Re: Habitações em SP: a diferença entre o nada e o quase nada

imagem de Raí
Raí

A soma do quase nada com o nada, é na prática, nada.

O esfôrço do Secretário Municipal da Habitação, em tentar defender a administração paulistana, neste setor, foi pior do que ficar calado.

Apesar da disponibilidade financeira colocada à disposição da Prefeitura paulistana, pelo governo federal, e pela CEF, a pouca(ou nenhuma)vontade política, das últimas administrações PSDBistas/DEMistas, fizeram pouco caso, da situação, e deixaram a habitação da cidade ao Deus dará, ou melhor, estão "incentivando" os quase que diários incendios que acontecem em São Paulo, como se isto fosse a coisa mais natural do mundo, e como se a Prefeitura não tivesse nada a ver com isso.

Nem precisaríamos investir muito, para diminuir o enorme déficit habitacional da cidade, se a Sec. de Hab.de São Paulo, "destravasse" a burocracia que está impedindo que os aprox. 4500 imóveis em dezuzo do centro da cidade, e outros milhares nos bairros, que estão desocupados e gerando despesas aos cofres públicos, fossem negociados com os atuais "sem teto" recentes vítimas dos incêndios que estão devastando nossas comunidades, porem não cria nenhum embaraço, aos nossos administradores, ditos encarregados da habitação na cidade.   

 

Sempre ficamos mais experientes, após perdermos algumas batalhas, na guerra diária da vida.