Da (pouca) arte da intriga

the talk of the town

Ahhh...O Globo.... Quem será que eles acham que enganam numa era dinamica como essa? OIhem a materia de hj !!!

Patrus admite erro no Bolsa Família

Comentário

A matéria segue o padrão usual de O Globo de forçar a barra e criar falsos conflitos.

Por exemplo:

Patrus evitou comentar as declarações do ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, que criticou a oferta das ações de "porta de saída" ao Bolsa Família para os beneficiados de mais baixa renda. Nesta quinta, em entrevista ao GLOBO, Mangabeira disse que não adianta dar essa formação à população miserável, e que o foco devem ser trabalhadores mais próximos da classe média.

O ministro não defendeu essa distinção por critério de renda para oferta de alternativas de saída do programa. Mas frisou que, entre os 11 milhões de beneficiários do programa, há pessoas marginalizadas que, pelo histórico de exclusão, dificilmente conseguirão se emancipar economicamente.

Na entrevista a O Globo - publicada na íntegra no site do Ministério - Mangabeira fala a mesmíssima coisa que Patrus, a mesmíssima. A matéria diz que Patrus "evitou comentar", mas no parágrafo seguinte ele comenta e concorda.

A matéria traz uma informação relevante, sobre as dificuldades encontradas na implantação de cursos profissionalizantes para a construção civil - mencionada aqui como exemplo de que a (suposta) crítica de Mangabeira não procedia.

A oferta de cursos profissionalizantes na área da construção civil, principal aposta do governo para criar uma porta de saída no Bolsa Família, esbarra na falta de alunos. Das 185 mil vagas disponíveis no país, só 9.530 (5%) já foram preenchidas. O baixo número de inscritos surpreendeu o governo. As aulas estavam previstas para começar ano passado, mas só deverão ter início em fevereiro ou março.

E aí, as avaliações sobre os erros cometidos:

O maior teria sido a tentativa de mobilizar as prefeituras durante a campanha eleitoral, em que as prefeituras estavam desmobilzadas pela campanha e pelas transição.

- Só comete erros quem faz. Começamos no momento inadequado. Lançamos o programa em período eleitoral, fim de ano, com prefeitos encerrando mandatos. Os eleitos não haviam assumido, e mesmo os reeleitos estavam em transição.
Finalmente, traz informações objetivas sobre o Plano de Qualificação Setorial:
O Plano de Qualificação Setorial (Planseq) da construção civil foi lançado no primeiro semestre. Em julho, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) promoveu encontros com gestores. Em outubro e dezembro, enviou cartas aos beneficiários aptos a participar: maiores de 18 anos que concluíram pelo menos a 4 série do ensino fundamental.

Agora, equipes do MDS e do Ministério do Trabalho visitarão as 13 regiões metropolitanas e 16 capitais onde haverá qualificação profissional. Começarão semana que vem no Rio, Santos e Campinas. Os beneficiários também poderão se inscrever em Centros de Referência da Assistência Social.

Comentário

Tinha-se uma bela matéria na mão: a avaliação do primeiro programa profissionalizante para os beneficiários do Bolsa Família. A reportagem traz boas informações sobre o programa, sobre as primeiras cabeçadas, sobre os ajustes.

Daria uma belíssima matéria, por exemplo, informar como estão sendo convocados o sistema Senai, o FAT, os Ministérios do Trabalho e da Educação, de que forma está se dando esse aranjo multissetorial.

Em vez disso, O Globo - que, como a Veja, jamais erra - preferiu insistir na irrelevância da falsa polêmica.

Nenhum voto
0 comentários

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.

Faça seu login e aproveite as funções multímidia!