imagem de Lilian Milena

Brasilianas.org discute modelo de desenvolvimento para o país

Autor: 

Hoje, a partir das 20h00, na TV Brasil, o programa Brasilianas.org recebe especialistas da academia e do mercado para analisar dados para fazer um panorama dos fatores positivos e negativos da atual conjuntura brasileira, aproveitando para responder, também, qual a visão deles em relação ao futuro do país.

Participe mandando uma pergunta que poderá ser selecionada ao vivo. Clique aqui!

Nas duas últimas décadas o Brasil melhorou seus índices de desenvolvimento humano, atraiu centros de pesquisa de multinacionais, tendo hoje o maior parque industrial da América Latina, mesmo em meio a todos os problemas econômicos que prejudicam o desempenho do setor produtivo. O que falta, então, para que o país consiga consolidar um ritmo de construção ascendente de uma nação mais moderna e em linha com os países de primeiro mundo?

Para responder essa e outras perguntas Luis Nassif recebe o diretor de Inovação e Tecnologia Corporativa da Braskem, Luís Cassinelli; e o livre-docente do departamento de sociologia da USP, Glauco Arbix. Não perca!
Leia mais »

Tags: 
Tags: 
Tags: 
Tags: 
Tags: 
imagem de Bruno de Pierro

Entrevista: Glauco Arbix, presidente da FINEP

Autor: 

O real vem se valorizando acentuadamente desde março, quando a taxa de câmbio valia R$ 1,66. Hoje, encontra-se no patamar de R$ 1,57. Esse cenário tem proporcionado a diminuição da competitividade em setores industriais, principalmente o manufatureiro, e a intensificação do processo de desindustrialização. Segmentos ligados à média ou alta tecnologia, como o de semicondutores e de máquinas e equipamentos, demonstram insatisfação com a penetração de importados. A dificuldade de ampliação dos investimentos em inovação e em produtos com maior valor agregado tem reservado espaço para o Brasil, no exterior, principalmente para produtos agrícolas e minerais, com baixo valor agregado.
Leia mais »

Tags: 
Tags: 
Tags: 
Tags: 
Tags: 

Entrevista: Glauco Arbix, presidente da FINEP

O real vem se valorizando acentuadamente desde março, quando a taxa de câmbio valia R$ 1,66. Hoje, encontra-se no patamar de R$ 1,57. Esse cenário tem proporcionado a diminuição da competitividade em setores industriais, principalmente o manufatureiro, e a intensificação do processo de desindustrialização. Segmentos ligados à média ou alta tecnologia, como o de semicondutores e de máquinas e equipamentos, demonstram insatisfação com a penetração de importados. A dificuldade de ampliação dos investimentos em inovação e em produtos com maior valor agregado tem reservado espaço para o Brasil, no exterior, principalmente para produtos agrícolas e minerais, com baixo valor agregado.
Leia mais »

Tags: 
inovação
Tags: 
ciência
Tags: 
tecnologia
Tags: 
FINEP
Tags: 
Glauco Arbix