O Brasil no Relatório Mundial sobre Drogas 2008
I. Ópio - Consumo
De acordo com pesquisas domiciliares [CEBRID 2005], o maior mercado de opiáceos
na América do Sul é o Brasil, com cerca de 600 mil usuários, ou 0,5% da população
entre 12-65 anos. A maior parte dessas pessoas faz uso de opiáceos sintéticos. A
prevalência anual de heroína é baixa, menor que 0,05% da população entre 12-65
anos. (p. 56)
II. Cocaína – Mercado
1. Precursores químicos utilizados na produção de cocaína
A Colômbia registrou as maiores apreensões do mundo de permanganato de
potássio 99 toneladas em 2006. O químico é utilizado de forma lícita na indústria,
mas também é contrabandeado e desviado para uso ilícito, sendo essencial para a
produção de cocaína. Na Colômbia foram destruídos 15 laboratórios clandestinos
ilícitos. No Peru e no Equador foram apreendidos volumes menores do precursor. A
maior parte dos carregamentos desse químico, destinada a países da América do
Sul, teve origem fora da região. Argentina, Brasil e Chile foram os principais
importadores. Acredita-se que a “Operação Púrpura” – um programa abrangente de
controle de precursores químicos – aumentou o controle do comércio internacional
de permanganato de potássio, o que, por sua vez, pode ter causado mudanças do
tráfico internacional para a região, para o contrabando por via terrestre. (p. 68)

Arquivo: