O empreendedorismo como porta de saída do Bolsa Família

De O Globo

Governo quer que beneficiários do Bolsa Família virem empresários

Mas o medo de perder renda certa ainda impede medida de deslanchar

<br />
Luiz Barretto, presidente do Sebrae Nacional: governo identificou que 103 mil beneficiários do Bolsa Família viraram empresários<br />
Foto: Divulgação / Agência O Globo
Luiz Barretto, presidente do Sebrae Nacional: governo identificou que 103 mil beneficiários do Bolsa Família viraram empresários Divulgação / Agência O Globo

BRASÍLIA — Até o fim do mandato da presidente Dilma Rousseff, o governo quer transformar 400 mil pessoas dependentes do Bolsa Família em empresários. A estratégia para criar uma porta de saída para o programa de complementação de renda é usar a Lei do microempreendedor individual. Até agora, o governo identificou 103 mil pessoas que – espontaneamente – se formalizaram para prestar algum tipo de serviço. A estimativa conservadora é que esses novos empresários já movimentem R$ 1,8 bilhão na economia por ano. No entanto, o principal obstáculo para o sucesso da iniciativa é o medo de quem depende do dinheiro do governo tem de perder seu sustento.

Leia mais »

Economia desacelerada, foco no social

Por Assis Ribeiro

Isabela Vieira

Caxambu (MG) – A eliminação da extrema pobreza no Brasil depende do aumento do benefício do Bolsa Família e da inclusão de mais pessoas no programa, na avaliação do pesquisador da Diretoria de Estudos Sociais do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), Rafael Osório.

Diante das projeções de menor crescimento da economia nos próximos anos em função da crise financeira e do seu impacto sobre o emprego, o técnico não acredita que o lucro com o trabalho será suficiente para a elevar a renda de brasileiros extremamente pobres para mais de R$ 70.

Leia mais »

Os controles no Bolsa Família

Por wilson yoshio.b...

Da Advocacia Geral da União

Controle de legalidade Advogados da União conseguem condenação subsidiária de município de Sergipe por concessão irregular do programa Bolsa Família  

Data da publicação: 17/10/2011

A Advocacia-Geral da União (AGU) conseguiu, na Justiça, a condenação subsidiária do município de Macambira (SE) ao ressarcimento de valores recebidos por famílias que estavam indevidamente inseridas no Programa Bolsa Família do Governo Federal.

Após denúncias, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apurou que havia famílias recebendo o benefício assistencial, sem preencher os requisitos do programa, inclusive, servidores daquele município. Tal ato motivou o ajuizamento da ação por parte da Procuradoria da União em Sergipe (PU/SE). Leia mais »

Da arte de transformar limonada em limão

Por Joaquim Neiva

Nassif e demais,

Esta é mais uma da série "a arte midiática de transformar limonada em limão".

Do iG

Maior número de crianças no Bolsa Família dificultará controle

Ao assumir compromisso com saúde e educação, beneficiário é estimulado a se tornar independente de ajuda do governo

Danilo Fariello e Naiara Leão, iG Brasília |

Leia mais »

O programa de erradicação da miséria

Da BBC Brasil

Governo lança programa com meta de erradicar miséria até 2014 

João Fellet 

Moradora de um bairro pobre de Sobradinho, uma das cidades-satélites de Brasília, Rosineide Lima da Silva testemunhou nos últimos anos os efeitos que programas de transferência de renda e a boa situação econômica do país tiveram em sua vizinhança: muitas famílias reformaram suas casas, compraram veículos e eletrodomésticos.

Mas ela afirma que foi excluída do progresso – sem conseguir se cadastrar para receber o Bolsa Família (diz que se inscreveu em um centro federal, mas jamais obteve o benefício), depende dos R$ 250 mensais que ganha como manicure para sustentar, sozinha, os três filhos pequenos. "Nunca ganhei um centavo do governo. E todo mês a vida fica mais cara", queixa-se. Leia mais »

O desafio da erradicação da miséria

Do Valor

Bolsa Família e a erradicação da extrema pobreza

Tiago Falcão
26/04/2011

Séculos de escravidão, encerrada sem preocupação da aristocracia em prover qualquer tipo de apoio aos libertados, seguidos por décadas de industrialização rápida e intensa, com urbanização desordenada e concentração de renda, forjaram no Brasil uma dívida social das mais expressivas de que se tem notícia. Somente a partir de 1930 começam a surgir as primeiras políticas sociais para lidar com esse passivo. Eram, no entanto, construções clientelistas ou focadas no mundo do trabalho formal e urbano, deixando de fora quem mais precisava delas: a imensa maioria de pobres que à época ainda vivia no campo.

Aos poucos, nosso país avançou no desenho de políticas públicas mais inclusivas e, nos últimos oito anos, o ambiente de crescimento econômico sustentável e o amparo propiciado por uma extensa e robusta rede de proteção social tiraram milhões de brasileiros da pobreza. Um componente fundamental dessa rede é o Programa Bolsa Família. Criado em outubro de 2003, ele atende hoje 13 milhões de famílias, cerca de 50 milhões de brasileiros - um quarto da nossa população -, ao custo de 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB).

Leia mais »

Brasilianas.org entrevista Patrus

Por Dayana Aquino, no Brasilianas.org
Da Agência Dinheiro Vivo

[ministro-patrus-ananias.jpg]

Foto: Bruno Spada/MDS

Principal personagem da maior bandeira do governo Lula, o ex-ministro de Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Patrus Ananias, contabilizou algumas conquistas nos seis anos em que esteve à frente da pasta, ganhando admiradores, inclusive entre a oposição.

De volta à Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Ananias conversou com o Brasilianas.org sobre as políticas sociais que comandou e sobre os desafios que devem ser enfrentados na gestão da presidente Dilma Roussef. Leia mais »

Juros bancariam Bolsa Família 15 vezes

Do Valor

Valor gasto com juros pagaria 15 programas como o Bolsa Família

Sergio Lamucci | De São Paulo
19/04/2011 

Os gastos com juros do setor público devem atingir cerca de R$ 230 bilhões neste ano, o equivalente a 5,6% do Produto Interno Bruto (PIB), quase 15 vezes os R$ 15,5 bilhões que o governo federal deve destinar ao Bolsa Família em 2011. É um aumento considerável em relação aos R$ 195 bilhões de 2010, ou 5,3% do PIB. Neste ano, ciclo de aumento da taxa Selic e a inflação em alta contribuem para elevar os gastos financeiros do setor público. Leia mais »

Governo Dilma: a popularidade construída ao longo dos últimos oito anos

Os bons ventos da economia e das políticas sociais movendo as velas da popularidade do governo

A economia do país continua dando boas notícias.  Em março a venda de veículos superou os números de março de 2010 e estabeleceu novo recorde, o setor automobilístico continua em grande fase de expansão de mercado, consequentemente, gerando empregos e renda.

Um pouco antes, mês de fevereiro, a indústria teve um avanço significativo de 1,9% sobre janeiro, bem acima das previsões do mercado. Leia mais »

As crianças de rua no Bolsa Família

Por Calvin

Desafio é isso aqui: 

Do Correio Braziliense

26% dos responsáveis por criança que mendiga nas ruas recebe Bolsa Família

Especialistas defendem melhor estruturação do programa

Renata Mariz Leia mais »

O desafio de erradicar a extrema pobreza

Coluna Econômica

No início de governo, Dilma Rousseff definiu alguns eixos centrais para sua gestão. Constituiu um grupo interministerial para cada eixo e conferiu a coordenação ao Ministério da área.

Um dos programas centrais será o de erradicação da miséria absoluta, a inclusão de uma multidão sem nome, sem cidadania. A coordenação foi conferida à Ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello.

***

Leia mais »

Aumento da fome no mundo

 

Pela primeira vez, nos últimos 10 mil anos, a humanidade pode satisfazer a necessidade alimentar de todos. Contudo, as previsões menos catastróficas, demonstram que a cada seis segundos uma criança morre de fome no mundo. Seis segundos. Ao total são 925 milhões de crianças, homens e mulheres que acordam e dormem todos os dias com fome. Por incrível que possa parecer, o cenário era ainda mais grave, pois pela primeira vez em 15 anos o número de pessoas com fome no mundo caiu. É isso o que nos informa a FAO (Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura).

A causa da fome está na falta de dinheiro para comprá-los. Como na sociedade capitalista os alimentos também são mercadorias, somente podem obtê-los quem pode pagar. Mesmo que estejam sobrando.

  Leia mais »

Reajuste do Bolsa Família: governo preserva os mais pobres do "remédio amargo"

Mais pobres preservados do sacrifício fiscal do governo (foto: O Globo)A coexistência de medidas fiscais duras e das políticas sociais mais incisivas

Apesar de toda polêmica e discussão acerca do corte de cerca de R$50 bilhões do orçamento, o governo anunciou o reajuste de até 45% dos valores pagos pelo Bolsa Família, programa do governo de combate a pobreza e incentivo a educação dos mais pobres. Leia mais »

Sobre o ocaso de Patrus Ananias

Do Valor

A retirada de Patrus Ananias

César Felício
04/02/2011

Há políticos que procuram construir sua imagem pública como realizadores de obras, ou com a identificação com uma determinada classe ou grupo social, ou alinhando-se a uma corrente ideológica. E há os que se consolidam investindo na construção de uma personalidade atraente para a opinião pública, a encarnação de um conjunto de virtudes. Os mais bem sucedidos costumam ser os que fazem uma composição de todos os fatores ao longo da vida pública, ou com ao menos mais de um deles.

Ex-ministro do Desenvolvimento Social por seis anos, o advogado mineiro Patrus Ananias é um dos que encarnam a figura do homem virtuoso, de maneira análoga à dos senadores Eduardo Suplicy e Pedro Simon, entre poucos outros. A começar pela austeridade: ele atualmente pode ser encontrado nos dias úteis, das 8h às 14h, dando expediente na Escola do Legislativo da Assembleia mineira, onde entrou por concurso em 1982 e para onde sempre volta quando está sem mandato.

Leia mais »