Crise européia. Desemprego castiga severamente mais jovens

Taxa de desemprego passa de 1/5 da população economicamente ativa da Espanha, entre os mais jovens o drama é ainda maior, chega a 50%. Leia mais »

Taxa de desemprego entre jovens na Itália é de 31%

Por Paulo F.

Do Comunità Italiana

Oitenta mil jovens perdem o emprego em nove meses na Itália  

Dados revelados hoje pelo presidente do Instituto Nacional Italiano de Estatísticas (Istat), Enrico Giovannini, na Comissão de Orçamento da Câmara dos Deputados apontam que a taxa de jovens empregados entre 18 e 29 anos continua diminuindo. 

O índice de italianos empregados nesta faixa etária, na média dos três primeiros trimestres de 2011, diminuiu em 2,5%, o equivalente a 80 mil unidades. 

Ao avaliar a parcela de jovens entre 15 e 24 anos, o desemprego na Itália é de 31%, "o índice mais elevado depois da Espanha", acrescentou Giovannini.(ANSA) Leia mais »

Fantasma do neoliberalismo assombra portugueses

Autor: 

Governo português supera a receita recessiva do FMI e propõe  perda de direitos dos trabalhadores  e salário mínimo poderá ficar abaixo da linha de pobreza da zona do euro
Leia mais »

Taxa de desemprego: 2011 registra média de 6%

Do IBGE

Desocupação fica em 4,7% em dezembro e fecha 2011 com média de 6,0%

A taxa de desocupação foi estimada em 4,7% em dezembro de 2011, a menor para o mês de dezembro e também a menor taxa de toda a série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) iniciada em março de 2002, registrando queda de 0,5 ponto percentual em relação ao resultado apurado em novembro (5,2%) e de 0,6 ponto percentual na comparação com dezembro de 2010 (5,3%).

Com esse resultado, na média dos 12 meses de 2011, a taxa de desocupação ficou em 6,0%, também a menor média anual, inferior em 0,8 ponto percentual à observada em 2010 (6,7%) e 6,4 pontos percentuais abaixo da média de 2003 (12,4%) Leia mais »

"Portugal exporta desemprego para Angola", diz economista

Por Paulo F.

Do Diário de Notícias de Lisboa

"Portugal está a exportar o seu desemprego para Angola"

por Lusa Ontem

O economista angolano Manuel Alves da Rocha alertou hoje que "Portugal está a exportar o seu desemprego para Angola", o que poderá provocar "fissuras sociais", e defendeu que Luanda deve reservar empregos para os nacionais.

Numa altura em que governantes portugueses apontam a emigração como uma possível saída para a crise, Alves da Rocha recordou que "Angola tem uma elevadíssima taxa de desemprego", estimada em 26 por cento, e que a comunidade portuguesa no país já está avaliada em cerca de 130 mil pessoas.

Trata-se, sublinhou, de uma comunidade "com uma componente técnica muito importante", que acaba por "barrar a entrada de quadros angolanos" no mercado de trabalho.

Defendeu que o governo português está a tentar encontrar na emigração "uma saída para diminuir as tensões sociais" decorrentes da crise, mas alertou que Angola poderá sofrer as consequências dessa aposta. Leia mais »

estudantes se prostituem para manter estudos na Inglaterra

Governo conservador do Reino Unido, promove cortes indiscriminados e jovens se prostituem para manter estudos: o capitalismo em crise

Leia mais »

Inglaterra: um milhão de jovens desempregados

Por Webster Franklin

Da Carta Maior

Desemprego atinge mais de um milhão de jovens na Inglaterra

A crise econômica está golpeando com força os jovens. No Reino Unido, o desemprego juvenil superou a barreira do milhão de pessoas e ninguém parece ter esperança de que as coisas melhorem neste 2012. Uns porque nunca tiveram expectativa de outra coisa, outros porque as portas abertas estão fechando e não há maneira de abri-las: este ano a matrícula universitária custará uns 16 mil dólares e a ajuda estudantil secundária desapareceu. O artigo é de Marcelo Justo.

Crise traz portugueses ao Brasil

Por Marcos Doniseti

Do Público

A avalanche dos novos portugueses no Brasil

Por Alexandra Lucas Coelho, no Rio de Janeiro, do Público 

Enquanto a crise em Portugal estiver feia, a pressão dos ilegais tenderá a crescer

Enquanto a crise em Portugal estiver feia, a pressão dos ilegais tenderá a crescer (Foto: Rui Gaudêncio)

Só na primeira metade deste ano, mais de 50 mil portugueses pediram residência no Brasil. E multiplicam-se os trabalhadores ilegais. Vistos e burocracia têm sido o grande travão. Arquitectos, engenheiros, gestores parecem dominar. Mas há quem chegue com o 12º ano.
Leia mais »

A avalanche dos novos portugueses no Brasil

A avalanche dos novos portugueses no Brasil

29.12.2011 - Por Alexandra Lucas Coelho, no Rio de Janeiro, do Público Leia mais »

A inflação e Maria Antonieta

Autor: 

Ex-ministro do Trabalho (!) do Governo FHC e depois Secretário de Política Econômica  do Ministério da fazenda da era tucana, o Sr. Leia mais »

Imagens: 
A inflação e Maria Antonieta

Grã-Bretanha tem recorde de jovens desempregados

Da AFP / UOL

O índice de desemprego subiu a 8,3% na Grã-Bretanha nos três meses concluídos em setembro e o número de jovens entre 16 e 24 anos sem trabalho estabeleceu um recorde histórico, ao superar um milhão, segundo dados oficiais.

A taxa de 8,3%, uma alta de dois décimos na comparação com o período junho-agosto, é também a maior desde 1996.

O número total de desempregados também aumentou em 129 mil pessoas de julho a setembro, a maior alta registrada desde julho de 2009, e ficou em 2,62 milhões, maior número em 17 anos.

Leia mais »

Cor e raça - Negros e pardos sofrem mais com desemprego

Nassif, uma boa pesquisa.

Abraços, Gustavo Cherubine.

http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/nacional/noticia/2011/11/...

pesquisa
Desemprego é maior em cidades com mais negros ou pardos, aponta pesquisa da FGV
O estudo dissociou a questão de escolaridade do desemprego, mostrando que a falta de trabalho tem relação com a cor
Publicado em 07/11/2011, às 17h46
Agência Brasil
/ Foto: reprodução da internet
Foto: reprodução da internet

Uma pesquisa divulgada nesta segunda (7) pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) apontou que o desemprego é maior em metrópoles com maior número de pessoas negras ou pardas. O estudo, coordenado pelo economista Fernando de Holanda Barbosa Filho, dissociou a questão de escolaridade do desemprego, mostrando que a falta de trabalho tem relação com a cor, sem relação obrigatória com os anos de estudo. Leia mais »

Europa em crise, Hotel do Povo de Madri: "Nenhuma família na rua"

Movimento "indignados" invade Hotel em Madrid para abrigar famílias despejadas

Leia mais »

Crise corrói 80 milhões de empregos

Por Webster Franklin

Da Carta Maior

OIT: faltam 80 milhões de empregos para o mundo retornar aos níveis pré-crise

A recuperação da economia mundial está mais distante do que se imaginava. Do ponto de vista do emprego, pelo menos, a superação da crise só ocorrerá por volta de 2016. Isso, desde que se cumpra o requisito da geração de 80 milhões de vagas para que os níveis de ocupação retornem ao patamar anterior ao colapso neoliberal. É o que diz o informe da OIT divulgado nesta 2ª feira. Leia mais »

Zona do euro: desemprego atinge 10,2%

Da Reuters/UOL

Inflação segue em 3% na zona do euro; desemprego sobe a 10,2%

BRUXELAS, 31 de outubro (Reuters) - A inflação ao consumidor nos 17 países da zona do euro permaneceu em 3 por cento em outubro, segundo dados da agência de estatísticas Eurostat, sugerindo que o Banco Central Europeu (BCE) pode esperar até dezembro para elevar o juro básico.

Economistas ouvidos pela Reuters previam recuo para 2,9 por cento, ante leitura de 3 por cento em setembro.

Muitos economistas esperam que o BCE eleve os juros em breve para dar apoio à economia da zona do euro, enquanto a crise de dívida da região reduz a confiança dos empresários e gera chances de outra recessão.

Mas a inflação acima da meta de pouco abaixo de 2 por cento torna essa decisão mais difícil para o BCE.

Economistas dizem que a alta dos preços diminuirá conforme a economia desacelera. Leia mais »