Re: O embate entre a nova e a velha mídia

imagem de Toni
Toni

É preciso diferenciar a crise na grande  e velha imprensa brasileira e a crise geral que enfrenta o jornalismo no mundo. No caso brasileiro o efeito é duplamente mortal. Primeiro, porque o chamado PIG, monopolista  não somente empresarialmente como jornalisticamente também, tinha como principio ditar e manipular a opinião pública de acordo com seus interesses imediatos e estratégicos. A internet começou a desmascarar e dividir a formação de opinião, desenvolvendo uma dinâmica cada vez mais difícil de fazer frente.  Além disso é muito dificil para a velha imprensa se readaptar e procurar fazer um jornalismo menos tendencioso, pois nunca aprendeu a sair do lugar-comum conservador e, se necessário, extremamente reacionário. É quase impossivel exercer um jornalismo independente, porque está calcificada a trava ideológica nas suas máquinas rotativas.  Aliando-se a isso, vem a crise estrutural e de identidade do jornalismo que enfrenta uma nova era de comunicação e não sabe ainda como sobreviver na imensa floresta de canais e alternativas que a internet oferece.

Para a imprensa brasileira, que além de reacionária por excelência é totalmente dependente de verbas públicas, o veneno tem efeito, sim, duplamente fatal ou, falando claro, o veneno é duplamente eficaz.

 

@ToniBulhoes