessários para o pagamento do beneficio, pois o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) transfere 70% da verba no primeiro dia de saques dos beneficiários. Essa medida, que segundo Paiva é um procedimento normal adotado pelo programa, evitou que fossem necessários aportes do banco durante o fim de semana. Leia mais »