O consultor do Google e o boicote ao Marco Civil

Sugerido por Antonio Nelson

Por Sergio Amadeu da Silveira* (via Facebook)

O jornalista Fernando Rodrigues escreveu a seguinte nota:

http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2013/07/15/ex-lobista-do-google-trabalha-no-planalto/. Ele quer dar a entender que o Marco Civil favorece o Google. Certamente o jornalista está sendo instrumentalizado pelas operadoras de telecom para paralisar o Marco Civil. Fui na página dele aqui no Facebook e postei o seguinte comentário:  Pois é Fernando Rodrigues, tudo que você divulga do Ivo me parece correto, menos suas ilações.

O Marco Civil foi escrito colaborativamente na plataforma da Cultura Digital, em duas fases ( http://culturadigital.br/marcocivil/ ), de modo transparente, contando com mais de 2 mil contribuições. As Operadoras de Telecom, cujos diversos diretores saíram diretamente da Anatel para o comando destas corporações, são contra o Marco Civil.

Eles tem o Ministério das Comunicações nas mãos. Por isso, o Marco Civil não anda. Talvez fosse o caso de você investigar essas relações. Aí está a pista de por que o Marco Civil está sendo alterado para atender os interesses das corporações de telecom.

* Sóciologo e doutor em Ciência Política. Professor na Cásper Líbero. Ativista da liberdade na rede e do software livre.

Do blog do Fernando Rodrigues

Ex-lobista do Google trabalha no Planalto

Fernando Rodrigues

subchefe da Casa Civil foi diretor do Google Brasil de 2008 a 2011

O subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Ivo da Motta Azevedo Corrêa (foto ao lado), ilustra como funciona a porta-giratória dentro do governo federal.

Segundo extensa reportagem no jornal “Correio Brasiliense” de hoje (15.jul.2013), Ivo Corrêa fez a seguinte carreira:

1) formou-se advogado pela USP e especializou-se em Políticas Públicas e Gestão Governamental pela Escola Nacional de Administração Pública. Aprovado em um concurso público no governo federal, foi nomeado para o cargo efetivo de especialista em políticas públicas no Ministério do Planejamento. Antes, havia “ocupado diversos cargos no setor público (no Ministério da Justiça, na Presidência da República, no Senado Federal, bem como na Câmara dos Vereadores e na Prefeitura de São Paulo)”, diz seu perfil no Comitê Gestor da Internet no Brasil. Ou seja, Ivo Corrêa entendia de assuntos governamentais;

2) em maio de 2008, trocou o conforto do cargo público por uma “proposta de um salário ainda maior”. Aceitou convite do Google Brasil para ser de diretor de Relações Governamentais desse gigante da internet. No Brasil, a expressão/função “diretor de relações governamentais” é um eufemismo para lobby;

3) ficou no Google Brasil até 2011. Aí voltou para o governo federal. Está hoje na função de subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência da República.

No desempenho de sua função atual, cabe a Ivo Corrêa representar o governo do Brasil no Comitê Gestor da Internet no Brasil, o órgão que comanda a web.

A reportagem do “Correio” levanta dúvidas sobre a entrada e saída de pessoas na administração pública: “De interlocutor com o governo indicado pelo Google a negociador do governo com o Google e outros atores do ciberespaço, a mudança de posições de Corrêa pode suscitar questões se considerar a batalha bilionária de interesses comerciais divergentes de operadoras de telefonia e multinacionais poderosas”.

Nenhum voto
11 comentários
imagem de Maria Luisa
Maria Luisa

A reportagem do “Correio” levanta dúvidas sobre a entrada e saída de pessoas na administração pública: “De interlocutor com o governo indicado pelo Google a negociador do governo com o Google e outros atores do ciberespaço, a mudança de posições de Corrêa pode suscitar questões se considerar a batalha bilionária de interesses comerciais divergentes de operadoras de telefonia e multinacionais poderosas”.

 Eh, e o grupo Folha no meio da batalha que ja começou.

 
 
imagem de Felipe Braga
Felipe Braga

Talvez não seja má fé do tal Fernando Rodrigues, só desconhecimento de causa (provavelmente eu esteja enganado :P)

 
 
imagem de Aldo Cardoso
Aldo Cardoso

Pois é, uma raposa para cuidar do galhinheiro é o que esse Ivo está sendo de fato no Governo Federal. Portanto, com gente tal qual esse mais o Bernardão em áreas chaves desse governo mambembe do PT, podem o Marco Civil e outros esperar sentados.

 
 
imagem de Walter Serralheiro.'.
Walter Serralheiro.'.

Abranet defende texto original do Marco Civil

fonte: http://www.telesintese.com.br/index.php/plantao/23519-abranet-defende-te...

Associação entende que o princípio da neutralidade deve ser mantido e proposta de armazenamento de dados de brasileiros no país requer amadurecimento

 

A Associação Brasileira de Internet (Abranet) se manifestou nesta terça-feira (16) contrariamente às propostas de modificação do texto do Marco Civil da Internet, cuja votação era esperada para hoje, mas que foi prorrogada para agosto, com o governo disposto a incluir obrigações de grandes provedores de conteúdo armazenarem os dados de brasileiros localmente, fruto do escândalo de espionagem envolvendo o governo dos Estados Unidos e grandes empresas como Google, Microsoft e Yahoo.

 

Além disso, as operadoras de telecomunicações pressionam pela alteração do texto no que tange à definição de neutralidade como princípio sendo obrigatório o tratamento isonômico de conteúdos, serviços e aplicativos. 

 

Segue a nota:

 

A Associação Brasileira de Internet (Abranet), diante das recentes propostas de alteração do texto do Marco Civil da Internet, especialmente a exclusão do princípio da neutralidade de redes e a inserção da obrigatoriedade de armazenamento de dados em território nacional, vem a público manifestar seu apoio ao texto original proposto pelo relator do projeto do Marco Civil, deputado Alessandro Molon.

 

O grande mérito de tal texto, amplamente discutido com a sociedade, é criar uma regulamentação principiológica, tal como as Constituições, garantindo relevantes direitos aos usuários da Internet, e ao mesmo tempo, propiciando o seu contínuo desenvolvimento.

A ABRANET entende não serem adequadas estas alterações ao projeto do Marco Civil, vez que ambas tornam inócuos os propósitos do texto.

Em relação à proposta de obrigatoriedade de armazenamento de dados no Brasil, esta precisa ser amadurecida, não sendo o Marco Civil, instrumento adequado para tais discussões.

A exclusão do princípio da neutralidade de redes também não faz sentido, pois assegura a não interferência da detentora da rede no acesso do usuário a conteúdos de sua livre escolha. Consequentemente garante a não discriminação de provedores de serviços na internet, vedando cobranças proibitivas para oferta de conteúdos.

Diante desse quadro, a ABRANET apela ao governo brasileiro e ao Congresso que se sensibilizem e atentem para as consequências deletérias das propostas de alteração ao Marco Civil que, ao final, acabarão por prejudicar os direitos de usuários da Internet no Brasil.

O Marco Civil nasceu de uma extensa e profunda interlocução entre os vários segmentos da sociedade civil. Foi desse ambiente profundamente democrático que se chegou a um texto capaz de colocar o Brasil numa posição de vanguarda em relação à garantia de direitos e liberdades na Internet, sem os graves inconvenientes e riscos do controle e centralização da rede.

A ABRANET reitera o seu apoio ao texto original do Marco Civil da Internet, seu equilíbrio e o compromisso em defender direitos e liberdades fundamentais ao tempo em que se permite a inovação e o desenvolvimento da Internet no Brasil.

 

|_|0|_|
|_|_|0|
|0|0|0|
Bendita a verdade bem dita, que no Brasil é sempre "Uma Verdade Inconveniente"
https://www.facebook.com/wserralheiro

 
imagem de vera lucia venturini
vera lucia venturini

A Dilma já leu? Com certeza ainda não pois se tivesse lido o tal funcionário já estaria na rua. Com a Dilma é assim, jornalista da grande imprensa escreveu, é degola.
Agora, nós, que não participamos de passeata com slogans de uisque e carro ou contra a "PC 37" e defendemos o governo dela, não somos ouvidos. E viva o Paulo Bernardo que tem boas relações com a Veja. E viva a sua assessoria de imprensa que consegue espaço para ela fritar ovo no programa da mesma apresentadora que usou colar de tomates para denunciar a inflação ou dar uma entrevista no poderoso O Globo para pedir um fogão no Palácio.

 

Vera Lucia Venturini

 
imagem de Anarquista Lúcida
Anarquista Lúcida

Se você "defende o governo dela" da forma como tem "defendido" aqui, batendo em cima em todos os comentários, isso exatamente numa época em que a Direita está armando o derretimento da confiança nela, sugiro que você PARE DE DEFENDER, POR FAVOR. 

 
 
imagem de Jossimar
Jossimar

No Bom dia Brasil(sic) de hoje o vilão é o chuchu. Será que a apresentadora vai usar colar de chuchu?

O Chico Pinheiro disse que a inflação dos alimentos está caindo, MAS, há vilões. O da vez é o chuchu.

Acho que o programa matinal deveria mudar de nome.

 
 
imagem de Maria Luisa
Maria Luisa

 Ah! Agora sim a inflação dispara. Não podemos viver sem um chuchu! Somos apaixonados por chuchu, até elegemos uns aqui, outros acola...

 
 
imagem de Felipe Braga
Felipe Braga

Picolé de chuchu!?

 
 
imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

"viva o Paulo Bernardo que tem boas relações com a Veja":

Trairagem explicita.  Vide tambem post de hoje sobre o supremo...

 
 
imagem de Luiz Americo Costa
Luiz Americo Costa

Será campanha dos tucanos para transferir culpa???

http://www.flickr.com/photos/governo_de_minas_gerais/3593326114/

 

 

LACosta

 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.

Faça seu login e aproveite as funções multímidia!