UE taxará operações financeiras

Por raquel_

De O Estado de S. Paulo

UE vai taxar operações financeiras

Com a aprovação da Alemanha e da França, medida deve entrar em vigor até 2014 e pode representar até € 55 bilhões por ano

Andrei Netto

PARIS - Antes de resolver a crise das dívidas soberanas que atormenta a economia da região, a União Europeia partiu para o anunciado contra-ataque. Em pronunciamento ao Parlamento, reunido em Estrasburgo, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, anunciou a criação de um imposto sobre transações financeiras no bloco - e, se possível, no mundo todo. Leia mais »

Projeto para taxar ricos está parado no Congresso

Por Marco Antonio L.

Da ISTOÉ Online

Analistas duvidam da eficácia de taxar ricos no Brasil

Francisco Carlos de Assis

Os novos impostos sobre os cidadãos mais ricos, já anunciados na França e na Espanha, apoiados por alguns grandes milionários, como Warren Buffett nos Estados Unidos e Liliane Bettencourt na França, não devem ser aprovados no Brasil. A proposta está parada no Congresso e não há consenso nem entre tributaristas em relação ao seu teor. Leia mais »

Seminário sobre EFD - PIS e COFINS será transmitido via web

 

A ASPR Auditoria e Consultoria (www.aspr.com.br) irá promover, no dia 29 de setembro, palestra sobre “EFD - PIS e COFINS”, em Sorocaba, com transmissão ao vivo pela TV CPA (www.netcpa.com.br). O objetivo do seminário será o de orientar os profissionais sobre os procedimentos para a apuração e geração do arquivo digital da escrituração da contribuição para o PIS/PASEP e da COFINS, o EFD-PIS/COFINS.

O evento, que será realizado em parceria com a ATVI, é destinado a contabilistas, analistas, assistentes, auxiliares contábil e fiscal e demais profissionais envolvidos com a matéria.

No conteúdo programático que será apresentado pela ASPR serão abordados os aspectos conceituais das contribuições do PIS e da COFINS. Serão analisados os fatos relacionados à instituição da EFD-PIS/COFINS e as empresas obrigadas e dispensadas à escrituração da EFD. Leia mais »

Imagens: 
Palestra promovida pela ASPR sobre “EFD - PIS e COFINS” será realizada em Sorocaba, com transmissão ao vivo pela TV CPA

Governo desonera fornecedores da Defesa

Por raquel_

Do Valor Econômico

Empresas consideradas estratégicas para defesa terão isenção de impostos

Por Sergio Leo | De Brasília

Empresas classificadas como estratégicas para a defesa nacional ganharão um pacote de incentivos, com isenção do pagamento de IPI e PIS/Cofins, segundo medida provisória em fase final de revisão na Casa Civil da Presidência. A MP, que será enviada ao Congresso nos próximos dias, complementa a decisão, divulgada com o plano Brasil Maior, de dar preferência a fornecedores nacionais para ministérios como o da Defesa, que poderá pagar até 25% a mais nas compras dessas empresas. Leia mais »

Um bocadinho só

Autor: 

Dizem que a necessidade é a mãe da invenção.

Pois não é que a Europa está inventando uma moda que deixaria doido o pessoal do “Cansei”, aquele movimento contra os impostos.

Criou um imposto que atinge apenas os que têm renda superior a 500 mil euros por ano. Bagatela aí da casa de R$ 1,16 milhão ou R$100 mil mensais.

Essa turma vai pagar 3% a mais de imposto. Para quem está no “piso do teto”, R$ 36 mil anuais.
Depois que o milionário Warren Buffett publicou no The New York Times o artigo “Parem de mimar os super-ricos”- que a gente postou aqui, a coisa se espalhou pela Europa.

Liliane Bettencourt, de 87 anos, herdeira do grupo L’Oreal, e mais 16 das maiores fortunas da França divulgaram ontem uma carta aberta manifestando sua disposição de pagar mais impostos. Disposição nova, porque a própria Liliane, a mulher mais rica do país, ando às voltas recentemente com uma escândalo de sonegação de impostos através de contas na Suíça e nas Ilhas Seychelles. Leia mais »

Imagens: 
Um bocadinho só

CRIME e CASTIGO, o aumento dos impostos sobre cigarros

Autor: 

Leio que o Governo Federal pretende aumentar, entre 2012-15, a aliquota sobre os cigarros, aumento este  que impactará o preço final do produto em 20%, podendo chegar até  55% ao final deste período.

Claro, da RECEITA Federal escuto que a medida visa atender a mudança de metodologia pra se facilitar a cobrança e se inibir o contrabando.

Do Ministério da Fazenda ouço que a medida é purgativa, que ela veio pra compensar  parte dos incentivos dados recentemente a outros setores amigos e escolhidos a dedo na nossa industria, algo como R$ 4-5 bilhões ano.

Do Ministério da Saúde, quando escuto, escuto euforia vindo daqueles que dizem que é isso mesmo, que o fumante custa caro, que os males dos cigarros são perversos, e que alguém tem que pagar por isso.

Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo

Buffett quer impostos para os mais ricos

Por Nilva de Souza

Do G1

Warren Buffett pede aumento de impostos dos mais ricos como ele

Bilionário norte-americano criticou isenções fiscais aos mega-ricos. EUA aprovaram plano para cortar déficit que não prevê alta de impostos.

Da France Presse

 Jessica Rinaldi/Reuters)
Warren Buffett, em foto de arquivo (Foto: Jessica Rinaldi/Reuters)

O bilionário investidor Warren Buffett pediu aos congressistas americanos o aumento dos impostos para as pessoas mais ricas, com o objetivo de reduzir o enorme déficit orçamentário do país, afirmando que a medida não afetará os investimentos nem os empregos. Leia mais »

Na TV, Obama defende taxa sobre ricos

Por raquel_

Do Estadão.com.br

Obama conclama população a defender taxa sobre ricos

25 de julho de 2011 | 22h43

Sílvio Guedes Crespo

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apareceu na televisão na noite desta segunda-feira, 25, para conclamar os americanos a pressionarem os parlamentares a votar pelo aumento de taxas sobre os 2% mais ricos do país.

Mais uma vez tendo a retórica como seu ponto forte, o presidente americano disse que neste momento de crise todos precisam contribuir, e que os cortes no orçamento, se não forem acompanhados por uma taxa sobre os mais ricos, significariam um peso excessivo sobre a maioria da população. Leia mais »

Alta tributação e justiça social

Por JB Costa

O "velho" Delfim e sua (nova?) faceta anti-liberal. Estado eficiente não é necessariamente o Estado menor. É o que faz uso racional dos recursos postos à sua disposição pelos contribuintes.

Da Folha

Melhor gestão 

ANTONIO DELFIM NETTO

Temos insistido, nesta coluna, que a ideia ingênua e simplista de que todos os nossos problemas seriam resolvidos com a redução da carga tributária é irrealista. Pela simples e boa razão que ela contraria a preferência "revelada" na Constituição de 1988. Leia mais »

O peso dos tributos nas pequenas e médias empresas

Do G1

70% das PMEs usam mais de 20% do faturamento com tributos, diz estudo 

Pesquisa da BDO RCS foi realizada com 150 companhias em todo o país. 30,2% afirmaram gastar até 20% do faturamento para pagar de tributos 
Leia mais »

A isenção de impostos para tablets

Por Sandro_Araujo

Do Blog Sandro Araújo

Governo publica MP que isenta de impostos tablets produzidos no Brasil

Por Christina Machado – Agência Brasil

Tablets poderão ter redução de 30%

Brasília – O Diário Oficial da União publica hoje (23) a medida provisória que inclui os computadores portáteis do tipo prancheta, conhecidos como tablets, na mesma categoria dos computadores convencionais e notebooks.

A medida desonera o produto da incidência do PIS/Cofins. Com isso, o preço dos tablets produzidos no Brasil poderá ficar mais baixo na comparação com o similar importado. A regulamentação era aguardada pela iniciativa privada para a produção dos equipamentos no Brasil. Leia mais »

Workshop sobre restituição de crédito acumulado de ICMS

Autor: 

A AESCONAPI-ABC - Associação das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoria e Perícia do Grande ABC - realizará no dia 25 de março, em parceria com a Secretaria da Fazenda do Estado, workshop sobre a Portaria CAT 83/2009, que estabelece a sistemática para apuração do crédito acumulado gerado do ICMS, aplicável às operações e prestações geradoras.

Luis Antonio Batista Fernandes, líder do Projeto CAT 83 na Secretaria da Fazenda do Estado, irá discorrer sobre as principais mudanças, impactos e penalidades das obrigações introduzidas pela Portaria CAT 83.

O evento também contará com a participação de Rute Berloffa, responsável por impostos daempresa AGCO, que apresentará um interessante case de sucesso envolvendo a solução ideal para a normas contidas na portaria. Leia mais »

A indústria e o prazo para pagar impostos

Do Valor

Fiesp quer mais prazo para pagar imposto

Marta Watanabe | De São Paulo
07/02/2011

Cerca de 60 dias depois que copos e utensílios de vidros deixam a fábrica de Suzano ou da capital paulista rumo a algum ponto de venda dos clientes varejistas, a fabricante Nadir Figueiredo recebe o valor da venda dos produtos. Isso, em média. Grandes supermercados às vezes negociam prazos maiores. No caso da Fidalga, fabricante de escovas, o prazo médio de 60 dias costuma se aproximar dos três meses quando o varejista conta o prazo de pagamento ao fornecedor somente a partir da entrega das mercadorias.

Mesmo demorando 60 ou 90 dias para receber pelas mercadorias, porém, as duas companhias recolhem os tributos devidos pela venda dos produtos até o fim do mês seguinte. Ou seja, pagam os tributos antes de ter recebido pela venda que deu origem à cobrança dos impostos e contribuições. 

Leia mais »

Tarso Genro e a previdência pública

Futuro governador esteve reunido com integrantes da Agenda 2020
O governador eleito Tarso Genro esteve hoje no Centro de Eventos do Hotal Plaza São Rafael, reunido com integrantes da Agenda 2020, quando recebeu um caderno de propostas e uma carta de compromisso da Agenda com a futura administração, prometendo apoio em relação a três propósitos: melhorar a qualidade de vida, através de voluntários que se juntarão com o poder público, auxiliar o governo nos momentos decisivos do Estado e promover e priorizar o diálogo entre a sociedade civil organizada e o poder público.
Também tratado o delicado tema da previdência pública, momento em que Tarso afirmou:
Sobre previdência estadual, tenho uma concordância profunda com as propostas da Agenda 2020. Temos de estabelecer um piso decente para os servidores e um teto salarial, a partir do qual cada servidor pode melhorar sua aposentadoria com um sistema de previdência complementar. Espero muitas resistências a essa proposta. E a primeira delas virá do poder judiciário. Leia mais »

O aumento de impostos no Brasil

Do Portal de Luís Nassif
Do Blog de Gilberto Brandão Marcon

A EVOLUÇÃO DA CARGA TRIBUTÁRIA NO BRASIL

O assunto é novamente a carga tributária, que pode ser entendida como o percentual total que o governo transfere da sociedade para os seus cofres, trata-se da somatória da tributação incidente sobre a renda do trabalho, tais como salários e honorários em torno dos quais recai o IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física), e INSS, associado a previdência e saúde, assim como as contribuições sindicais, tratam-se recolhimentos diretos sobre a renda. Entretanto não é só isto, além do cidadão já ter parte de sua renda destinada a este fim irá no momento que for consumi-la novamente pagar sobre o consumo através dos denominados impostos indiretos, ou seja, quando o consumidor paga por um produto ou serviço no seu preço estará incluído parcelas referentes a vários recolhimentos, são os denominados impostos indiretos, que identificados por siglas tais como: PIS, COFINS, IPI, ICMS e ISSQN.

Mas ainda não sendo suficiente se após deixar um tanto no ganho da renda, outro tanto no consumo, se conseguir poupar o suficiente ou então tomar financiamento para constituir seu patrimônio, também continuará a pagar tributos sobre ele, tem imóvel urbano, o IPTU, tem imóvel rural, o ITR, tem automóvel, paga o IPVA, além disto se acresça o ITCMD e o ITBI, pois também paga-se taxas inerentes as eventuais transferências patrimoniais. E isto ainda não sendo suficiente, paga-se conforme o lugar, algumas taxas extras tais como a taxa de coleta de lixo, taxa para a limpeza pública, taxa para emitir documentos, taxa para manter aberta qualquer tipo de atividade, o tal alvará, e some-se a isto eventualmente contribuições para iluminação pública.

Ou seja, de modo conclusivo podemos dizer que a carga tributária será um percentual onde o total de recursos transferidos para o governo é dividido pelo total de riquezas produzidos no país no mesmo período identificado pelo PIB, produto interno bruto, o resultante de tal divisão será dará o percentual da carga tributária.

Leia mais »