Xodó de Lula, Haddad da fôlego ao PT

Autor: 

O trajeto Brasília-São Paulo era, possivelmente, uma das poucas coisas em comum entre Luiz Inácio Lula da Silva, então presidente, e Fernando Haddad, que liderava o ministério da Educação. A ponto de Haddad, caçula dos ministérios na capital federal, pedir carona no 'Aerolula' ao chefe que passava os fins de semana em território paulista. Foi em uma dessas viagens, é provável, que Lula iniciou um projeto: transformar um professor, com perfil técnico, em nova liderança do Partido dos Trabalhadores.

Em meio a um aguardado julgamento do mensalão, e na expectativa de adversários petistas de que o caso pudesse influenciar negativamente contra o partido em todo o Brasil, Fernando Haddad, 49 anos, estreia em eleições majoritárias na disputa da maior cidade do Brasil e da América do Sul. Além de enfrentar uma eleição em meio ao julgamento dos principais nomes de seu partido, o petista precisou encarar também as críticas de adversários em relação à sua falta de experiência em cargos executivos.
Leia mais »

Ruína da Pólis, Ruína do Esporte

Cabe recorrer à mitologia. Os Jogos Olímpicos teriam sido inaugurados por Hércules, para celebrar um de seus doze trabalhos.
Curiosamente, não se trata de derrotar um monstro poderoso e terrível. O tal trabalho celebrado é o quinto.
Precisou limpar os currais do rei Augias, que guardavam três mil bois e, havia trinta anos, não eram limpos.
O estado era tão terrível que a área estava envolta num gás fedorento e mortal. Para realizar sua missão saneadora, Hércules teve que desviar dois rios. Leia mais »

Imagens: 
Ruína da Pólis, Ruína do Esporte

Lula quer Padilha como candidato ao governo de SP

Autor: 

Animado com a passagem de Fernando Haddad para o 2.º turno da eleição em São Paulo, e diante da possibilidade de vitória, levando-se em consideração que as pesquisas de intenção de votos indicam vantagem do petista sobre o tucano José Serra, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já planeja lançar uma cara nova no PT para a disputa pelo governo de São Paulo em 2014 - quando tentará tirar o comando do Estado do PSDB.

O favorito de Lula para disputar o governo paulista é o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. De acordo com informações de bastidores do comando do PT, Lula considera que a novidade numa eleição é uma fórmula que começa a ficar consagrada. Como justificativa, tem lembrado que lançou Dilma Rousseff à sucessão presidencial em 2010 mesmo sendo advertido de que ela nunca havia disputado uma eleição e que era desconhecida dos eleitores. Com Haddad aconteceu a mesma coisa. Ele jamais havia se candidatado. Nos dois casos, Lula fez o lançamento das candidaturas com muita antecedência. Depois, chegada a hora da escolha, ele pressionou o PT para que aceitasse a indicação.
Leia mais »

Má administração pautou eleições na cidade de SP

Mensagens do eleitor paulistano

De Mauro Paulino, Na Folha de S. Paulo

Na diversidade de São Paulo, o prefeito é visto hoje como alguém que mais atrapalha do que ajuda

Ao final da eleição, há diversas mensagens enviadas pelos eleitores. A principal delas, que pautou os movimentos das campanhas e das intenções de voto, é a insatisfação demonstrada com o estado atual da cidade de São Paulo.

Leia mais »

O estouro da noiada: outra andança pelo centro

Faz tempo que não tenho dado minhas voltas pelo centro de São Paulo – o que reflete na ausência de crônicas sobre o assunto. Um pouco receio da polícia, que anda dando tiro como se jogasse videogame, bastante por causa do clima destes últimos meses, que oscila entre seco, chuvoso e frio, sem parar num meio termo minimamente aprazível; e principalmente porque tenho que acordar às cinco e meia da manhã pra ir pra aula.
Leia mais »

E agora, José?

Autor: 

Os tucanos chegam a esta eleição jogando sua sobrevivência em São Paulo, com riscos graves de, perdendo, rumarem para a desaparição politica”. Emir Sader, na Carta Maior, no artigo “Os tucanos, do começo ao fim”. (http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=1113)

Ok, perdendo em São Paulo os tucanos acompanham o DEM rumo ao ostracismo.  As últimas pesquisas indicam que Haddad teria 60% contra 40% dos votos válidos, fazendo com que até a velha mídia pró-Serra jogue a toalha.

O PT cresceu no primeiro turno (13%, em número de prefeituras e obteve  a maior quantidade de votos na legenda em todo o país) e deve continuar  crescendo no segundo turno das eleições. Leia mais »

Os EUA, São Paulo e a Avestruz

Autor: 

Depois do último debate nos EUA, Mitt Romney foi declarado o grande vencedor, e as pesquisas indicam que ele reduziu a distância e tem chance de vencer Obama. Estive ouvindo hoje alguns trechos do debate, e confesso que fiquei assustado: ele promete criar 12 milhões de empregos, principalmente na área de energia, e continua declarando que a saída para a crise é reduzir ainda mais os impostos (para as empresas, claro), diminuir benefícios sociais para reduzir o déficit gerado pela redução de impostos, e desregular ainda mais o mercado, e que com essas medidas a mão mágica do mercado irá se encarregar de cuidar de todos e o país vai voltar a crescer. Leia mais »

Que tal esquecermos a Privataria Tucana?

Autor: 

Semana passada, antes das eleições, eu apostava que Haddad passaria Russomano. Além das quedas anunciadas do até então líder pelas pesquisas, uma outra informação fazia todo sentido: 40% dos possíveis eleitores dele não sabiam o número do candidato. Bingo.

Agora para o segundo turno, o confronto é com Serra. Podemos nos preparar para o "velho estilo" do candidato. Na campanha pela TV ele tentava ligar Haddad ao "mensalão". Curiosamente, na véspera da eleição há relatos de que foram distribuídos 1 milhão de folhetos apócrifos com o mesmo argumento. Alguém que chegou de marte agora e não conhece o histórico de Serra pode até acreditar que foi "mera coincidência", né?

Comparar programa de governo, é ponto para Haddad. "Sintonia" com governo federal é ponto para Haddad. Apoio dos principais candidatos excluídos da disputa (Russomano e Chalita), mais 2 pontos para Haddad. O que sobra para Serra? O mensalão, claro! Afinal, como a "Carminha" da novela, ele "acredita nos valores morais, na família, etc e etc". Leia mais »

Haddad ultrapassará Russomano até domingo? Eu aposto.

Autor: 

No último artigo "Serra é Rei Morto, Haddad agradece", comentei que era certo que Haddad estaria no segundo turno. Durante esta semana que passou, Russomano não parou de cair. Aguardem: sexta-feira terá uma manifestação contra ele que deverá atrair muita gente lá pros lados da augusta; e ontem, um momento marcante: Lula e Dilma sobem no palanque juntos com Haddad.

As informações que circulam na rede dão conta de um "empate técnico" entre Russomano e Haddad (25 e 22%, respectivamente), com a possibilidade de Chalita ultrapassar Serra na disputa pela terceira colocação. (Chalita estaria "dividindo" com Haddad os votos que Russomano está perdendo).

Depois da Record cancelar seu Debate em São Paulo, agora foi a vez da Globo. Talvez seja estratégia para não "turbinar as quedas" de Russomano e Serra, respectivamente. Para impedir o crescimento de Haddad, vale tudo nos meios de comunicação. Veja saiu com Kassab (?!?) na capa da última semana e dizem que a Época "não permitirá dar capa com Haddad, muito menos junto com Lula e Dilma". Leia mais »

"Crise de segurança em SP é fruto de embate ROTA-PCC"

Por EDSON MEDEIROS

Governo federal vê embate Rota-PCC

Resposta da facção criminosa a ações do batalhão faz SP ter alerta para crises elevado; secretário de Segurança contesta relatório

Do DefesaNet

O sistema de monitoramento de crises do governo federal aumentou o alerta para São Paulo por causa das ações recentes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Um relatório especial feito pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que abastece o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) ligado à Presidência da República, mostra que a situação, ruim há alguns meses, tende a se agravar em razão da resposta do grupo às ações das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). O governo de São Paulo nega.

Leia mais »

Serra é Rei Morto. Haddad agradece

Autor: 

Um velho ditado se aplica desde sempre “Rei Morto, Rei Posto”. No último debate na Gazeta, Soninha declarou voto no segundo turno em Haddad, contra Russomano. O total de intenções de votos que ela tem é o de menos (literalmente), mas como “candidata-linha-auxiliar-da-campanha-Serra”, esta declaração torna-se importante.

Falo isso porque atuo na área de publicidade e marketing, estou familiarizado com pesquisas, “trackings”, o desenrolar das campanhas e sua luta contra o tempo até as eleições.

Russomano “ora” para o tempo passar rápido. Está confortável em primeiro lugar, porém, sabe que é o “inimigo a ser batido”. Dai sua decisão de não andar mais nas ruas, literalmente fugindo do povo para não ter que responder questões que o comprometem (e não são poucas, pelo visto).

Serra já era, o segundo turno não lhe pertence mais. Isso não é surpresa para quem está nas redes sociais e percebe, desde a eleição de 2010, a crescente rejeição dos internautas a ele. Assim como os “trackings”, as redes sociais “antecipam” os rumos dos eleitores, que as urnas depois costumam confirmar. Leia mais »

Blitz contra Russomanno e a feroz disputa pelo segundo turno

Autor: 

- Não é o que esperávamos, não é isso que estamos percebendo… se for isso mesmo, se estiver certo, preocupa. (Graduado integrante do PSDB na madrugada desta quarta-feira, 26, sobre o resultado do Ibope, com Fernando Haddad (PT) pela primeira vez à frente de José Serra (PSDB) na disputa pela prefeitura em São Paulo).
 
- Ele tá com os pés no chão, mas claro que adorou a notícia. (Um dos comandantes da campanha de Haddad sobre sua reação aos números do Ibope).
 
Véspera, noite da segunda-feira, 24. À entrada do auditório do debate promovido pela TV Gazeta em parceria com o Portal Terra, dois jornalistas conversam com o líder do PT, Paulo Teixeira. Um outro deputado do PT se aproxima e diz:
 
- Se o debate for quente, se vier um número bom na próxima pesquisa, é o que basta. Nosso pessoal gosta quando o sangue tá chegando na canela…
 
O debate foi acalorado, com troca de chumbo direta e indireta entre os favoritos, e o que mostra a pesquisa Ibope realizada entre os dias 22 e 24 é uma eletrizante, feroz disputa pelo segundo lugar e o segundo turno.
  Leia mais »

Russomanno é a nova Erundina

Autor: 

Com base em um comentário feito por um colega meu (Adauto Leva, filósofo e pesquisador de mercado e opinião) a respeito da corrida eleitoral em São Paulo:  Leia mais »

Enriquecimento e voto: Russomano é culpa do Lula?

Enriquecimento e voto: ou o sucesso de Russomano é culpa do Lula?

  Leia mais »

O Debate de Sampa ontem. Meus pitacos e observações.

Autor: 

Ontem acompanhei o Debate dos candidatos a prefeitura de São Paulo pelo youtube. Ao final, levei um "pedala tagarela" do twitter e tive que ir dormir sem poder dizer mais nada. Hoje, me vingo. Postei 9 comentários, que reproduzo abaixo:

1) Sonsinha não falou lê com crê. Viaja na maionese all the time. Falou mais de Çerra do que de propostas. Que, aliás, não sei se as tem.

2) Çerra teve chance de perguntar diretamente a Haddad e preferiu "Levy Fidelix". Medroso, covarde, mentiroso, pego na mentira mais uma vez Leia mais »