Balanço do Minha Casa Minha Vida

Por Paulo Cezar

"Minha Casa" entregou, até outubro, 44% das moradias da primeira fase
 

Autor(es): Por Samantha Maia | De São Paulo
Valor Econômico - 07/11/2011
 

O programa Minha Casa, Minha Vida, iniciado em abril de 2009, entregou até o fim de outubro 438.449 moradias referentes à primeira fase, cujas contratações terminaram em dezembro de 2010. Isso representa 43,6% do total de um milhão de unidades contratadas. A expectativa do governo federal é que todas as unidades sejam entregues até o último trimestre do ano que vem.

"Houve um grande volume de contratação no último quadrimestre de 2010 e por isso as entregas vão se estender até outubro do ano que vem", diz o diretor de habitação da Caixa Econômica Federal, Teotônio Costa Resende. De acordo com o diretor, o prazo de entrega dos imóveis está demorando entre 15 e 18 meses.

A faixa que possui mais moradias entregues é a segunda, para famílias com renda de R$ 1,6 mil a R$ 3,1 mil, com 80% das obras prontas na primeira fase do programa. Segundo a Caixa, isso ocorre porque os investimentos nessa faixa são mais pulverizados - os condomínios são menores, o que permite que o prazo de entrega seja mais rápido.

Na primeira faixa (renda até R$ 1,6 mil), que tem subsídio total do governo, e está hoje com 67 mil casas entregues (15% do contratado), os prazos de entrega têm sido maiores, porque muitos empreendimentos chegam a ter 500 unidades, segundo justificativa da Caixa. Na faixa de renda mais alta (de R$ 3,1 mil a R$ 5 mil), cuja meta de contratação foi menor que as demais (200 mil, enquanto nas outras duas faixas eram 400 mil), no momento há apenas 25 mil moradias concluídas.

Os 404 mil imóveis contratados na primeira fase do programa para famílias com renda até R$ 1,6 mil devem terminar de ser entregues ainda no primeiro semestre de 2012, segundo o diretor da Caixa. Além das 67 mil que ficaram prontas até o dia 26 de outubro, há outras 180 mil a serem entregues até o fim do ano. "Cerca de 90 mil imóveis estão prontos, em fase de legalização dos documentos. Outros 90 mil têm mais de 90% das obras concluídas", diz Resende.

Da segunda fase do programa, iniciada em janeiro de 2011, já foram entregues 115.190 casas. Nesse caso, são financiamentos concedidos diretamente a pessoas físicas destinados à compra de casas prontas e financiadas pelas próprias construtoras. A regra do Minha Casa, Minha Vida é que podem ser incluídas moradias que receberam o "habite-se" a partir da vigência do programa.

Somando as duas fases do programa, foram contratadas pela Caixa, até o fim de setembro, 1.265.933 habitações do Minha Casa, Minha Vida, um total de R$ 72,6 bilhões de investimento. Os desembolsos totais do programa chegaram a R$ 30,4 bilhões, 42% do valor contratado até setembro deste ano.

Antes do Minha Casa, Minha Vida, essa média do prazo para entrega das obras era de 12 a 15 meses, menor do que os 15 a 18 meses de hoje. Segundo Resende, o que provocou esse aumento foi o crescimento do número de habitações por empreendimento, o que fez com que o tempo necessário para realização da obra fosse alongado. "O prazo varia de acordo com o tamanho do projeto. A média, que era antes de 300 unidades por condomínio, hoje está em 500, aumentando o período necessário para a conclusão", diz ele.

Segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), porém, a dificuldade do mercado para atender à demanda criada pelo programa habitacional é que tem feito os prazos para entrega das moradias se estenderem, principalmente atrasos relacionados à dificuldade de contratação de mão de obra.

"Não conheço nenhuma empresa que conseguiu cumprir o prazo inicial do contrato, por conta do aquecimento do mercado. Há projetos com prazo de até 24 meses", diz João Carlos Robusti, vice-presidente de habitação popular do Sinduscon-SP. O executivo afirma que não era um procedimento comum da Caixa alongar os prazos para a entrega dos empreendimentos habitacionais.

O diretor da Caixa nega que tenha havido uma mudança de posição da instituição em relação aos períodos de execução das obras. Segundo ele, prazos superiores a 18 meses são pontuais, como construções com até 3 mil unidades, cuja entrega é realizada por módulos. "O prazo para a execução das obras é dado em função do perfil do empreendimento", diz.

Entre outros casos pontuais, que exigem revisão das datas de conclusão, Resende cita situações como excesso de chuva, dificuldade na contratação de funcionários e greves. "Mas são fatos pontuais, não fazem parte da rotina no programa, e quando ocorre, cada caso é analisado separadamente", diz. O diretor afirma que a maioria das construtoras com financiamento pelo Minha Casa, Minha Vida manteve os prazos acertados na assinatura do contrato com a Caixa.

Nenhum voto
14 comentários
imagem de Ricardo Vieira Feltran
Ricardo Vieira Feltran

Interessante o governo disponibilizar cotas para os idosos e deficientes, a Dilma esta realmente preocupado com a população.
Já conheço o plano antigo da Minha casa Minha vida, com essa priorização e seleção dos beneficiários com porcentual de 3% vai ser mais fácil de obter sua casa própria.
Recomendo o site para quem esta procurando casas do programa www.sonhodeminhacasa.com.br, esse site você encontra simulador da caixa e maiores informações sobre o plano.

Até
Boa sorte

 
 
imagem de Fuhgeddaboudit™
Fuhgeddaboudit™

"Na faixa de renda mais alta (de R$ 3,1 mil a R$ 5 mil), cuja meta de contratação foi menor que as demais (200 mil, enquanto nas outras duas faixas eram 400 mil), no momento há apenas 25 mil moradias concluídas". (sic)

1) Em nenhuma hipótese as camadas mais carentes da população e os de BAIXA RENDA (menor do que o Salário Mínimo) foram atendidas. O Programa foi criado para atender esse segmento da população e foi desvirtuado;

2) A CEF informa a quantidade "contratada" o que sugere ser os Contratos com as Construtoras e não diz quantas das "contratadas" foram vendidas.

1) A SAE da Presidência da República estabeleceu que a Classe Média Brasileira (104 milhões de pessoas) ganha entre R$ 1.000,00 e R$ 4.000,00. Se o Programa diz atender até R$ 5.000,00 está claro que foi desvirtuado e mentiroso seria o que é dito pelas Agências da CEF em SAMPA: uma Renda Mínima de R$ 7.000,00 para quem quiser habilitar-se a compra de um imóvel do Programa, mais barato em São Paulo, sem dar entrada. Mais uma comprovação que o Programa não conseguiu atender ao segmento populacional que se comprometeu.

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.

 
imagem de Paulo Cezar
Paulo Cezar

NÃO LEU OU FINGIU DE BOBO ?

 

"Os 404 mil imóveis contratados na primeira fase do programa para famílias com renda até R$ 1,6 mil devem terminar de ser entregues ainda no primeiro semestre de 2012, segundo o diretor da Caixa. Além das 67 mil que ficaram prontas até o dia 26 de outubro, há outras 180 mil a serem entregues até o fim do ano. "Cerca de 90 mil imóveis estão prontos, em fase de legalização dos documentos. Outros 90 mil têm mais de 90% das obras concluídas", diz Resende."

 
 
imagem de eliani santos
eliani santos

Se informe melhor: o programa minha casa minha vida atende a familias com renda de zero a 1600,00, na maioria dos empreendimentos. Se você acha que renda zero não atende aos pobres deste país... O maior problema do programa é que são as prefeituras que fazem a seleção das famílias, daí a politicagem rola solta e a gente vê casos de cadastros incompatíveis com as regras ,  mas um programa deste tamanho não é fácil de ser controlado.

Para a carta de crédito FGTS, os critérios de renda e valores de imóvel são estabelecidos pelo Conselho curador do FGTS  e não pelo governo. Um pouco de informação honesta pode ser conseguido no Ministério das  Cidades e no da CEF.

 

 
 
imagem de Fuhgeddaboudit™
Fuhgeddaboudit™

Elani, não seja mais um inocente útil: em nenhuma hipótese o Conselho Curador pode interferir no preço cobrado pelos imóveis, isto quem avalia é a CEF. O problema é que você não entendeu o que leu; o que o Conselho estabelece o quanto pode ser comprometido e o limite que pode ser financiado. Pareces que és amador nisso. Ou não?

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.

 
imagem de Vinicius Carioca
Vinicius Carioca

Em São Paulo acho que é mais complicado por causa da grande especulação. É apenas achismo.

Agora você coloca bem os preços que as construtoras estão corando pelos "apertamentos" é irreal ainda que com subsídio para a menor faixa.

As construtoras fizeram uma calhordice enorme, que foi inflar o preço dos aps de maneira que mesmo com o subsídio o comprador fique com uma dívida de no mínimo 75mil reais para pagar em 30 anos. Acho que o governo deveria impor um limite para o valor mínimo dos imóveis que em alguns casos chega a ser 90 mil. E a metragem dos apartamentos DEVE ser revista.

Os apartamentos feitos pelo programa de arrendamento (PAR) da prefeitura do Rio, apesar de menos denso que o PAC tinha uma metragem muito maior do que os que estão sendo oferecidos. Sem contar que limitar o número de andares para não colocar elevadores prejudica os mais idosos.

 
 
imagem de Fuhgeddaboudit™
Fuhgeddaboudit™

O imóvel mais barato em São Paulo, com 30 m2 "custava" R$ 120.000,00 e para comprá-lo sem dar entrada, o corajoso adquirente teria de comprovar a renda de R$ 7.000,00. Este renda, segundo a SAE da Presidência, está 75% acima da sua maior faixa de Classe Média.

Os preços atingiram patamares artificiais e, por isso, proibitivos e de alto risco para os compradores, vez que com ágio/over-price que atingem até 80% do valor real um dia vão virar pó. Esse ágio veio embutido no preço artificial dos terrenos, ou seja, o comprado há um ano por R$ 1.000.000,00 certamente ebtrou por R$ 10.000.000,00 no custo e a CEF aceitou passivamente, avaliando-o como bom

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.

 
imagem de Paulo Cezar
Paulo Cezar

VC É LOUCO ? OU MENTIROSO ??

 

PARA UM IMÓVEL DE 120 MIL NEM NO FINANCIAMENTO NORMAL DA CAIXA SIMULADO NO SITE SÃO NECESSÁRIOS R$ 7 MIL !!!

 
 
imagem de Fuhgeddaboudit™
Fuhgeddaboudit™

Por que será que a CEF não informa onde foram "contratados" a maioria desses imóveis? Será porque não estão perto das favelas indígnas e, sim , no interior onde as pessoas ainda moram melhor?

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.

 
imagem de Paulo Cezar
Paulo Cezar

A Caixa não informa ??

Como ela venderia os imóveis se não informa localização ??

Veja abaixo a localização de alguns empreendimentos no RJ :

http://www.realnobile.com/minhacasaminhavida-programadogovernomcmv.html

 
 
imagem de Paulo Cezar
Paulo Cezar

VC SÓ SABE CRITICAR AMIGO, QUERO QUE ME MOSTRE UM PROGRAMA  HABITACIONAL DE MAIOR SUCESSO E TÃO ABRANGENTE COMO ESSE !!

AO INVÉS DE IR ATRÁS E PROCURAR SABER ONDE ESTÃO OS IMÓVEIS , E ADMITIR QUE CONTRATAR 1 MILHÃO DE IMÓVEIS E ENTREGAR 44 % DELES É UM ÓTIMO RESULTADO, APESAR DE VÁRIOS PROBLEMAS QUE COM CERTEZA ACONTECERIAM EM UM POGRAMA DESSA MAGNITUDE EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO. E AINDA COM 40 % DELES PARA FAMILIAS QUE GANHAM ATÉ R$ 1600,00, COMO VC FINGE NÃO SABER.

VC PREFERE SE ESCONDER ATRÁS DO ANONIMATO DESSE NICKNAME ESDRUXULO E TROLLADOR E ATIRAR FARPAS AOS QUE TENTAM FAZER ALGO PARA MELHORAR A SITUAÇÃO DA HABITAÇÃO NO PAÍS !!

SUA ATITUDE É VERGONHOSA !

 
 
imagem de motoboy
motoboy

é um programa de primeira grandeza que embora não cumprido conforme o programado continua andado firme e forte movimentando a economia brasileira em milhares de áreas. alem dos fatores mencionados como responsáveis pelos atrasos ouvimos questionamentos sôbre os excessos de exigências sôbre tomadores que ainda são muito grandes bem como as burocracias, coisas que não ocorrem com tanto rigor em outras áreas de riscos bem maiores.

 
 
imagem de Fuhgeddaboudit™
Fuhgeddaboudit™

Ficaste falando sozinho, aqui os extremistas não dão as caras. Onde tem cheiro forte de "maracutaia de chapa branca" a turma foge e vai se refugiar em algo "muito mais importante que a casa Própria";  o ti,ti, ti das "maricotas" contra a  GLOBO,  mais acima. 

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.

 
imagem de evandro condé de lima
evandro condé de lima

Evitarei fazer críticas, mas vou reclamar da falta de alguns dados:

Qual a metragem média do que foi entregue? Qual o preço médio? Qualidade da obra? Como é o entorno(escolas, postos de saúde, parques,, comércio, postos policiais, área verde, vias, facilidade de transporte, etc.? Já entrei em alguns apartamentos e não gostei do que vi.

Fui criado no IAPC de Del Castillo, Rio, Não conheço outros mas é imenso. Com espaço entre blocos, acesso a linhas de trem(hoje tem metrô próximo), escolas, etc. Como são os "condomínios" hoje? Pelo que já v,i não troco nenhum por Del Castillo.

 
 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.

Faça seu login e aproveite as funções multímidia!