Prorrogada concessão de iluminação pública em São Paulo

Por Assis Ribeiro

Do Valor

Haddad prorroga concessão de iluminação

Por Raphael Di Cunto | De São Paulo

Antes propenso a não renovar a concessão do serviço de iluminação pública da cidade de São Paulo, que termina dia 31 de julho, o prefeito Fernando Haddad (PT) deve prorrogar o contrato por mais três ou quatro meses, conforme antecipou ontem o Valor PRO, serviço informação em tempo real do Valor. Em contrapartida, o petista negocia redução de 20% no valor do contrato - de R$ 216,9 milhões por ano - e o cumprimento de metas até o fim de 2013, como o fim dos 18 mil pontos sem iluminação.

Insatisfeito com a qualidade do serviço prestado pelo consórcio formado pelas empresas Alusa e FM Rodriguez, Haddad pretendia aproveitar o fim do contrato para buscar outra forma de fazer a manutenção do sistema. Os principais problemas apontados na prefeitura são a demora na troca das lâmpadas e a taxa de falha do sistema com o dobro da frequência que seria normal.

Agora, a ideia é prorrogar até o fim do ano para permitir mais investimentos e estudar o novo modelo do contrato. "Estamos avaliando se mantemos o serviço como concessão administrativa, fazemos PPP ou adotamos outro formato", diz o secretário Municipal de Serviços, Simão Pedro.

A prorrogação ocorrerá também para atender a determinação do prefeito de reduzir o custo dos contratos com o objetivo de liberar recursos para investimentos.

Nenhum voto

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.

Faça seu login e aproveite as funções multímidia!