O sistema “Faculdade Já!”, usará a nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para a seleção de vagas em instituições de ensino superior particulares –como uma espécie de “Sisu (Sistema de Seleção Unificada)” específico para elas.

Segundo o diretor do projeto, João Mesquita, ele é voltado para faculdades pequenas e médias.

De acordo com o diretor, pelo menos 170 instituições já demonstraram interesse em participar. Cada uma delas vai definir uma nota de corte e as reservas das vagas serão feitas por ordem de chegada: quem fizer a escolha primeiro, leva.

Segundo Mesquita, o consórcio que gerencia o “Faculdade Já!” vai receber um percentual –que ele preferiu não revelar– das instituições para cada aluno matriculado. O candidato não vai desembolsar nada, de acordo o diretor, para participar do sistema.

Em suma: o estudante que não conseguiu ingressar em nenhuma instituição de ensino superior, poderá se inscrever no projeto "Faculdade Já".

A seleção, no entanto, não vai impedir que faculdades com notas baixas no MEC (Ministério da Educação) ofertem suas vagas. O sistema também não vai apresentar as notas das instituições no ato da escolha, mas somente um currículo fornecido por elas e o preço das mensalidades.

Um projeto polêmico, se considerar a qualificação do corpo docente, a estrutura física ,quer a nível institucional ou departamentais, constitui-se preocupação dominante a atenção prioritária ao binômio ensino-pesquisa.