Re: Os Ninja no Roda Viva: o futuro explodindo o velho

imagem de Ccarvalho
Ccarvalho

Foi constrangedor. Fiquei muito feliz com a inacreditável juventude e disposição de Dines, um mestre de todas as horas, quase que segurando sua euforia em ver alí na frente dele uma dupla com a qual ele certamente trabalharia. O destino e a vida deveriam ter proporcionado esta oportunidade a Dines.
E a expressão de Caio Tulio Costa dizia tudo, ou quase tudo, por que foi complementada pela expressão de Suzana Singer, quase patética. Lamentei que Eugênio Bucci tenha ficado mais uma vez encima do muro, sem coragem de dizer o que pensa. Não foi uma noite feliz. Não vejo razões para comemorar. Se por um lado foi lindo ver a dupla Ninja oxigenar a tela de TV, de outro, vi na bancada pessoas que embora estivessem alí representando a mídia tradicional, não são ela e fazem parte do que talvez exista de melhor hoje nesta mídia. Me pergunto porque Janio de Freitas nunca ocupa aquela bancada. Sou de uma geração de fotógrafos que cresceu nas redações e fora delas vendo essas pessoas produzindo o que de melhor se fez no jornalismo nos últimos 30 anos. Também elas fora atropeladas pela processo de corrosão e mediocrização do jornalismo diário. E como diz Caetano, a vida é real e de viés. E assim sendo, parabés aos Ninja.

 

Carlos Carvalho [email protected]