Re: Cortiços: o mercado habitacional de exploração da pobreza

imagem de Ramalho
Ramalho

Na cidade do Rio de Janeiro, sob pretextos estapafúrdios como os eventos da Copa da Mundo de Futebol e as Olimpíadas, que nada têm a ver com custos imobiliários, mas, tão somente, com argumentos de sustentação de uma especulação imobiliária desenfreada, o preço dos imóveis têm sofrido aumento de 100%, ou mais, em dois, ou mesmo em um ano, nos últimos dois anos. Surpreendentemente, não se fala disso em lugar algum.

Essa bolha imobiliária carioca suga recursos estatais destinados à habitação, reduzindo em muito e eficiência de sua aplicação.

Com a palavra os órgãos de financiamento imobiliário do governo que podem e devem atuar no mercado restringindo ou negando financiamento de imóveis sobrevalorizados. Se o governo não agir, ter-se-á no Rio, em 2014 e 2016, uma crise habitacional mais grave do que a existente hoje com os efeitos colaterais conhecidos, como o aumento da favelização e violência, afora outros que podem vir a afetar o sistema financeiro..