FMI deve fazer esforços contra guerra cambial, diz Dilma

Do Valor

Contra guerra cambial, Dilma pede articulação entre FMI, G-20 e Bird

Por Ana Conceição e Carmem Munari | Valor

SÃO PAULO - A presidente Dilma Rousseff pediu nesta terça-feira, em discurso de abertura da 67ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que organismos multilaterais como o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial e o G-20 – grupo que reúne representantes das maiores economias do mundo –, empreendam esforços de coordenação para controlar a guerra cambial e encontrar soluções para a crise.

Em seu discurso, a presidente criticou a política monetária expansionista dos países desenvolvidos que, segundo ela, tem contribuído para agravar a crise, em especial nos países emergentes, que veem suas moedas valorizadas e perdem espaço no mercado internacional.

Leia mais »

Kamel, Datafolha e STF:tríade "tudo a ver" no golpe em curso

Não há dúvida de que lado a grande imprensa se postou historicamente: contra os interesses nacionais, contra o povo e contra as lideranças que ousam desafiar seu poder. Leia mais »

O recado do Governo Federal foi dado a Civita, dono da Abril

Do Brasil 247

Dilma cancela ida e Mantega se retira de evento da Editora Abril

Dilma cancela ida e Mantega se retira de evento da Editora Abril

PRESIDENTE CANCELA, À ÚLTIMA HORA, ALMOÇO COM ROBERTO CIVITA; MINISTRO DA FAZENDA SE RETIRA, SEM PRÉVIO AVISO, DE MESA DE DEBATES COM O DONO DO GRUPO ABRIL: REPRESÁLIAS CONTRA CAPA DA REVISTA VEJA "OS SEGREDOS DE VALÉRIO"

Marco Damiani _247 - O constrangimento foi geral, a ponto de o presidente do Grupo Abril, Roberto Civita, no melhor estilo dos jogadores de futebol que reprovam o técnico ao serem preteridos, sair do salão de eventos do hotel Unique, em São Paulo, na sexta-feira 15, meneando a cabeça. Pela manhã, por volta das 10h00, sob a elegante justificativa de não ter um membro de sua família para acompanhá-la, a presidente Dilma Rousseff cancelou compromisso pré-agendado com Civita para o almoço. Pouco mais tarde, durante o evento Maiores e Melhores, da revista Exame do mesmo Civita, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, levatou-se sem prévio aviso da mesa de debates da qual participava, ao lado do prêmio Nobel de Economia Paul Krugman e, outra vez, do próprio Civita, para se retirar em definitivo do recinto, diante de dezenas de empresários.

Os dois gestos foram imediatamente compreendidos como um protesto do governo pela matéria de capa da revista Veja Os Segredos de Valério, que iria circular no dia seguinte (este sábado 15). A informação do conteúdo em tudo agressivo contra o ex-presidente Lula e o PT circulou para o governo, que, com a batida em retirada, deu o tom de como serão, doravante, as relações institucionais com o Grupo Abril de Civita.

Leia mais »

O chororô demotucano e a intrínseca indiferença com o povo

Dilma anunciou as medidas que renovarão as concessões e a redução da conta de energia elétrica para empresas e para o povo. Leia mais »

Os três pontos cruciais do pronunciamento de Dilma


Presidenta Dilma faz uso de rede nacional de rádio e televisão para levar as pessoas informação relevante que a grande imprensa esconde ou distorce

Leia mais »

As herança benditas e malditas

Por Sidney Braga

Sobre heranças malditas e bendita

Lula reclama de uma herança maldita deixada por FHC, que toma as dores de Dilma e reclama de uma herança maldita deixada por Lula para a presidente, que nega e diz que recebeu uma herança bendita de Lula. Essa quadrilha drummondiana não passa de uma briga de egos entre Lula e FHC, que não souberam reconhecer as virtudes e avanços obtidos por seus antecessores e sucessores.


Até o polêmico Collor teve sua parcela de contribuição para o progresso ao abrir o mercado brasileiro para as importações. Depois veio Itamar Franco, que indicou o sociólogo Fernando Henrique para a pasta da Fazenda.

FHC plantou a semente da nova economia brasileira no governo Itamar. O real não foi criado por ele, e sim por uma equipe de economistas, entre eles, Rubens Ricúpero. Mas Fernando Henrique comprou a ideia, administrou os egos conflitantes e literalmente realizou o real.

Leia mais »

Lula descarta participação de Dilma nas campanhas municipais

Por Vinicius Carioca

Do Último Segundo

Lula avisa o PT que Dilma está fora da eleição para não se indispor com aliados 

Ricardo Galhardo

São Paulo -  Depois de dez anos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitou nesta quarta-feira a sede nacional do PT na rua Silveira Martins, Sé, região central de São Paulo. O clima era festivo, alguns funcionários vestiram roupa nova, outros levaram mulher e filhos para serem fotografados com Lula, mas a visita terminou com um balde de água fria. Em reunião com a comissão de acompanhamento eleitoral do PT, Lula praticamente descartou a participação da presidenta Dilma Rousseff nas campanhas petistas no primeiro turno das eleições municipais. Leia mais »

Dilma é 3ª na lista das mulheres mais influentes da Forbes

Do Uol

Edição da "Forbes" com as mais poderosas tem Dilma na capa

Acaba de sair do novo a lista com as mulheres mais poderosas do mundo, publicada anualmente pela revista “Forbes.” E adivinha quem é o destaque da edição deste ano do ranking? A presidente Dilma Rousseff, que, como Glamurama contou, foi entrevistada recentemente pela equipe de reportagem da publicação.

Além de aparecer na capa da “Forbes,” Dilma se manteve na posição de terceira mulher mais poderosa do mundo, a mesma que ela ocupou em 2011. A primeira e a segunda colocada, por sinal, também são as mesmas do ano passado: respectivamente a chanceler alemã Angela Merkel e a secretária de estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton.

As outras brasileiras no ranking são a executiva Maria das Graças Silva Foster, CEO da Petrobrás, na 20ª posição, e a top Gisele Bündchen, na 83ª posição.

A lista no site da Forbes: The World's 100 Most Powerful Women Leia mais »

Dilma, os servidores públicos e os programas sociais

Por Assis Ribeiro

Da Agência Brasil

Dilma diz que prioridade é manter emprego dos que não têm estabilidade

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Em meio à onda de greves de servidores públicos, a presidenta Dilma Rousseff disse, hoje (10), que a prioridade do governo neste momento é manter a vaga dos trabalhadores que não têm estabilidade no emprego.

Sob os efeitos da crise econômica internacional, o governo tem priorizado medidas destinadas a setores capazes de incentivar a economia. A presidenta explicou aos servidores em greve que o momento é de austeridade fiscal.

“Estamos enfrentando uma crise no mundo, e o Brasil sabe, porque tem os pés no chão, que pode e vai enfrentar a crise e passar por cima dela, assegurando emprego para todos os brasileiros”, afirmou.

“O que o meu governo vai fazer é assegurar empregos para aquela parte da população que é mais frágil, não tem direito a estabilidade, porque esteve muitas vezes desempregada”, disse ao discursar na cerimônia de ampliação do Programa Brasil Sorridente, em Rio Pardo de Minas (MG).

Leia mais »

Terra:exemplo da peleja da mídia contra Dilma, Lula e PT

Velha imprensa, com a ajuda de portais de internet, frauda a realidade com discurso conservador em matérias publicadas com o intuito de formar opinião afeita a seus interesses. Leia mais »

O decreto antigreve em discussão

Por Assis Ribeiro

Do Blog do Miro

O decreto antigreve do governo Dilma


Por Altamiro Borges
 
Diante da ampliação da greve dos servidores públicos federais, que já dura mais de um mês e paralisa 25 categorias, o governo Dilma Rousseff apelou para o pior caminho. Baixou o Decreto 7.777, publicado no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (25), que prevê a substituição dos grevistas dos órgãos federais por trabalhadores das redes públicas estaduais e municipais. A medida gerou imediata reação das centrais sindicais, que criticaram a postura antidemocrática do Palácio do Planalto.
 

CUT e CTB criticam a medida

 
Em nota oficial, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), que representa a maior parte das categorias em greve, repudiou a guinada autoritária do governo. “Esta inflexão do decreto governamental nos deixa extremamente preocupados. Reprimir manifestações legítimas é aplicar o projeto que nós derrotamos nas urnas. Para resolver conflitos, o caminho é o diálogo, a negociação e o acordo. Sem isso, a greve é a única saída”, afirma a nota.
Leia mais »

Greves dos servidores: Dilma enfrente a mentira de O Globo

A Lei orçamentária de 2012 previa 47% de recursos para pagar os juros da dívida, valor embolsado pelo  sistema financeiro! Leia mais »

A suposta quebra de sigilo fiscal de Dilma

Por Krishna

Vamos ver quem foi e torcer para que ninguém sente em cima:

Do Terra

Deputado entrega supostas provas de violação do sigilo fiscal de Dilma 

Em audiência, na tarde desta terça-feira, com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) entregou documentos que comprovariam que durante a campanha eleitoral de 2010 foi violado o sigilo fiscal da então candidata da Dilma Rousseff.

Fontes do parlamentar forneceram papéis que mostram que a declaração de ajuste anual à Receita Federal daquele mesmo ano, apresentada pela então candidata, circulou por mãos indevidas. Leia mais »

Graça Foster se retrata de críticas feitas a Gabrielli

Da Folha

Dilma elogia Gabrielli, e Graça faz mea-culpa sobre crítica

DO RIO

A presidente da Petrobras, Graça Foster, aproveitou o batismo de plataforma de perfuração em estaleiro na Bahia para assumir também a culpa por erros cometidos em planos de negócios anteriores aos de sua gestão e também por erros em projetos, como o da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Depois de ouvir no evento elogios de Dilma Rousseff à gestão anterior da Petrobras, que tinha o comando de José Sergio Gabrielli, atual secretário do governo baiano e presente ao evento, Graça o convidou para a entrevista coletiva, na qual fez questão de se explicar sobre as críticas feitas ao anunciar o Plano de Negócios 2012-2016.

Ao apresentar o plano em junho, Graça disse que se tratava de um plano "realista", ao contrário dos anteriores, e cortou a estimativa de produção de petróleo.

Ela afirmou ainda que a refinaria Abreu e Lima, projeto da época de Gabrielli, era um "erro que não seria repetido".

Leia mais »

Ainda discorrendo sobre a importância (ou não) do PIB

Por Assis Ribeiro

Da Carta Capital

Afinal, para que serve o PIB?

Por Paulo Daniel

A presidenta Dilma Rousseff, ao afirmar que a grandeza de uma nação é medida pelo que ela faz por suas crianças e adolescentes e não pelo tamanho do Produto Interno Bruto, nos suscita e amplia uma discussão sobre o significado do PIB.

No Brasil, as contas nacionais, são trabalhadas e mensuradas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que desde a década de 2000 segue o formato proposto pela ONU (Organização das Nações Unidas) do System of National Accounts (SNA) a fim de tornar mais homogêneo a mensuração, de ao menos parte, da riqueza do país em comparação com outros países.

As contas nacionais são formadas basicamente pelas contas de produção, apropriação, do setor externo, de capital e do governo é a partir daí, com os devidos débitos e créditos nas contas mencionadas se realiza a mensuração do PIB, podendo, portanto, observar as evoluções ou involuções, por exemplo, da renda agregada, do quanto se exportou, do quanto se importou, investimentos privados e públicos, o nível de consumo do governo, a sua arrecadação etc.

Leia mais »