IPEA aponta: estender serviços bancários a 40% da população brasileira, o desafio do governo

Inauguração da 1ª agência do Banco do Brasil em uma comunidade carente,  Paraisópolis/SP

 

  Leia mais »

A biodiversidade, segundo o Ipea

Por PedroBio 

Sugiro a leitura do comunicado do IPEA sobre a situação da biodiversidade brasileira. Ele mostra como conhecemos pouco a nossa biota e que o número de espécies ameaçadas no país, a despeito do aumento nos esforços de conservação, vem crescendo (o que sugere que esses esforços ainda são insuficientes).

Relaxar as regras de licenciamento, sem termos nem noção do que existe aqui, pode ser devastador.

E sei que muita gente, no fundo, acha bobagem a conservação de borboletas ou lagartixas e que devemos é construir estradas e hidrelétricas, pois o Brasil precisa se desenvolver. Mas enriquecer passando por cima do nosso patrimônio histórico, cultural e natural não é desenvolver. Se embarcarmos nesse rumo acabaremos de barriga cheia (talvez nem isso), mas de cabeça vazia.

http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/comunicado/110217_comu...

"Trabalho segue": Pochman desmente Estadão e decepciona seus críticos da imprensa

Afirmação de Pochman contraria Moreira Franco, segundo EstadãoPochmann nega mudanças no Ipea: "Trabalho segue"

São Paulo – O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Márcio Pochmann, nega que haja mudanças no comando ou na condução da instituição. O órgão, vinculado à Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), segue seu trabalho normalmente sem qualquer alteração, segundo informou Pochmann, por telefone, à Rede Brasil Atual. Leia mais »

Pochmann nega mudanças no Ipea

Por Stanley Burburinho

Da Rede Brasil Atual

Pochmann nega mudanças no Ipea: "Trabalho segue" 

Por: Anselmo Massad, Rede Brasil Atual

Publicado em 14/02/2011, 15:10
Última atualização às 15:14

São Paulo – O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Márcio Pochmann, nega que haja mudanças no comando ou na condução da instituição. O órgão, vinculado à Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), segue seu trabalho normalmente sem qualquer alteração, disse Pochmann, por telefone, à Rede Brasil Atual.  

"Não há nada nesse sentido (de mudança no comando do Ipea), nem oficialmente nem extraoficialmente", asseverou Pochmann. "O trabalho segue normalmente", enfatizou. A SAE, procurada, afirma que Moreira Franco não se pronunciou a respeito e pode fazer isso durante a tarde desta segunda. Desde a posse do ministro, no início de janeiro, nenhuma alteração foi promovida no Ipea, segundo o órgão. 

Leia mais »

A saída de Marcio Pochmann

Por sergior

Do Estadão

Ministro decide tirar Pochmann do Ipea

Moreira Franco, de Assuntos Estratégicos, tem queixas quanto à qualidade e profusão das pesquisas do instituto 

14 de fevereiro de 2011 | 0h 00 

Rui Nogueira / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo Leia mais »

A percepção popular sobre a saúde

Por Nonato Amorim

Nassif & Amigos...o copo pela metade tá meio cheio ou meio vazio? Abs.

no terra: Mais de 40% dos usuários avaliam serviços do SUS como 'regulares'

no uol: Para 28,5% dos brasileiros, serviços do SUS são ruins ou muito ruins

Do Terra

Mais de 40% dos usuários avaliam serviços do SUS como 'regulares'

Um estudo divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que 42,6% dos brasileiros classificam os serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) como "regulares". A proporção de entrevistados satisfeitos ficou em 28,9%, e a de insatisfeitos, em 28,5%.

O estudo ouviu 2.773 pessoas no período de 3 a 19 de novembro de 2010. O objetivo foi avaliar a percepção da população sobre serviços prestados pelo SUS. A pesquisa também incluiu perguntas sobre planos e seguros privados de saúde. Leia mais »

As políticas sociais brasileiras

Coluna Econômica

Na discussão das políticas públicas, avanço institucional importante ocorreu com a mudança de direção do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Ocorreu uma politização no IPEA, é verdade. De um lado, é ruim, pois restringe a discussão, impõe um viés que algumas vezes forçou conclusões na direção previamente definida.

Mas, por outro lado, pela primeira em muitos anos colocou o inegável potencial do IPEA para levantar trabalhos contrapondo o pesado controle dos chamados cabeças-de-planilha nas discussões de política econômica.

***

Leia mais »

Os gastos com educação e saúde e o PIB

Da Agência Brasil

Gastos sociais com educação e saúde são os que mais contribuem para crescimento do PIB

Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Nenhum gasto público social contribui tanto para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) quanto os que são feitos em educação e saúde. Cada R$ 1 gasto com educação pública gera R$ 1,85 para o PIB. O mesmo valor gasto na saúde gera R$ 1,70.

Para a redução da desigualdade social, os gastos que apresentam maior retorno são aqueles feitos com o Bolsa Família, que geram R$ 2,25 de renda familiar para cada R$ 1 gasto com o benefício; e os benefícios de prestação continuada – destinados a idosos e portadores de deficiência cuja renda familiar per capita seja inferior a 25% do salário mínimo –, que geram R$ 2,20 para cada R$ 1 gasto.

Leia mais »

A situação financeira das famílias

Por Nonato Amorim

O IPEA e a melhora financeira das famílias. Abs.

De O Povo

Situação financeira melhorou para quase 80% das famílias, indica Ipea

Regiões Centro-Oeste e Norte registraram a maior proporção de famílias que acreditam ter melhorado a condição financeira, seguidas pelo Nordeste

06.01.2011| 11:53 

Estudo divulgado nesta quinta-feira, 6, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) indica que 77% das famílias brasileiras afirmaram, em dezembro, que estavam melhor financeiramente do que um ano antes, enquanto 19,8% sentiam-se em situação pior. O estudo foi realizado em 3.810 domicílios, em 214 municípios de todas as unidades federativas. Leia mais »

O futuro do Ipea com Moreira Franco

Do Valor

Ipea aguarda guinada regional e ideológica

Chico Santos e Vera Saavedra Durão | Do Rio
21/12/2010 

Nos corredores e salas de pesquisadores do Ipea no Rio há duas expectativas em relação ao tratamento que será dado ao órgão pelo futuro titular da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República, Wellington Moreira Franco. A primeira tem viés regional: por ser Moreira um político de origem carioca, espera-se uma valorização do braço local do instituto de pesquisa que, segundo essa avaliação, perdeu muito prestígio sob a presidência do paulista Marcio Pochmann, oriundo da Universidade de Campinas (Unicamp).

Historicamente, o Rio concentrou as principais divulgações de trabalhos do Ipea, especialmente os dados de conjuntura que tinham divulgação mensal. Hoje, embora a diretoria de estudos macroeconômicos permaneça na sede fluminense do instituto, a periodicidade da divulgação é trimestral e seu novo formato retirou muito do interesse que o boletim de conjuntura do Ipea despertava no mercado, pois fazia previsões de indicadores macroeconômicos importantes.

Leia mais »

O enigma do IPEA

Autor: 
Por ANTONIO ATEU

IPEA faz a radiografia do Brasil

 

Leia mais »

Imagens: 
O enigma do IPEA

O risco nas contas externas

Por Webster Franklin

Carta Maior

"Brasil precisa se proteger e cuidar das contas externas"

A economista Maria da Conceição Tavares defendeu nesta sexta-feira, durante a Conferência do Desenvolvimento, promovida pelo IPEA, em Brasília, que o Brasil deve proteger sua economia, reverter o processo de sobrevalorização do real e adotar mecanismos de controle de capital para evitar um ataque especulativo. Em sua fala, ela deixou algumas sugestões para o futuro governo Dilma: "Eu diria que a primeira preocupação agora é, sem dúvida nenhuma, com o setor externo. Se ele continuar assim vai haver degradação da indústria, déficit crescente da balança de pagamentos e uma fragilidade externa que na crise de 2008 nós não tivemos".

 O artigo é de Katarina Peixoto.

Leia mais »

Conferência Nacional de Desenvolvimento

Autor: 

Inscrições para Conferência sobre Desenvolvimento vão até sexta O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) realiza a 1ª Conferência do Desenvolvimento (Code), de 24 a 26 de novembro, na Esplanada dos Ministérios. Com convocação especial feita às entidades dos movimentos sociais e a setores da universidade brasileira, a conferência tem entrada franca e o formulário de inscrição está disponível no sítio da Code. As inscrições vão até esta sexta-feira (12). Durante os três dias, serão nove painéis temáticos sobre o desenvolvimento, 88 oficinas do desenvolvimento e 50 lançamentos de livros. São esperados mais de 200 palestrantes e debatedores. O presidente Lula participará da abertura da Conferência e a presidente eleita, Dilma, do seu encerramento.

Diferente das cerca de 70 conferências realizadas durante os dois governos Lula, não haverá processo para a escolha de delegados. O objetivo da Code é criar um espaço nacional de debates no coração do Brasil, no momento em que o país volta a discutir planejamento e estratégias de desenvolvimento. Para isso, a conferência terá vídeos, apresentações de livros, instalações, projeções, oficinas e palestras. Leia mais »

A distribuição de renda no Brasil

Nassif, o João Sicsú publicou um artigo na 'Folha' de hoje na qual mostra que a participação da renda do trabalho na renda nacional está crescendo desde 2005. Vale a pena conferir.

Texto

Números da distribuição de renda - por JOÃO SICSÚ

O movimento socioeconômico brasileiro caminha em direção ao desenvolvimento, mas essa caminhada ainda está longe do ponto ideal de chegada

Distribuir renda e reduzir desigualdades injustas deveriam estar sempre entre as prioridades de qualquer governo.

Para medir a distribuição e a desigualdade de renda, normalmente são utilizados dois indicadores: o índice de Gini, para medir a chamada distribuição pessoal da renda, e a participação das rendas do trabalho no PIB, para medir a distribuição funcional da renda.

Leia mais »

Os 46 anos do Ipea

Do Blog do Planalto

Ipea comemora 46 anos de estudos sobre o Brasil

Não se desenvolve um país e se formula políticas públicas eficazes sem conhecer a fundo seu povo e sua situação socioeconômica. Esse é o objetivo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que há 46 anos produz pesquisas e informações sobre o Brasil, promovendo debates que baseiam a formulação de políticas públicas por parte do governo federal. O instituto comemou seu aniversário nesta terça-feira (28/9), em Brasília (DF), com a participação do seu presidente, Marcio Pochmann, o ex-ministro e presidente da instituição, João Paulo dos Reis Velloso, e do ministro Samuel Pinheiro Guimarães (Assuntos Estratégicos).

“O Ipea não é só um instituto de pesquisa. É um instituto de investigação, de planejamento aplicado. É o que o diferencia das universidades e das consultorias”, afirmou Marcio Pochmann. “Não existe uma instituição forte sem servidores coesos, integrados e articulados. Por isso, o Ipea conquistou alta credibilidade interna e externa também.”

Leia mais »