Re: O protesto dos jornalistas na CBN de Curitiba

imagem de Luciano Prado
Luciano Prado

Estou temporariamente em Natal, Rio Grande do Norte. Todos os dias o potiguar é informado sobre clima, trânsito e demais notícias do interesse dos paulistas e cariocas. Junto com essas notícias vem o sotaque dos programas da Globo e CBN. Não é exagero, aqui se fica sabendo inclusive sobre os engarrafamentos das várias avenidas de São Paulo.

O fato se repete por todo o Brasil. Para onde se viaja os Sardemberg´s então lá nos empurrando goela abaixo suas verdades.

É o som do martelo na bigorna numa cantilena incessante. Como diria a letra da música do Chico Buarque: “... todo dia ela faz tudo sempre igual...”

A realidade é que o regional está morrendo para dá lugar ao sotaque da Globo, dos Marinho.

Ou a sociedade reage ou daqui a pouco perdemos nossa identidade para assumir a dos Marinho.

Aqui e acolá se verifica ilhas de resistência. No Ceará, por exemplo, existe uma televisão 100% regional. Toda a programação e apresentadores são nativos. O sotaque, os erros e acertos são cearenses. O povo se identifica com o que vê e escuta na TV Diário.

Não dá para ouvir o Jabor, a Miriam Leitão, o Sardenberg por onde se ande.

Isso é tentativa de lavagem cerebral.