Yeda Crusius X Veja: quem paga é a Abril

Editora Abril é condenada a indenizar ex-governadora Yeda Crusius

A Editora Abril foi condenada pela 2ª Vara Cível de São Paulo a indenizar a ex-governadora Yeda Crusius em R$ 54,5 mil por danos morais. O motivo é a publicação de uma matéria veiculada pela revista Veja sobre a Operação Rodin. Em sua edição 212, a Veja publicou matéria que falava de uma gravação em poder de procurados federais, em que o ex-assessor dela Marcelo Cavalcante admitia que ocorrera corrupção na campanha eleitoral da tucana e desvios no Detran. O juiz Claudio Thome Toni entendeu que faltou “cautela” da revista ao não relatar com clareza que as denúncias contra a então governadora já haviam sido arquivadas. Também pontuou que a ex-mulher da Marcelo, Magda Koegnikan, não confirmou ter dado as declarações que constam na matéria.

Justiça revoga decisão que impedia andamento das obras de Belo Monte

A Justiça Federal no Pará decidiu revogar nesta sexta-feira (16) uma decisão liminar que impedia o andamento das obras da hidrelétrica de Belo Monte no leito do rio Xingu. A decisão anula a sentença dada em setembro, quando a mesma vara havia proibido a interferência no curso natural do rio, através de uma ação provocada pela Associação dos Criadores e Exportadores de Peixes Ornamentais de Altamira.

MPF pede proteção a mais uma testemunha ameaçada por madeireiros no Pará

Foi enviado nesta sexta-feira (16) um ofício à Secretaria de Segurança Pública do Pará pelo Ministério Público Federal pedindo proteção policial urgente para uma testemunha ameaçada no caso dos madeireiros que invadem reservas ambientais no Pará. A testemunha sofreu um atentado a bala no local onde mora, no assentamento, no início de dezembro. O nome da testemunha está sendo preservado por motivos de segurança, já que o risco de novas tentativas é iminente. Outra testemunha do mesmo caso, João Chupel Primo, foi assassinado em outubro na localidade de Miritituba, em Itaituba. Ele foi morto após denunciar a extração de madeira ilegal.

Professor da USP decide reprovar todos os alunos por causa de greve
Aproximadamente 60 estudantes do curso de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP) foram reprovados por não atingirem a frequência mínima de 70% por conta da greve que durou um mês, no início de novembro. O professor Carlos de Moura reprovou todos os alunos dos períodos diurno e noturno da disciplina. “As aulas foram interrompidas antes de completar o mínimo exigido e os alunos foram avisados sobre isso”, disse o docente. “Não posso fazer nada. Não vou emitir um documento público falso. Não sou eu quem aprova ou reprova por falta. As pessoas têm presença ou não têm.” De acordo com a USP, como foram os alunos que decidiram não comparecer às aulas, o professor agiu dentro das regras da instituição. Os alunos ainda podem entrar com recurso na unidade.

Romário afina com a CBF?

O deputado federal Romário (PSB-RJ) recuou da contundência com que criticava a CBF e a organização da Copa de 2014. O Baixinho teve uma reunião de duas horas nesta sexta (16) com Ricardo Teixeira e com o novo integrante do Comitê Organizador Local (COL), o ex-atacante Ronaldo. “Fiquei feliz em saber de coisas que não sabia. Hoje, tenho consciência da responsabilidade que a CBF e o COL têm, e de tudo o que o Ronaldo pode trazer daqui pra frente em relação à Copa do Mundo. Ele está dando uma cara diferente ao COL. E também agregando credibilidade, porque sabemos da sua história e de todas as coisas positivas que ele já fez”, declarou Romário ao UOL.

Matéria-prima de grifes é produzida com trabalho escravo na África

Um estudo de 2008 da Helvetas Swiss Intercooperation, organização sediada em Zurique, aponta que “centenas, senão milhares” de crianças poderiam estar vulneráveis à exploração em fazendas do Burkina Faso, trabalhando na produção de algodão. O produto acaba sendo enviado para países como Sri Lanka e Índia para confecção de roupas de grife famosas internacionalmente, como a Victoria’s Secret. A marca usa como marketing a informação de que a maior parte do algodão que utiliza provém de fazendas com certificação de produção orgânica ou de comércio justo. A empresa nega ter conhecimento do relatório de 2008. A federação de fazendeiros de Burkina Faso, parceira comercial responsável por promover os princípios orgânicos e de comércio justo, também rechaça a hipótese de serem empregadas crianças nas colheitas, mas uma reportagem da agência norte-americana Bloomberg News, publicada nesta sexta-feira (16), flagrou crianças trabalhando nas fazendas do país africano.

Aprovado projeto que regulamenta eventos no Largo Glênio Peres

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou, na última quarta-feira (14), o Projeto de Lei do Executivo que regulamenta as atividades econômicas e culturais no Largo Glênio Peres. De acordo com o prefeito José Fortunati, é preciso regrar os eventos que segundo ele, resultam em prejuízos ao patrimônio público por conta das depredações. Conforme o projeto, dois eventos continuarão ocorrendo no Largo: a Feira do Peixe e a Feira Estadual da Economia Solidária. A autorização para realização do evento fica condicionada ao oferecimento de no mínimo 40% de vagas para a participação de empreendimentos de Porto Alegre. O projeto ainda estipula que eventos de natureza assistencial também serão permitidos. Shows e outros eventos com montagem de palcos deverão ser comunicados à Prefeitura com montagem, desmontagem e cobertura de prejuízos, provenientes desses espetáculos sempre a cargo dos organizadores.

Mais sobre o inquérito recebido pela Massa Crítica

O pedido do Inquérito Civil que está sendo instaurado contra o evento ciclístico Massa Crítica – que procura promover a bicicleta como meio de transporte em alternativa aos veículos automotores, e que ocorre toda a última sexta-feira de cada mês –, foi realizado pela diretoria da EPTC após reclamar do evento ocorrido no dia 22 de setembro, que estava sendo acompanhado pela brigada militar e a EPTC, os participantes além de negarem a necessidade da presença das autoridades “responsabilizando-se por seus atos”. Além disso, uma pequena minoria consumia bebida alcoólica e confrontavam os motoristas agressivamente. Por outro lado, foi anexado nos autos, um e-mail de um cidadão que exige que o Ministério Público cobre da EPTC e da Brigada Militar melhor fiscalização quando houver o evento ciclístico. Ele acrescenta ainda que a Massa Crítica é um grande evento de mobilidade urbana em prol da bicicleta e por tanto, merece mais atenção por parte das autoridades.

Prefeitura do Rio oferecerá manobristas e ajudantes a moradores do Leblon

Quando uma obra afeta moradores da classe nobre, o tratamento do governo estadual do Rio de Janeiro para minimizar os transtornos é VIP. Neste momento, a extensão do metrô para o Leblon tem bloqueado a Avenida Ataulfo Paiva, uma das principais do bairro. Por isto, o governo decidiu disponibilizar manobristas e ajudantes 24 horas aos moradores. Os habitantes que têm dificuldades de acessar sua casa de carro terão manobristas que levarão os veículos a estacionamentos particulares e trarão para o morador quando ele quiser sair de casa. O governo estadual explica que “o serviço de vallet já foi utilizado, com eficiência, nas ruas Toneleiros e Pompeu Loureiro, em Copacabana, e Jangadeiros, em Ipanema, durante a construção das estações Cantagalo e General Osório”. Além dos manobristas, idosos terão carregadores a sua disposição.