A popularidade de Lula, Dilma e Barbosa

Por Marco Antonio L.

Do Diário do Centro do Mundo

Lula e Dilma parecem estar sobrando na preferência dos brasileiros. Barbosa até aqui não pegou

Paulo Nogueira

Quanto o Diário capta a voz rouca das ruas?

É possível que uma pista para a resposta esteja na enquete que promovemos ao longo de uma semana para ver qual era a Personalidade do Ano na avaliação de nossos leitores.

Tivemos o cuidado de abrir as escolhas com Joaquim Barbosa, pelo desempenho no Mensalão. O Supremo, como um todo, foi também apareceu como uma opção.

Mas o resultado final foi o mesmo que a recente pesquisa do Datafolha apontou: Lula e Dilma estão, pelo menos até aqui, sobrando. Leia mais »

PT venceria hoje em 1º turno de eleições presidenciais

Por Murdok

Com Lula ou Dilma, PT hoje venceria no primeiro turno

FERNANDO RODRIGUES

DE BRASÍLIA, Folha de S. Paulo

Se a eleição presidencial fosse hoje, o PT teria dois nomes com chance de vencer no primeiro turno. Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva têm no momento mais intenções de voto do que todos os possíveis adversários somados, aponta pesquisa Datafolha feita na quinta-feira.

Dilma vai de 53% a 57%, conforme o cenário. Lula teria 56% se disputasse a Presidência. No Brasil, vence no primeiro turno o candidato que tem mais da metade dos votos válidos. O PT ganhou três disputas para o Planalto (2002, 2006 e 2010), mas só no segundo turno.

O Datafolha ouviu 2.588 pessoas em 160 cidades no dia 13. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Leia mais »

O povo não tá nem aí para Merval e a Veja

Merval Pereira, acompanhado por amigos que lutam contra a redução da tarifa de energia elétrica, deve estar bastante contrariado: afinal Dilma permanece muito popular, apesar de seus esforços. Leia mais »

Um discurso de Natal e tantas elocubrações

Do Estadão

Dilma prepara discurso otimista e PT 'acalma' revoltados para preservar Lula

Planalto comanda defesa do ex-presidente, após avaliação de que oposição quer desconstruir sua imagem para enfraquecer campanha à reeleição; ao mesmo tempo, partido tenta conter insatisfeitos que podem trazer a público novas denúncias

Vera Rosa - O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA - Na tentativa de conter o desgaste na seara política, a presidente Dilma Rousseff usará o pronunciamento de fim de ano para fazer um balanço otimista da primeira metade de seu mandato, apesar do fiasco na economia, e destacar que o País criou alicerces para o crescimento. Dilma avalia que a oposição só está empenhada em desconstruir a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para enfraquecê-la na disputa pela reeleição, em 2014, e quer mostrar que o Brasil vive hoje uma “nova fase”.

O pronunciamento de Dilma,em rede nacional de rádio e TV, ocorrerá perto do Natal, como de praxe, e será gravado nesta semana. No momento em que a economia tem desempenho pífio, o PT é alvejado pelo julgamento do mensalão e Lula fica na berlinda, denunciado pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, o marqueteiro João Santana alertou o governo sobre a necessidade de jogar os holofotes sobre as conquistas da gestão Dilma.

Leia mais »

Dilma no Le Monde

Por Marco Antonio L.

Do Diário do Centro do Mundo

A entrevista de Dilma ao Le Monde

Dilma parece ter descoberto que só vai conseguir mesmo ser ouvida direito na mídia internacional

Dilma com o presidente francês Hollande, em Paris

Há algo de muito errado ou na presidenta Dilma ou na mídia brasileira quando, para dar uma entrevista relevante, ela opta por publicações estrangeiras, como foi o caso, agora, do Le Monde. Leia mais »

Dilma: políticas de austeridade já mostram seus limites

Do Valor

Políticas de austeridade já "mostram seus limites", afirma Dilma em Paris

Por Alda do Amaral Rocha | Para o Valor, de Paris

A presidente Dilma Rousseff disse, ontem, em Paris, que sair da atual crise é um processo mais demorado do que na crise de 2008 e 2009, e que as politicas de austeridade implementadas por vários países já mostraram seus limites. "Agora, temos crise crônica, com redução muito grande dos mercados", afirmou.

Dilma, que passou boa parte do dia ao lado do presidente francês François Hollande, a quem faz uma visita de Estado, também descartou uma decisao imediata sobre a compra dos caças que a França tenta vender ao Brasil.

Depois de desaceleração "intensa" no fim de 2011 e inicio de 2012, Dilma considera que a economia brasileira começou a reagir. "Chegamos neste trimestre a 0,6% de crescimento, o que é significativo, se comparadas as taxas trimestrais", afirmou em entrevista coletiva, ao lado de Hollande, no fim da tarde, na sede do governo francês. Leia mais »

Dilma rechaça conselheiros do fracasso

Dilma e Mantega, desenvolvimentistas que incomodam entreguistas e "conselheiros do fracasso" , nacionais e internacionais. Leia mais »

A reunião de Dilma com ACM Neto e Jaques Wagner

Por Luiz Conceição

Desculpe falar de outro tema, mas é urgente. O governador da Bahia, Jaques Wagner, levou o deputado federal, lider do DEM e prefeito eleito de Salvador, ACM Neto, a uma audiência com a presidente Dilma. A foto publicada no site do Planalto revela a incontida felicidade do parlamentar baiano, que no passado chegou ameaçar dar uma surra no ex-presidente Lula (PT). Como diriam os cariocas, o prefeito da capital baiana está mais feliz que pinto no lixo... segue link da foto. http://www2.planalto.gov.br/multimidia/galeria-de-fotos/governador-da-bahia

--

Da Agência Brasil

Dilma recebe Jaques Wagner e ACM Neto e discutem projetos para Salvador

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff recebeu hoje (6) o prefeito eleito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), em uma reunião intermediada pelo governador do estado, Jaques Wagner, para discutir projetos para a capital baiana.

Os três conversaram sobre projetos nas áreas de mobilidade urbana, saúde, infraestrutura e habitação. A revitalização da orla e a operação do metrô de Salvador estão entre as prioridades, segundo relato de Wagner e ACM Neto. Leia mais »

Tucanos jogam contra o povo e o empresariado brasileiros

Dilma editou medida provisória para reduzir as tarifas de energia elétrica já em 2013 de contratos que se encerram entre 2015 e 2107.  Mas adivinhem quem é contra e faz o que pode para evitar redução maior das tarifas??? Leia mais »

Dilma vetou e elegeu educação como prioridade máxima

Dilma, habilidosamente, colocou a opinião pública contra aqueles que manobraram no Congresso para que os recursos dos royalties não fossem totalmente destinados para a educação. Leia mais »

Dilma e Lula: avanços históricos, aprovação histórica

Crescimento econômico com distribuição de renda, 18 milhões de empregos formais gerados, redução da desigualdade social entre outros fatores, explicam aprovação extraordinária de Dilma e Lula. Leia mais »

O começo de um novo ciclo na democracia nacional

Por Marco Antonio L.

Do Sul 21

Um novo ciclo?

Paulo Timm

Falta muito para as próximas eleições à Presidência da República. Dilma, afinal, está no meio da viagem. Mas se as eleições fossem hoje ela seria uma séria candidata à reeleição. Para um “poste”, como diziam ela ser, sem luz própria, chegou muito longe. O IBOPE acaba de divulgar uma prévia de preferência eleitoral, publicado no Estado de São Paulo no último dia 25, que pouca gente notou. Vejamos:

PESQUISA IBOPE PARA PRESIDENTE: NOVEMBRO-2012

1. Se a eleição para presidente fosse hoje, em quem votaria (espontânea): Não sabe/não respondeu 40%, Dilma 26%, Lula 19%, Serra 4%, Branco/Nulo 4%, Aécio 3%, Marina 2%, outros 2%;

2. Pesquisa Ibope (estimulada): Dilma 58%, Marina 11%, não sabe/não respondeu 11%, Aécio 9%, branco/nulo 8%, Eduardo Campos 3%.

Na verdade, esta pesquisa lança mais lenha no fogo das “veleidades” dentro do PT. Diz-se que algumas lideranças superiores do Partido não estão muito satisfeitas com as evasivas da Presidenta diante do “Mensalão”, agravadas com a vacilação dela em se envolver mais a fundo na campanha de Haddad para a Prefeitura de São Paulo. As tensões não teriam alcançado, ainda, as relações de Dilma com Lula, aparentemente inabaláveis. Mas o futuro, diz o povo, a Deus pertence. Leia mais »

El País elogia visão estratégica de Dilma

Por Oswaldo Alves

Quando o olhar estrangeiro percebe com simplicidade o que custa ser reconhecido no nosso próprio quintal:

Do El País

Un ejemplo de líder y de país

Bruno Ayllón Pino

Fui uno de los afortunados que participó en el seminario Brasil, por la senda del crecimientoorganizado por EL PAÍS en el contexto de la visita de la presidenta Dilma Rousseff.

Me considero una persona racional y científica, pero no pude contener la emoción al escuchar el discurso de la presidenta y al procesar mentalmente todos los avances de aquel país que pisé por primera vez hace más de 25 años.

Y sentí también una envidia sana. De una presidenta con visión estratégica, con personalidad, afirmativa y altanera sin pretenciosidad. De un país pujante, que confía en sus capacidades y recursos, que planifica elementos centrales del crecimiento económico, la inclusión social y la proyección exterior. Toda una experiencia de desarrollo y de presencia soberana en el mundo que nuestra pobre España debería conocer y aplicar.

Nos faltan gobernantes con grandeza de miras, sin complejos ni ambigüedades, que lideren un proceso de reflexión y acción participativa para pensarnos estratégicamente como ciudadanos españoles en este siglo XXI en el que no sabemos como sociedad hacia dónde queremos caminar. Sin rumbo y sin planificación, cualquier camino nos conducirá a ningún lugar. Necesitamos “empaparnos” del ejemplo brasileño y de sus políticas y experiencias.— Bruno Ayllón Pino. Leia mais »

Crises e oportunidades:Dilma é aprovada com louvor pelo povo

Em recente matéria estampada em sua capa, o jornal El País, da Espanha, destacou a firmeza com que Dilma administra o Brasil e os bons resultados que colhe, por conta de seu estilo. Leia mais »

Weber foi vetado por Dilma, quando na Casa Civil

Por Assis Ribeiro

Do Correio Braziliense

Weber já perdeu cargo antes

Ana D'Angelo

Adjunto de Adams foi exonerado do posto de procurador-geral federal em 2003, suspeito de envolvimento em desvio de verbas 

Segundo na hierarquia da Advocacia-Geral da União (AGU), José Weber Holanda Alves já perdeu um posto de alto escalão no órgão, em agosto de 2003, devido à suspeita de participação em operações envolvendo desvio de dinheiro público denunciadas em reportagens do Correio. Ele retornou à cúpula da AGU no fim de 2009, trazido pelo recém-nomeado advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que já o queria como seu adjunto. Porém, a Casa Civil, então comandada pela atual presidente Dilma Rousseff, vetou a indicação, justamente por causa do histórico de Weber. Ele foi, então, alocado no cargo de assessor do gabinete de Adams.

Com a saída de Dilma Rousseff da Casa Civil para disputar as eleições presidenciais, Luís Inácio Adams conseguiu, finalmente, emplacar José Weber Alves, em julho de 2010, como seu substituto na estrutura hierárquica do órgão. Quem autorizou a nomeação foi a substituta de Dilma na Casa Civil, Erenice Guerra, que caiu dois meses depois, também por envolvimento em denúncias de corrupção.

Leia mais »