Uruguai está muito próximo de legalizar a maconha

Sugerido por Tamára Baranov

Do Terra

Uruguai fica a um passo de legalizar maconha após aprovação da Câmara

O inovador projeto antidrogas impulsionado pelo presidente do Uruguai, José Mujica, que pretende legalizar a maconha e entregar o controle de sua circulação ao Estado, foi aprovada nesta quarta-feira pela Câmara dos Deputados e ficou a um passo de ser transformado em lei, faltando apenas um sinal verde do Senado.

Assim como ocorreu nos últimos meses com o aborto e o casamento homossexual, o bloco governista Frente Ampla (FA) conseguiu impor sua maioria parlamentar, embora tenha tido um pequeno susto de última hora por causa de um legislador, que confessou rejeitar a iniciativa, mas acabou votando a favor por lealdade a seu partido.

O projeto foi aprovado com 50 votos a favor - dos 96 totais - após uma sessão de 14 horas, iniciada as 10 h locais e só encerrada por volta da meia-noite.

Apesar de ter finalmente apoiado o projeto governista, o deputado do FA que tinha ameaçado boicotar a votação, Darío Pérez, fez questão de exaltar sua inconformidade em torno do assunto: "A maconha é uma mer.... É inimiga do estudante, do trabalhador e da vida. E o importante é que é uma mer... com ou sem lei", indicou.

No entanto, o deputado reconheceu que a proposta é um dos "projetos mais impactantes da legislatura" de Mujica (2010-2015) e implica uma grande "mudança de paradigma no tema das drogas".

Seu correligionário Jorge Orrico lembrou que "se o negócio da droga não for clandestino, não funciona" e criticou a dupla moral de países como os Estados Unidos nesse campo: "São os líderes no mundo na repressão contra este tipo de coisas, mas, dentro dos Estados Unidos, há 18 estados que liberaram a maconha - como o Colorado - para usos recreativos".

Orrico ressaltou que "a guerra contra as drogas não teve resultado algum e o consumo de drogas aumentou em todas as partes do mundo", até se transformar em um "problema de saúde e de segurança pública".

O deputado do Partido Nacional Gerardo Amarela opinou que, "no melhor dos casos", a norma terá consequências sobre 12% do negócio do tráfico e lamentou que o país esteja "passando uma mensagem confusa à sociedade".

Sua correligionária Verónica Alonso opinou que "viver com as drogas é um slogan pessimista e condenatório", enquanto o legislador do Partido Colorado Richard Sander defendeu que a lei "vai contra o fim que persegue".

Sander também questionou se essa aprovação "não terminará sendo um argumento contra do país" no contencioso litígio internacional com a tabacaria Philip Morris, iniciado por causa de sua dura legislação contra o tabagismo.

Gustavo Borsari, também do Colorado, anunciou uma campanha de recolhimento de assinaturas para tentar convocar um referendo contra a lei, como o próprio Sander havia antecipado há dois dias.

Como prova da complexidade da questão, além do governista Darío Pérez, também houve deputados opositores que votaram contra a lei por obediência, mas eram a favor, como o colorado Aníbal Gloodtdofsky.

"Já é hora do Uruguai voltar a ser o país considerado como a Suíça da América, como era nos tempos do governo Batlle", afirmou o deputado em alusão ao ex-presidente José Batlle Ordóñez (1903-1907 e 1911-1915), tido como o pai do Uruguai moderno por suas iniciativas progressistas.

No Partido Independiente, o deputado Daniel Radío se uniu a essa tendência ao ressaltar que "falar de drogas não é necessariamente falar de um problema", já que "alguns consumos são problemáticos e outros não". "Não podemos deixar de experimentar novas formas para mudar esta situação", concluiu.

O debate foi acompanhado com expectativa pelas associações de consumidores de cannabis e partidários nos arredores e no interior do Parlamento, de onde foram expulsos após iniciarem uma explosiva comemoração com a confirmação da aprovação.

O envolvimento desses grupos contrastou com a passividade do resto da população nas ruas, apesar de uma pesquisa (da consultoria Número) ter revelado na última segunda-feira que 63% dos uruguaios estão contra o plano governamental e só 26% a favor.

De acordo com os dados da Junta Nacional de Drogas, 20% dos uruguaios com idades entre 15 e 65 anos já consumiu maconha alguma vez em sua vida.

A iniciativa, que não tem precedentes na América Latina e é vista com grande receio pela maioria dos países, também recebeu o apoio de personalidades, como o prêmio Nobel de Literatura Mario Vargas Llosa, de vários ex-presidentes da região e, inclusive, do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, que a considera como algo que "vale a pena testar".

No entanto, para que seja transformado em lei, o projeto agora precisa ser aprovado no Senado, onde o FA também possui a maioria suficiente. Por conta deste fato, analistas estimam que essa inovadora lei poderia entrar em vigor antes do final do ano.

Nenhum voto
23 comentários
imagem de Ana Lúica Batista
Ana Lúica Batista

Se quisermos ser coerentes e não hipócritas, devemos liberar a maconha  ou proibir o alcool, uma droga que traz tantos danos à sociedade, mortes no trânsito , homicídios, dependência crônica até a morte, como a maioria das drogas. Já a maconha, embora seja intorpecente, sabendo usar, cura glaucoma, depressão e mais: uma pessoa sob efeito da maconha não sai por aí a 120km/hora nas estradas, porque , ao contrário do alcool, a tendencia é inibir qualquer ação que gera perigo.

Mas o poderio econômico do alccol irá permitir a verdade??????

 
 
imagem de Marcelo F. Campos
Marcelo F. Campos

"É inimiga do estudante, do trabalhador e da vida. E o importante é que é uma merda, com ou sem lei"


 
 
imagem de C. Khosta y Alzamendi
C. Khosta y Alzamendi

O Mujica vai ter que negar a enxurrada de pedidos de naturalização... Senão, a população do Uruguai dobra em dois anos!

 
 
imagem de anarquista sério
anarquista sério

Em cada 3 uruguaios,2 eram contra a liberação da maconha.

  Precisou muita vontade política do presidente pra aprovar por pequena margem.

     No senado é mole- o governo tem maioria ampla.

     Eu gostei.NãO porque tenho opinião formada.Gostei porque irá servir de laboratório pro mundo.

       Vai dar certo? Sei lá eu.

            Aguardemos.

 
 
imagem de Marcel Santo
Marcel Santo

não será laboratoria, a Holanda já liberou a tempos!!! 

 
 
imagem de Lenilson
Lenilson

O Uruguai está seguindo orientação do FHC?

 
 
imagem de ArthurTaguti
ArthurTaguti

Mais uma conquista do grande Mujica! Já aqui, fica difícil discutir esta questão, pois o terrorismo de uma minoria de sacerdotes fundamentalistas obscurece o debate.

Vamos esperar os resultados (tomara que benéficos) da legalização. Aí quem sabe pode incentivar um grande debate nacional.

 
 
imagem de Athos
Athos

O nível do debate está baixo.

Acho que vou esperar o próximo tópico. Isso é notícia de 6 meses atrás mesmo...

 
 
imagem de contraditório
contraditório

A maconha produz muitos malefícios,como perda de memória e mais uma porção de coisas que eu não lembro.

 
 
imagem de fabio pada
fabio pada

Opa, quem sabe os nossos políticos, "DEPOIS" de imitarem o estilo e o padrão de vida do presidente uruguaio. Possam também imitar suas ações políticas...

 
 
imagem de Ricardo Pereira
Ricardo Pereira

Pra homenagear o congresso uruguaio, vai ahi uma musica simbolo do Funkadelic...Enjoy, high people..rs

 
 
imagem de marcelo
marcelo

Vou pedir asilo político ao Uruguai.

 
 
imagem de jura
jura

O Uruguay vai voltar a ser a Suíça da América Latina. Belchior foi para o lugar certo e eu já estou pensando a mesma coisa...

 
 
imagem de Alessandre de Argolo
Alessandre de Argolo

Eu sou favorável à libertação da maconha e de, resto, de todas as drogas.

Maconha é besteira. Quem nunca fumou que atire a primeira pedra rsrs.

Como diria o célebre Massa Sofrida, reaça da vertente olavete, popular em inúmeras comunidades do Orkut: "Eu fumo maconha para não me tornar um intelectual de gabinete. Um verdadeiro intelectual deve ir ao encontro do povo, por isso eu também fumo maconha".

Grande Massa Sofrida, "o homem mais culto do Brasil".

 
 
imagem de Marcia
Marcia

Eu nunca  fumei maconha, nem  experimentei. Nunca tive    curiosidade   e  não  sou moralista.

 

A verdade pode machucar mas é sempre mais digna.

 
imagem de silvio de sousa
silvio de sousa

Pelo jeito está com vontade rsrsrsrsrsrs

 
 
imagem de Marcia
Marcia

Tô não Silvio, se tivesse  fumaria. É sério!

 

A verdade pode machucar mas é sempre mais digna.

 
imagem de Hélio Jorge Cordeiro
Hélio Jorge Cordeiro

O Uruguai qualquer dia desses pode virar um Paraguai antes de ser destruido pelo Brasil, Argentina etc.  O quê! Um país com leis de país deprimeiro mundo?! Não pode, assim não dá!  Se o Estado nos diz o que comer, beber, vestir, ler, estudar, entre outras coisas, através de entidades de controle, por que não, consumir maconha com o controle do Estado como na Holanda (Ah, a Holanda pode, né?!), do que comprar do traficante que paga juizes, senadores, deputados, delegados, padres, freiras, o diabo a quatro!

Tá certo, então!

 

Hélio Jorge Cordeiro

 
imagem de silvio de sousa
silvio de sousa
UUUUUUUIIIIIIIII !!!!
 
 
imagem de bocó-de-mola
bocó-de-mola

É isso !  Vai acabar com MUITA boquinha...

 
 
imagem de Marcia
Marcia

FHC vai  se mudar prá lá? Tomara....kkkkk

 

A verdade pode machucar mas é sempre mais digna.

 
imagem de Tamára Baranov
Tamára Baranov

Vamos fazer figa para ser aprovado...e hasta la vista baby...

 

Tamára Baranov

'Nada é para sempre'

 
imagem de Marcia
Marcia

kkkkkk

 

A verdade pode machucar mas é sempre mais digna.

 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.

Faça seu login e aproveite as funções multímidia!